Fear ItSelf – Episódios 1-3

Junho 23, 2008

Fear Itself começou muito bem mas não tarda até que percebamos que o facto da série estar num canal aberto (que sempre foi a minha preocupação) tem as suas desvantagens (e muitas…). O terror não é bem explorado nem bem conseguido e só por isso a série já peca. Os clichés são muitos, mas a série ganha por ter uma história isolada em cada episódio, obrigando os guionistas consagrados a desenrolar a história mais rapidamente.

O primeiro episódio intitulado The Sacrifice foi o mais bem conseguido em termos de terror e de suspense. A acção foi desenvolvida rapidamente e não foi entediante por um segundo que seja. Claro que os clichés habituais reinaram (mais nesse episódio que os restantes), mas isso não deteve o gosto que tive a vê-lo.

Já o segundo episódio, Spooked, foi bastante mais fraco. Com uma acção bastante lenta a desenvolver-se, a primeira metade do episódio foi realmente entediante. A história já foi mais original que a primeira mas muito mais ‘água com açúcar’. Foi algo que custou a passar…

O terceiro episódio reforçou que Fear ItSelf é mais uma série de suspense que terror. Afinal que tem medo de ver aquilo? Que eu saiba ninguém. Contudo, a história de Family Man foi bem construida e também meio original. Como prefiro finais realistas ao ‘felizes para sempre’, adorei o rumo que o final tomou.

Notas dos episódios:

The Sacrifice (1.01) – 8,8

Spooked (1.02) – 7,6

Family Man (1.03) – 8,2

Anúncios

Guionista de House agradece à greve

Junho 23, 2008

A greve que durou três meses, finalizando em Fevereiro de 2008, teve muitos impactos negativos, como a perda de temporadas completas, além dos prejuízos financeiros resultantes da paralisação. Actores como Zachari Quinto (Sylar de Heroes) agradeceram à greve por permitir gravar vários filmes mais calmamente, e agora foi a vez do criador de House, David Shore, que revelou ao TVSquad que a greve foi boa para a série.

Shore disse que a greve funcionou bem para nós. Ela nos deu mais tempo para trabalhar o relacionamento entre Amber e Wilson, enquanto que a directora Katie Jacobs proferiu o seu agradecimento à FOX pelo tempo ganho: foram eles que decidiram desacelerar a produção.

Os dois concordam num ponto da trama: o relacionamento de Amber e Wilson. Segundo eles, o prazo serviu para construir melhor o romance entre esses dois personagens e o resultado desse mesmo romance em House. Concluíndo: a greve permitiu que os produtores fizessem aquele final de temporada impactante que foi.