Dollhouse (1.02) – The Target

snapshot20090225003632Com um episódio superior, muito bem escrito e cronologicamente perspicaz, onde segredos são revelados, identidades são descobertas e também temos a chance de conhecer um pouco mais das personalidades dos funcionários da Dollhouse. Passado em flashback com sincronia no presente, descobrimos a identidade cruel e assassina de Alpha, um “Ativo” com anomalias que foram impossíveis de prever e controlar. Ao contrário dos outros “Ativos”, Alpha tem a capacidade de acessar as memórias que deveriam ter sido deletadas, tornando-o uma espécie de Jack, o Estripador, devido a suas habilidades cirúrgicas ao matar outros “Ativos” e também o ex-assistente de Echo, Samuelson. Interessante que no massacre ele fere gravemente a Dra. Saunders. Neste momento percebemos por que ela é tão enigmática,  algo que não consigo entender é sua motivação para continuar envolvida no projeto. Conhecemos o real motivo pelo qual Boyd foi contratado e quão necessária é a conexão do “Ativo” com seu Assistente, objetivando a relação de confiança entre os dois através da frase chave “Tudo vai ficar bem” ela sempre recuperará a confiança.  DeWitt exemplifica o processo de preenchimento das personalidades dentro dos “Ativos”, que podem se tornar amantes, amigos ou simplesmente confidentes. O desejo é destintamente oferecido como produto da verdade. Os pensamentos e frases marcam a forma com que a Dollhouse se vende como necessidade vital ao ser humano.

Fora da casa das bonecas, vemos Ballard no local do sequestro de Davina e assim o analisa com um diferente ponto de vista devido a sua obsessão pela Dollhouse. Ballard visualiza em sua mesa, um envelope estranho com uma foto de Caroline e o aviso para continuar procurando. No novo caso da semana, DeWitt está com um novo cliente, o Sr. Cowell. Ele está a procura da mulher ideal, aquela que cumpra todas as suas expectativas, porém devido ao compromisso que ele exige, o caso é considerado como risco moderado ao “Ativo”. Eis então que “Echo turns to Jenny”, uma mulher aventureira e corajosa que topa todo tipo de desafio. Porém esta aventura tornasse uma caçada de sobrevivência para Jenny, que se vê diante de um psicopata que adora usar as mulheres como presas para caçá-las, o transformando numa espécie de “Arqueiro Verde Lunático”. Próximo ao local, Boyd observa via satélite os atividades físicas e mentais de Echo/Jenny, porém sua conexão falha com a central, deixando-o sem visibilidade. Neste momento, é abordado por um policial florestal, que alega estarem numa área proibida. Sem imaginarmos, ele atira no colega de missão de Boyd e o força a comunicar-se com a central dizendo que está tudo bem, porém Boyd consegue passar o recado de perigo e assim derruba o agressor para então interrogá-lo. Descobrimos que ele foi contrado por alguém via telefone, a princípio pode ser o “Arqueiro Verde Lunático”, mas não temos tanto certeza assim. Enquanto isto, Jenny encontra uma casa da polícia florestal, nela vê o corpo do verdadeiro policial e acaba bebendo água de um cantil, que não imaginaria estar alterado por substâncias alucinóginas. Perigosamente ela cai no rio, mas consegue sobreviver ao chegar na borda.

O que mais me intriga em Echo, é que ela tem flashs reais de sua personalidade “Doll”, visualizando o massacre e Alpha próximo a ela com uma faca na mão. Ela tem alguma habilidade especial que a distingue de todos os outros “Ativos”, algo que ela não consegue desvincular quando esta sobre novo tratamento e sob influência de uma nova personalidade. Fato comprovado quando encontra com Boyd no meio da floresta e acaba não respondendo aos estímulos de confiança entre eles. Num momento digno da Trilogia Matrix, momento em que flecha e bala disparam e congelam em slow motion. Relutante o lunático avança sobre Jenny e num ato reflexo ela infinca uma das flechas em sua garganta, este ressita a marcante frase “Seja persistente” e finalmente morre. A trágica aventura termina num bonito gesto de confiança e conforto entre Boyd e Jenny, exemplificando cada vez mais sua importância na vida de Echo. Os fatos são relacionados quando DeWitt informa que Richard Cowell não existia, que todos seus antecedentes e históricos eram falsos. Resta a dúvida: Quem está por trás dos acontecimentos deste episódio? Vimos que o falso policial foi encontrado morto com marcas no corpo característicos de um “Alpha Attack” . Tudo leva a crer que o ataque de três meses atrás e essa nova investida resultam em acontecimentos relacionados particularmente a Echo. A conversa de Dominic com Echo no final exemplifica o que Boyd disse ao Topher: ” Ela não é uma garota. Ela nem é uma pessoa. Só um chapéu vazio, até que você coloque um coelho dentro”. É preocupante a revolta de Dominic com Echo, pois este diz que se dependesse dele ela ficaria enjaulada e presa num porão. Seria Echo tão perigosa quanto Alpha? Perguntas e respostas “Echoam” da casa das bonecas.

Nota: 9,0

Importante: A série não terá mais reviews por episódio, mas quando terminar, em Maio, terá um review geral da temporada.

Advertisements

0 respostas a Dollhouse (1.02) – The Target

  1. Sofia diz:

    Eu disse que o segundo era muito melhor que o piloto 😛

  2. De 100000(…) a zero no piloto….. Agora sim dá vontade de acompanhar essa nova série!!!!

  3. Vale mesmo a pena. E quando chegarem ao 6º episódio… Simplesmente fantástico, fez passar a série para o meu top 10.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: