In Treatment – Week 3

itw31In Treatment (2.11) – Mia – Segunda, 7:00 AM

Definitivamente Mia é a personagem mais difícil dessa segunda temporada de In Treatment, até mesmo Paul parece fazer um esforço tremendo para tentar entender as atitudes dessa mulher. O que vocês acharam dela chegar completamente alterada, reclamando, entre outras coisas, do fato de que Paul supostamente teria transado com uma ex-paciente, Laura? Eu achei bastante estranho e mal sei o que comentar a respeito, pois não consegui entender metade das atitudes dela e da sua revolta contra Paul sobre o assunto.

É claro que o próprio terapeuta lhe disse que isso era um sistema de defesa de sua própria mente, que direcionava todo seu ódio em outras pessoas para que ela não pudesse pensar em seus próprios problemas, porém, fica a dúvida, por que ela voltou ao assunto no final da consulta mesmo depois de ouvir Paul dizer tudo isso sobre sua maneira de agir? Como Paul falou, Mia é uma paciente que sempre tenta deixar um gancho no final de suas sessões, como que para nos fazer esperar pelo próximo capítulo da novela, o que pode ser uma tentativa, quem sabe, de segurar Paul mais algum tempo na cidade – com medo de que ele se mude novamente -, ao deixá-lo curioso para falar com ela na próxima semana.É óbvio que Paul sempre se mostra interessado por seus paciente não importa o que aconteça, mas e quanto a nós? Será que conseguimos aguentar mais algumas sessões com essa maluca?

Nota: 8.0

itw32In Treatment (2.12) – April – Terça, 07:40 AM

A cada semana as sessões de April vão ficando cada vez mais interessantes mas, ao mesmo tempo, terrivelmente dramáticas: April está ficando sem tempo. Se na sessão passada, Paul tentou se aproximar da garota com uma fala mais mansa e usando apenas sugestões ao invés de ordens para tentar ajudá-la, ver a garota completamente acabada em sua 3º sessão fez com que ele mudasse sua atitude novamente e insistisse enfaticamente que ela começasse logo sua quimioterapia.

Realmente é incrível que após apenas três semanas essa personagem, que tem sido maravilhosamente interpretada por Alison Pill, nos tenha pegado de jeito. Está cada vez mais difícil ver a garota perdendo a batalha para o câncer justamente por não conseguir superar problemas pessoais de longa data – que remontam desde a época em que seu irmão, autista, passou a receber toda a atenção de sua mãe, o que, por consequência, a obrigou a amadurecer muito rápido, pois não conseguia imaginar cobrar de sua mãe mais atenção do que ela poderia dar, já que se dedicava a exaustão a Daniel. Mas ninguém pode culpá-la certo?

Aquela cena em que ela simplesmente caiu no sono por meros 60 segundos foi tão tocante que fica difícil não sentir pena dessa personagem depois de cenas maravilhosas como essa, April é uma personagem tão trágica, se já é dramático para nós, como mero espectadores, assistir a essa história, imaginem para Paul que tem nas mãos a solução para a doença da garota mas simplesmente não consegue fazer com que ela engula esse amargo remédio.

Nota: 9.5


itw33In Treatment (2.13) – Oliver, Quarta, 4:00 PM

Infelizmente as coisas não melhoraram muito para o pequeno Oliver. Mesmo após passar uma semana supostamente tranquila com seu pai, o menino ainda não conseguiu se sentir tranquilo o bastante para simplesmente relaxar e dormir. E isso, claro, graças a seus pai terrivelmente ignorantes sobre o que se passa na vida dessa criança, pois estão sempre mais preocupados em enfernizar um ao outro.

Gostei muito de ver Paul conversando com seu filho pela internet. Enquanto o pequeno falava todo animado com o pai, Paul parecia meio desligado e respondia sempre com poucas palavras ao próprio filho. Não é nenhuma surpresa que no meio do episódio Oliver sugira que Paul seja um excelente pai, já que conseguia escutar seus filhos. Bem, para aqueles que viram a temporada passada da série, irão se lembrar com facilidade de que Paul foi e é, ainda mais agora, um pai ausente, o que mostra como ele tem paciência para cuidar de seus pacientes mas não consegue fazer o mesmo com sua família.

E é isso que eu acho interessante nessa série. Ela nunca tenta transformar Paul em um super-herói, em um protagonista perfeito. Paul, de certa forma, também é como a maioria de seus pacientes, que palpitam com facilidade sobre a vida dos outros como meio de fugir de seus próprios problemas e dificuldades. Já quanto ao pobre Oliver, acredito que ele precisará visitar Paul mais vezes durante a semana para conseguir tirar alguns minutos de sono, pois infelizmente eu não consigo ver nenhuma melhora nas atitudes de seus pais: eles continuam sempre patinando nas mesmas questões, o que, infelizmente, desperta um interesse menor nessa história.

Nota: 8.5

itw34In Treatment (2.14) – Walter, Quinta, 8:00 PM

A sessão de Walter dessa semana deixou um pouco a desejar, entre telefonemas e seu desabafo por todos os problemas de sua empresa cair sobre suas costas, pouca coisa importante foi realmente discutida.

Na semana passada ouvimos uma teoria de Paul de que Walter simplesmente tem medo de que as pessoas, mais especificamente sua filha, o abandonem devido a morte de seu irmão, quando ele ainda era criança, que foi uma situação muito mal explicada e resolvida na sua infância. Com isso, após ouvir Walter dizer que foi até Ruanda tentar trazer sua filha de volta para casa, Paul voltou a sugerir que talvez ele tenha medo que ela se vá para sempre, o que, o sempre turrão Walter é incapaz de admitir.

Então, após 24 minutos de episódio, vemos Walter sair de sua sessão como se não tivesse ouvido nada que Paul lhe falou e mais preocupado em resolver a má fase que sua empresa vem passando, ou seja, teremos que aguardar mais uma semana para ver se essa história vai parar em algum lugar, pois por enquanto Paul tem conseguido poucos avanços com esse paciente, que até então tinha sido um dos meus favoritos da temporada.


Nota: 8.5


itw35In Treatment (2.15) – Gina – Sexta, 6:00 PM

Mais um excelente episódio entre Gina e Paul. Já em seus primeiros minutos, o episódio nos joga uma série de informações novas que precisamos processar durante o restante do episódio: Paul transou com Tammy – simplesmente ignorando o trato que fez com Gina na semana passada; Paul tem um pai muito doente – com mal de Parkinson, como descobrimos mais tarde; além disso ele tem um irmão, que nunca se interessou muito por sua família ou pelo drama vivido por sua mãe; e, finalmente, nem mesmo Paul ser um terapeuta foi o suficiente para saber como lidar com seu próprio divórcio em relação a seus próprios filhos, que andam com raiva dele sem que ele consiga entender muito bem o porquê.

Certamente temos que admitir que Paul não é exatamente o exemplo de pai perfeito – se bem que até mesmo esse conceito é discutível, pois Walter, por exemplo, que sempre foi um pai atencioso e que dava tudo o que sua filha precisava agora não consegue deixar que ela se torne uma pessoa independente de sua figura. De qualquer forma, desde a primeira temporada sabemos que Paul é um homem que consegue entender muito bem seus pacientes, de sentir empatia por eles, como Gina mesmo lhe disse, com o que ele concordou citando até mesmo April e Oliver como pacientes que ele sinceramente quer ajudar, porém quando se trata de sua própria família ele tem muitos assuntos mal resolvidos.

A novidade agora é saber o quanto sua difícil adolescência – a noção de família que ele experimentou não foi exatamente a mais saudável – influencia hoje sua relação com seus próprios filhos. Espero ver na próxima semana seu reencontro com seu pai e a tal conversa esclarecedora que terá com seus filhos. Aliás, uma coisa que gosto em Paul é que, por mais que reclame em certos momentos, ele sempre tende a concordar com os diagnósticos de Gina no final, o que o torna um dos pacientes mais abertos de toda a série – talvez exatamente por ser terapeuta ele saiba que é importante reconhecer certas verdades de uma vez ao invés de ficar lutanto para ignorá-las.

Por fim foi interessante ver Gina ter surgido com o assunto “Tammy” no final da sessão, meio que mostrando que não há como Paul esconder certas coisas dela e, é claro, também mostrando uma certa revolta por seu paciente ter feito justamente o que ela tinha pedido que ele não fizesse. Já estou curiosa para a próxima sessão de Paul, e vocês?

Nota: 9.2

0 respostas a In Treatment – Week 3

  1. João diz:

    Concordo com quase tudo o que foi dito, principalmente em relação à April, sem dúvida a melhor personagem🙂

    Discordo em relação à Mia pois estou a gostar muito da história dela e da interpretação feita pela actriz.

    Um semana muito boa e já vi a 4ª semana e também gostei😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: