Nursie Jackie (1.03/1.04) – Chicken Soup / School Nurse

Julho 2, 2009

nurse 3Como me atrasei um pouco nos reviews de Nursie Jackie resolvi fazer o review dos episódios três e quatro em conjunto. O episódio tem início em ambiente familiar e com uma cena que já vem sendo habitual apesar de a série contar apenas com três episódios, trata-se de Jackie em busca das drogas, desta vez com pouca sorte uma vez que o seu último comprimido acaba por ir pia abaixo. Rapidamente Jackie tenta arranjar solução, mas acaba sendo interrompida pelo marido que revela não só a preocupação com a filha mas como o desejo de ir buscar Jackie ao hospital para almoçarem juntos, Jackie meio que apavorada acaba se desculpando, convencendo-o a remarcar a data. Para complicar ainda mais o dia de Jackie esta fica a saber que Eddie corre o sério risco de vir a ser substituído por um robô, Pyxis, ou seja cada medicamento que sair terá de ficar registado assim como a pessoa que o retirou, mais uma complicação para o vício de Jackie. Quem continua a proporcionar bons momentos cómicos é a estagiária, uma personagem cómica, em todas as aparições traz sempre consigo uma situação cómica, desta vez trata-se de um novo estetoscópio oferecido pela mãe que acaba sendo resgatado pela Dr. O’Hara.

Outra personagem caricata é o Dr. Coop, as cenas em conjunto deste com Jackie são sempre momentos bem passados, a sua maneira de encarar Jackie é cómica e esta personagem promete, pode ser que num futuro próximo tenha mais minutos por episódio. Relativamente aos casos clínicos temos três que nos são apresentados de forma rápida, um trata-se de um paciente à beira da morte que se recusa a receber mais tratamentos e em vez disso resolve comer canja de galinha. Outro trata-se de um paciente que sofreu “agressão” do seu próprio gato, por ultimo trata se de uma casal de jovem que inicialmente tudo apontada para uma primeira gravidez mas os resultados demonstram uma dependência de opioídes. Quando o mundo da droga fechava a porta a Jackie, alguém resolve abrir uma janela. Jackie descobre que a internet pode ser uma boa aliada do seu vício. Um episódio razoável de Jackie, apesar de eu ter achado um pouco mais fraco que os dois anteriores.

Ao contrário do episódio anterior este inicia-se em ambiente hospitalar onde cedo nos dão a conhecer o primeiro caso médico, um menino que acaba de ter um acidente num parque, apesar de ter lesões nos pulmões o seu estado é estável. Um assunto que já vem do episódio passado é desenvolvido neste. Depois de vermos no fim do episódio passado Jackie falando com a filha e esta demonstrando a preocupação com epidemias de gripe, Jackie e o marido são chamados à escola e são alertados de que a sua filha pode sofrer de distúrbios de ansiedade. Jackie não reage bem à intervenção escolar na vida da filha. Zoey sofre a primeira perda, enquando Dr. Coop festeja a vida, Zoey chora a morte.

A vida dupla de Jackie está cada vez mais a colidir e as constantes ofertas de boleias e visitas ao hospital tornam se um perigo para Jackie. O’Hara já encostou Jackie contra a parede com uma pergunta mas Jackie acaba por não responder à questão.Agora a vida dupla também tem direito a telemóveis duplos, mais vale ter um para cada caso não vá o marido ou o amante desconfiado resolver fazer uma vistoria ao telemóvel e descobrir todos os desfalques amorosos. Um episódio de qualidade comparável ao anterior, talvez com menos momentos cómicos que no passado, mas mesmo assim deu para entreter e passar um bom momento na companhia de Jackie e restante equipa, como não podia deixar de ser destaque para Zoey e Coop como os bobos da corte.

Nota ep.3: 8,3

Nota ep.4: 8,1


Weeds (5.04) – Super Lucky Happy

Julho 2, 2009

504Nancy está muito entretida a jogar “A grande explosão do Búfalo” quando Andy começa a importunar-lhe para irem embora, é aí que Andy percebe que Nancy está com ciúmes de Jill e que ela gosta dele. Assim sendo, Nancy vai chamar os seus filhos e voltam para casa. Todos se juntam na sala com Esteban, passando assim a conhecer os filhos de Nancy. Esteban convida a família a viverem com ele, pois tem a confirmação de que o filho de Nancy é o seu filho, mas estes rejeitam o convite. Depois de Cesar e Sucio, Ignacio é o próximo guarda de Nancy. E ri-me bastante quando Ignacio dá um choque em Andy, deixando-o paralisado e urinado. O professor de Shane fuma calmamente no jardim da escola e pede-lhe mais produto, tendo 4000 dolares disponíveis para esse fim. Andy vai para a garagem fazer exercício físico e Ignacio diverte-se a ver um filme no computador.

Quem está de volta, quem é ? Celia! E quer ficar a viver em casa de Nancy, só que esta não deixa. Doug e Silas tentam alugar uma loja para venderem a sua erva mas a dona, ao saber sobre o produto que será vendido, recua e manda-os embora. Ignacio leva, inconsciente, para dentro de casa, o agente federal que os andava a espiar. Mas engraçado mesmo foi quando Nancy dá um choque em Ignacio, para impedir que este mate o agente na sua banheira. Assim, Roy e Ignacio ficam presos, amarrados à cama, enquanto Nancy tenta decidir o que fazer e tem a confirmação que foi Roy que matou Sucio. Celia volta, com esperanças de ficar alojada no sofá da varanda, mas é posta fora de casa por Nancy, que lhe atirava fósforos. A falta de amizade e compaixão destas irrita-me imenso mas enfim.

Andy, para ganhar dinheiro, faz se passar pelo seu falecido irmão, Judah, mas sem sucesso. Enquanto isso, Nancy continua indecisa sobre quem há de soltar, Ignacio ou Roy. Doug e Silas, e o polícia, alugam finalmente o espaço para o seu negócio, após o polícia ter chantageado a senhoria. Andy encontra-se à beira-mar com a funcionária do banco, Margaret, que havia namorado com Judah, e para ter acesso ao dinheiro que tanto deseja só tem de sair com ela. Esteban vai a casa de Nancy e mostra que fará tudo para proteger a vida que eles “escolheram”. Os dois vão passear na praia, fazendo assim uma cena bastante romântica mas onde se conclui que aquilo não foi o que Nancy escolheu. O episódio termina com Andy a montar o berço de bebé zen, que Esteban ofereceu a Nancy, no início do episódio.

Nota: 8.1


Weeds (5.03) – Su-Su-Sucio

Julho 2, 2009

sucioNancy faz de tudo para irritar Cesar, o seu guarda-costas, e como vingança, Cesar, arranja-lhe um novo protector – Sucio, que tem um cheiro muito “masculino”. No acampamento de rebeldes, Celia continua a chefiar e a ficar cada vez mais à vontade. Andy volta a casa, após uma pequena estadia em casa da irmã de Nancy – Jill – irmã essa com quem ele teve uma aventura sexual. Nancy sofre uma hemorragia e vai, com o Andy, ao médico de Esteban. Quem também voltou a casa foi Silas, depois da sua aventura no bosque à procura dum local para cultivar erva, e vem com grandes planos, abrir uma loja de marijuana com fins medicinais. Após muita bajulação e misericórdia, lá consegue convencer a sua mãe a financiar o seu projecto. Já que todos voltam a casa, quem também retorna é Shane, acompanhado da sua tia, pois esta estava a ser vítima de chantagem por ter feito sexo com Andy e Shane ter gravado a cena.

Andy e Jill não perdem tempo e dirigem-se para o quarto para fazerem sexo, deixando Nancy estupefacta. Doug e Silas vão tentar legalizar o seu projecto mas para que isso se concretize precisam da aprovação dum agente da lei. O jantar é marcado por recordações e memórias embaraçosas e engraçadas. Doug e Silas conseguem um acordo com um polícia e ficam assim mais perto de abrir a sua loja de erva. Nancy obriga Sucio a tomar banho mas quando volta, para lhe emprestar a esponja, vê que ele desapareceu, deixando um rasto de sangue. Com medo, vai com Shane chamar Andy e Jill, para irem embora daquela casa que se havia tornado insegura, e para isso, aguarda cordialmente em frente à porta, que o casal acabe o “serviçinho”. Celia acorda num autocarro e percebe que foi enviada para o Texas. A cena final, quando as irmãs estão a discutir, foi bastante interessante, pois resolveram alguns assuntos que haviam ficado pendentes e incompreendidos desde o passado, fazendo assim as pazes. Quando finalmente arrancam, vêmos que estes estão a ser observados pelo agente da DEA.

Nota: 7.7


Dexter (1.01) – Dexter [FOX PT]

Julho 2, 2009

Dexter - 1.01Tonight’s the night. And it’s going to happen again, and again. It has to happen.

Dexter é uma das séries mais aclamadas da televisão americana. A vida de um analista de padrões de sangue que, nos tempos livres, é um serial killer tornou-se um vício para os americanos. Eu já vi as três temporadas, mas é sempre com muito gosto que revejo uma grande criação. Com a FOX a repetir todas as temporadas, a oportunidade concretizou-se.

Logo no piloto, Dexter demonstra o que será a série. A base da série começa-se a construir, a série começa a florescer. Conhecemos Dexter e a sua vida: Com os pais adoptivos mortos, o que resta a Dexter são cinco pessoas: Debra, a sua irmã com uma linguagem muito característica, Rita e os seus dois filhos, a nova família de Dexter, e Camilla, uma personagem, que apesar de não ter um contacto muito grande com Dexter, é uma base essencial para ele, representando, em parte, a ligação entre o seu pai e ele. A outra parte da ligação é construída de duas formas: Debra, obviamente, e o código pelo qual o serial killer se rege. Para além destas bases, Dexter trabalha como analista forense na esquadra da polícia de Miami, o que faz com que conheça a mente de um polícia e que não seja apanhado.

Outro pormenor deste episódio foi a descoberta do modus operandi de Dexter. Dexter, desde pequeno, como é possível ver nos vários flashbacks da série, mostrou a ânsia de matar. Também não demonstra sentimentos, algo que se deveu a um acontecimento em criança, até agora desconhecido. O seu pai tentou dar uma humanidade a estes defeitos, tentou faze-lo útil. Assim, começou a encaminhar o defeito de Dexter para corrigir os defeitos da sociedade. Construiu para Dexter um código, segundo o assassino se rege. O analista forense tem como função limpar os erros da sociedade, matar as pessoas que fogem a teia da justiça. Dexter corrige a sociedade.

De resto, o primeiro episódio serviu para construir a base da temporada. O assassino, ainda sem nome dado, que mata as suas vítimas, não deixando gota de sangue é o novo enigma de Dexter. As pistas estão a descobrir-se aos poucos. Dexter mantém uma relação próxima com o novo pesadelo de Miami, que já deixou um rasto de corpos, como é perceptível por ter sido ele a encontrar a cabeça e o assassino ter colocado o corpo cortado dentro do seu frigorífico. Esta será a base da temporada, a procura do assassino. O jogo já começou. E Dexter vai joga-lo.

Para acabar, dizer duas coisas. Primeiro quanto as notas dos episódios. Como já vi a série, conhecendo os acontecimentos futuros, nunca conseguirei abster-me destes acontecimentos. Tentarei minimizar isso, mas as notas serão sempre influenciadas pelo encaminhamento que a série terá. Mas é sempre interessante verem as peças a montarem-se, o puzzle a construir-se. E, mesmo já tendo visto todos os episódios, a série ainda me conseguiu surpreender. Quanto ao segundo pormenor, é sobre a passagem do episódio na FOX. A ideia da FOX de repetir a série é de louvar, mas não posso deixar passar um erro de palmatória que ocorreu durante a reprodução do episódio. Como é habitual em Portugal, as séries transmitidas em canal cabo têm dois intervalos, dividindo-se o episódio em três partes. A FOX errou, pois passou o episódio de forma descontínua. Primeiro passou a primeira parte do episódio, depois passou para a terceira, e a parte final é que foi a segunda. Para quem começou a ver a série, este erro não teve muitas consequências, pois o episódio não perdeu sentido. Mas, para quem está a rever a série, sentiu a falta de algo. Um erro que espero que não se venha a cometer.

Chamo-me Dexter, Dexter Morgan. Não sei o que me fez como sou, mas o que quer que tenha sido, deixou um vazio em mim. As pessoas fingem muitas interacções humanas, mas eu acho que as finjo todas e finjo-as muito bem. E é este o meu fardo, suponho.

Nota: 9


Julho será o mês dos MEGA PASSATEMPOS! Saiba o que poderá ter!

Julho 2, 2009

Sem títuloAinda agora entrámos no mês de Julho e este já começa a ser apelativo para os visitantes do Portal de Séries. Desde os quatro livros do primeiro volume de Sangue Fresco que já não temos um bom passatempo, mas isso está prestes a mudar! A FOX de Portugal e o Portal de Séries intensificaram a sua parceria e, como tal, o grupo FIC disponibilizou cinco DVDs de séries para sortear. Como se isso já não bastasse, o Portal volta a fazer mais uma parceria com a editora de livros Saída de Emergência, que no dia 10 de Julho vai lançar o segundo livro que deu origem à série True Blood, sendo que esta ofereceu três exemplares para também fazer um passatempo no site.

Depois de pensar um pouco como seriam distribuidos esses oitos maravilhosos prémios, chegámos à conclusão que devíamos dividir em três packs, sendo que cada um será sorteado por semana. Desse modo, os prémios e as datas dos passatempos são os seguintes:

5 a 11 de Julho – Primeira Temporada de Brothers and Sisters + Quarta Temporada de The Simpsons + Livro de True Blood (Dívida de Sangue)

12 a 18 de Julho – Primeira e Segunda Temporadas de Bones + Livro de True Blood (Dívida de Sangue)

19 a 25 de Julho – Quarta Temporada de Lost + Livro de True Blood (Dívida de Sangue)

Para aqueles que já querem ir preparando a sua participação, os passatempos vão decorrer da seguinte forma:

Se quiseres concorrer para o de 5 a 11 de Julho, deverás responder com um texto, no mínimo 50 palavras, ao seguinte desafio: Imagina que Brothers and Sisters e True Blood juntavam-se para um episódio (crossover). Explica como seria esse episódio!

Se quiseres concorrer para o de 12 a 18 de Julho, deverás responder com um texto, no mínimo 50 palavras, ao seguinte desafio: Imagina que Bones e True Blood juntavam-se para um episódio (crossover). Explica como seria esse episódio!

Se quiseres concorrer para o de 19 a 25 de Julho, deverás responder com um texto, no mínimo 50 palavras, ao seguinte desafio: Imagina que Lost e True Blood juntavam-se para um episódio (crossover). Explica como seria esse episódio!

Os participantes podem concorrer a mais que um passatempo, mas apenas pode enviar um texto por cada um. Esses só poderão ser enviados entre as datas que estão acima, respectivamente para cada passatempo. Os vencedores serão divulgados no dia após o término de um dos três packs. É importante relembrar que apenas pessoas de Portugal podem participar!

Boa sorte a todos e não se esqueçam que os textos enviados fora das datas acima publicados serão desclassificados! No dia do início de cada passatempo voltarei a relembrar o mesmo.

Eu, como administrador do Portal de Séries, deixo o meu grande obrigado às duas patrocinadoras mencionadas acima!


Heroes: Claire com romance lésbico?

Julho 2, 2009

claire_bennet_heroesO Ausiello mais uma vez lançou uma carrada de spoilers sobre as séries mais famosas da actualidade e Heroes foi uma delas. Quando perguntado se é verdade que a Claire vai ter um romance com a Annie, nova personagem interpretada por Rachel Melvin, ele respondeu:

É mais ou menos verdade. Não tenho a certeza se será uma relação muito séria, mas eu posso confirmar que elas se irão juntar numa pequena experiência lésbica. Pelo menos é esse o plano.

Entretanto, Ausiello ainda falou sobre um outro assunto envolvendo a actriz que dá vida à Claire:

Hayden Panettiere insiste que os rumores de que ela tentou acabar com o seu contrato com a série no final da terceira temporada foram muito exagerados, ou seja, tudo mentira. Ela disse que adora o seu trabalho, onde está e que a série da NBC tem sido uma grande parte da sua vida. “Eu tenho feito isso por quatro anos e às vezes ficamos mais desassossegados. Eu adoro o que faço e o meu trabalho. Adoro o elenco, eles são a minha família. Eu não presto atenção a rumores como esses. É por isso que são chamados rumores: porque realmente o são.“, adicionou Panettiere.


Chuck – Segunda Temporada (2008)

Julho 2, 2009

ChuckPrimeiro, e antes de começar a escrever sobre a temporada, tenho de dizer o porque do atraso do review. Começou a dever-se pela falta de confirmação da renovação da série, pois se ela fosse cancelada queria dar uma última homenagem a série. Após a renovação confirmada, os reviews foram deixados de lado, devido ao exame. E, quando o exame passou, quando já ia escrever, lembrei-me “E que melhor homenagem a esta temporada do que o review dela ser o meu 100 post” (viram como consegui colocar aqui esta informação? Se calhar devia ser mais subtil, mas prontos…eu da próxima tento). E assim ficou. Mas vamos ao que interessa.

Após uma primeira temporada que sofreu, e muito, com a greve dos argumentistas, a segunda temporada que retrata a vida de Chuck vem demonstrar a verdadeira qualidade da série, já vista na primeira. Foram 22 episódios excelentes, com um trama muito bem construído, com uma narrativa compacta, com momentos de humor muito bons. Foi uma temporada Chuckesiana, uma temporada que representa bem a personagem principal da série. O começo foi o adiamento do maior problema para os espectadores, mas o sonho mais desejado por Chuck: a construção de um novo Intersect. Não se concretiza, mas este episódio serviu como o princípio para a temporada, com a apresentação da base da temporada, Fulcrum.

A partir daí a temporada foi-se construído harmoniosamente. Cada episódio avança a acção principal, mais uns que outros. Mas o que foi conquistando os espectadores foi a constância de qualidade da série. Apesar de ter episódios melhores que outros, a temporada nunca desceu do bom, sendo este bom constituído por um/dois episódios. De resto, todos os episódios foram muito bons, outros excelentes e outros a roçar a perfeição. Nada foi descurado na série, todas as expectativas não foram, no mínimo, rogadas e, para aqueles que não esperavam algo de extraordinário, foram superadas.

Quanto as características que Chuck têm, não podiam ser melhor misturadas. A série prometia acção, teve acção que sobra. A série prometia drama, não se pode queixar de falta dele. A série promete humor, a série dá humor. Cada característica é misturada com mestria, como uma receita que se vai adaptando a cada episódio. Cada episódio se foca numa delas, mas nenhum descurou nenhuma delas. O humor, se não estava presente nas missões de Chuck, arranjava sempre espaço com a gente de Buy More. Foram eles, que em alguns episódios, conseguiram tornar o episódio maisalg_chuck leve. Lester e Jeff, principalmente estes dois, mas também Morgan, conseguiram mostrar que numa loja de electrodomésticos é possível fazer o impossível, é possível fazer o ridículo. Sem Buy More, sem Jeffster a série não seria a mesma, nem teria a mesma qualidade. Sem quebrar o ritmo, são eles que trouxeram, durante esta temporada, as pausas necessárias. O resto foi aparecendo subtilmente. A série respira estas três características, e foi aqui que ela descobriu a chave para o cofre do sucesso.

Outro aspecto que tornou a segunda temporada de Chuck uma temporada quase perfeita foi a utilização das personagens fora do elenco principal. As várias participações que a série teve foram sempre bem utilizadas, foram utilizadas para dar um avanço na acção, e não só para fazer um episódio centrado nos convidados. Os convidados não se tornaram o tema principal do episódio, mas sim a acção. Exemplos são vários, mas os mais notórios foram o pai de Chuck, primeiramente conhecido por Orion e depois por Steve. O segundo exemplo foi de Jill. Este exemplo é o melhor que a série tem. A entrada de Jill foi preparada desde o primeiro episódio da série, a sua personagem foi sempre referida, e ficou na mente. Não foi uma entrada à força. Foi uma entrada ponderada, preparada durante muito tempo. A entrada de Orion também foi muito bem programada. Nada foi deitado cá para fora sem a preparação mínima.

Quanto a personagens fixas, todas tiveram alguns avanços. Começando por Ellie e Awesome, o casamento lá aconteceu, após vários imprevistos. Tudo o que foi sonhado pela irmã de Chuck concretizou-se. O seu pai levou-a ao altar. Depois temos Sarah e Chuck. O casal lá vai tendo os seus avanços e recuos, mas a temporada foi mais propícia para avanços. A relação avança devagar, mas avança.Chuck - 1

E agora vi-me obrigado a abrir um novo parágrafo para dedicá-lo a Casey. O actor Adam Baldwin continua a transformar Casey numa das melhores personagens da série. Cada expressão facial dá azo a gargalhadas, cada frase é uma fonte de riso. O actor entrou na pele da personagem, e a série não seria a mesma sem Casey, sem as suas interjeições, sem as suas expressões.

Desta temporada só falta falar de duas coisas, que já vinham da primeira, e que foram ainda mais notórias. Primeiro a banda sonora da série, que se tornou um ícone da série. Com uma banda sonora muito bem escolhida, Chuck tem mais um ponto em que se valorizou. Todos os temas foram escolhidos a dedo, todos entraram quando deviam. A roçar a perfeição. O segundo aspecto foram as referências a séries e filmes transactos dos anos 80. Estes tributo a cultura americana demonstram que todos os episódios foram ponderados, que tudo foi pensado ao ínfimo pormenor. A mistura das referências e a banda sonora transformaram esta segunda temporada numa homenagem a cultura televisiva e musical americana, de uma forma simples, mas que consegui atingir o propósito que tinha.

E, como isto já vai muito longo, e após a confirmação da nova temporada, o que podemos esperar dela? Sem fazer futurologia, as expectativas sobre esta terceira temporada estão mais elevadas do que as que caíram sobre a segunda. Com a introdução de poderes em Chuck, a série poderá cair num erro. Não me parece que aconteça, pois, pelo que os argumentistas demonstraram nesta temporada, tudo está pensado. A nova temporada de Chuck promete ter tudo o que esta teve, e mais um bocadinho. A espera é longa para percebermos se foi um erro terem dado poderes ao Nerd mais acarinhado da América. Mas uma coisa é certa: Chuck e Sarah continuaram juntos, o que já é uma motivação grande para a terceira temporada. Que venha ela.

45e

A opinião da Filipa:

O que dizer de Chuck e da sua segunda temporada? Comecei a ver Chuck por simples acaso, gostei do que vi e resolvi seguir. E se na sua temporada de estreia já é demonstrada toda a qualidade de Chuck, a sua segunda temporada consegue ser ainda melhor. Chuck é das poucas séries em que acabo de ver um episódio e a desilusão não faz parte dos sentimentos, pois os episódios variam entre o muito bom e o excelente. Nesta temporada tivemos um pouco de tudo, reviravoltas, reaparecimentos e claro os momentos humorísticos que fazem de Chuck aquilo que a série é. Com uns últimos cinco episódios como sendo os melhores da temporada para mim, Chuck termina em alta, com uma excelente Season Final e um To Be Continued que acabou por se confirmar. Adorei a história do Orion ser o pai do Chuck e de finalmente o casal Chuck e Sarah avançar no seu relacionamento. Embora tenha algum receio pelos novos poderes de Chuck, pois o verdadeiro Chuck é trapalhão e necessita sempre de salvamento é essa a essência de Chuck juntamente com o seu coração de ouro. Uma nova etapa espera Chuck e esperemos que seja tão vistosa como as duas que passaram.