Supernatural (4.18) – The Monster at the End of this Book

sn418-0001

Só hoje é que consegui ver este episódio, daí o atraso do review. Confesso que estava a espera de mais e isso porque antes de ver o episódio, fiz a minha pesquisa habitual para saber o feedback das pessoas e o que eu via era um episódio extraordinário. Infelizmente, as minhas expectativas elevaram muito e uma ponta de desilusão tomou conta de mim. Estava à espera de um episódio digno de 9.8 no TV.com e 85% Awesome no SpoilerTV, mas nõ foi bem assim. Contudo, isso não quer dizer que ele tenha sido apenas bom, muito pelo contrário, pois foram 40 minutos muito bem construídos.

A mensagem que talvez o Kripke quer deixar com esse The Monster at the End of this Book é que Supernatural pode-se tornar uma série que não vai ser esquecida tão cedo, em que daqui a 10, 20 ou 50 anos seja ainda conhecida. Gostava de ter mesmo aquela colecção que o profeta escreveu, com um livro para cada episódio. Seria algo que ficava mesmo bem na minha estante, com outras colecções como Dan Brown, Harry Potter, José Rodrigues dos Santos, e outros clássicos juvenis (Uma Aventura, Os Cinco). Como eu adoraria ter uma prateleira com Pilot, Wendigo e tantos outros capítulos seguidos.

Houve um diálogo que eu gostei particularmente neste episódio, aquele em que o profeta pergunta se eles passaram também pelos ‘Bugs’ e o barco fantasma. Bugs foi um dos episódios mais fracos da série e foi excelente ver que a equipa de Supernatural percebe isso e ainda brinca com a situação: ‘má literatura’. Também gostei da forma de como as coisas foram conduzidas, começando por um ambiente mais leve para algo mais pesado e importante, com a chegada de Lilith à história.

Por falar nela, é bom saber que os mais terríveis demónios também têm medo de morrer e ela acha que não passa do Apocalipse. Algo que me deixou a pensar era se ela iria mesmo, caso o Sam continuasse, cumprir o acordo que prometera. Apesar de achar que não, fico a pensar no assunto. Algo que não me agradou muito foi o facto de Dean avisar a ela que se ela quisesse sobreviver, para ela fugir enquanto o arcanjo não chegava. Ora se ele fosse inteligente, não dizia nada e deixava ela ser confrontado com o Céu e, possivelmente, morta. Assim acabava-se a destruição dos selos e o Apocalipse era evitado.

Resumindo, foi um bom episódio que só não se tornou melhor para mim pelas razões apresentados no primeiro parágrafo. Agora resta esperar pelo fim de mais um pausa e disfrutar dos quatro episódio finais que prometem ser excelentes. No dia 23 de Abril (que por acaso é o meu aniversário) conheceremos um novo Winchester, algo que já vem sendo falado há algum tempo pela imprensa americana. Será que Adam é mesmo filho biológico de John e como é que se vai desenrolar? Perguntas a serem respondidas daqui a uma semana.

Nota: 9,0

Advertisements

0 Responses to Supernatural (4.18) – The Monster at the End of this Book

  1. DMM diz:

    O melhor do episódio foram as coisas escondidas nele…
    como na conversa entre o castiel e o Dean antes do arcanjo, entre outros…
    considero-o um episódio absolutamente genial e digno do 9,8 no tv.com

  2. Nathan diz:

    Dean avisou Lilith do Arcanjo só pra fazer mais pressão qdo ela ve o Chuck ela ja sabia do profeta ela conhece as “regras” do céu, Lilith morta nao quer dizer que os selos vão parar de ser quebrados e só que seria 1 demonio a menos quebrando os selos. Não se esqueça que ainda tem alguns anjos que ajudam os demônios então seria somente 1 a menos no exercito do mal.

  3. Tiago diz:

    Achei a nota adequada pelo que foi apresentada no episódio. Esse negocio de profeta poderia ser mais bem explorado.

  4. Ruben diz:

    Apesar de já se terem passado três semanas depois do episódio, eu venho aqui explicar que o dean não poderia esperar que o arcanjo viesse, pois ele próprio diz que o quarto iria pelos ares. Assim, também eles iriam…e aí onde ficava spn?
    E Nathan, se já viu o 21º episódio verá que Lilith morta impede que “Lucifer walks free”.

  5. […] Mas lá falar deste episódio. Nunca pensei que fosse gostar tanto de mais um capítulo que não contribuísse muito para a história central. Supernatural é das poucas séries (talvez até a única) que criou uma história em que os fãs estão inseridos, em que se auto-caricatura. Quando Sam e Dean chegam a um local combinado com Becky (a super fã dos livros de Chuck), eles deparam-se com uma convenção de Supernatural, mas aquele dos livros que o profeta escreveu sobre a vida dos irmãos Winchester. Lá encontram-se algumas figuras carismáticas dos anos anteriores, como o Hook Man, o seu criador (não, não é o Eric Kripke) e muitos Sam’s e Dean’s. Para quem não sabe, Supernatural na vida real realiza várias convenções onde vão centenas de fãs. Normalmente estão presentes a dupla de protagonistas, o criador e outros convidados especiais, como actores secundários e pessoas da equipa. Esse foi o segundo episódio da série em que Supernatural aproxima-se ao máximo dos fãs, sendo que o primeiro foi o 4×18, com review aqui. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: