Flashpoint (2.03) – Fight or Flight

flashpoint-2031Inovar – tornar novo; mudar ou alterar as coisas, introduzindo-lhes novidades; renovar. Uma série que inova refaz-se, mas mantém a identidade. Uma série que inova não entra na monotonia, mas consegue desfazê-la. Uma série que inova é como algo que novo nasceu, uma Fénix que primeiro teve de passar pelo fogo antes de renascer. Uma Fénix que está pronta para voltar a voar. Foi tudo isto, e ainda noutras metáforas, que pensei ao ver o episódio de Flashpoint. Flashpoint teve uma primeira temporada, que como disse muitas vezes, muito boa. Teve os dois primeiros episódios um pouco mais fracos e este terceiro renasceu. Uma Fénix autêntica, pois teve um crescimento e maturação durante a primeira, teve de “morrer” durante os dois primeiros episódios da segunda para neste episódio renasce.

Mas o renascimento deve-se a uma mudança na série, uma inovação como foi dito em cima. E essa inovação foi introduzida por um caso mas sentimental, mais emotivo, se calhar o mais emotivo da série, mais pessoal. O episódio retrata dois casos em um. Começamos com a chegada de Danny ao centro de operações especiais. Danny foi um dos primeiros que fizeram parte deste grupo, e por isso é reconhecido por todos. Mas a equipa recebe uma chamada e precisa de sair. O caso que têm de tratar trata-se de uma ameaça de bomba num dos locais mais movimentados da cidade. A equipa, ao chegar, recebe uma chamada do centro a avisar que Danny estava com uma arma no centro. Danny barricou-se com um ficheiro, um caso passado. Este caso trata-se de uma negociação realizada por Danny, onde morre uma criança.

Metade da equipa vai para o centro de operações especiais, onde o ambiente está muito emotivo, pois Danny, como já foi negociador, não cai nas ratoeiras que lhe tentam colocar. Para além deste facto, toda a equipa se preocupa com ele, pois o respeitam. A emotividade também foi a chave para a resolução deste caso, quando Ed resolve colocar os seus fantasmas e Danny nota que eles são iguais. No caso da bomba, o caso é resolvido com mais uma inovação, pois é resolvido com um robot. No fim vemos que a mala onde estava colocada a possível bomba, não era mais que uma forma de retirar a equipa do centro, pois foi colocado por Danny.

E assim se resume um muito bom episódio de Flashpoint. E continuando a utilizar a metáfora da Fénix, esperemos que Flashpoint ganhe asas para voar.

Nota: 8,9

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: