Prison Break (4.23/24) – The Final Break

final

Começar por dizer que eu, Aguerra, sempre fui um fã fervoroso de Prison Break. Foi a série de Michael Scofield que me mostrou as maravilhas das séries, foi ela que me fez ficar preso a televisão às quintas a noite, na Fox, quando só tinha os meus 13 aninhos. Foi a primeira série que acompanhei regularmente, foi a que colocou o bichinho das criações americanas, foi ela que me abriu os horizontes. Por isto pode-se dizer que sempre foi a minha série.

Como a toda a gente, achei a primeira temporada perfeita, talvez a melhor alguma vez feita em televisão (daquilo que conheço), não desgostei da segunda, detestei a terceira e já estava a espera de uma péssima quarta temporada. Saiu-me o tiro pela culatra, pois a série voltou-me a reconquistar, veio reanimar a alma, relembra-me porque adoro a série. Mas como sou apologista de que uma série deve acabar quando está na maré de cima concordei com a decisão de acabar na quarta temporada (como, depois de ver a terceira, concordava que a série deveria acabar na segunda, se não fosse na primeira). E com o final que já todos sabemos, pouco restava para contar. The Final Break vem preencher as brechas que faltavam preencher.

Numa série de quatro temporadas, The Final Break é o resumo quase perfeito destas. Mistura a acção, o génio de Michael, faz regressar personagem esquecidas e depois tem a falta de coerência que caracteriza algumas partes de temporadas. Começando pela falta de coerência. Eu, que me lembre, vi a Sara a assinar um documento que a sarahexonerava-a. Pode ter sido erro meu, pois ela poderia estar a fazer desenhos. Mas prontos, vamos partir do princípio que Sara ainda não tinha o cadastro limpo. A vida corria de feição para o clã Scofield: estavam a espera do pequeno Michael, estavam em liberdade e, para complementar, casaram-se. Mas os problemas começam quando Sara é presa por ter morto Christina. O regresso a uma prisão, uma nova fuga para preparar, agora em Miami. Mas claro que para dificultar a fuga, surgem alguns problemas pelo meio. Começamos por saber que Gretchen está viva e recomenda-se, que o General Krantz está na prisão ao lado daquela onde Sara foi parar (ironia do destino?) e que, a acompanhá-lo, temos dos melhores vilões da TV, T-Bag. Ah! E depois temos uma cara familiar, já muito comparada a J.J.Abrams. Algumas semelhanças (algumas não, muitas) eram notórias. E assim a história prometia ser mais uma fuga da prisão, ao estilo da primeira temporada.

Continuando com o rumo da história. A prisão de Miami não é nada parecida com Fox River, mas continua com os problemas habituais. Temos os guardas que são, de novo, subornáveis. Temos uma prisão pouco rígida quando os presos estão a trabalhar. Parece que os erros não são corrigidos, apesar de saberem quais são. Os problemas desta vez surgem com outros nomes. Gretchen está dentro da prisão para matar Sara, a mando do General, Scofield encontra-se scofilddo lado de fora. Mahone está a ajudar (?) os agentes do FBI para prevenir a fuga de Sara, Sucre está também do lado de fora a ajudar na fuga. Restam dois pontos que se mantêm como no princípio da série. T-Bag de novo dentro e pronto a atrapalhar e Sara também de novo dentro, mas agora com outras funções.

As bases estavam lançadas. A partir de aí foi uma fuga que misturou a primeira temporada a terceira. O que me lembrou a primeira foi o constante perigo que surgia em frente das personagens. As várias reviravoltas que aconteceram, sendo aquela que me ficou na memória a do novo “baile” que Scofield deu a T-Bag. Da parte da terceira temporada temos o “salto de pára-quedismo” do boneco, temos a presumível passagem de Mahone para o lado do FBI e temos uma saída da prisão um pouco mal preparada. Haver um portão que dê cá para fora sem protecção é um pouco descabido. Uma saída para a série, que me fez desejar pela terceira temporada.

Mas faltava ter algum propósito este filme. Não poderia só ser mais uma fuga, pois fugas existiram muitas. O propósito é para ver como Michael morreu. Foi para isso que foi criado o filme. E nada melhor que ver que Scofield aindascofild2 continua o mesmo. Morreu pela sua amada, para a salvar. É a imagem que fica, um Scofield generoso, genial e careca e sem as famosas tatuagens. O corpo não sei onde ficou, mas não me parece que tenha sido enviado para a família. Morreu onde tinha de morrer, dentro da jaula de onde tirou muita gente.

Várias fugas aconteceram em Prison Break. Esta foi a última. O último salto sobre a vedação, o último suspiro da série. Os fãs como eu não ficam tristes, pois conseguiram passar excelentes momentos com a série dos irmãos que, afinal, não o são mas parecem ser. A melhor homenagem a série são duas: rever a primeira temporada para recordar e não fazerem um spin-off. São estes os desejos que ficam (o primeiro concretizar-se-á, o segundo já tenho sérias dúvidas).

Nota: 8,5

12 respostas a Prison Break (4.23/24) – The Final Break

  1. João diz:

    Acho que a nota é pouca, o episódio foi mto bom mesmo

  2. Todos eles foram ilibados dos crimes que cometeram contra a companhia e por causa desta, mas relativamente a Sara não conseguiram provar a ligação de Cristina à companhia daí terem considerado que matou um cidadão comum sem ligaçaõ à companhia não ficando por isso libida, foi a ideia com que fiquei. Eu gostei bastante do episódio, talvez por saber que serie o último que ia ver dos manos. Vai deixar saudades, mas despediu-se em grande.

    • Eu não fiquei muito crente nessa teoria, mas tem a sua razão. Quanto ao episódio, não achei mau (como deu para perceber pela nota). Acho que é um resumo fidedigno do que foi a série, como já escrevi. Mas acho que todos concordam que é uma fuga muito simplista, nada de muito ornamentado. Se alguém quiser ficar com uma ideia do que é Prison, pode ver o filme pois, apesar de não ficar a conhecer o paraíso da primeira, dá para ter umas luzes.

  3. Eu recuso-me a ver este episódio. eu só fiz download pra saber como o michael morria, e só vi esta cena e a do vídeo final. Para mim, não havia necessidade de isto ser lançado em DVD e é muito bem feita pra Fox o facto de ter saido em tv noutros paises antes do lançamento em dvd. Prison podia n ter mt audiencia, mas era uma serie lucrativa a nivel de vendas.

    • Quanto a isso já concordo. A falta de respeito demonstrada pela Fox para os espectadores e para a série é de mais. E eles já sabiam que, mais tarde ou mais cedo, a série cairia na Internet (ainda bem que foi mais cedo). Agora vamos esperar que esta ideia estúpida não chegue a Portugal, e que The Final Break sai em conjunto com a 4ºTemporada.

  4. Manny diz:

    Eu desisti de assistir a esta série após alguns episódios da quarta temporada, nem perco o meu tempo em ver o final, já tive que chegue. Primeira temporada é maravilhosa realmente, mas o resto não presta para nada, cansaram os entusiastas da série que como eu, acabaram por abandona-la.

    • Eu só não desisti devido ao sentimento que tenho sobre a série. A série caiu num abismo muito grande, muito devido à greve dos argumentistas. Eu lembro-me que na terceira temporada poderiam ter aproveitado por sair pela forma que o Michael pensou, a saída durante aquele momento que o guarda não estava a olhar devido à luz. Acho que foi uma das más escolhas. E percebo que tenhas largado a série, mas deixo-te um conselho: se não chegastes ao episódio 4.12, aconselho-te ver até lá. Um episódio que me lembra a excelente primeira temporada.

  5. cristiano diz:

    Foi fantástico, um misto de 4 temporadas neste Final Break dsfdasdfs

    • Para mim foi mais nostálgico. Rever de novo uma fuga, mesmo deste modo, foi rever muito do passado de Prison. E já agora, Cristiano, que achas-te do final? A morte do Michael fica bem como final ou não?

  6. gabriela diz:

    Prison Break foi a melhor série que já assisti apesar de não ter gostado do final.Vamos falar do final…não se mata um herói como MICHAEL SCOFIELD,e não se faz isso com nós télespectadores ,acham que acompanhamos a série do 1º ao ultimo episódio para vermos MICHAEL SCOFIELD morrer? O cara lutou pela liberdade,não só dele mais de todos,e no final não pode nem desfrutar dessa liberdade com a mulher que amava e com o filho.Por ser uma ficção eu não vejo nada de errado com o bom e velho felizes para sempre.Só acho que o diretor de Prison Break deveria dar um jeito de fazer mais uma temporada ou, até mesmo um episódio para desfazer este final lamentável,e ressuscitar o maior herói da ficção MICHAEL SCOFIELD.

  7. beatris diz:

    eu só tenho 14 anos e vejo a serie todos os dias.
    eu AMOOOOOO esssa serie ate pq o Wentworth Miller é um GATO e um otimo ator tbm.Eu só não concordo com o final que ele morre, mas achei lindo ele dar a propria vida pela a mulher que ele ama e o filho que vai nascer. Mesmo assim a serie é otima!
    Nunca fui de ficar na frente da tv para ver series mas Prison Break foi a unica serie que me fez ficar ligada na tv por horas. Tenho todas as temporadas e não me canso de ver. Para mim Michael Scofild é um herói, um gênio e um homem que se preocupa com todos ao seu redor. EU TE AMO WENTWORTH MILLER!!!!!!!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: