Lie to Me (1.03) – A Perfect Score

lie-to-me2Lie to Me tem sido uma série em crescimento. Quando se cresce não se dão saltos sucessivos, não se muda radicalmente de um dia para o outro, não se melhora desde que se queira, tem de se ter condições para se poder melhorar. O crescimento de Lie to Me tem sido um crescimento rápido, mas tem de ter algumas paragens, algumas estações entre uma série razoável e uma série quase perfeita (pois, para mim, não há séries perfeitas), mas estas paragens são necessárias. Este episódio em que Lie to Me andou mais devagar, teve um crescimento menos bruto, andou a passo de caracol para a próxima paragem. Mas andou.

Tivemos de novo o formato de dois casos por episódio. Neste foram retratados a morte de uma adolescente e um acidente num dos protótipos de um projecto da NASA. Começando pelo da adolescente, temos uma mãe que consegue dizer a verdade pior que ninguém, pois tem os músculos da testa paralisados, o que leva a que Dr. Cal Lightman se engane, mas esse engano é remediado devido a uma pastilha elástica. Depois temos uma relação pai-filha muito forte, que leva o pai a confessar um crime que a sua filha tinha feito.

O crime deveu-se a uma ameaça feita por Danielle (este é o nome da falecida) a Riley Berenson, a assassina, pois esta última estava a fazer “batota” no exame. No caso da NASA temos um astronauta que sofre uma crise depressiva. Para parar isso, a sua mulher começa a auto-medica-lo com anti-depressivos, o que leva ao acidente. Como do último episódio, este só serviu para preencher espaços. De resto, tivemos uma ligação entre o caso da adolescente e a filha de Cal, que têm uma idade aproximada. Vemos a preocupação paterna de Lightman e a tentativa de liberdade de Emily, como qualquer adolescente. Vemos também partes do passado de Lightman, neste caso a sua passagem por zonas tribais, quando estava em pesquisa.

Por último vemos que a “galaria da mentira” (é assim que vou começar a tratar as pessoas famosas que são apanhadas pelos seus gestos) não vive em ditadura, atacando, desta vez, Diana de Gales e Michel Obama.

Por último temos a excelente interpretação de Tim Roth e a também da bonita Mónica Raymund. Lie to Me amadureceu, ganho mais um bocado de admiração pela minha parte, ainda não está uma série feita, mas tem algo que promete ficar na história. Assim esperemos.

Nota: 8,9

Advertisements

0 Responses to Lie to Me (1.03) – A Perfect Score

  1. Não to gostando desse show…é mediano…

  2. DMM diz:

    bom episódio…
    mas sinto a falta de uma ligação entre os episódios. Um caso principal, que não existe nem me parece que vá existir

  3. Eu estou adorando a série. Acho que termos muito o que descobrir sobre o Dr. Lightman.

    Achei que a série já está melhor, abrangendo mais a vida do personagem principal. Torres também ganhou mais vida nesse episódio e parece conquistar a simpatia do chefe.

  4. kata diz:

    Estou achando bem legal esta serie
    espero q continue assim
    e nao caian em armadilhas como heroes e lost

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: