Futurama renasce seis anos após o cancelamento!

Junho 9, 2009

untitled-11Seis anos após ser descartada pela FOX, Futurama é ressuscitada pela Comedy Central (o mesmo canal de South Park). Um porta-voz da 20th Century FOX Television confirma que o emissora por cabo ordenou vinte e seis novos episódios da série de Matt Groening, criador de The Simpsons, e David X, com estreia prevista para 2010. As razões pela volta da série foram as grandes vendas em DVD (depois da série ser cancelada após quatro temporada, ainda fizeram quatro filmes para saírem directamente em DVD) e as repetições na Comedy Central.

Gary Newman e Dana Walden disseram que quando eles trouxeram Family Guy de volta alguns anos atrás, toda a gente disse que isso é a expepção à regra, ou seja, o que é cancelada, não pode ser reavivada. Mas, segundo eles, Futurama é outra série que os fãs simplesmente pediram que fosse trazida de volta, e não podiam estar mais felizes quando os criadores concordaram e disseram que ainda têm histórias para contar. Aliás, Groening ainda brinca com a situação: “Nós estamos fascinados que Futurama tenha voltado. Agora só temos 25.766 episódios para fazer antes de apanharmos o Bender e Fry no ano 3000”.

E vocês, também estão fascinados pela volta de Futurama à televisão?


Showtime renova Nurse Jackie; Weeds procura colaborador

Junho 9, 2009

showtime_4cl

A emissora em que Nurse Jackie é transmitida, Showtime, ordenou uma segunda temporada de treze episódios para a série. Isso porque as audiências não desiludiram, apesar do piloto ter ido parar à Internet antes da exibição oficial, tornando-se na estreia mais vista de sempre no canal, às segundas-feiras. ‘Jackie’ foi vista por um milhão de telespectadores, conseguindo 350.000 adicionais na altura das repetições, nessa mesma noite. O recorde anterior era da série Secret Diary of a Call Girl, que abriu a temporada com 950 mil telespectadores.

A quinta temporada de Weeds também teve um bom número, conseguindo na sua estreia de ontem 1.7 milhões de telespectadores, descendo apenas 4% em relação à temporada passada. Ainda não se sabe se Weeds vai ter reviews no Portal de Séries, pois ficamos à última da hora sem o nosso novo colaborador, por isso, caso esteja interessado, basta enviar um e-mail para mfcbraga@hotmail.com. Aguardo o seu contacto, que também pode ser via MSN. Todos aqueles que adicionarem para assuntos que não sejam esse, serão eliminados.


Lista: Cancelamentos vs. Renovações

Junho 9, 2009

lista1

Todos nós já tivemos o azar de acompanhar uma série que por decisão dos argumentistas ou da emissora acaba cancelada a meio da história sem nos ser dado o final digno que desejávamos para a série. Até podemos não concordar com alguns finais mas mais decepcionante que isso é deixar uma história sem conclusão totalmente em aberto. Todos nós sabemos que o futuro das nossas séries depende grandemente das audiências, mas é pena é por vezes nem terem direito a uma despedida digna.

1 – Jericho- uma série que prometia muito e conquistou imensos fãs capazes de a ressuscitar para uma nova temporada, esta apenas com 7 episódios. Os fãs pretendiam um final mais digno para a série e embora o final arranjado fosse melhor que acabar na primeira temporada, poderiam ter feito muito melhor. Os fãs mereciam mais.

2 – Kyle XY – termina na sua terceira temporada com um episódio que devia ser final de temporada e não final de série, deixando tudo em aberto. Kyle foi perdendo qualidade, isso todos nós sabemos, mas se a audiência estava má e o futuro era incerto, podiam dar alguma conclusão à história e não deixar mais janelas por fechar.

3 – Traveler – uma série que teve apenas direito a uma mini-temporada, para mim tinha potencial, embora eu a compara em parte a Prison Break em alguns aspectos. Termina no seu oitavo episódio e quando tudo parecia encaminhar-se para a conclusão de uma fuga, algo inesperado acontece e mais uma vez a série termina sem se vislumbrar o fim da história.

4 – Moonlight- outra série que apenas teve direito a 16 míseros episódios, e quando a cura para se tornar novamente humano e a possibilidade de romance assumido com Betty estavam prestes a se tornarem reais, eis que a série é cancelada. E nem mesmo a campanha de doação de sangue promovida pelos fãs fez a emissora mudar de ideias.

5 – Tru Calling – numa altura em que Tru estava prestes a descobrir que ligação tinha o pai com o Jason e o que se tinha passado com a mãe, a série termina em pleno espírito natalício com os dois inimigos debaixo do mesmo tecto.

renovadas

Por outro lado, temos as séries que apesar de muita especulação relativamente ao seu futuro, acabam por vingar e ganhar nova temporada. Na época de anúncio das renovações e cancelamentos muito é o sofrimento dos fãs, mas felizmente embora as audiências por vezes não correspondam à qualidade demonstrada, existem algumas séries que acabam mesmo por ser renovadas para alegria dos fãs, quer seja por novos acordos, sejam compradas por outras emissoras ou simplesmente por serem queridas na emissora.

1 – Friday Night Lights- uma série muito elogiada pela crítica e pelos fãs, mas que em termos de audiência não tem vingado. Escapou de um cancelamento precoce na sua segunda temporada depois de uma acordo entre a NBC e a DirectTV. Nesta terceira temporada teve um último episódio com algumas conclusões, e se assim terminasse, não seria decepcionante. Muito se especulou, mas FNL venceu e ganhou não só uma, mas duas novas temporadas.

2 – Dollhouse – apesar de não acompanhar a série, muito se falou sobre o futuro da mesma. Mesmo antes de estrear já havia campanhas que tentavam cativar os fãs de modo a evitar o seu cancelamento. As audiências são fracas, o dia da semana a que é exibida também não ajuda, mas a FOX decidiu dar-lhe nova oportunidade e renovou-a para uma segunda temporada.

3 – Chuck – as audiências de Chuck não tem sido aquelas que a NBC pretende, mas a série tem qualidade e fãs que a seguem sabem disso. E graças ao carinho que a emissora nutre por Chuck, a série conseguiu ganhar uma terceira temporada com 13 episódios. Chuck, também tal como FNL, teve um último episódio em que deu alguma conclusão a certas histórias e se fosse oficialmente cancelada, pelo menos a desilusão não seria total.

4 – Castle – outra série que quase ia à guilhotina por causa das audiências. Castle foi a aposta da ABC para a mid-season e começou bem. Mas o pior aconteceu quando o lead-in foi substituído e a série decresceu. Ninguém podia dizer se a série seria renovada ou cancelada, apesar da qualidade demonstrada. Já com um episódio que prometia ser o final, a emissora de Desperative Housewives decidiu dar uma nova hipótese.

5 – The New Adventures of Old Cristine – a série da CBS era outra que andava com a corda ao pescoço. A comédia tanto poderia ficar por aqui ou ter mais uma temporada. A dúvida colocava-se pois a série não consegue ter os níveis das grandes comédias da CBS, e a programação da emissora já contava com três cimentadas e vinha uma nova. Mas a saída do protagonista de Worst Week abriu uma vaga, e The New Adventures of Old Cristine pode voltar a respirar. Vamos ver até quando!

E para vocês quais foram as maiores desilusões e alegrias no que toca a cancelamentos e renovações?

Lista elaborada em colaboração com Aguerra


Burn Notice (3.01) – Friends and Family

Junho 9, 2009

burn-noticeO regresso do calor significa uma coisa: Burn Notice está de volta. Voltam de novo as explosões, os leves vestidos de Fiona, juntamente com o humor de Sam. Juntemos a isso um ex-espião, cheio de truques na manda, sirva-se com uns mojitos e bon appetit. A série tem crescido a olhos vistos, a segunda temporada foi uma delícia para os olhos e a terceira prometia muito. E nada melhor que ter um episódio destes para recomeçar o vício.

Com um episódio bem mexido, que promete dar o mote para o que ainda virá, Friends and Family é o começo de um novo ciclo, que se estenderá por esta mid-season até 2010, quando esta terceira temporada regressa e acabará. E tal como no começo da segunda temporada, a narrativa começa exactamente onde acaba. Um Michael a nadar no mar, a dar a costa, com uma nova vida, novos desafios e perigos, agora sem nada como guarda-costas.

E logo os perigos começam-se a surgir. A perseguição da polícia, que até agora não tinha chateado muito Michael Westen, foi unicamente a ponta do (grande) iceberg. A vida está complicada, mas o que me ficou na cabeça desta perseguição foi para que que o Michael andava a ver os nomes dos garrafões. Umas explosões ficariam bem, numa saída a espião Westen.

Mas a escolha não foi essa. A escolha foi meter Michael a fazer exercício. A prisão torna-se o novo habitat, mas durante pouco tempo. E dois pormenores sobressaíram durante esta estadia. A primeira é dizerem como os óculos voltaram as mãos de Michael. Nada melhor que ver os pormenores a serem resolvidos. A segunda é ver que a roupa com que Michael Westen entra com uma roupa e sai com a mesma, ou seja, sem sapatos. Mas deixando os pormenores de lado e passemos aos pormaiores. A saída de Michael da prisão trás um seu velho conhecido, Harlan. O episódio para, pelo menos para mim, prometia não ser mais um daqueles casos que, apesar de darem para divertir e fazerem corar muitas séries, não evolui nada na narrativa. A aposta caiu em saco roto, mas ainda bem. O episódio foi bem construído. Foi mais um caso, mas um caso que demonstra que nada é igual após saltar do helicóptero.

Harlan trás um novo caso, neste caso já mais evoluído. Um chefe de uma rede de falsificação radicada em Miami, faz com que as famílias percam os seus terrenos, passando sobre todos, subornando juízes, destruindo vidas. E Michael apaixona-se pelo caso. O plano é feito, algumas mudanças momentâneas também, mas tudo corre como planeado. O chefe é apanhado e tudo parecia estar a ir muito certo. Mas tudo muda, quando Harlan mostra a sua verdadeira face. Lembrei-me logo de um episódio da primeira temporada, onde também Michael é enganado.

Mas tudo acaba bem, com Harlan a pagar a sua traição e Michael a salvar-se. Ficou a ver-se que Michael agora só tem quatro pessoas em quem confiar: Fiona, um pouco chateada, Sam, a sua mãe, ainda enervada pela explosão de parte da casa, e o seu irmão Nate. E agora que abri o tema, vou finalizá-lo. Fiona está chateada devido a insistência de Michael voltar para a sua antiga vida. Nada mais simples, nada mais usual. Já sabemos que aqueles dois andarão as turras. Que se há-de fazer?

Friends and Family abre um novo mundo em Burn Notice. Foi o começo da corrida que promete ser a terceira temporada, e pelo que nos foi mostrado será melhor que as antecedentes. Os ingredientes estão todos lá, agora só falta juntar um pouco de condimentos, misturar bem e saborear.

Nota: 9,2


Supernatural – Quarta Temporada (2008)

Junho 9, 2009

sem-titulo6

Há séries que não conseguem manter a qualidade ao longo dos anos, outras sim. Mas aquelas que merecem o nosso verdadeiro carinho são as que não descem nem mantêm, mas sobem. Depois de um terceiro ano meio desapontante, a quarta temporada voltou com uma história já esperada há muito tempo pelos fãs: a guerra entre o Bem e o Mal. Lazarus Rising abriu muito bem aquela que viria a ser a grande surpresa de 2008, com a resolução do cliffhanger deixado em Maio de 2009, no final da terceira época, com Dean a ir para o Inferno. E o que poderia demorar vários episódios a ser revelado, acabou por ser conhecido logo ao fim de quarenta minutos, quando nos somos apresentados a Castiel, o anjo que salvou Dean.

A missão dada aos irmãos Winchester era bem simples: deter o Apocalipse. Existem 600 selos pelo mundo fora e bastam 66 serem quebrados para que o Lúcifer se liberte. E é exactamente aí que encontramos o ‘calcanhar de Aquiles’ da temporada, pois foram perdidos quatro episódios (do 4.11 ao 4.14) com histórias que eram perfeitamente dispensáveis e dava a impressão que os irmãos não estavam assim tão preocupados com a quebra dos 66 selos. Outra coisa que não me agradou foi a nova Ruby, que comparada com aquela que era interpretada por Katie Cassidy, tinha cara de insonsa. Além disso, as suas aparições e desaparecimentos constantes dava uma sensação de enrolamento da história.

Mas como nem tudo são coisas más, devo dizer que as boas conseguem superar, muito facilmente, estes aspectos negativos. Começando pelos irmãos, nota-se um grande crescimento como actores de Jensen Ackles e Jared Padalecki, que foram fortemente beneficiados com o guião dos argumentistas, ou seja, a história em si ajudou-os bastante. Misha Collins veio a revelar-se uma grande adição no elenco regular com a sua personagem muito importante: Castiel. Além do elenco, outro ponto a destacar é aquilo que todas as séries devem ter: episódio bem escritos. Tanto a estreia como o final de temporada foram grandes momentos televisivos, mas também tivemos episódios intermédios muito bons, com destaque para ‘In the Beginning’, ‘Heaven and Hell’, ‘On the Head of a Pin’ e até o ‘Monster Movie’, que veio a revelar-se uma agradável surpresa.

Agora resta esperar pela quinta temporada. Inicialmente pensava-se que era a última, mas existem fortes possibilidades da série ser renovada para uma sexta época, como foi falado aqui. A minha opinião, que já é conhecida por muitos, é que a série termine no próximo ano, pois tal como o criador (Eric Kripke) disse, é melhor terminar Supernatural enquanto está no auge. Não quero, de modo algum, que se torne no novo Smallville, mas como a audiências são um factor importante, e as de Supernatural até são bastante boas, acho que vai ser mesmo voltar. Mas enquanto isso não acontece, devemos disfrutar ao máximo da quinta, pois a história proposta é excelente. Com Lúcifer livre, o que será que vai acontecer aos irmãos? E é tendo em conta o crescimento que a série teve e os bons momentos que nos apresentou que, para mim, cinco estrelas é a nota justa.


House lança jogo para Wii, DS e PC

Junho 9, 2009

housegameO marketing é uma coisa poderosa. Desde o mundo do cinema, passando pela animação e continuando nas séries, tudo o que reluz é ouro. Por isso, tem vindo a tornar-se moda que alguns dos maiores sucessos do mundo da sétima arte ganhem a faceta de videojogo. Desde a sequela de Harry Potter, o exemplo mais flagrante em termos cinematográficos, passando pelo mundo das séries, onde sobressaem a série Lost e Dexter, o último ainda sem data de lançamento, tudo é aproveitado para alimentar o vício dos fãs.

E assim surge o novo videojogo, agora sobre a série protagonizada por Hugh Laurie, House. Produzida pela Legacy Interactive, que já também produziu o videojogo de ER, “Emergency Room: Code Red”, o jogo será uma cópia da série, pois contará com cinco casos médicos para o jogador resolver, utilizando as várias técnicas vistas na série: desde entrevistar os pacientes até invadir as suas casas.

Para além de House, que não deverá ter a voz de Hugh Laurie, o jogo também deverá contar com a mais recente equipa, Taub e Thirteen. Wilson também poderá entrar no jogo, apesar de ainda não ter presença confirmada. Por agora o jogo está unicamente previsto para as plataformas da Nitendo, DS e Wii, e para PC.


One Tree Hill, Ghost Whisperer e 24 avançam anos na história

Junho 9, 2009

untitled-1

Chega mais uma temporada e com ela decisões importantes para as nossas séries favoritas. Enquanto que umas matam personagens e outras mudam de local de filmagens, existem sempre aquelas que seguem o exemplo de Desperate Housewives (que não resultou nada bem) e avançam anos para o futuro. Começando por One Tree Hill, a série que já teve um avanço de quatro anos com a estreia da quinta temporada, saltando a parte da faculdade, vai voltar a ter um salto temporal. Contudo, desta vez é só de um ano e deve servir mais para explicar a introdução das três novas personagens importantes, assim como a saída de Chad Michael Murray e Hilarie Burton da série. Também é importante referir que Brian Austin Green, ao contrário do que foi dito aqui, já não vai participar na série, pois segundo dizem, ele não ficou contente com a reacção dos fãs quando souberam desta história.

Outra série a seguir a mesmas pisadas é Ghost Whisperer. Ao contrário de One Tree Hill, esta é a primeira vez que os argumentistas da série sobrenatural apostam nesse tipo de técnica, mas o salto vai ser muito maior. A decisão de avançar cinco anos após Melinda descobrir que está grávida parece ser a decisão mais apropriada para mostrar o filho dela e de Jim já em criança, e não em bebé. Será que a equipa de produção está a preparar uma espécie de história paranormal para o miúdo ou apenas será uma criança normal? Eu não vejo a série (a minha mãe adora), mas parece uma opção viável, não é? Já estão a ser feitos castings para achar o actor que dará vida ao filho do casal protagonista.

Por fim, temos a veterana dessa técnica: 24. A série protagonizada por Kiefer Sutherland deve avançar mais ou menos quatro anos para o futuro na sua oitava (e possível última) temporada. Enquanto que os saltos temporais de One Tree Hill e Ghost Whisperer foram confirmados pelo Ausiello, este de 24 é apenas especulação minha devido às fotos dos bastidores onde mostra a neta de Jack Bauer no seu colo, com mais ou menos quatro anos. Inicialmente eu pensei que o oitavo dia seria para explicar a sobrevivência de Jack depois de ter estado exposto à arma biológica. A sua recuperação deve ser explicada por palavras no decorrer do oitavo dia, que vai contar com a grande Katee Sackhoff (a Starbuck de Battlestar Galactica).