Brothers & Sisters (3.24) – Mexico

Maio 26, 2009

snapshot20090525204957Silence is deep as eternity….Speach is shallow as time….. and this place is nut as……

Podemos não entendê-los totalmente, mas é impossível não amar esse conjunto de indivíduos tão diferentes. Os criadores e roteiristas conseguiram amarrar de forma pontual toda a trama desta temporada, do começo ao fim. De maneira muito bem pensada, aos poucos foram nos dando informações necessárias para montarmos o confuso e adorável quebra-cabeça de Brothers & Sisters. Norah mostra que nem sempre as coisas tem de seguir o curso natural como todos recitam a ela, assim então viaja ao Mexico em busca do filho fugitivo e passa por momentos de faroeste, dificuldades em expressar-se com os nativos e naturalmente vive  o desespero em rever Tommy após dois meses. Achei que iria chorar com o último episódio, mas pelo contrário, ri em boa parte dele.

Esse finale consagrou Matthew Rhys (Kevin) como o personagem que mais evoluiu e tornou-se relevante para todos, desde sua demissão da Ojai, a paternidade de Elizabeth, o emprego na campanha de Robert e no  divórcio entre Kitty e Robert. Sempre digo que as cenas dele com Scotty são essenciais, pois exemplificam novamente o melhor relacionamento de toda a série. Mesmo com seus autos e baixos, eles se apoiam imensamente e o mais importante de tudo, Scotty sempre visualiza seu papel na vida de Kevin mas também sabe dividi-lo com os demais familiares. Belo gesto e prova de amor ao abdicar do aniversário deles para convencer o relutante Kevin a viajar com os irmãos atrás de sua mãe e consequentemente de Tommy. A sensatez e racionalidade de Kevin em analisar que todos na família sempre cobriram os erros do irmão e que ele nunca encarou da forma que deveria, principalmente os últimos acontecimentos. Nunca imaginei que ele escolheria um retiro espiritual como válvula de escape, agora seguindo uma rigorosa dieta vegetariana, com princípios de plantação e cultivo, que prezam o silêncio e a paz de espírito,  como diria comicamente Kevin: ” Ele deixou a mulher e filha para vir cantar kumbaya no meio do mato!!”. Agora mesmo para aqueles que não assistem a série, conseguem imaginar pelo que descrevo essa família num RETIRO ESPIRITUAL?! Sem chances, o momento do reencontro só consagra isto. Mais uma vez a expressividade de cada um sobressai quando eles almoçam em “silêncio”, comunicando-se através do papel e de gestos. Mas obivamente o relógio que Becca deu de presente a Justin não ia passar despercebido. Eles tentando advinhar que o caçula ia estudar para ser médico foi muito engraçado e claro que eles iam estravassar e jogar tudo pro ar em prol da comemoração.

Gosto muito de um música chamada “Mistakes We Knew We’re Making”, do Death Cab for Cutie(ressalve ao meu querido Seth Cohen) e ela se encaixa perfeitamente no momento vivido por Kitty e Robert. Nunca fiquei tão dececpionada com a atitude derrotista dos dois, principalmente de Kitty. Ela que sempre cobrou atitudes diferentes do marido, cobrava que ele deveria abrir mão e etc e agora vemos que é tarde demais para Robert tentar voltar a mesma página do livro de Kitty. Vale lembrar o que Sarah disse antes, sobre como a irmã mais nova reagi em situações de conflito e como ela desiste sem ao menos tentar. Mesmo quando Robert viaja para o México a pedidos de Kevin, deixando claro na frente de todos o que está acontecendo entre eles.  Robert por fim dá um ultimato a Kitty, pois ele também errou durante o casamento e ela também tem errado, mas não tem mostrado energia alguma para salvar o que eles construiram com o tempo. Kitty por sua vez decidi no timming errado correr atrás de Robert, que sem ouvi-la devido ao barulho vai embora de helicoptero. Acho que deu pra perceber que ninguém foi pra lá efetivamente por causa de Tommy, a não ser Norah e Sarah. Os demais estavam envolvidos em seus próprios problemas, como Becca surtando pelo casamento e sua precipitação estranha em fazer tudo acontecer tão rápido. Vale salvar que Holly mostra-se tenebrosa com o retorno do comportamento impulsivo e precipitado de sua filha e algo me diz que ela tem algum problema psiquico apresentado durante sua adolescência não tão distante. Tommy inevitavelmente decidi que ficará no Mexico e que tentará mudar, buscando ser o homem que sua filha e esposa merecem. Achei linda a cena dele com Kevin, quando admite que o irmão sempre viu quem ele realmente era, sendo assim nunca passou a mão na cabeça dele, mas de forma humilde Kevin confessa que deseja estar presente quando ele conseguir realmente se encontrar.

Deixei esse fato para o final, por causa da importância e a intensidade da revelação. Eis que resurge das cinzas um personagem muito importante e que a tempos estava muito desfocado na história. Saul sempre foi o braço direito de William, talvez nunca tenha entendido como ele parecia ser mais fiel ao cunhado do que a própria irmã. É visível que o Saul amoroso e presente de agora é bem diferente do Saul frio e calculista de anos atrás. Num desabafo muito sincero com Holly, após devolver o pacote de indenização de Ryan, ele confessa que fez o garoto recusar a oferta e que deseja efetivamente voltar a Ojai para acompanhar Ryan e dar aquilo que ele realmente merece. A culpa e o sentimento de que tem que concertar de alguma forma os erros cometidos no passado, erros que repercutiram na morte da mãe de Ryan, pois um dia antes do acidente William tinha enviado Saul para pagar em $$ o afastamento da amante. Alguém ainda vai tirar da cartola alguma outra cafagestagem desse traidor?! Fico realmente com medo em ouvir Holly dizer que Saul deve uma a ela, definitivamente me assusta saber o que ela pedirá em troca. Uma coisa sabemos de certo: Ela não quer ele de volta! rs. E por fim espero que o “Kumbaya My Lord, Kuuuuumbaya” resolva tantos conflitos e novos problemas que eles enfrentarão na próxima temporada.

Nota: 10


Grey's Anatomy – Quinta Temporada (2008)

Maio 26, 2009

greys-anatomy-season-5-episode-17

Grey’s Anatomy começa a sua quinta temporada de forma muito morna, com episódios que eu não classificaria de fracos comparativamente a outras séries, mas que foram episódios menos bons para um série que nos habitou a excelentes. Os casos clínicos eram normais sem grande envolvimento por parte dos telespectadores, mas com algumas mudanças introduzidas a série conseguiu recuperar a sua qualidade. Grey’s ficou famosa pela sua maravilhosa primeira temporada, e neste meio e fim de quinta temporada Grey’s retomou toda a qualidade perdida pelo caminho, conseguiu ter episódios perfeitos, capazes de emocionar e envolver do princípio ao fim, conseguiu surpreender.

As personagens sofreram óptimos desenvolvimentos e muitas cresceram e demonstraram um lado até então desconhecido, como por exemplo o lado mais humano de Christina. Num final emocionante e electrizante, Grey’s deixa muitas expectativas e suspense para a sexta temporada. São poucas as séries que depois de 100 episódios conseguem manter e recuperar a qualidade que Grey’s demonstrou neste final de temporada, esperemos que a qualidade seja para manter.

g1

Izzie – Personagem que ganhou bastante relevo com a descoberta da sua doença. Se no inicio a história das ilusões de Denny parecem despropositadas e ridículas pelo menos elas culminaram numa boa história para Izzie. Se antes recusou a revelar a sua doença, a partir do momento que decidiu lutar pela vida, Izzie muda e passamos a conhecer uma Izzie que embora fragilizada por todos os tratamentos e prognósticos menos positivos se demonstra uma verdadeira guerreira. O final demonstra uma mulher mais para lá do que para cá, muito se falou da sua saída, será este o fim da personagem? Se for despede-se em grande.

Karev – Como evolui esta personagem em maturidade, ao lado de Izzie luta com esta contra a doença. Capaz de discursos muito emotivos, Karev está lá para Izzie quando esta mais precisa. Neste quinta temporada conhecemos um Karev apaixonado, responsável, o playboy ficou no esquecido no passado.

Meredith – Finalmente a personagem torna-se consistente, decidida, deixando os receios para trás, assumindo o seu relacionamento com Derek, deixando o medo do compromisso derrotado. Lutadora, capaz de se manter firme perante a visita do pai, o perdão não foi concedido mas a personagem não foi abaixo, como aconteceria em temporadas anteriores.

Bailey – Decidiu rumar em direcção a uma nova especialidade, pediatria, e adaptou-se bastante bem a essa posição. Quem não se lembra da sua história com a pequena menina condenada demasiado cedo a uma morte dolorosa? Mas uma tempestade faz-a voltar à rota inicial, depois de um divórcio Bailey decide ficar na cirurgia geral.

Lexie e Sloan – Um casalinho muito interessante que nos consegue proporcionar óptimos momentos. Sloan finalmente deixou de lado o seu ser mulherengo incapaz de recusar qualquer rabo de saia que se atravessasse no seu caminho. Lexie mudou o Sloan. Retoma a sua amizade com Derek e pretende um futuro mais estável com Lexie.

g2

Owen e Christina – Um casal conturbado, muito por culpa do passado de Owen, a guerra marca e transtorna uma pessoa grandemente e Owen que o diga. Com constantes pesadelos, acaba mesmo por estrangular Christina. Rapidamente a relação termina, mas a atracção entre os dois é notória e no último episódio o sol volta a brilhar para o casal.

Callie – Depois da saída conturbada e no mínimo estranha de Hanh, Callie encontra a felicidade ao lado de Arizona, e digamos que gosto bastante da interacção entre as duas. A personagem de Arizona permitiu melhorar a qualidade da série, pois a sua história com Callie é muito mais sólida e interessante que a história que esta tinha com Hanh.

O’Malley – Perdeu bastante destaque nesta quinta temporada, tinha falas ridículas ao longo de muitos dos episódios, aparecia quanto muito 5 minutos por episódio, mas conseguiu ter um bom final de temporada, se será este o fim da personagem só na sexta temporada saberemos mas pelo menos se for despede-se melhor que com apenas 5 minutos de fama.

Derek – Acusado de assassino pelo marido de uma paciente que morreu nas suas mãos após promessas incumpridas por parte do mesmo, este vai-se abaixo refugiando-se no álcool, fugindo um pouco à essência da sua personagem. Mas depois de um chega para lá de Meredith este retorna disposto a salvar Izzie. Será que um novo fracasso irá derrubar novamente a personagem?

Decisões acertadas:
1 – Owen e a sua relação com Christina.
2 – Amadurecimento de Meredith, já cansava os altos e baixos constantes da personagem, esse amadurecimento tornou a personagem mais compreendida e querida por partes dos fãs.
3 – A saída de Hanh apesar de mal explicada, a personagem estava a mais e pouco acrescentou à história e permitiu a entrada de Arizona.
4 – A doença de Izzie rendeu muitos bons momentos à série.
5 – A ida de Bailey para a pediatria, as crianças conseguem sempre emocionar, a lei da vida é contrariada afinal nenhum pai deveria ver os filhos morrerem, e a pediatria calça que nem uma luva em Bailey. Embora por pouco tempo, permitiu bons momentos!

Decisões pouco inteligentes:
1 – As ilusões de Denny, prolongaram-se por demasiado tempo. Embora fosse uma personagem adorada a sua história chegou ao fim, embora com algum propósito achei descabidas as ilusões.
2 – Casos clínicos banais, como os do episódio da dermatologia.
3 – Demasiada importância dado aos casos amorosos em certa parte da temporada.


Conheça 'Mental', a nova aposta da FOX

Maio 26, 2009

original-vp-vertical-final1menorA FOX parece que decidiu apostar novamente numa série médica, já com o sucesso de House em mãos, mas agora este novo drama médico segue outra vertente, a parte psiquiátrica. Com imensas séries dedicadas a temas médicos com bastante sucesso, Mental, pelas suas promos já publicadas, promete, mas será que ainda há lugar para mais uma série médica na agenda dos americanos? Muitos podem-na comparar inicialmente com House, pois tal como este, Dr. Jack Gallagher (Chris Vance) apresenta métodos pouco ortodoxos. Gallagher tenta entrar na mente dos pacientes, conhecer a essência dos mesmos, tendo em vista descobrir a solução para o problema que está por detrás da demorada recuperação destes.

Para além de Chris Vance, que vimos recentemente em Prison Break a série conta com outros actores de renome como, Jacqueline McKenzie (The 4400) e Annabella Sciorra (Law & Order: Criminal Intent, Sopranos). A série resulta de uma parceria entre a FOX Americana e a FOX da America Latina e conta com 13 episódios na sua temporada de estreia, tendo sido gravada na Colômbia durante um período de 5 meses e meio. A série contará com reviews semanais feitos por mim – Filipa Silva – aqui no Portal de Séries. A seguir podem ver algum material promocional divulgado até agora, tanto vídeos como fotos.

Elenco: Chris Vance como Jack Gallagher; Annabella Sciorra como Nora Skoff; Jacqueline McKenzie como Veronica Hayden-Jones; Derek Webster como Carl Belle; Marisa Ramirez como Chloe Artis; Nicholas Gonzalez como Arturo Suarez; Edwin Hodge como Malcolm Darius Washington.

FOTOS DO ELENCO:

FOTOS DO EPISÓDIO PILOTO:

VÍDEO PROMOCIONAL:

SNEAK PEEKS:

Escrito em parceria com Marco Braga.


CW lança fotos de 'The Vampire Diaries'

Maio 26, 2009

467a18107cc4af96d9bd1527ad5e076eVocês gostaram da apresentação feita pelo Aguerra sobre The Vampire Diaries, feita a alguns dias atrás? Pois então fiquem com as primeiras imagens promocionais desse drama vampiresco, que entra na mesma onda criada por Crepúsculo nos cinemas e True Blood na TV. A série será baseada na série de livros de L.J. Smith, em que Elena Gilbert alvo do amor de dois vampiros irmãos que além de a desejarem, também querem possuir a alma dos amigos e da família da garota.

Baseado na equipe técnica por trás das câmeras, podemos considerar que a série terá qualidade. O episódio piloto da série conta com a direção de Marcos Siega, diretor experiente da televisão, que já trabalhou em episódios de Cold Case, Dexter e True Blood. No roteiro temos Kevin Williamson, criador de Dawson’s Creek, e Julie Plec, roteirista de Kyle XY. No elenco podemos contar com Ian Somerhalder (Lost), Nina Dobrev e Paul Wesley (Everwood) no papel do trio principal. Lembrando que a série só estréia na fall season americano (Setembro).