Chuck (2.11) – Chuck Vs. Santa Claus

Dezembro 18, 2008

2101Como diz a música, e que se ouve muito nesta época, “You better watch out”, Chuck chegou a um nível em que todo o cuidado é pouco, pois o mundo começa a ser pequeno para o Intersect. Mas como é natal, as prendas trouxeram um episódio que apesar de não chegar, ainda, aos níveis dos melhores que esta série nos pode trazer, foi bom. Mas então, o episódio retrata o dia anterior ao Natal, o dia da compra dos presentes atrasados para dar no natal (parece que alguns americanos são como os portugueses…). E por isso, a Buy More terá a uma das maiores enchentes do ano. Mas o Natal americano nunca fica preenchido sem uma perseguição automóvel. E, como em quase, para não dizer todas, perseguições automóveis, os carros terão de se espetar. E onde este se espeta? Claro que é na Buy More.

Mas o que parecia um acto natural, não é, pois o acontecimento tem razão de ser. É que dentro do carro está um agente da FULCRUM, que consegue fazer-se passar pelo pior assaltante do mundo. E o que este agente procura é pelo Intersect. E para isso necessita de saber onde é que este se encontra e Chuck, para salvar a Buy More, entregue-se a uma vida de prisão. Mas Chuck não existiria sem Chuck, por isso é que a salvação tinha de se realizar. Mas para essa salvação acontecer o agente de FULCRUM tinha de morrer. E quem o mata é a Sarah, com Chuck a ver, para salvá-lo de uma vida em fuga e sempre a olhar por cima do ombro.

No final temos a tristeza de Chuck e do Morgan, pois ambas sofreram desgostos de amor. Esperemos que esta situação seja rapidamente tratada, pois Chuck sem Chuck e Sarah não será o mesmo. E assim Chuck só regressa em Fevereiro, com o tão esperado episódio em 3-D. Esperemos que Chuck volte em excelente forma. E, já agora…Bom Natal!

Nota: 8,9

Escrito por: Aguerra
Revisado por: Marco


Pushing Daisies (2.09) – The Legend of Merle McQuoddy

Dezembro 18, 2008

snapshot20081218195428Nem mesmo num dia de tempestade, onde o medo assombra um episódio de Pushing Daisies, a série consegue tirar-nos o sorriso habitual. E quando pensamos que Bryan Fuller e toda a sua equipa não conseguem criar algo mais original, eis que nos somos presenteados pela surpresa, uma surpresa positiva. O meu medo é que com apenas quatro episódios restantes, as histórias não fiquem totalmente fechadas como a da filha de Emerson ou a de Charles (que não deve ter acabado ainda). A Olive é uma personagem genuinamente deliciosa. Depois de um grande momento musical no episódio anterior, temos a melhor dupla da série: Emerson Cod e Olive Snook.

E como se isso ainda não bastasse, temos um caso da semana bem interessante, com muito suspense e a comédia habitual. A cena do faról, quando a mulher morre e a luz projecta a sua imagem, está genial. O que eu me ri com a história de ‘terror’ contada pela Olive. O que eu me ri com o pequeno maroto a aproveitar-se da Olive e Chuck! O que eu me ri com o cumprimento barriga-a-barriga de Emerson e Olive. Grande Bryan Fuller! Grande Produção! Grande Elenco! Pobre ABC!

Nota: 9,4


The Big Bang Theory (2.11) – The Bath Item Gift Hypothesis

Dezembro 18, 2008

211Após uma seqüência de episódios em que todos os personagens do elenco principal não se reuniam em cena, o episódio 2.11 – The Bath Item Gift Hypothesis conseguiu melhorar e muito a qualidade dessa primeira metade da 2ª temporada. Em um episódio sensacional em que comemoravam a chegada do Natal, Leonard (Johnny Galecki) Sheldon (Jim Parsons), Raj (Kunal Nayyar), Howard (Simon Helberg) estiveram ótimos desde a primeira aparição, na lanchonete da universidade, e também na noite de boliche no Wii. Penny (Kaley Cuoco) também esteve muito bem nesse episódio, primeiro quando conheceu David (Michael Trucco), um cientista que estava trabalhando com Leonard em um novo projeto científico, e começou a sair com o cara fingindo ser muito interessada em ciência desde pequena, e também quando chegou o momento de trocar presentes com Sheldon e Leonard ao final do episódio. O modo como Sheldon reagiu ao receber um guardanapo usado e autografado por Leonard Nimoy, que foi o ator que interpretou o Sr. Spock na série de TV e nos filmes de Star Trek, foi a melhor parte do episódio e proporcionaram as mais longas gargalhadas dos últimos episódios.

Foi bom ver também que Howard e Raj participaram mais desse episódio e ficou comprovado que sem a presença deles em cena a série perde muito, e até mesmo Leonard está participando bem e fazendo jus ao papel de um dos atores principais da série. Outro momento que merece ser destacado foi a tática de Sheldon para comprar um presente para Penny e para isso contou com a ajuda de Howard e Raj. Como ele não esperava ganhar um “presente” tão especial quando esse guardanapo. Para agradecer pelo fabuloso presente, Sheldon entrega todas as cestas que havia comprado e como “bônus” Penny ganha um abraço. Excelente episódio para terminar esse ano de 2008 brilhante para The Big Bang Theory, e agora fica a expectativa de que em 2009 a série retorne com mais episódios nesse mesmo estilo e conclua de forma espetacular essa 2.ª temporada.

Nota: 9,5


EXCLUSIVO: O Portal fala com a autora de As maravilhosas mulheres das séries de TV

Dezembro 18, 2008

capa-maravilhosas-mulheres‘As maravilhosas mulheres das séries de TV’ é um livro da autoria de Fernanda Furquim. A autora aceitou falar com o Portal de Séries e responder a três perguntas, mas antes de conferirem a mini-entrevista, podem ficar a saber do que se trata o livro. Adianto desde já que a muito simpática Fernanda deu um exemplar do livro para ser sorteado à comunidade brasileira aqui, no Portal de Séries. Fiquem atentos pois vai ser em breve, muito em breve.

O livro levou um ano e meio a ser elaborado e foi lançado em Setembro deste ano. Tal como a autora disse no seu blog, Revista TV Séries, ‘As maravilhosas mulheres das séries de TV’ segue uma trajectória das produções estreladas por mulheres ao longo de seis décadas, assim como a evolução da personagem feminina nas séries de TV, curiosidades, biografias, imagens, relevância na história do género, referências sociais e culturais, além de uma passagem pelas séries brasileiras, isso tudo ao longo de 368 páginas.

O livro está a venda no site da editora, Panda Books, através dessa hiperligação, ao preço de 52,90 reais (algo como 15,90 euros). A capa é a que está neste artigo e se quiser saber um pouco mais da autora é só ir aqui. Agora segue-se a entrevista de quatro perguntas em que a autora fala de planos futuros, o porquê da escolha do tema ‘mulheres’ e as suas personagens favoritas, além de deixar uma observação aos leitores sobre o que se trata, de facto, o seu livro.

Marco: O que lhe levou a escolher este tema para o seu livro?
Fernanda: O fato de que as séries estreladas por mulheres são hoje em dia uma produção forte e de grande audiência, chegando ao ponto de competir de frente com produções estrelados por homens. Visto que no início as mulheres estrelavam predominantemente séries cômicas, as famosas sitcoms, procurei traçar um panorama da televisão americana mostrando a evolução do perfil feminino das séries estreladas por mulheres em comparação às mudanças sociais e culturais pelas quais os EUA passou, até os dias de hoje.

Marco: Já tem algum projecto pensado como autora para o futuro?
Fernanda: Sim, estou fazendo minha monografia de pós graduação e espero conseguir publicá-la quando estiver pronta. Ainda é cedo para mencionar maiores detalhes.

Marco: Só por curiosidade, para si quais são as melhores séries que considera feministas e actrizes (visto que o seu livro fala das mulheres das séries da TV) da televisão?
Fernanda: Costumo citar cinco produções que para mim representam a evolução da mulher nas séries de TV americanas: I Love Lucy, Mary Tyler Moore Show, A Mulher Biônica (The Bionic Woman – anos 70), Arquivo X (a Dana Scully, embora não seja uma série estrelada por uma mulher, ela tem uma presença importante) e Weeds.

Marco: Que tipo de mulher traçou no livro?
Fernanda: No livro eu tracei o perfil apenas das séries estreladas por mulheres que foram exibidas no Brasil. As que tem maior significado foram analisadas, as que tem menor significado foram apenas listadas. Todas elas tem fotos, em preto e branco. Apenas quatro séries estreladas por duplas entraram no livro pela importância da personagem feminina. São elas: Casal 20 (Hart to Hart – Jennifer Hart), A Gata e o Rato (Moonlighting – Maddie Hayes), Arquivo X (The X-Files – Dana Scully) e Louco Por Você (Mad About You – Jaimie).

Na segunda parte deste artigo (que deve sair amanhã, dia 19/12), lançarei o passatempo à comunidade brasileira onde será sorteado um exemplar do livro referido com mais informações sobre o mesmo. Desde já, deixo o meu grande obrigado à Fernanda Furquim pela disposição em responder às perguntas e por ter oferecido um livro para sortear aos brasileiros. Muito Obrigado!


Premmy Awards 2008 – Votações (1/3)

Dezembro 18, 2008

logopremmyNum total momento de falta de inspiração, não conseguimos arranjar outro nome para esse especial de quatro artigos que já explicarei em que consiste. Assim nasceu os Premmy Awards (Emmy+Prémios+Portal?! = Premmy), uma iniciativa minha e da Marcia que consiste em criar uma espécie de votação para os melhores (e piores) deste ano que finda. Nos três primeiros artigos deste especial, serão colocadas cinco categorias em cada para votação e no último serão os resultados. Seguem-se os cinco nomeados das primeiras categorias e o formulário para votação. Os nomeados foram escolhidos por mim e pela Marcia, a quem deixo um especial obrigado pela criação das imagens e por toda a participação neste especial.

A VOTAÇÃO PARA ESTAS CATEGORIAS ESTÁ ENCERRADA. AGORA PODE VOTAR NAS PRÓXIMAS CINCO CATEGORIAS QUE ENCONTRAM-SE DISPONÍVEIS AQUI.

seriedrama

actordrama

actrizdrama

vilaotv

melhorheroi

A VOTAÇÃO PARA ESTAS CATEGORIAS ESTÁ ENCERRADA. AGORA PODE VOTAR NAS PRÓXIMAS CINCO CATEGORIAS QUE ENCONTRAM-SE DISPONÍVEIS AQUI.


CSI (9.07) – Woulda, Coulda, Shoulda

Dezembro 18, 2008

CSI, mais uma série que está por vezes à beira do cancelamento do Portal. Ainda bem que temos episódios que me fazem voltar com a decisão atrás, assim como mudanças que se avizinham. O novo actor que vai substituir Grissom começa já daqui a dois episódios e vai trabalhar simultâneamente com Gil no seu último caso policial. Vai ser um grande episódio (assim espero), pois além da entrada de Lawrence Fishbourn e a saída de William Petersen, Jorja Fox regressa para mais um episódio.

‘Woulda, Coulda, Shoulda’, três palavras, três casos. O primeiro (e menos interessante) segue o assassinato de uma mulher na sua própria casa e quase morte da sua filha. O segundo, que por ter tido tons de comédia por parte de Nick, foi bem mais interessante e foi sobre dois jovens que tiveram um acidente de carro. Por fim, temos o melhor: o regresso da Assassina Miniatura. Antes de ela supostamente se enforcar, ela deixa um último ‘brinquedo’ a Grissom: a miniatura da sua própria morte!

Nota: 8,3

CANCELAMENTO DO PORTAL N.º 11

Este cancelamento não é bem um cancelamento. É uma espécie de adiamento da temporada, para quando tiver coisas menos interessantes para ver.