Jacob de Lost será Lucifer em Supernatural

Junho 26, 2009

5042483Mark Pellegrino será o próximo actor convidado das séries a participar em muitas produções? Pelos vistos, sim!

Depois de Dexter, o actor foi o escolhido para interpretar a enigmática personagem Jacob da série Lost no final da quinta temporada. E agora fontes confirmaram exclusivamente que Pellegrino será Lucifer na quinta época de Supernatural que estreia no dia 10 de Setembro nos Estados Unidos.

Mas a ida de Mark para a série da CW não significa que ele esteja fora de Lost, pois ao que parece o papel de Lucifer será recorrente e não regular. Portanto, podemos ficar descansados pois provavelmente veremos Jacob outra vez em Lost, até porque estamos a caminhar para a última temporada e os mistérios têm que ser respondidos.

Lucifer saiu do Inferno no final da quarta temporada após o Sam quebrar o último selo dos sessenta e seis necessários: matar a Lilith.


So You Think You Can Dance (5.08/09) – Top 18

Junho 26, 2009

so_you_think_you_can_danceEste é o primeiro reality show que eu me aventuro a escrever reviews semanais. Já tinha pensado em fazer isso com Survivor, mas como no início de 2009 estava cheio de trabalho já para fazer, deixei de lado. A quinta temporada de So You Think You Can Dance é a primeira que eu vejo, por recomendação da Mary Barros, autora dos reviews de Brothers and Sisters, Glee, Kyle XY e Greek. A parte de escolher os melhores das seis cidades já passou e agora está na hora de enfrentar aqueles que vão decidir quem é o próximo grande daçarino dos Estados Unidos: o público. Numa apreciação global do que aconteceu nesse Top 18, acho que foi melhor que o Top 20, mas mesmo assim teve algumas performances, como poderão ver a seguir, que ficaram aquém das expectativas. Também queria dizer que era impossível publicar este review mais cedo pois foi uma semana complicada a nível de tempo.

1

Podem não compreender, mas ainda não decorei os nomes de todos os participantes, apesar de já os conhecer a algumas semanas. O primeiro casal deste bloco é um dos meus favoritos do programa, pois são muito humildes e simpáticos, além de ser um dos casais com mais química e que dança melhor. No Top 20 eles conseguiram uma das melhor actuações da noite e aqui também não desiludiram com um género completamente diferente. Já a Caitlin e o Jason desiludiram no seu Hip Hop, mas não dançaram mal. Na minha opinião esse é um dos casais mais sobrevalorizados pelo júri e não acho que eles sejam assim tão bons como querem parecer. Por fim, temos a Randi e o Evan, o casal mais divertido desta temporada. Podem não ser os melhores a dançar do concurso, mas são aqueles que mostram uma maior simplicidade na sua forma de ser.

2

Começo a não gostar do Brandon e da Janette, acho que eles têm uma espécie de superioridade em relação aos colegas. Contudo, não tem que negar que se formos a ver como eles dançam, são um dos melhores casais de lá, por isso as críticas positivas que recebem são justas. Contudo, aposto que na primeira ocasião que eles não forem muito elogiados pelo júri e o público não gostar que se vão embora. O Vitolio e a Asuka sairam muito beneficiados pela forma como a dança foi apresentada e a verdade é que deu para perceber que os dois dançaram com gosto e emoção. Porém, numa lista das minhas preferências este casal está nos últimos lugares. Outro que eu não gosto é o Max e a Kayla, nem acho que ela dance tão bem como o júri diz. A dança deles teve os seus momentos bons e originais, mas não é daquelas que se pode dizer que são memoráveis.

3

O Phillip e a Jeanine é, à semelhança da Randi e do Evan, um dos casais que simpatizo bastante, mas tiveram azar com o estilo que lhes foi dado. Não dançaram mal, mas temos de ter em consideração o crescimento e em relação à gala passada, essa foi piorzinha. Depois temos o Jonathan e a Karla que têm uma química excelente. A dança deles foi mesmo muito bonita e parecia até que eles eram namorados na vida real, ou seja, não só dançaram muito bem como também interpretaram perfeitamente um casal de namorados que estavam chateados. Foi, sem dúvida, o melhor momento da noite e uma das melhores performances desde o início do programa. Por fim, o Kupono e a Ashley. Não consigo simpatizar com esse casal, não me perguntem porquê. Acho que eles não ficam bem um com o outro e os estilo escolhidos até agora não foram os melhores.

4

No episódio nove foram conhecidos os três casais menos votados e não houve assim muitas surpresas, logo não tenho muito que dizer. Achei um pouco injusta a saida do Max pois, para mim, o solo dele foi bem melhor que o dos seus dois colegas. Já a da Ashley foi justa e única coisa que tenho pena é o Kupono não ter ido feito companhia a ela.


Legend of the Seeker – Primeira Temporada (2008)

Junho 26, 2009

legend-of-the-seeker-banner

Legend Of The Seeker é a mais recente série de fantasia épica a aparecer na televisão, estreou em Novembro de 2008 e, na minha opinião, é, a par de True Blood, uma das melhores estreias do ano.

Dos criadores de Xena: The Warrior Princess e Hercules: The Legendary Journeys, Robert Tapert e Sam Raimi, Legend Of The Seeker, tal como as outras duas, toma lugar num mundo de fantasia medieval, onde existe magia, criaturas bizarras, reis e guerreiros. É baseada nos livros de Terry Goodkind onde seguimos Richard Cypher, o primeiro Seeker verdadeiro em muitos anos. O seeker é um guerreiro que aparece em determinadas gerações e com a “Sword Of Truth” tem a missão de combater a tirania no mundo. Neste caso Richard Cypher está destinado a derrotar o Lorde das Trevas Darken Rahl.

Dizendo-se que é dos criadores de Xena corre-se o risco que muita gente fuja da série a sete pés. Xena foi uma série de culto dos anos 90 que conseguiu um número elevado em audiências, no entanto, pelo mundo fora, eram muitos aqueles que não suportavam a série. Xena tinha uns visuais, talvez, um bocado deprimentes para a época, apesar dos efeitos especiais serem muito avançados e elogiados. A temática da fantasia medieval em televisão e cinema nasceu praticamente com Xena, antes as tentativas de filmes desse género revelavam-se sempre fracas e sem sucesso. Desde do Feiticeiro de OZ, filme de 1939 que se atravessava um período em que o público de TV e cinema não se interessava grandemente pela temática, apenas a literatura tinha algum sucesso. Sem Xena e Hercules talvez não houvesse produtoras com coragem suficiente para apostar em filmes como O Senhor dos Aneis, que é um dos maiores sucessos de todos os tempos. Assim pode-se considerar Robert Tapert e Sam Raimi dois visionários. Sam Raimi é também um dos cineastas de culto mais admirados nos Estados Unidos e um dos que eu mais admiro. Realizou recentemente para cinema a trilogia Spider-man, sucesso mundial de bilheteira, mas foi com a trilogia Evil dead que se tornou conhecido, essa é considerada uma das melhores sagas de filmes de terror de sempre.

Apresentados que estão os criadores posso dizer que é uma série recomendada para todos aqueles que gostam de fantasia medieval e para todos os outros que gostam de acção e aventura. A primeira temporada teve 22 episódios. É uma série em syndication, ou seja não tem nenhum canal de exibição é produzida pelos estúdios da ABC mas os seus episódios dão em frequências especificas de cada região dos estados unidos não em nenhum canal especifico. As audiências foram boas, o que sendo uma série em syndication é um dado muito relevante. A segunda temporada está já em produção.

Nesta primeira temporada houve episódios muito bons, outros menos bons, momentos verdadeiramente incríveis e uma história que, apesar de não ser nada de muito elaborado, está bastante bem contada, o facto de ser baseada numa série de 7 livros dá muito sobre o que se escrever. Cada episódio tinha o seu próprio caso, mas todos juntos funcionavam para o desenrolar do enredo principal. Acompanhou-se principalmente as peripécias de três companheiros de viagem peculiares. O jovem Seeker, um mago de primeira ordem, Zeddicus Zu’l Zorander, e uma bonita confessora, Kahlan Amnell. Uma confessora tem o poder de submeter qualquer humano ao seu poder com o toque permitindo-lhes saber a verdade que poderá estar escondida em cada um, ao longo da história em qualquer busca de qualquer Seeker este era acompanhado por uma confessora.

O romance foi uma constante ao longo de toda a temporada e foi crescendo ao longo dos episódios, uma relação peculiar é apresentada e mostra-nos momentos sensuais, outros dramáticos e todo um conjunto de peripécias muito próprias e bem construídas. O enredo principal é a viagem dos três personagens já referidos na sua busca para derrotar o Lorde das trevas, Darken Rahl. Este também assume grande destaque ao longo da temporada, acompanhamos a sua visão também, apesar deste ter destaque as suas motivações podiam ter uma maior apresentação, no entanto não é nada de grave.

Existem alguns episódios realmente cativantes, por exemplo o 8, 9 ou 11. Alguns são cativantes pela história que nos é apresentada, outros pela excelente categoria técnica que apresentam. De facto a parte técnica é brilhante e comparando com Merlin, outra estreia do género no ano de 2008, Legender está realmente muito acima. Viram Senhor dos Anéis? Então podem esperar uma categoria técnica muita próxima nesta série. O guarda-roupa está muito bom, que é algo que costuma pecar neste género de produções. As vilas, aldeias e os castelos apresentam-se verosímeis. Os efeitos especiais estão muito acima da média para séries. Todo o mundo é rico e vibrante, as paisagens são lindas e dão vontade de ir passar férias à Austrália, que é onde é filmada a série. Todo o mundo em que se desenrola os episódios é bem construído e tem um efeito imersivo que é muito agradável.

Esta é uma série que recomendo porque junta tudo o que de bom o género pode oferecer. A aventura e acção bem desenvolvida que já eram visíveis em Xena mas junta-se o incrível visual de Senhor dos Anéis. É uma série que vicia, que dá vontade de ver mais e mais. Não percam mais tempo, Legend Of the Seeker é o melhor que a fantasia tem para oferecer desde Senhor dos Anéis. Magia, Aventura, Romance, incríveis seres e um mundo rico e detalhado são coisas que vos esperam em Legend Of the Seeker. Além disso sendo uma série com um desenvolvimento de muitos episódios e temporadas, que poderá ter, podemos ficar desde já agarrados às personagens.

Este review foi escrito por Tiago Duarte, visitante assíduo e participativo do Portal de Séries.