Grey's Anatomy (5.10) – All By Myself

Dezembro 6, 2008

No Seattle Grace Hospital, temos três amigas: a Sr.ª Grey, Miss Yang e aquela que aparentemente se masturba. Acontece que toda a história de Denny e Izzie até tem partes de comédia, mas acho que foi uma das piores decisões que a Shonda tomou em relação à série. Sei que o Ausiello já disse o porquê dessas visões mas eu ainda não li por isso não vou tecer mais nenhum comentário em relação a isso. Veremos como isso vai terminar… Os casos dessa semanas foram interessantes e com desfechos inesperados. Nunca pensei que a jovem rapariga fosse morrer (grande interpretação da jovem que fazia de irmã dela). A cena entre Yang e Hunt no ventilador é que foi magnífica. Como sempre, Sandra Oh a criar as melhores cenas de cada episódio. Adoro as cenas médicas de Grey’s Anatomy, aquelas cenas em que um médico (que nesse episódio foi o Shepard e o karev) testam os seus limites como salvadores de vidas.

Nota: 8,7


Chuck (2.08) – Chuck Vs. The Gravitron

Dezembro 6, 2008

Após um final (in)esperado do último episódio, onde percebemos que Jill é espiã da Fulcrum, Chuck tem mais um episódio que, apesar de não encher o olho, consegue-nos proporcionar excelentes momentos de diversão. O episódio começa com Chuck a descobrir a verdadeira identidade de Jill. Mas as mentiras de Jill não ficaram por ai, e com um plano engenhoso, consegue que Chuck abra as “portas” da instalação secreta ao líder da Fulcrum. Mas entre estes momentos de traição sobressai a inteligente de Chuck, ao conseguir prever os passos do oponente.

Na Buy More, temos mais momentos de verdadeira estupidez, pois Big Mike deixa os seus três piores empregados a cuidar da loja, Jeff, Lester e Morgan. A história fuga de Morgan para ir buscar um peru de “verdade” traz-nos situações hilariantes. Por último, o episódio acaba em grande, com Big Mike a derrotar o Líder e Chuck a perceber a verdadeira intenção de Jill. Ainda de referir o excelente momento de humor que Morgan nos proporciona com o Milagre do Dia de Acções de Graças. Podemos classificar este episódio como bom, pois apesar de ter a sua parte de acção, os momentos humorísticos não foram tantos como Chuck nos tem habituado.

Nota: 8,9

Escrito por: Aguerra
Revisado por: Marco


Terminator: TSCC (2.11) – Self Made Man

Dezembro 6, 2008

Começo a questionar-me se o ganho de temporada completa foi benéfico para a série. Digo isso por uma simples razão: não vejo a utilidade deste episódio a não ser para ‘encher chouriços’. O que salvou Self Made Men foi ele ter sido centrado basicamente na Cameron, porque imaginemos que fosse um episódio centrado em John? Sim… ele está a ficar muito chato outra vez. Gostei da cena em que ele está a jogar um jogo de guerra que basicamente vai ser ele no futuro. A sua sensação de não conseguir vencer o adversário fá-lo pensar no futuro que se aproxima. Cameron, por sua vez, tinha uma ocupação todas as noites: uma espécie de investigadora. Ela descobre que um T-888 (não me lembro bem se foi esse) foi parar a 1920 por engano. Será que existe algum site com os eventos com uma linha temporal? É que já estou a ficar meio confuso com as datas.

Nota: 7,8


House (5.10) – Let Them Eat Cake

Dezembro 6, 2008

Depois dos acontecimentos que marcaram o episódio passado, Cuddy tem de arranjar um novo escritório e, como seria de esperar, é o gabinete de House que vai servir de novo local de trabalho para ela. Gostei da cena do confronto entre os dois, em que ambos assumem que se sentem atraídos um pelo outro. O caso da equipa foi um dos mais chatos desde o início da temporada, em que a fórmula ‘é, não é, afinal é, afinal não é’ é o que se vê mais. Contudo, e ainda bem que Kutner teve mais participação agora, temos um final muito bom quando House com a sua suposta cliente armam uma armadilha para Kutner e o amigo. Engraçado como ele ficou sem os lucros do negócio de um momento para o outro. Por fim, temos a doença de Thirteen que está a ser tratada com muito ‘tempo de antena’ para Olivia Wilde. Se isso ficar assim até ao fim da temporada, alguns fãs podem ficar cansados dela.

Nota: 8,5