Lost (5.05) – This Place is Death

Fevereiro 12, 2009

e8cd0e40628e16c57b0700459512c01a

Incrível a capacidade que Lost tem de se superar a cada temporada, a cada episódio, a cada minuto e a cada segundo. Estou a rever a primeira temporada neste momento (vou no episódio 1×22) e temos muito essa sensação de crescimento. Há excepção do episódio “The Lie”, que foi mais fraco que o anterior, “Because You Left”, esta temporada também tem tido episódios sempre melhores que os seus antecessores. “Jughead” foi melhor que o “Because You Left”, o “The Little Prince” melhor que o “Jughead” e o “This Place is Death” melhor que o “The Little Prince”. Isso é algo que muitas séries não conseguem fazer, caindo numa monotonia que causa um certo aborrecimento no telespectador.

Com tanta coisa que aconteceu não sei onde começar. Mortes, revelações, acção e mais mistérios foram os ingrediente para esse episódio, uma receita de sucesso, onde quem prova vai gostar de certeza absoluta. Infelizmente o público americano não pensa da mesma forma e acabou de dar a audiência mais fraca da série até hoje em termos de milhões de telespectadores (9.8 milhões). Número normal até porque sabemos que americanos são “anti-sci-fi” e nesta quarta Lost estava a concorrer directamente com American Idol.

Apesar da história de Danielle não ter sido muito explicada, as cenas em que ela apareceu mais a sua equipa foram excelentes e já dá para especular e teorizar. Na primeira voltamos a ver o monstro da fumaça, o Smokey, de uma forma que já não o víamos há muito tempo. Confesso que já não me sentia arrepiado com a presença dele desde que ele matou o Mr. Eko. É bom ver que ele voltou e sabemos mais do seu ‘esconderijo’ quando Rousseau é obrigado a matar o pai da sua filha pois ele ficou diferente depois de voltar do Templo.

Leia o resto deste artigo »


Kyle XY (3.04) – In the Company of Men

Fevereiro 12, 2009

snapshot200902102215131 Ao longo dos meus vinte e dois anos de vida já assisti algumas séries teens, desde a referencial Anos Incríveis( alguém consegue esqueçer o nosso querido Kevin Arnold?) até séries como Dawson’s Creek, The O.C e One Tree Hill. Kyle XY trouxe algo diferente ao gênero, mesmo que por um curto espaço de tempo. Com este quarto episódio, pude voltar a sentir a mesma nostalgia leve e simples que os episódios da primeira temporada me traziam.

Estamos acostumados com o famoso “Girls Night Out”, mas os garotos também podem ter sua vez de se divertir. Nosso querido ” Mr.Brightside Blue Eyes” está sofrendo com o ” It’s over Now” da “Ms. Fragile”. Achei cômico ver ele interagir com o Declan e o Josh, todos a caminho de um bar para “afogar as mágoas amorosas”. Por incrível que pareça, Josh é o personagem com o relacionamento mais estável, tirando o elemento “S” que ele tem enfrentado com a Andy. Os diálogos ao longo do episódio vieram a acrescentar brilhantemente, pois são em momentos como estes que vemos quanto Josh evoluiu, do regular garoto das revistas pornô ao garoto quase homem, comprometido e que tenta levar a vida um pouco mais a sério. Não posso deixar de destacar um dos momentos mais ilustres e engraçados de todas as três temporadas: “Eu sou Kyle XY e não tenho umbigo”. Vê-lo bêbado, falando coisas sem sentido, totalmente relaxado, fazendo competições de queda de braço e lançamento de moedas foi muito interessante. Acho super válido mostrar outras “facetas” dos personagens, ainda mais do protagonista, mesmo este estando fora de si. Alguém importante para a trama retorna: Foss liga duas vezes no celular do Kyle, o que será que ele quer?

Acho diferente mesmo que ainda muito forçado, a aproximação de Lori e Jessi, juntamente com o mega forjado “double date” com Michael e Mark. Finalmente vemos o casal L&M deixar as diferenças de lado e resolver ficar juntos, pois só beijando a Lori para fazer ela parar de falar enlouquecidamente. Tiramos por fim importantes valores como: união, apoio, companheirismo, respeito e os essenciais pilares: a amizade e a família, esta trazendo uma notícia trágica que repercutirá na história daqui pra frente, sendo o aviso que Foss traz consigo: Adam Baylin está morto. Vale esperar o próximo episódio, que será o quinto, restando então somente mais cinco episódios para o fim da série.

Nota: 8,4


The Big Bang Theory (2.15) – The Maternal Capacitance

Fevereiro 12, 2009

tbbts02e15jp8Não posso descrever esse episódio de outra forma como sendo no mínimo “maravilhoso”. O episódio 2.15 – The Maternal Capitance mostrou que Leonard (Johnny Galecki) recebeu a visita de sua mãe, a Dr. Beverly Hofstadter (Christine Baranski) e logo de cara encontrou Penny (Kaley Cuoco) no prédio e em poucos minutos de conversa a deixou chorando e muito deprimida ao lembrar-se de sua dura infância com seu pai. Acontece que a mãe de Leonard é psiquiatra e boa parte de sua participação no episódio foi analisando os amigos de seu filho. Seu relacionamento com Sheldon (Jim Parsons) foi o único em que ela se sentia à vontade, pois os dois eram semelhantes em praticamente todos os aspectos, cheguei inclusive a achar que o Sheldon tentaria “ficar” com a mãe de seu melhor amigo de tão bem que eles estavam dando. Sem dúvidas a definição que ela deu ao comentar a relação de Howard (Simon Helberg) e Raj (Kunnal Nayyar) como sendo “casamento homossexual” foi sensacional e melhor ainda foi a “briguinha de casal” que eles tiveram após a analise.

Leia o resto deste artigo »


Conheça os Especiais e as Colunas do CineSéries

Fevereiro 12, 2009

cs

Alguns usuários aqui do Portal já sabem que tanto eu como Marco, a Érika e o Gerson também trabalhamos em outro site sobre séries em conjunto com outros amigos. O site em questão é o CineSéries, que um pouco diferente do Portal, além de séries é voltado também para Cinema, contendo notícias sobre as duas áreas, além de matérias especiais e colunas. E é sobre eles que eu quero falar hoje.

Nós, do CineSéries, estamos sempre tentando trazer um conteúdo exclusivo para vocês usuários. E uma forma que encontramos de fornecer isso para vocês foi produzir especiais voltados para os fãs de séries. Neles, nós escolhemos uma série e apresentamos ela para vocês, criando textos com muitas informações sobre a série escolhida, como história, elenco, personagens, prêmios ganhos, trilha sonora, bastidores e curiosidades, além de uma matéria especial que tenha a ver especificamente com a série escolhida. Nesse link vocês poderão conferir os especiais que já fizemos: Gossip Girl e Smallville. Já em nossa index vocês verão o especial que está no ar atualmente: Lost, relembre a história, descubra novas curiosidades sobre a série e ainda leia sobre os mistérios não resolvidos.

Ainda na index vocês encontrarão no menu da direita as nossas colunas, voltadas para temas livres, de cinema ou tv. As colunas feitas até agora falam sobre Friday Night Lights, Vampiros no Cinema e na Tv, House, O Mundo de James Bond, 50 Grandes Posters de Filmes e, finalmente, a minha última coluna, que me levou a escrever esse post: As 30 Aberturas mais Criativas das Séries de TV.

Pensei em divulgar essa coluna aqui no Portal, pois no meu último “O Portal Comenta”, muitas pessoas se mostraram interessadas em discutir sobre suas aberturas de séries favoritas. Bem, fiz de tudo para minha lista ser bem eclética, para agradar a todos, e acredito que o resultado tenha sido muito bom. Nós ficaríamos muito felizes com sua visita, e esperamos que vocês gostem do nosso portal e façam dele uma parada diária para se informarem sobre suas séries favoritas. Sempre lembrando que estamos sempre abertos para sugestões para que o site fique cada vez melhor. Também não deixe de conferir a nossa página no Orkut, e de nos seguir, e quem sabe me seguir ou seguir o Marco, no Twitter.

PS.: Devido a um problema que já estamos tentando solucionar, o CS não está abrindo pelo Internet Explorer, por isso sugiro a utilização do Firefox ou Google Chrome.