Dollhouse – Um olhar sobre a série

dollhouse

Falar de Dollhouse e da sua primeira temporada é um processo bastante complicado para mim, isto porque possui demasiadas nuances que é preciso focar, correndo, eu, o risco ou de deixar coisas importantes por se dizer, ou então estender-me em demasia e acabar por produzir uma opinião que se torna demasiado subjectiva e desinteressante. Mas Dollhouse precisa de ser comentada, e é preciso eu estender-me a falar dela, por isso aviso desde já que não me vou conter, mas manter-me-ei afastado de spoilers o mais possível.

Dollhouse era provavelmente uma das séries mais esperadas dos últimos anos. O nome do seu criador, Joss Whedon, sozinho, conseguia levar muita gente a roer as unhas de ansiedade. Joss Whedon era o criador de Buffy: The Vampire Slayer, uma das maiores séries de culto de sempre, e de Firefly, uma das séries Sci-Fi mais amadas da televisão. Firefly foi um fracasso de audiências na FOX. Esta recusou-se a transmitir o piloto de duas horas, trocou a ordem de exibição dos episódios e nem transmitiu o último episódio, sendo a série cancelada após 12 episódios exibidos. No entanto o DVD de Firefly vendeu muito bem, a série recebeu fortes elogios e tornou-se numa das melhores peças de Ficção Cientifica que apareceram na TV. Joss Whedon mantinha assim um nome de respeito e uma legião ansiosa pelo seu próximo projecto.

Podem adivinhar que quando Dollhouse foi apresentada o Hype, o interesse à volta da produção foi enorme. E era o regresso de Whedon à estação que o tinha maltratado, a FOX, o que admirou muita gente. Neste caso de Dollhouse não entrego a culpa toda à FOX, Joss Whedon é um ser humano, e como tal sujeita-se a falhas como qualquer outro, e neste caso Whedon falhou. Uma série não é um filme, para um filme aguentar o hype é mais fácil, porque são duas horas, as pessoas se sentirem curiosidade assistem ao filme, não têm de acompanhar de semana a semana, o dinheiro do filme fica assim ganho. Uma série para aguentar o hype é muito mais complicado, porque depois de dois ou três episódios que desiludem, as pessoas desistem da série.

eliza-dushku-dollhouse-2Whedon é um génio, mostrou já que consegue fazer um brilharete e mudar de género de projecto para projecto sem perder a sua qualidade enquanto argumentista. No entanto é a prova viva que algumas más decisões podem realmente arruinar um estatuto, podem arruinar um projecto, arruinar uma série. A estas más decisões acrescentem uma FOX que é neste momento um dos canais que pior promove as suas séries e que pior tratamento lhes dá.

Com Dollhouse Whedon errou. Os seus fãs estavam habituados a personagens marcantes, diálogos apurados, histórias intensas e um desenvolvimento de personagens muito bom. Em Dollhouse os primeiro 6 ou 7 episódios são fracos, a premissa está lá, o talento está lá e o potencial também, no entanto as fortes características de Whedon não puderam ser mostradas, isto porque no final de cada episódio se voltava ao inicio, o episódio até podia ter emoção, interesse, mas no final era como se todas as acções não tivessem consequências porque a cadeira mágica estava lá (Quem viu a série, sabe o que quero dizer). Era difícil nos unirmos às personagens, o mistério que tentaram pôr desde do início, de semana a semana perdia um bocado do interesse.

Não admirou por isso que as criticas começassem a surgir. Uns atiraram-se a Whedon, perderam a fé nele, diziam que perdera as características que faziam as suas séries únicas. Como se diz, quanto mais alto se está maior é a queda. E neste caso muitos era os que tinham as expectativas no topo e depois bateram de cara no chão. Na minha opinião dou os meus parabéns a Whedon pela capacidade que tem em mudar de género de série para série. No entanto compreendia o que os antigos fãs sentiam, a série, como referi, parecia ter tudo que era necessário, os valores de produção, o ambiente, etc, no entanto faltavam os traços de Whedon e isso era inegável. Daí apareceram as críticas ao elenco, a Eliza Dushku, a Tahmoh Penikett. A comparação de personagens com personagens de Buffy e Firefly surgiram também, dizendo-se que estas eram como imitações mal feitas.

Outros criticaram a FOX, dizendo que esta tinha voltado a fazer o mesmo que em firefly, dizendo que novamente lhe tinham estragado o episódio piloto e que davam à sexta-feira a série e não apostavam nela. Isto é verdade, mas só até certo ponto. Já vi o piloto não transmitido e não creio que a FOX tenha feito tão mal assim em não o transmitir. As cenas cruciais desse episódio aparecem em episódios mais à frente, e esse piloto não estava coerente, Joss Whedon, talvez para não fazer o mesmo que em firefly, despejou a informação toda em 45 minutos, e foi novamente cortado pela FOX. Se esse episódio tivesse vindo ao ar a primeira temporada teria sido substancialmente diferente pelo que não vou avaliar esse piloto. A série tornou-se o que é porque o primeiro episódio exibido foi o Ghost.

Como referi os primeiros 6 ou 7 episódios desiludem, creio que desilude toda a gente, é inegável. Novamente Whedon nesses episódios tentou contrariar o que levou a FOX a cancelar Firefly, e pôs episódios desconexos, em que se passava imediatamente para a acção da semana e não era dada atenção ao enredo geral, não era dado interesse às personagens. Por esta altura do sétimo episódio muita gente tinha tido já vontade de desistir, as audiências eram miseráveis, o cancelamento parecia inevitável, e parecia pouco provável que a fé em Whedon trouxesse melhorias significativas. Mas a verdade é que a série realmente melhora muito, a partir do nono episódio temos a série a começar em força, até ali tinha sido muito tempo perdido, mas a fé era recompensada e finalmente se começava a ver uma série à Joss Whedon. Podem apontar para o melhoramento da série com a entrada em cena do actor Alan Tudyk, sem dúvida uma das maiores mais-valias da série e um velho conhecido de firefly.

dollhouse-cast-promo-picOs últimos episódios têm realmente um ritmo alucinante, cheios de acção, com muitas revelações e finalmente a ver-se os acontecimentos resultarem em consequências. Começamos a ver um desenvolvimento de personagens, estas deixam de nos parecer tão planas e cliché e começam a valer por aquilo que são. Os episódios 9,10,11,12 apresentam já uma série de alto gabarito e algo que devia ser visto por muita gente.

No entanto a FOX não mostra o episódio 13, pelo menos não logo de seguida, pelo que, apesar da melhoria eram poucos os que esperavam muito mais da série do que aqueles episódios. Até que surge o episódio 13, este pode parecer um bocado desconexo dos restantes episódios, mas é uma obra de arte, e no fundo dá um rumo completamente novo à série. É daqueles episódios pelo qual vale a pena os episódios menos bons, em 49 minutos a série catapultou-se para um outro nível, e a curiosidade por uma segunda temporada atingiu o máximo que seria possível. Tudo muda nesse episódio, e, agora que começávamos a encarar as personagens num plano mais próximas a nós, todas nos surgem em situação de perigo. A gravidade do que estamos a ver pode quase ser sentida como real. Após os episódios 9,10,11 e 12 aquela situação que estamos a ver faz sentido. É um episódio sem limites, um puro exercício de prazer, em que no fim queremos mesmo ver o que irá acontecer. Perderam o medo das temáticas de ficção científica, apostaram nelas em força no fim e finalmente a série era o que deveria ter sido desde do início, uma série de Ficção Científica, não uma série de caso da semana.

Joss Whedon e a sua equipa são realmente muito bons, apesar de terem errado, conseguiram dar a volta por cima e apresentam-nos, no final, algo que realmente vale a pena de se ver. Aqueles que mantiveram a sua fé intacta, aqueles que disseram que as primeiras temporadas de Whedon são sempre mais fracas, mas depois consegue ser muito bom, viram que tinham razão. Os que tinham desistido da série precisam de dar uma nova oportunidade, acabar a temporada, ver realmente a boa televisão que Dollhouse conseguiu, no fim, ser.

Nada apaga o inicio fraco, mas o esforço da equipa de Dollhouse em tentar sair por cima e fazer da série algo de diferente e não apenas mais uma que vem e vai é de louvar e aplaudir.

Podem contar com os reviews da segunda temporada feitos por mim, e podem contar com um espírito critico que se desiludiu como outra pessoa qualquer com os primeiros episódios e não tem medo de dizer que a série não foi nada boa no início.

0 respostas a Dollhouse – Um olhar sobre a série

  1. LR diz:

    É verdade, a série nos seus primeiros episódios está um pouco frace mas as coisas vão melhorando e foi no episódio Briar Rose (1×11, o melhor da temporada para mim), com a entrada de Alan Tudyk, que as coisas deram uma grande volta. Agora estou com boas expectativas para a 2a temporada, vamos lá ver se não sou desiludido…
    btw Boa crítica!

    • Tiago Duarte diz:

      Sim o aparecimento do Alan Tudyk foi o melhor que podia ter acontecido à série. Eu também espero bastante da segunda temporada, parece que Whedon encontrou um equilibrio com a FOX, e que pode trabalhar em paz. Tenho um sentimento que não me vou desiludir🙂

  2. João diz:

    Gostei muito desta dissertação sobre a série, parabéns asertrhnb

    Eu sempre fui um grande adepto desta série, mesmo quando os episódios eram um pouco fracos e descabidos.. Devo confessar que do episódio 13 não gostei porque deixou-me completamente à nora xD

    • Tiago Duarte diz:

      O episódio 13 muda tudo, é incrivelmente bem construído e um cliffhanger muito muito bom, agora a verdade é que deixa qualquer um à nora, mas isso é bom

  3. Eu ainda só vi quatro episódios, por isso não gostei muito do início da série. Mas devo ver o resto antes da season 2.

  4. cristiano diz:

    Sem palavras mesmo. Está tudo dito e concordo totalmente em tudo o que abordaste!
    Estou confiante que aprenderam com os erros da primeira metade da temporada e que Dollhouse se vai tornar uma série de topo. Assim o esperamos todos claro! ( O elenco vai aumentar de qualidade, esperemos que a série se torne do mesmo calibre que o mesmo ).
    Queremos Alan Tudyk aparecer mais vezes asf4d54f

    • Tiago Duarte diz:

      Sim Alan Tudyk foi realmente quem mudou a série. Na segunda temporada podemos contar também com Summer Glau, que para os fãs saudosistas como eu de firefly é também uma boa noticia

      • cristiano diz:

        Ora nem mais, o elenco está a enriquecer, Jamie Bamber parece que também vai subir ‘à nave’😀
        Mas relativamente a Summer Glau em, a tal que eu também sou um fã saudosista – Firefly -, aquele final do filme Serenity, ela esteve UAU!

  5. lorZ diz:

    Não gostaste do episódio 6, Man on the Street?😐
    Para mim foi o melhor episódio da 1ª temporada de Dollhouse, pelo menos dos 12 episódios exibidos.
    Quanto ao pilot que não foi transmitido pela FOX, não concordo contigo, eu acho que se tivessem deixado o Joss Whedon trabalhar como queria a partir desse pilot então talvez a 1ª temporada de Dollhouse não tivesse tido tantos altos e baixos.
    Quanto ao episódio 13, adorei e deixou-me curioso para ver a 2ª temporada de Dollhouse para ver como é que chegam aquele ponto da história.

    • Tiago Duarte diz:

      Sim, o episódio 6 é aquele que parece realmente conectado com a história principal. Mas é como digo, no fim tudo volta ao mesmo, parece que toda a acção não tem consequências. é um episódio que se acaba por perder porque nem antes nem nos dois a seguir se desenvolve o que o episódio indicava ser possível.
      Não achei o piloto muito bom, acho que estava demasiado confuso e denso, mas é como digo é impossível avaliar o que poderia ter saído da série, caso aquele piloto tivesse ido ao ar. e é impossível comentar o que a série foi com base naquele piloto.
      O 13 muda tudo, espero que se dê continuação àquele brilhante episódio 13 que é o que acho que vai acontecer, se aquele episódio se mostrar sem consequência para a segunda temporada era uma enorme banhada para toda a gente

      • lorZ diz:

        Pois, mas o episódio 13 avançou quantos anos na história? Aquilo é 20 anos depois ou coisa parecida, não é?
        E a 2ª temporada de Dollhouse vai continuar a partir do episódio 12, não é do 13, pelo que eu percebi do que li nalguns sítios na internet, logo não estou mesmo a ver como é que vão conseguir avançar tanto tempo na história em apenas uma temporada de 13(?) episódios.

      • Tiago Duarte diz:

        também nao sei. Mas entraste em profundos spoilers agora. xD esperemos pa ver

  6. yuri diz:

    eu nao tinha a menor expectativa por essa serie, mesmo carregando o nome do jw como responsavel. mas me convenceram a assistir e nao me arrependi. os primeiros eps sao meio parados mesmo, mas discordo quanto à parte de que td voltava ao incio no fim de cada episodio, pq geralmente havia alguma ação da dollhouse q permitia ao agente do fbi chegar mais perto de descobrir td. devo concordar que o salto de qualidade nos ultimos episodios é notavel e q a entra do Alan tudyk foi uma otima aquisição para o elenco.

  7. Calado diz:

    Infelizmente ainda não me convenceu a série. A história tem sido mal aproveitada na minha opinião. Podia se fazer algo grandioso com esta série. Mas acredito que muito se deve ao caso da semana.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: