Greek (3.03) – The Half-Naked Gun

snapshot20090916210331Comentei que a trama do “Gotcha Game” tinha sido mal explicada e aproveitada, porém pude  entender o por que. Num de seus episódios mais engraçados,Greek consegue reinventar suas tão corriqueiras festividades. Num jogo interativo, cada participante tem um alvo específico a eliminar, assim descobrimos que ainda restam 20 competidores na brincadeira, entre eles: Rusty,Calvin, Beaver e três garotas da ZBZ. Rusty e Calvin apesar de viverem em fraternidades diferentes, sempre tentam preservar a amizade, porém quando colocamos armas,dardos e alvos no meio,alguém sempre sai ferido. Eis que o alvo do Spitter é Calvin, ou seja, BANG- Eliminado! Ironia do destino, Rusty pega o alvo que seria do amigo e eis que surge a grande surpresa: Jordan deverá ser colocada em sua mira. Desde então senti que isso seria muito interessante de se ver,considerando que os pombinhos estavam tentando dar o famoso ” próximo passo na relação”. Como o próprio Cap diz ” Being a geek save your life“, justificando assim o fato dele ter sido o único sobrevivente da casa. Dilemas a parte, os garotos o aconselham a acabar logo com essa história, mesmo tratando-se de Jordan, para que eles faturarem a tão desejada recompensa em dinheiro. Cap realmente rouba a cena algumas vezes com seus insanos comentários, a exemplo da excelente imitação das famosas vozes grossas dos trailers de filmes ou seriados de tv: The begining of the end is starting: now, again…this summer“.

Considere os momentos a seguir como os melhores já vistos, recheados de criatividade e sutileza entre as cenas, mostrando extrema continuidade e fluidez. Rusty reluta em “Gotcha your love and win the game“, porém o tabuleiro muda de posição, quando este descobre que sua amada é a misteriosa Jekyll (homenagem a história do Médico e o Monstro), que transforma a relação dos dois, como já dito no site da ABC family:  “Começando como os Montagues e Capuletos e terminando como o casal assassino, Sr. e Sra. Smith), mostrando que Greek ainda se inova em termos de analogias. Toda aquela cena do guardião Cap evitando que Rusty leve o “tiro” , junto a intromissão de Becks como guardiã de Jordan foi simplesmente fenomenal. Inevitável não rir com eles juntos em cena, esbanjando interação e diálogos cômicos. Como se já não bastassem esses risos, vemos os garotos na KT preparando o “armamento” para a batalha e creio que o destaque vai novamente a Cap, vulgo Morpheus (Trilogia Matrix), com a famosa cena das pratileiras de armamentos e as escolhas que Rusty deverá fazer dali pra frente, só faltou o momento da pílula azul e vermelha. Mesmo tentando emboscar J.J, os pombinhos conseguem se distanciar de toda a confusão para terem um momento juntos. Jordan cresceu muito na minha opinião e definitivamente nesta temporada, firmou-se como personagem regular, mostrando excelente química com Rusty, nitidamente mostrada nos momentos tensos entre eles no apartamento, toda a desconfiança, cheia de movimentos leves e mãos escondidas. Jordan prova que mulher possui todas as munições necessárias, convencendo- o a ceder, depois que esta tira a roupa em “busca de trégua”. Acho que todos entendem o que acontece, “Gotcha“??

Lembro que falei muito sobre a excelente trama inicial que colocava Casey a buscar algo para seu futuro, como o estágio em Washington, que por fim das contas não trouxe o melhor dela, mas sem dúvida a fez diferente.Episódios como esses me fazem lembrar que este é o último ano dela, de Evan, de Cappie e alguns outros ali, então me pergunto: Seria esse o fim de Greek? Concordo plenamente que se a temporada terminar neste mesmo ritmo de excelentes episódios, creio que quem aprecia a série se dará por satisfeito. Voltando para Casey, foi importante vê-la descontente com seu papel na casa, relacionado a suas atividades, sendo assim assume o posto de “Diretora Social ZBZ”, tendo que enfrentar a insuportável presidente, Catherine. Na segunda temporada, principalmente no seu ínicio considerei a série totalmente repetitiva, voltada sempre a mesma temática: festa, interação dos candidatos e etc. Consideravelmente podemos perceber que a ideía do evento deste vai além do que já foi apresentado, iniciando com os jogos “Gotcha” e finalizando com a tradicional “Undie-Run”, a famosa corrida entre os alunos “vestidos” somente com peças íntimas, marca registrada nas gerações da Cyprus Rhodes. Foi bom vê-la interagindo novamente com Evan após tanto tempo distante, sendo que estes unem forças para convencer os universitários a votarem na corrida. Ainda assim, gosto de ver que mesmo decidida, Casey mostrasse totalmente insegura de suas decisões, pelas quais a marcarão por algo tão sem significancia (palavras de Catherine). Virando o jogo, provando-se uma líder nata cheia de idéias, ela realmente veste o cargo de Diretora Social, envolvendo a corrida num projeto de assistencialismo a desabrigados, unificando a “falta de roupa de uns” para “doação de roupa para outros”.  Utilizando o apelido que  Cap dá a Casey no final, consigo classificar o que achei de “The Half-Naked Gun“:  UNDIE-TASTIC.

Melhor momento 1: Cappie entrando em câmera lenta dentro do apartamento de Rusty e salvando-o de levar um “Gotcha” de Jordan.

Melhor momento 2: Evan colocando a humildade pra fora e trabalhando pela primeira vez num restaurante frequentado essencialmente pelo público gay da região, que teve como ilustres clientes o novo casal: Grant e Calvin.

Pior momento: Dale não apareceu neste, mas mesmo sentindo falta do personagem, não fazia muito sentido ele aparecer.

97

0 respostas a Greek (3.03) – The Half-Naked Gun

  1. Um excelente episódio sem dúvida😀

  2. Camila Oliveira diz:

    Nem reparei na ausência do Dale! Adoro o personagem, mas, nesse episódio não achei que ele fez falta alguma.

    O que eu acho incrível é a capacidade dessa série de sempre nos proporcionar excelentes episódios. São ótimos 42 minutos muito bem aproveitados. A cada semana eu tenho a sensação de que aquele episódio foi o melhor da série e tal, mas eis que na semana seguinte, bingo! Outro best episode ever. É a mesma sensação que eu tinha assistindo Chuck, mas isso não vem ao caso, só me lembrei…

    Agora vamos ao episódio. Desde o começo, eu adorei a ideia do jogo Gotcha porque eu lembrava de um episódio de Felicity que o pessoal dos dormitórios também jogou. A cena a lá Mr. & Mrs. Smith protagonizada por Rusty e Jordan foi, provavelmente, a que mais gostei. Por falar na Jordan, gosto muito dela e espero que fique até o fim da série. Vou torcer para ela não virar uma Jen K versão 2.0…

    Também achei legal a Casey e o Evan terem finalmente voltado a se falar e ela perguntando se ele estava andando com o Cappie, depois de um comentário engraçadinho dele. Também estou gostando do Calvin com o Gant. É interessante ver que o que eles querem num relacionamento é o mesmo que todo mundo quer, um pouco de romance. Por último, por mais que eu ache repulsivo o que o Fisher e a Rebecca fizeram, torço para a Ashleigh dar uma nova chance para ele e perdoar a Becs.

    Ah, e adorei a participação maior da Laura (ou Lauren, a legenda estava meio confusa…) e só uma pergunta. Não era para o Heath já ter se formado? Ele tinha dito para o Rusty que se formaria no meio do ano… De qualquer forma, o adoro e gostei de vê-lo novamente.

    • Reparei precisamente nesse pormenor do Heath, mas pronto xD

    • Tb achei Dale não seria de bom tom a este ! Greek assim como True Blood conseguiu para mim pessoalmente,trazer aquele gostinho de quero mais, devido aos excelentes episódios que sempre entregam,um após o outro. Tb espero q não prolonguem essa briga Ash X Fisher X Becks,apesar de magoada, ainda acredito q ela irá perdoá-los,Fisher será mais dificil creio eu, pois todos sabemos como Becks sempre foi.
      O Heath a meu ver tb deveria estar formado, alias a cronologia as vezes parece parar naquele campus rsrsrs. Greek tornou-se um hit referencial para os dramas jovens e sem duvida mostra que este universo vai muito além do que simplesmente “Glamour,Fama,Roupas,Pegações e etc”.
      Valeu pelo otemo coments…

  3. Sofyzitahh diz:

    Só uma palavra: ADOREI! O Cap é o maior, aquela cena do Matrix foi o máximo!

  4. Sérgio diz:

    greek teve um episodio faboloso, as várias referencias a filmes foram fantasticas naquele espirito de brincadeira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: