House (5.18) – Here Kitty

house-2Depois de ver tantos episódios de House (com este, já lá vão 104), nunca tive um episódio tão esquisito como este. E isto porque? Devido a uma gata. É que um episódio desenvolver-se quase exclusivamente devido a uma gata (até o título ajuda) é fraco, para um House que parecia regressar de novo aos níveis anteriores. Também não foi um episódio péssimo, nem próximo disso, mas foi um episódio razoável. E para quem viu o promo (como eu), não poderia ter ficado mais desiludido. Primeiro o caso deve-se a tão famosa gata. Debbie, o nome do felídeo, é como um “ceifador”, um prenúncio que a morte está a chegar aqueles onde ela se deita.

E House tem uma paciente, no caso enfermeira, que já teve provas suficientes para acreditar na superstição, quando a gata se deita ao lado dela, corre ao melhor doutor da cidade. O caso foi interessante devido as reviravoltas que foi dando, com bastantes enganos, e com uma crença de House que a enfermeira não fingia, como fingiu de inicio, mas sim que sofria de uma doença. Cancro foi o diagnóstico final, e logo numa parte que nem todas as pessoas têm, o apêndice. Mas House não se só valeu pelo caso. Valeu pela obsessão que House tem em provar que tudo pode ser provado (desculpem lá a redundância) por meio científico.

Já tentou provar que Deus não existe, agora tenta provar que a gata não é mais que uma dorminhoca, que gosta do calor dos cobertores ou das pessoas. Claro que se esquece das coincidências, pois claro que a gata poder-se-ia deitar em qualquer cama com cobertores, mas deitava-se dos “quase” mortos. Gata inteligente, diria eu…Para além disso foihouse interessante ver que House preocupava-se mais com a gata de que com a paciente. Pelo menos tivemos uma amostra do House narcisista, unicamente preocupado consigo. E House ainda nos trouxe algum desenvolvimento de duas personagens desta (perdida) equipa. Começando pelos parêntesis.

House está com uma equipa que fica a milhas da anterior, pois ainda não se consegui ver mais que alguns pequenos fogachos entre a equipa e House. Mas mesmo assim foi interessante ver Taub, sofrendo os problemas da crise que faz sofrer o mundo inteiro (hoje estou para as redundâncias), ficar desesperado, e pensar em despedir-se de um trabalho donde não se sente bem. E, como se intervenção divida fosse, chega um ex-colega com uma oportunidade de trabalho. Claro a intervenção divina não foi o resultado deste aparecimento, mas sim de mais um burlista, pelos que crescem por ai como cogumelos. Taub ainda é chamado a razão antes de se deixar levar, e regressa ao seu trabalho.

Depois temos Kutner, e o seu lado supersticioso, a deixar a sua marca no sofá de House, que fica com uma cor amarelada (não tem pontaria para a sanita). Para mim a personagem que sobressai desta equipa é Taub, devido a sua complexidade.  Depois temos House com uma pista de carros, logo no inicio, que valeu quase por metade do episódio (estou a pensar fazer uma daquelas no meu quarto). Mas foi um episódio razoável, que não se pode comparar com último, mas também bem melhor que aquela fase de “abstinência” que House passou.

Nota: 8,5

Advertisements

0 respostas a House (5.18) – Here Kitty

  1. Matheus diz:

    Só tem uma palavra que define esse espisódio: boring 2445543
    House está cada mais chato de se ver. Não que essa temporada esteja ruim, mas o problema é que não acontece nade de grande na série, é sempre a mesma histórinha.
    House precisa de um episódio incrível, coisa que não acontece a uma eternidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: