Castle (2.01) – Deep in Death

Setembro 23, 2009

CastleApesar de não ser uma Season Premiere que venha colocar Castle em níveis que consegui atingir na primeira temporada, Deep in Death consegue cumprir com o estritamente necessário.

Num episódio que costuma ser bem melhor, pois Season Premiere que se preze dá sempre um gostinho do que a série tem de melhor, este episódio de Castle serviu para duas coisas: conhecermos Nikki Heat e fechar o conflito entre Castle a Beckett. Pouco mais podemos dizer deste episódio. Primeiro porque o caso já foi batido, já foi tratado, só que por outros moldes. Segundo porque foi um caso que dominou o episódio, e não abriu com a morte da mãe de Beckett. Castle não decidiu apostar num caso especial, e o episódio saiu desvalorizado aí (apesar de nas audiências não ter saído nada desvalorizado).

Assim, temos um corpo numa árvore. A partir daí, a história foi-se escrevendo, sendo o melhor momento do episódio quando o corpo foi roubado. Ao ver esta cena pensei que o episódio seguiria outro rumo, que se tornasse mais abrangente. Mas enganei-me. Foi uma pequena fuga a monotonia, mas que depois voltou. Ocorreu mais daqueles erros que são muito comuns. Pessoa presa, pessoa solta com mais uma pista. E vamos andando assim, até chegar a um jogo de poker com um gang russo. Só aqui é que o episódio começou a ser interessante. O “jogo” de poker de Castle para descobrir o assassino é muito bem feito, mas a cena que me impressionou mais foi o aparecimento de Nikki Heat do corpo de Beckett. Excelente momento, que foi dos pontos altos do episódios.

O segundo foi o reatamento de relações entre Castle e Beckett. O pedido de desculpas é algo que já se vinha adivinhando, pois a série vive dos dois, e mais nada. Não é como em Bones, que conseguimos criar empatia com o resto das personagens. Castle é Castle e Beckett, a sua relação, as suas picardias, as suas piadas.

Foi também um episódio com alguns sorrisos a mistura, principalmente nos “pedidos de desculpa” de Castle, como o caso do pónei. Mas não foi uma pérola. Castle consegue fazer melhor.

68

Anúncios

House (6.01/02) – Broken

Setembro 23, 2009

House7They didn’t break me, I am broken.

House está de volta. Após uma quinta temporada que deixou muito a desejar, o regresso trouxe de novo um House que conhecemos. Num episódio muito bem construído, não vimos casos, não vimos pacientes, vimos uma pessoa: House. One man show.

Não vinha com muitas esperanças para este episódio. Primeiro por causa do tempo, pois não estava a ver-me 90 minutos pregado ao computador com House preso num e a um hospital psiquiátrico. Segundo porque não estava a ver House, como série, aguentar 90 minutos sem um paciente, sem um caso, sem um puzzle para o protagonista resolver. Redondamente enganei-me. E ainda bem que isso aconteceu. Pois foram 90 minutos muito bem gastos, com um episódio que me deixou preso ao computador. Pois não foi um episódio de House, foi um episódio sobre House.

House, desde a primeira temporada, pouco modificou. Teve alguns momentos que tinha mudanças, mas estas eram logo retiradas, voltava-se ao mesmo House. Até que este House atingiu o limite. Precisava-se de um novo House, de alguém mais fresco. Foi para isto que o episódio serviu. Para mostra um House diferente, um House mais verdadeiro. Pois o House do final do episódio sempre existiu. O que era é que estava sobreposto por outro House.

E é este “outro House” que vemos na primeira parte do episódio. Sim, um House em mudança, mas não em mudança do que interessa. Para quem interessa que House tome medicamentos? A consequência dos medicamentos é que mantinha a série interessante. Ou seja, na primeira parte não vemos um House diferente da 5ª temporada. É o mesmo House, só que sem medicamentos. Um House que atormenta o resto das pessoas, que não se enfrenta a si próprio. Um excelente exemplo disso é o jogo de basquetebol, no qual ele elimina todos os seus adversários usando a sua desumanidade. É um House solitário, um House “bad boy”, que não se deixa vencer pelo sistema, mas sim contorna-o para seu proveito.House3

Foi a parte mais divertida do episódio. Vimos um House sempre imaginativo, que não pára de atormentar a clínica onde está, contra a sua vontade. Vemos um House engenhoso, um House que não se preocupa quantas pessoas tem de magoar para sair da sua prisão. Vemos um House que faz de tudo para se libertar. Mas a consciência é algo que, apesar de estar bem escondida em House, está lá. E num destes “brilhantes” planos de House que tudo se volta contra ele. A consciência aparece mais que nunca, e começamos a ver um House diferente, um House que percebe que não poderá viver assim. Um House totalmente distinto.

A partir daí vemos um House mais cooperante, mais humano. Um House novo. Começa a ajudar, mas continuamos a não perder o House antigo. House, para viver, precisa de puzzles para resolver. E começa, intuitivamente, a arranja-los no hospital psiquiátrico. Tenta começar a corrigir o incorrigível. Mas é só quando dá conta do erro que consegue corrigir. O House antigo não resolveria aquele problema porque nunca iria pedir desculpa. Outra mudança para melhor.

Para além disso, vemos um House sem medo de assumir relacionamentos. E sofrer com a quebra de relações pessoais. Um sinal poderá sair daqui para a relação House-Cuddy. House está mais social, mais romântico, propicio a mais e melhores relacionamentos. Vamos ver o que sai daqui.House2

Para acabar, é interessante reflectir sobre o companheiro de quarto de House. O seu compincha dentro do hospital é igual a House, antes da saída do hospital. Pois ambos têm medo de mudanças. Pois ambos têm medo que se mudarem um aspecto, nem que seja pequeno (ou seja, começar a tomar medicamentos), na sua vida perderão o seu dom. Ambos têm medo de perder aquilo em que são bons. E ambos concluem que não poderão ficar pior do que estavam. Foi o ponto de partida para ambos. House percebe que não poderá viver sem mudança.

Antes de fechar, falar de Hugh Laurie. Com um episódio destes, Hugh pode brilhar. Uma dádiva na representação. Para quem quiser seguir teatro deverá ver estes 90 minutos do actor britânico. Também foi um One Man Show em termos de representação.

Foi um episódio que deixou água na boca para esta sexta temporada. As audiências corresponderam. Pois foi um episódio de House e não de House MD. A abertura começa por dizer isso, mas nós vamos percebendo ao longo do episódio.

93


Conheça a websérie 'The Cell'

Setembro 23, 2009

FOX - The Cell 1‘The Cell’: FOX International Channels lança 1.ª série produzida para internet, mobile e TV!

  • 20 Episódios compõem a 1.ª temporada desta produção de acção e intriga;
  • 2.ª Temporada já confirmada; estreia e emissão marcadas para Outubro com o patrocínio da Vodafone Portugal.

A FOX International Channels (FIC) anuncia o lançamento em Portugal de ‘The Cell’, a primeira série multimédia da FIC criada para ser emitida em multiplataforma: internet, mobile e televisão. A 1.ª temporada é composta por 20 episódios de dois minutos cada um e pode ser vista em http://www.fox.pt/the-cell e no canal FOX Mobile (disponível nos serviços Mobile TV da Vodafone Portugal e MEO Mobile da TMN).

Com o patrocínio da Vodafone, está já confirmada a estreia da 2.ª temporada desta produção de acção e intriga (composta por 10 episódios de cinco minutos cada) que será emitida em Outubro, no site FOX, no FOX Mobile e no canal FOX. Em http://www.fox.pt/the-cell estão disponíveis para além dos episódios, outros conteúdos sobre a mesma: imagens, wallpapers e um jogo interactivo.

‘The Cell’ é uma série que gira em torno de um homem, Michael Spence, que acorda sobressaltado e descobre que está encarcerado numa prisão, sem saber como lá chegou nem porquê. Spence conta apenas com um telemóvel e uma misteriosa voz do outro lado; voz esta que não sabe se é de alguém que o quer ajudar a escapar ou se, simplesmente, não faz parte de um esquema para o tramar e torturar psicologicamente. A série é narrada em dois momentos/situações: ”dentro” ou real, em que o protagonista está preso; e “fora”, em que são relatados através de flashbacks momentos em que o podemos ver fora da cela.

Fala-se muito de conteúdos produzidos especificamente para serem distribuídos on-line, mas não há muitas empresas que desenvolvam projectos internacionais de ficção com distribuição multiplataforma. Estamos realmente emocionados perante as perspectivas que uma operação deste tipo envolve e temos já os olhos postos em futuros lançamentos do mesmo tipo”, comentou desde Los Angeles Pablo Silva, Vice-Presidente de Publicidade On-line da FOX International Channels.

guide-export1.ai

Press release enviada pelo grupo FIC


Audiências: House em alta; Heroes cancelada?

Setembro 23, 2009

house

Audiência de segunda-feira, 21/09/09

Começou segunda-feira a grande competição das audiências com a estreia de várias séries e do reality show ‘Dancing with the Stars’. Esse mesmo reality show, que costuma ter uma excelente audiência, fechou a noite com o recorde ‘a premiere mais baixa em nove temporadas’.

Quem também não teve nada bem foi Heroes, que teve seis milhões de telespectadores de média. O facto da audiência ter descido do episódio 4.01 para o 4.02 não é bom sinal e a tendência é essa mesma ao longo da temporada. Heroes conseguiu uma média nesta premiere mais baixa do que a média de Chuck durante a temporada passada, o que pode ditar o cancelamento da série, ainda para mais quando os custos de produção são altíssimos.

O bloco de comédia da CBS esteve muito bem, principalmente ‘The Big Bang Theory’, que foi a única que além de ter uma boa audiência, conseguiu subir em relação à temporada passada. Castle, da ABC, conseguiu reter uma boa parte da audiência de ‘Dancing with the Stars’, mas mesmo assim não deve ser o pretendido pelo canal do alfabeto. Destaque ainda para One Tree Hill que continua a ter audiências bem sólidas apesar da concorrência. Se continuar assim, não duvido nada que a série ganhe oitava temporada. Já Gossip Girl precisa de se preocupar, pois ao segundo episódio está quase na casa dos 1 milhão.
.

Time Net Show 18-49 Rating/Share Viewers (Millons)
8:00 FOX House 6.2/16 15.76
ABC Dancing With the Stars 4.0/10 17.43
CBS How I Met Your Mother 3.5/9 9.22
NBC Heroes 2.8/7 6.27
CW One Tree Hill 1.2/3 2.48
8:30 CBS Accidentally on Purpose 3.2/8 8.99
9:00 FOX House 6.9/16 17.25
CBS Two and a Half Men 4.4/10 13.59
ABC Dancing With the Stars 4.2/10 17.64
NBC Heroes 2.7/6 5.77
CW Gossip Girl 1.1/3 2.09
9:30 CBS The Big Bang Theory 4.6/10 12.83
10:00 CBS CSI: Miami 4.3/11 13.73
ABC Castle 2.3/6 9.43
NBC The Jay Leno Show 1.8/5 5.67

Fonte: TVbytheNumbers