Brothers & Sisters (3.24) – Mexico

snapshot20090525204957Silence is deep as eternity….Speach is shallow as time….. and this place is nut as……

Podemos não entendê-los totalmente, mas é impossível não amar esse conjunto de indivíduos tão diferentes. Os criadores e roteiristas conseguiram amarrar de forma pontual toda a trama desta temporada, do começo ao fim. De maneira muito bem pensada, aos poucos foram nos dando informações necessárias para montarmos o confuso e adorável quebra-cabeça de Brothers & Sisters. Norah mostra que nem sempre as coisas tem de seguir o curso natural como todos recitam a ela, assim então viaja ao Mexico em busca do filho fugitivo e passa por momentos de faroeste, dificuldades em expressar-se com os nativos e naturalmente vive  o desespero em rever Tommy após dois meses. Achei que iria chorar com o último episódio, mas pelo contrário, ri em boa parte dele.

Esse finale consagrou Matthew Rhys (Kevin) como o personagem que mais evoluiu e tornou-se relevante para todos, desde sua demissão da Ojai, a paternidade de Elizabeth, o emprego na campanha de Robert e no  divórcio entre Kitty e Robert. Sempre digo que as cenas dele com Scotty são essenciais, pois exemplificam novamente o melhor relacionamento de toda a série. Mesmo com seus autos e baixos, eles se apoiam imensamente e o mais importante de tudo, Scotty sempre visualiza seu papel na vida de Kevin mas também sabe dividi-lo com os demais familiares. Belo gesto e prova de amor ao abdicar do aniversário deles para convencer o relutante Kevin a viajar com os irmãos atrás de sua mãe e consequentemente de Tommy. A sensatez e racionalidade de Kevin em analisar que todos na família sempre cobriram os erros do irmão e que ele nunca encarou da forma que deveria, principalmente os últimos acontecimentos. Nunca imaginei que ele escolheria um retiro espiritual como válvula de escape, agora seguindo uma rigorosa dieta vegetariana, com princípios de plantação e cultivo, que prezam o silêncio e a paz de espírito,  como diria comicamente Kevin: ” Ele deixou a mulher e filha para vir cantar kumbaya no meio do mato!!”. Agora mesmo para aqueles que não assistem a série, conseguem imaginar pelo que descrevo essa família num RETIRO ESPIRITUAL?! Sem chances, o momento do reencontro só consagra isto. Mais uma vez a expressividade de cada um sobressai quando eles almoçam em “silêncio”, comunicando-se através do papel e de gestos. Mas obivamente o relógio que Becca deu de presente a Justin não ia passar despercebido. Eles tentando advinhar que o caçula ia estudar para ser médico foi muito engraçado e claro que eles iam estravassar e jogar tudo pro ar em prol da comemoração.

Gosto muito de um música chamada “Mistakes We Knew We’re Making”, do Death Cab for Cutie(ressalve ao meu querido Seth Cohen) e ela se encaixa perfeitamente no momento vivido por Kitty e Robert. Nunca fiquei tão dececpionada com a atitude derrotista dos dois, principalmente de Kitty. Ela que sempre cobrou atitudes diferentes do marido, cobrava que ele deveria abrir mão e etc e agora vemos que é tarde demais para Robert tentar voltar a mesma página do livro de Kitty. Vale lembrar o que Sarah disse antes, sobre como a irmã mais nova reagi em situações de conflito e como ela desiste sem ao menos tentar. Mesmo quando Robert viaja para o México a pedidos de Kevin, deixando claro na frente de todos o que está acontecendo entre eles.  Robert por fim dá um ultimato a Kitty, pois ele também errou durante o casamento e ela também tem errado, mas não tem mostrado energia alguma para salvar o que eles construiram com o tempo. Kitty por sua vez decidi no timming errado correr atrás de Robert, que sem ouvi-la devido ao barulho vai embora de helicoptero. Acho que deu pra perceber que ninguém foi pra lá efetivamente por causa de Tommy, a não ser Norah e Sarah. Os demais estavam envolvidos em seus próprios problemas, como Becca surtando pelo casamento e sua precipitação estranha em fazer tudo acontecer tão rápido. Vale salvar que Holly mostra-se tenebrosa com o retorno do comportamento impulsivo e precipitado de sua filha e algo me diz que ela tem algum problema psiquico apresentado durante sua adolescência não tão distante. Tommy inevitavelmente decidi que ficará no Mexico e que tentará mudar, buscando ser o homem que sua filha e esposa merecem. Achei linda a cena dele com Kevin, quando admite que o irmão sempre viu quem ele realmente era, sendo assim nunca passou a mão na cabeça dele, mas de forma humilde Kevin confessa que deseja estar presente quando ele conseguir realmente se encontrar.

Deixei esse fato para o final, por causa da importância e a intensidade da revelação. Eis que resurge das cinzas um personagem muito importante e que a tempos estava muito desfocado na história. Saul sempre foi o braço direito de William, talvez nunca tenha entendido como ele parecia ser mais fiel ao cunhado do que a própria irmã. É visível que o Saul amoroso e presente de agora é bem diferente do Saul frio e calculista de anos atrás. Num desabafo muito sincero com Holly, após devolver o pacote de indenização de Ryan, ele confessa que fez o garoto recusar a oferta e que deseja efetivamente voltar a Ojai para acompanhar Ryan e dar aquilo que ele realmente merece. A culpa e o sentimento de que tem que concertar de alguma forma os erros cometidos no passado, erros que repercutiram na morte da mãe de Ryan, pois um dia antes do acidente William tinha enviado Saul para pagar em $$ o afastamento da amante. Alguém ainda vai tirar da cartola alguma outra cafagestagem desse traidor?! Fico realmente com medo em ouvir Holly dizer que Saul deve uma a ela, definitivamente me assusta saber o que ela pedirá em troca. Uma coisa sabemos de certo: Ela não quer ele de volta! rs. E por fim espero que o “Kumbaya My Lord, Kuuuuumbaya” resolva tantos conflitos e novos problemas que eles enfrentarão na próxima temporada.

Nota: 10

3 respostas a Brothers & Sisters (3.24) – Mexico

  1. Matheus diz:

    Na minha opinião, essa temporada de Brothers & Sisters provou que a série é um hit, assim com Desperate Housewives.
    O sucesso de BS não depende mais de DH.

  2. Ana diz:

    Adoro a serie Brothers & Sisters assisto as 23:00h e a reprise no dia seguinte, é muito bom, eu rio, eu choro, eu realmente participo de toda a trama, me identifico muito com Nora, uma mãe superprotetora de dois filhos, que pra mim nunca irão crescer e saber resolver seus proprios problemas sozinhos , só que muitas vezes sou incompreendida e acabo ficando muito triste e magoada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: