Greek (2.22) – At World’s End

snapshot20090616201558-300x169Resolvi fazer o resumo da temporada junto com o episódio final, pois teria mais sentido fazer isto neste momento. Escrevo sobre cada um dos personagens, exemplificando seu papel, trilhando sua jornada. Vocês devem lembrar que fiz um comentário a dois reviews atrás, dizendo que iria justificar quando o season finale chegasse. Pois bem, a hora é essa. Quando li um comentário sobre a série no site Teleséries, pude realmente entender por completo o que  ela simboliza. Greek retrata de forma diferente o universo teen, mostrando situações que podemos facilmente nos identificar. Coloca na ficção um fragmento da realidade, humana e crua como ela é, sem superficialismos, falsas pretensões, maneirismos e moralismos. O canal Universal intitula em seus comerciais aqui no Brasil a série como ” Sexo, Livros e Rock n’ Roll” mas me arrisco a dizer que ela vai além disto, deixando plena satisfação em conseguir mudar 100% opinião.

Dale representa a convicção: Sua crença, valores e compromissos colocados a prova em seu relacionamento com a Sheila, que por sinal que casal mais excêntrico que rendeu até hoje momentos muito cômicos. A pureza confrontada pela sexualidade é mostrada de uma maneira sútil e nada apelativa.

Calvin representa a insegurança: Dificuldade de encarrar e aceitar suas vontades, evitando a possibilidade de ter algo a mais com Grant. Aliás conseguiram unir ele ao Dale de uma forma tão especial, pois nitidamente eles identificam que precisar evitar a tentação. Momento que rendeu a marcante cena em que que Dale veste Calvin com o anel da pureza ou compromisso. Mesmo assim, eles encaram seus medos e vivem o último dia na terra com as pessoas que eles querem.

Evan representa a submissão: Provada pelo status de ser um Chamber. Um peixe inexperiente num mar de tubarões, incapaz de lidar com o investimento colocado sobre ele. Como era de se esperar, mesmo que tardeamente, consegue visualizar que precisa ser mais ele mesmo . O Evan que reativou a amizade com Cappie, o Evan que admite seu erro e que se vee um pouco em Rebeca, devido as suas histórias de vida parecidas. O Evan que deve buscar serr mais Evan do que Chambers.

Frannie representa o desiqulíbrio: Odiada, conseguiu afastar tudo e todos ao seu redor, consquistando através de meio desleais suas aquisições. Chantageou e manipulou, mas finalmente percebeu que entrou num ciclo vicioso no qual nunca conseguiria sair, a não ser que admitisse seus erros. Viveu a sombra das ZBZ, especialmente de Casey(sua ex-melhor amiga). Criou uma fraternidade própria que por fim só trouxe fracassos e humilhações. Conseguiu se redimir somente no momento de sua despedida definitiva do campus. Talvez agora ela trilhe seu verdadeiro caminho e consiga mostrar uma Frannie mais humana.

Rusty representa a escolha: Não é a primeira vez que ele questiona seu papel como: aluno, membro da fraternidade, namorado e amigo. A vida definitivamente é feita de escolhas e nem sempre conseguimos alinhar tudo. Rusty encarou um fracasso na prova, fazendo-o buscar um conselheiro acadêmico para orientá-lo sobre suas decisões. Escolher ir a festa do fim do mundo ou  ficar estudando. Escolher acompanhar sua namorada na festa ou ficar estudando. Entçao que decidi o agora, colocando-se ao lado de sua amada e de todos seus queridos amigos.

Max representa a perda: Caral ideal, prestativo, presente e dedicado. Tipicamente o geek adorável que toda garota gostaria de ter por perto, realmente gostaria é a palavra correta. Sempre pareceu disposto a manter o namoro com Casey, mesmo que as vezes esteve muito a frente do que ela. Abriu mão de seus sonhos, fez escolhas difíceis. Sabemos que ouvir a famosa frase ” You’re the perfect guy, but you’re not the perfect guy for me”, deve detonar o coração de qualquer pessoa, ainda mais depois de tudo que escolheu viver. Provou-se verdadeiramente que eles nunca estiveram na mesma página, pois quando ela tem de abrir mão de algo, ela abre mão de seu  relacionamento com ele , pois nunca conseguiria sentir o que ela sentiu, sente e sentirá pelo Cappie.

Rebecca representa a descoberta: Impulsiva, marcou presença no campus através de atos polêmicos, visando sempre modificar sua reputação de filha de senador. Foi traidora, vilã, megera, agente dupla, dócil, comilona, atrapalhada e uma série de outras coisas. Sentiu-se perdida, sem perspectivas sobre quem era, o que queria e o que iria fazer. Enfrentou uma fase de auto-conhecimento, que por sinal foi abordada de uma forma muito singela e interessante, revelando que decidiu sair com uma garota não por simples confusão mental ou por estar na moda ” I Kissed A Girl” mas por que estava a procura de um novo sentido em sua vida, uma busca consigo mesma, ver no espelho a Rebecca e  não a Rebecca,  filinha do Senador.

Ashleigh representa o equlíbrio: Sorrateiramente entrego a ela grande parte do mérito deste excelente episódio, pois graciosamente a atriz Amber Stevens consegue mostrar por que é a melhor amiga da protagonista . Por vezes ela parecer aquela personagem fútil, mas pelo contrário, ela é a pessoa mais sensata de toda a CRU. Ela enfrenta uma possível expulsão do campus, devido o incidente com a explosão de cerveja no carro das IKI e Omega Chi. Sozinha, é julgada por um erro que não cometeu e mesmo assim enfrenta  Evil-Frannie, quando achavamos que ela já podia considerar-se derrotada. Sua clareza de palavras fez com que Frannie avaliasse suas atitudes fracassadas em tentar tornar IKI a melhor fraternidade do campus. Destronada com a verdade, decidi retirar as queixas contra Ash. Novamente, a balança Ash aconselha Calvin a encarar os fatos e parar de fugir de Grant, seu roomate. Sua participação não termina aqui, pois é ela que consegue fazer um certo casal enxergar certas coisas. São delas as frases mais cômicas: “You make lists now?” ” Who are you? Joey Potter?” “Or maybe you’re the “F “letter” ” Yeah, Felicity” “Go Felicity, tough if up”. Novamente Greek consegue citações incríveis, sem soar esteriotipado.

Casey & Cappie representa o destino: Quando falei acima sobre quem escolheriamos estar ao lado caso o fim do mundo chegasse ficou evidente quem estava falando isto. Casey encara os fatos sobre o que senti por Cappie e assumi querer estar com ele no tempo atual e até no fim dos tempos. Cappie é o pivó do segundo triângulo amoroso da vida de Casey. Determinados momentos não pode mais lutar contra o destino. Cappie é Casey e Casey é Cappie. Racionalismos a parte, encaro como natural a atitude dele em frear a situação, por nitida insegurança e medo de falhar novamente. Achei lindo quando ele tenta salvá-la da situação constrangedora do armário, pois Max vê a cena e pensa no pior, mas Cappie assume toda a culpa, dizendo não ter superado Casey e que desleamente tenta sempre forçar uma situação com ela. Devastada, Casey encara a possibilidade da solidão e Cappie reflete sobre o que aconteceu naquela noite. Fechamos uma promissora temporada com mais um incrível prova de amizade de Ash, agindo como um verdadeiro cupido/anjo da guarda que sobrevoa sobre a consciência de Cappie, confronta-o com a seguinte frase ” It’s the end of the world Cappie, what you gonna do?”

Nota: 10,0

0 respostas a Greek (2.22) – At World’s End

  1. O final foi muito bom mas soube a pouco, as expectativas e as saudades são grandes para a 3ª temporada 🙂

  2. an.drew diz:

    Bem tenho a dizer que este episódio foi perfeito ( e esta review também =D), depois uma temporada não tão boa como a primeira na minha opinião (mas os últimos episódios foram muito bons). Adorei toda a temática do fim do mundo, caiu super bem, fez com que muitos deles repensassem nas suas acções.
    Tenho que dizer que Greek brilha muito as citações, sempre adoro, sempre resulta muito bem, eu quase morri de rir naquela parte em que o Calvin joga o anel da pureza e dá na cara do Wade e ele pega e diz “My precious” e também naquela parte em que a Cassie cai no “manhole” como ela diz LOOOL e Ashleigh continua a andar.. muito bom
    E por último Casey+Cappie, ou acaba para sempre ou fica para sempre pk já não tenho paciência para eles, vamos ver o que Cappie escolhe. Devo dizer que temos deste episódio fiquei ansioso pra a próxima temporada, que venha 31 de Agosto.

    • Tks Andrew…Eu curti mto fazer este ultimo review….Eu era meio exterminadora da série, principalmente no inicio desta temporada, porém Greek resurgiu das cinzas após o retorno do hiatus e dali engatou uma sequência incrível de bons episódios…
      Disse tudo C&C ou vai ou racha de vez!! Tb não aguento mais!!!
      My preciousssss, realmente mto mto bem lembrado!!!!! rsrsrsrsrs
      Deixou saudades mesmo, que venha 31 de agosto.

  3. Camila Oliveira diz:

    Eu ri muito da cena citada na review em que a Ashleigh compara a Casey com a Felicity. Muito bom! Acho que eu nunca desejei tanto que Greek tivesse uns cinco minutos a mais de duração, só para saber o que o Cappie escolheu… Enfim, ótima review e que venha a terceira e, provavelmente, última temporada!

    P.S.: Eu também vi o comentário do TeleSéries. Se não me engano foi até no review do episódio 18, Divine Secrets and the ZBZ sisterhood. Depois daquilo também fiz as mesmas reflexões que você, sobre o amadurecimento dos personagens e as situações que eles enfrentam e a forma como lidam com elas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: