Terminator: TSCC – Segunda Temporada (2008)

Julho 6, 2009

logo-terminator-the-sarah-connor-chronicles

As crónicas de Sarah Connor não tiveram uma vida fácil. Desde a estreia da segunda temporada que as audiências já não ajudaria o ganho de temporada completa de 22 episódios, quanto mais uma renovação para terceira. Mas após alguns episódios a FOX decidiu dar uma segunda oportunidade e ordenou mais nove episódios além dos treze iniciais. Para mim esta não foi uma decisão acertada pois deu para perceber que os argumentistas não estavam preparados para desenvolver mais histórias e acabou por se tornar demasiado aborrecida para o meu gosto. A série teve uma primeira época bem sólida, com um grande piloto e um final que deixou um grande cliffhanger que só foi resolvido em Setembro de 2008.

O segundo ano arrancou muito bem, com um episódio de estreia cheio de acção e suspense. Essa qualidade ainda se manteve por alguns episódios, mas desde que os argumentistas souberem que tinham mais nove episódios para escrever que a série entrou por um caminho sonolento. Terminator: TSCC é um programa de acção e não um drama psicológico como deixaria transparecer. Os piores momentos ficam por conta de toda a história dos três pontos e aqueles episódios demasiado centrados na Sarah. Eu sei que ela é a protagonista e é quem dá o nome à série, mas não souberem aproveitar a personagem como deveriam. Enquanto que a Sarah foi uma personagem que decresceu, John Connor tornou-se mais adulto e responsável, embora continue a ser um miúdo que me desperta alguma raiva.

Quanto ao elenco, pode-se dizer que este tem altos e baixos. Eu considero o Thomas Dekker (John Connor) um bom actor e ele cresceu juntamente com a sua personagem. Já Lena Headey (Sarah Connor) parece que foi prejudicada pelas péssimas storylines que os argumentistas arranjaram a ela. Brian Austin Green também não convenceu totalmente no papel de Derek Reese, ao contrário de Summer Glau, que demonstra mais uma vez o porquê de ser uma das actrizes mais talentosas da sua geração. Shirley Manson, que pela primeira vez aventura-se na representação, conseguiu construir bem uma Catherine Weaver destemida e diabólica. Quanto a personagens ainda mais secundários, questiono-me quem será o mais chato da temporada: Richard T. Jones (James Ellison) ou a Leven Rambin (Riley Dawson)?

Por fim, não podia deixar de falar do final. Se fosse um final de temporada, esse final teria sido excelente, deixando uma porta aberta para uma terceira temporada que tinha tudo para ser a melhor. Contudo, foi um final de série e tendo isso em conta, devo dizer que fiquei muito desapontado. Além de desapontado, fiquei chateado com o criador da série, Josh Friedman, pois como é que alguém no seu perfeito juízo vai pensar em deixar um cliffhanger enorme quando a série tem 1% de ser renovada? Caramba, custava muito ver que as audiência impossibilitavam a renovação de uma série com um alto orçamento como essa? E depois vêm para a Internet dizer como pretendiam continuar a história! Se quisessem que os fãs soubessem como acabaria, dessem um final decente, nada mais!