Cinema: Saw V (2008)

Novembro 16, 2008

Terror é um dos meus géneros favoritos, apesar de nunca ter tido coragem para ver O Exorcista. Gosto de filmes-saga, como ‘I Know What You Did Last Summer’, ‘Scream’ ou os maravilhosos ‘Final Destination’. Mas nunca me interessei por Saw. Contudo, decidi ver este quinto filme só para ficar um pouco por dentro do assunto. E não é que até tem partes bem interessantes?! Existem duas narrativas distintas e há uma que adorei e outra que foi menos cativante.

A que eu adorei foi o ‘jogo’ que os cinco sujeitos que aparecem no início do filme estão a ‘brincar’. Todos os desafios foram bem inteligentes, principalmente o último em que eles têm de dar 5 litros de sangue (o mesmo que o corpo humano tem). A que foi menos cativante foi toda a história do Jigsaw. Mas uma coisa é certa: como eu gosto de filmes com um final aberto, o final de Saw V não poderia ser melhor. Mas isso significa que temos um sexto filme a caminho… e será essa a melhor opção?


Grey's Anatomy (5.08) – These Ties That Bind

Novembro 16, 2008

Grey’s Anatomy já foi das minhas séries favoritas lá para a primeira temporada, mas depois quando tudo esfriou, deixou de o ser. Muitos não gostaram de ‘These Ties That Bind’ mas eu até que gostei, não foi nada de especial, mas foi um bom episódio. Eu quando soube que o Denny iria voltar para esta temporada fiquei meio reticente e até detestei a participação dele nos episódios anteriores, mas agora não estou tão chateado com a volta dele. Mas claro que prefiro um John Winchester do que um Denny Duquette, por isso, Eric Kripke, trata de arranjar uma história para ele.

O episódio trouxe algo que eu aprecio muito em Grey’s Anatomy: um caso médico bizarro. Também tivemos a introdução de duas novas personagens, uma interpretada pela presidente Laura Roslin de Battlestar Galactica e a outra é uma amiga de Meredith que é agora interna do Seattle Grace. Agora a parte que eu não poderia deixar de falar: Hahn. Por favor, não me digam que ela saiu assim?! É demasiado mau para ser verdade. Antes tivessem morto ela, sei lá, qualquer coisa é melhor do que uma versão feminina de Burke.

Nota: 8,4


Cinema: Madagascar – Escape 2 Africa (2008)

Novembro 16, 2008

Depois do sucesso que foi o filme em 2005, Madagascar volta com um segundo filme menos bom que o anterior, mas ainda assim muito fácil de se ver. Com um elenco de luxo a dar as vozes dos animais mais perdidos de sempre, com Ben Stiller, Chris Rock, Alec Baldwin e ainda David Schwimmer, Madagascar tornou-se num filme de animação falado em todo o mundo. Eu sinceramente não achei assim tão sublime o primeiro filme (numa escala de 0-5 estrelas, dou-lhe 3,5), mas mesmo assim decidi tirar a minha tarde de domingo para um cinemazito ‘alternativo’.

Esta aventura começa com os pinguins a preparam a fuga de Madagascar, mas após algum tempo no ar, o avião cai algures em África. Muito engraçada a cena em que a velhota luta tanto com Alex como também com o outro leão. A minha personagem favorita nunca foi o Alex e achei que o filme pecou por dar demasiado protagonismo a ele e pouco às outras personagens. Schwimmer dá a sua voz para um Melman muito engraçado, principalmente quando ele, na altura em que o avião cai, confessa os seus sentimentos por Gloria.

O final foi um bocadinho surpreso quando vemos que quem se está a casar é o pinguim mais a boneca e não Melman e Gloria. Eu não estava à espera que eles quatro ficassem longe de New York mais uma vez e isso indica-nos um possível terceiro filme (se a bilheteira desse for rentável, claro). Eu sou contra a filmes que duram por várias e várias versões por isso acho que a história de Madagascar deve ficar por aqui.


ER (15.07) – Heal Thyself

Novembro 16, 2008

Quando os teus pais morrem, és órfão. Quando o teu companheiro de vida morre, és viúvo ou viúva. Mas quando um filho morre… não tem palavra certa para descrever.

É absolutamente incrível o nível que esta temporada tem demonstrado nesta última temporada. Actualmente, não existe melhor série médica de ER, nem mesmo House ou Grey’s Anatomy estão melhores. Todos os pormenores são tidos em conta, como por exemplo neste episódio: com a volta de Anthony Edwards, também regressou o antigo logo da série, aquele em que as letras ER (minúsculas) vermelhas se sobressaem num fundo verde.

O centro das atenções de Heal Thyself (além do Dr. Greene claro) foi a actuação soberba da actriz Angela Bassett no papel da chefe Cate. Confesso que ao início não gostava dela, mas agora é uma das minhas personagens favoritas. É muito difícil descrever o que sinto por este episódio de tão bom e tocante que ele foi, mas posso dizer que adorei as cenas de transição entre as duas linhas temporais. Também foi muito bom ver a conversa que Cate tem com o Dr. Morris, conversa essa que eu transcrevi no início deste post.

Nota: 9,5


CSI (9.06) – Say Uncle

Novembro 16, 2008

E já estamos perto do episódio final de Grissom. Estou muito curioso para ver que final vai ter este protagonista e espero que tenha a ver com Sara. Esperemos que o outro actor faça um bom personagem – pelo que dizem vai ser uma espécie de polícia com obsessões de psicopatas – e que não deixe a série morrer. Daqui a uns tempos CSI está se tornando um ER policial (digo isso porque sabemos que CSI não vai ser cancelado tão cedo e o elenco já começa a ser renovado).

Agora falando propriamente de Say Uncle, o sexto episódio desta época. Não gostei do caso policial e vou dizer a principal razão. Em dois episódios deste nono ano, dois deles tiveram casos com um final aberto em que o assassino/culpado não foi descoberto por completo e só queria que dessem continuidade a esses casos. Mas não é só isso, pois o caso em si não foi nada de interessante. Esperasse melhores pela frente.

Nota: 7,6