Prison Break (4.14) – Just Business

Dezembro 11, 2008

snapshot200812100817301A pouco mais de metade da temporada, Prison Break conseguiu ter um desempenho excelente quase ao nível do primeiro ano. Ainda não sabemos o que nos resta nos 10 episódios finais da séries, mas após o final que marcou Just Business já podemos ter uma pequena ideia. Com muita adrenalina do início ao fim, os 40 minutos desse décimo quarto capítulo foram muito bons de se ver com todas as reviravoltas, mortes e drama que faz de Prison Break uma excelente série. Depois de Self saber que Michael tem uma parte de Scylla consigo, o ataque começa, mas, sempre prevenido, a equipa de Scofield consegue dar a volta por cima e escapar de Self.

No final, depois de uma grande perseguição bem planeada de ambos os lados (claro que o dos ‘good guys’ sempre foi melhor), Michael cai nas garras da Companhia e é aí que temos o mote para os próximos episódios, quando o General diz a Lincoln para recuperar Scylla. Agora é a prova de fogo de Lincoln: conseguirá ele ser minimamente inteligente para conseguí-lo? Quanto a Gretchen, uma coisa que todos já devem ter reparado é a quantidade de parceiros (não no sentido amoroso) que ela já teve: primeiro Whistler, depois o General, T-Bag e por fim o Self. Quem será o próximo? Lincoln?

Nota: 8,9

Anúncios

Globos de Ouro 2009: Nomeações

Dezembro 11, 2008

Beverly HiltonDepois de mais um ano recheado de séries, chegaram as nomeações da 66.ª edição dos Globos de Ouro. A cerimónia será realizada no dia 11 de Janeiro. Nesse ano que finda não houve cerimónia devido à greve dos argumentistas, mas esperemos que a festa seja muito melhor que a dos Emmys, que não foi grande coisa. Nessa lista, sinto falta de algumas séries como Lost, Pushing Daisies e ER. Como as séries da CW nunca são nomeadas (vai-se lá saber porquê) era mesmo de esperar que mesmo com uma temporada muito boa, Supernatural e One Tree Hill (sim, ambas são dois dramas muito bons) não fossem nomeadas. Felizmente True Blood entra logo para a categoria mais ‘importante’ só com uma temporada exibida. Anna Paquin também está nomeada como melhor actriz de drama. Só faltava mesmo o Stephen Moyer pela sua interpretação explendida do vampiro Bill. A última temporada de The Shield também não teve nenhum reconhecimento, ao contrário de The Sopranos o ano passado. Como sempre, 30 Rock e Mad Men sobrevalorizadas nesse tipo de prémios. A vermelho estão aqueles que eu queria que ganhassem e a verde aqueles que eu não me importava nada que também vencessem.

MELHOR SÉRIE – DRAMA
DEXTER (SHOWTIME)
HOUSE (FOX)
IN TREATMENT (HBO)
MAD MEN (AMC)
TRUE BLOOD (HBO)

MELHOR ACTRIZ PRINCIPAL – DRAMA
SALLY FIELD – BROTHERS AND SISTERS
MARISKA HARGITAY – LAW AND ORDER: SPECIAL VICTIMS UNIT
JANUARY JONES – MAD MEN
ANNA PAQUIN – TRUE BLOOD
KYRA SEDGWICK – THE CLOSER

MELHOR ACTOR PRINCIPAL – DRAMA
GABRIEL BYRNE – IN TREATMENT
MICHAEL C. HALL – DEXTER
JON HAMM – MAD MEN
HUGH LAURIE – HOUSE
JONATHAN RHYS MEYERS – THE TUDORS

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
30 ROCK (NBC)
CALIFORNICATION (SHOWTIME)
ENTOURAGE (HBO)
THE OFFICE (NBC)
WEEDS (SHOWTIME)

MELHOR ACTRIZ PRINCIPAL – COMÉDIA OU MUSICAL
CHRISTINA APPLEGATE – SAMANTHA WHO?
AMERICA FERRERA – UGLY BETTY
TINA FEY – 30 ROCK
DEBRA MESSING – THE STARTER WIFE
MARY-LOUISE PARKER – WEEDS

MELHOR ACTOR PRINCIPAL – COMÉDIA OU MUSICAL
ALEC BALDWIN – 30 ROCK
STEVE CARELL – THE OFFICE
KEVIN CONNOLLY – ENTOURAGE
DAVID DUCHOVNY – CALIFORNICATION
TONY SHALHOUB – MONK

MELHOR ACTRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME

JUDI DENCH – CRANFORD
CATHERINE KEENER – AN AMERICAN CRIME
LAURA LINNEY – JOHN ADAMS
SHIRLEY MACLAINE – COCO CHANEL
SUSAN SARANDON – BERNARD AND DORIS

MELHOR ACTOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME

RALPH FIENNES – BERNARD AND DORIS
PAUL GIAMATTI – JOHN ADAMS
KEVIN SPACEY – RECOUNT
KIEFER SUTHERLAND – 24: REDEMPTION
TOM WILKINSON – RECOUNT

MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
EILEEN ATKINS – CRANFORD
LAURA DERN – RECOUNT
MELISSA GEORGE – IN TREATMENT
RACHEL GRIFFITHS – BROTHERS AND SISTERS
DIANNE WIEST – IN TREATMENT

MELHOR ACTOR SECUNDÁRIA EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
NEIL PATRICK HARRIS – HOW I MET YOUR MOTHER
DENIS LEARY – RECOUNT
JEREMY PIVEN – ENTOURAGE
BLAIR UNDERWOOD – IN TREATMENT
TOM WILKINSON – JOHN ADAMS


Final de Pushing Daisies é alterado e Fuller fala de Heroes

Dezembro 11, 2008

_7260720O sempre informado Michael Ausiello trouxe-nos na sua coluna Ask Ausiello uma das melhores notícias da semana: Pushing Daisies terá final decente. A série deveria terminar, inicialmente, com um cliffhanger para um possível filme ou banda desenhada, mas a ideia era péssima para os fãs que vivem fora dos Estados Unidos, pois não teriam acesso à continuação da história e não saberíamos como terminaria a história de Ned e Chuck. Contudo, só o início e o fim do episódio é que será refilmado, mas já é muito bom tendo em conta que nem isso podíamos ter.

Bryan Fuller, o criador de Pushing Daisies, confirmou o seu contrato com a NBC para ser um dos produtores de Heroes. Conhecido por ser a mente do melhor episódio da série até agora, Company Man, Fuller deu uma entrevista onde fala um pouco do futuro da série. O seu trabalho na série de super heróis começa no episódio 19, numa altura em que, segundo ele, a série estará em grande. Quanto às possíveis histórias que compõem o quarto volume que estreia no dia 2 de Fevereiro nos Estados Unidos, Fugitives, Bryan disse que teremos um Peter de regresso à sua profissão de enfermeiro e uma Claire a ir para a Universidade.


Review Private Practice (2.08) – Crime & Punishment

Dezembro 11, 2008

Nossa, que episódio intenso e bonito. Em “Crime & Punishment” tivemos ótimos casos médicos que influenciaram no comportamento dos personagens da clínica. Addison teve que lidar com o marido de uma mulher em coma, e grávida, que corria risco de perder seu bebê se uma cesárea não fosse realizada para salvá-lo, algo que o marido relutou muito a autorizar. Violet ficou com o incrível caso de Doug – paciente que já tinha aparecido na primeira temporada e era humilhado o tempo todo por uma esposa com uma doença em fase terminal –, que matara a esposa. Ficou a cargo da psiquiatra descobrir se Doug a matou a sangue frio por pura vontade ou por pedido de sua própria mulher. E, finalmente, Meg enfrentou o preconceito de Dell e Naomi, que não aceitavam que a médica começasse a realizar abortos na clínica – um assunto sempre delicado, mas muito bem abordado em Private.

Como se essas histórias tensas não bastassem, Charlotte procurou Cooper e lhe pediu perdão por tudo o que fez a ele – finalmente ela se deu conta e admitiu que está completamente apaixonada por ele –, porém sem sucesso, uma vez que Cooper ainda está muito magoado com a presença da clínica de King um andar acima de seu consultório. Além disso, Sheldon Wallace, novo psiquiatra da clínica de Charlotte foi apresentado na série e já conseguiu chamar a atenção de Violet. Um novo interesse amoroso para a médica? Tomara que sim, aliás, espero ver os outros médicos da nova clínica aparecendo nos próximos episódios de Private Practice, cuja temporada está fantástica.

Nota: 9,5