Brothers & Sisters – Terceira Temporada (2008)

Maio 30, 2009

113181_d_0087_ful

Os Walkers são TODOS em um SÓ. Simbolizo inicialmente a personagem que unifica todos os demais desde a primeira cena da temporada até o episódio final. Amada por muitos e incrompreendida por outros, apresento-lhes: Nora Walker.

Matriarca abnegada que não mede esforços para se fazer presente na vida dos filhos, mas que ao mesmo tempo acaba se envolvendo demais em suas vidas e esquece de viver sua própria. Aquela que adota Rebecca em sua casa, mesmo ela representando durante toda a segunda temporada o laço da SUPOSTA infidelidade de seu marido. Aquela que profetiza palavras sábias durante tempos de dificuldade na Ojai, decorrentes dos conflitos da nova parceria entre Tommy e Holly. Aquela que com amor gigantesco ainda encontra dedicação suficiente para elaborar um projeto para um centro de ajuda a crianças doentes. Aquela que luta para libertar o fantasma do marido sem caráter e traidor. Aquela que mobiliza todos os filhos para arrumar uma casa totalmente detonada. Aquela que descobre a existência do verdadeiro “R” dos Walkers e vai atrás da família de Ryan. Aquela que infiltra o pai de Ryan na festa da Greenotopia e realmente acha que ninguém irá descobrir.Aquela que esquematiza jantares com a maior naturalidade. Aquela que mesmo angustiada e ansiosa, tenta apoiar a situação vivida entre os filhos e o nascimento de Elizabeth.

Aquela que casualmente teve um caso com Roger, seu arquiteto britânico arrogantemente charmoso. Aquela que fica com tremendas expectativas sob o bebê de Kitty. Aquela que viaja sozinha para conhecer Ryan Lafferty, o filho de William. Aquela que merecia todos os prêmios honorários no episódio especial que marcou o nascimento de Evan e também o enfarte de Robert. Aquela que viu a reputação de seu filho Tommy ruir devido a suas péssimas escolhas. Aquela que acolhe Ryan em sua casa de peito aberto. Aquela que tenta se afastar e não se envolver, mas nunca consegue pois é mãe no maior sentido das palavras. Aquela que tenta convencer todos os executivos da Ojai a retirarem as queixas contra Tommy. Aquela que abre mão do relacionamento com Roger para ajudar os filhos. Aquela que apoia anteriormente a demissão de Sarah mas que também vibra com o retorno da filha na diretoria da Ojai. Aquela que tenta ajudar a cunhada e a neta desamparadas. Aquela que mesmo perante erros perdoa todos sem o mínimo rancor. Aquela que se culpa pela tapa dado e pelas palavras atravessadas. Aquela que vai ao México em busca do filho desaparecido. Sally Field representa como Norah Walker, um dos grandes papéis de sua carreira e na opinião da televisão atual.

Seus filhos tornam-se  papel central de sua vida e também de toda a série, fazendo da matriarca uma espécie de regente desta adorável orquestra  barrulhenta.

1

Sarah Walker – A Herdeira Natural: Primogênita que é um exemplo da mulher maravilha moderna que tenta ser uma excelente mãe e também uma excelente profissional. Temperamento forte, luta dia a dia para preservar a memória dos Walkers dentro da Ojai. Solitária e abdicada, tem muito da personalidade de Norah, mas talvez não perceba. Assim como a mãe, esqueçe as vezes de pensar nela e vive para ajudar e aconselhar os outros.

Tommy Walker – A Imagem do Patriarca: Dedicado, não mede esforços para trazer prestígio e credibilidade para a Ojai e sua família. Durante toda sua vida trabalhou incansavelmente para preservar o legado para as futuras gerações. Tornou-se pai de Elizabeth, após um tumultuado dilema de paternidade entre seus dois irmãos e recentemente transformou a imagem em reflexo de seu pai, através dos sucessivos erros e decisões mal tomadas.

Katherine “Kitty” Walker – A Princesa Destronada: Republicana convicta, decidiu fugir do relacionamento conturbado que tinha com sua mãe e foi para Nova York, onde trabalhava como comentarista numa rádio sobre política. Ganha a oportunidade de participar de um talk show, onde conhece o Senador McCallister, no qual se envolve e aceita uma oferta de trabalho em sua campanha. Decidi sair do cenário da política, adota uma criança e enfrenta autos e baixos em seu casamento com Robert, provenientes da ganância pelo poder, problemas cardiacos, falta de comunicação e interesse, resultando “traição” e possível divórcio.

Kevin Walker – O Democrata Republicano: Transparente, não mede palavras para ajudar mas também para repreender. Passou por um relacionamento com o enrustido Chad, descobrindo então como Scotty se sentia ao lado dele quando estavam juntos. Amadureceu, deixou diferenças políticas e pessoais de lado e assumiu o cargo de diretor de comunicação de Robert. Dividi a genética com Elizabeth, filha de Tommy e tem o relacionamento mais estável de todos, agora com seu marido Scotty.

Justin Walker – O Médico sem Fronteiras: Guerreiro, encarou, vivenciou e retornou da guerra com um trauma imenso, que o levou ao caminho do vício por medicamentos, bebidas e drogas. Relutante a princípio conseguiu buscar ajuda, contando sempre com a até então “amiga-irmã” Rebecca. Evoluiu e amadureceu pessoalmente, no qual selou seu relacionamento com a “namorada-ex irmã” e agora “atual-esposa” Rebecca. Conseguiu retomar seu grande sonho: Estudar medicina.

2

Eles possuem vínculos importantes que preenchem a história, por vezes vivem as sombras da grande família acima, mas são de extrema importância para manter a tranquilidade e o bom desenvolvimento.

Saul – A Sombra dos Walkers: Irmão de Norah e confidente braço direito de William. Personalidade misteriosa e reservada, preservou durante anos suas verdadeiras escolhas e decisões, em prol de proteger William. Revelou sua sexualidade de maneira ainda singela porém sincera e resolveu tentar viver sua própria vida. Escondeu grandes sujeiras do cunhado, erros nos quais se envolveu e nitidamente não conseguiu mais guardar, devido a grande remorso.

Rebecca Harper – A Indecisa “Walker”: Rebelde filha de Holly Harper, a Outra. Tumultuada adolescência marcada por um caso com um professor casado. Retornou a casa da mãe descobrindo alguns fatos importantes sobre seu passado, inclusive sua relação com os Walkers. Por fim descobriu que não é parte da família e junto a Justin resolveu arriscar num relacionamento mais sério. Rompimentos marcaram a vida dos dois, mas o tempo os uniu novamente, agora como noivos. Compulsividade e vontade de apressar tudo podem ser características preocupantes.

Holly Harper – A Outra: Amante de William durante quase 20 anos. Reenvidicou seus direitos e o da filha dentro da Ojai, mesmo sem ter absoluta certeza sobre a paternidade. Travou intensas batalhas com Norah, arquitetou e manipulou diversas situações, colocando-se no papel de vilã. Mesmo com a revelação de que Becca não é um Walker, ela já tinha seu nome no testamento e ganhou terras. Firmou parceria da nova empresa com Tommy para salvar a Ojai da falência, gerando mais intriga entre os Walker, principalmente com Sarah. Dentre as traições registradas do patriarca, ela teve o cargo de amante/esposa mais relevante de todas.

Scotty – O Companheiro Fiel: Comprometido, ganhou credibilidade por sempre mostrar-se autêntico e centrado com aquilo que queria, seja em sua vida pessoal quanto na profissional. Buscou ascensão em sua carreira como chef e ganhou créditos merecidos por isto. Diferente de Kevin, sempre soube quem ele era e com o tempo, o destino e o amadurecimento de Kevin os juntaram novamente. Agora casados, dividem de forma sincera suas vidas.

Robert McCallister – O Príncipe Destronado: Ganancioso pelo poder, tentou trilhar sua ascensão política ao lançar-se como candidato a presidência da república, decisão que gerou controversias em seu próprio partido. Levou honrarias de guerra por um ato heróico que não tinha realizado. Apesar dos jogos de poder, tentava ser um pouco mais presente na vida de seus dois filhos do primeiro casamento. Conheceu Kitty num talk show de televisão e a convidou para ser diretora de comunicação de sua campanha. Ambos começaram um relacionamento, mesmo com comentários alheios. Mesmo com a perda nas eleições, veio o casamento, a decisão de engravidar( não ele, Kitty), a nova pretensão política, o agora como Governador da Califórnia, a adoção, o enfarto e as crises do casamento.

Anúncios

Brothers & Sisters (3.24) – Mexico

Maio 26, 2009

snapshot20090525204957Silence is deep as eternity….Speach is shallow as time….. and this place is nut as……

Podemos não entendê-los totalmente, mas é impossível não amar esse conjunto de indivíduos tão diferentes. Os criadores e roteiristas conseguiram amarrar de forma pontual toda a trama desta temporada, do começo ao fim. De maneira muito bem pensada, aos poucos foram nos dando informações necessárias para montarmos o confuso e adorável quebra-cabeça de Brothers & Sisters. Norah mostra que nem sempre as coisas tem de seguir o curso natural como todos recitam a ela, assim então viaja ao Mexico em busca do filho fugitivo e passa por momentos de faroeste, dificuldades em expressar-se com os nativos e naturalmente vive  o desespero em rever Tommy após dois meses. Achei que iria chorar com o último episódio, mas pelo contrário, ri em boa parte dele.

Esse finale consagrou Matthew Rhys (Kevin) como o personagem que mais evoluiu e tornou-se relevante para todos, desde sua demissão da Ojai, a paternidade de Elizabeth, o emprego na campanha de Robert e no  divórcio entre Kitty e Robert. Sempre digo que as cenas dele com Scotty são essenciais, pois exemplificam novamente o melhor relacionamento de toda a série. Mesmo com seus autos e baixos, eles se apoiam imensamente e o mais importante de tudo, Scotty sempre visualiza seu papel na vida de Kevin mas também sabe dividi-lo com os demais familiares. Belo gesto e prova de amor ao abdicar do aniversário deles para convencer o relutante Kevin a viajar com os irmãos atrás de sua mãe e consequentemente de Tommy. A sensatez e racionalidade de Kevin em analisar que todos na família sempre cobriram os erros do irmão e que ele nunca encarou da forma que deveria, principalmente os últimos acontecimentos. Nunca imaginei que ele escolheria um retiro espiritual como válvula de escape, agora seguindo uma rigorosa dieta vegetariana, com princípios de plantação e cultivo, que prezam o silêncio e a paz de espírito,  como diria comicamente Kevin: ” Ele deixou a mulher e filha para vir cantar kumbaya no meio do mato!!”. Agora mesmo para aqueles que não assistem a série, conseguem imaginar pelo que descrevo essa família num RETIRO ESPIRITUAL?! Sem chances, o momento do reencontro só consagra isto. Mais uma vez a expressividade de cada um sobressai quando eles almoçam em “silêncio”, comunicando-se através do papel e de gestos. Mas obivamente o relógio que Becca deu de presente a Justin não ia passar despercebido. Eles tentando advinhar que o caçula ia estudar para ser médico foi muito engraçado e claro que eles iam estravassar e jogar tudo pro ar em prol da comemoração.

Gosto muito de um música chamada “Mistakes We Knew We’re Making”, do Death Cab for Cutie(ressalve ao meu querido Seth Cohen) e ela se encaixa perfeitamente no momento vivido por Kitty e Robert. Nunca fiquei tão dececpionada com a atitude derrotista dos dois, principalmente de Kitty. Ela que sempre cobrou atitudes diferentes do marido, cobrava que ele deveria abrir mão e etc e agora vemos que é tarde demais para Robert tentar voltar a mesma página do livro de Kitty. Vale lembrar o que Sarah disse antes, sobre como a irmã mais nova reagi em situações de conflito e como ela desiste sem ao menos tentar. Mesmo quando Robert viaja para o México a pedidos de Kevin, deixando claro na frente de todos o que está acontecendo entre eles.  Robert por fim dá um ultimato a Kitty, pois ele também errou durante o casamento e ela também tem errado, mas não tem mostrado energia alguma para salvar o que eles construiram com o tempo. Kitty por sua vez decidi no timming errado correr atrás de Robert, que sem ouvi-la devido ao barulho vai embora de helicoptero. Acho que deu pra perceber que ninguém foi pra lá efetivamente por causa de Tommy, a não ser Norah e Sarah. Os demais estavam envolvidos em seus próprios problemas, como Becca surtando pelo casamento e sua precipitação estranha em fazer tudo acontecer tão rápido. Vale salvar que Holly mostra-se tenebrosa com o retorno do comportamento impulsivo e precipitado de sua filha e algo me diz que ela tem algum problema psiquico apresentado durante sua adolescência não tão distante. Tommy inevitavelmente decidi que ficará no Mexico e que tentará mudar, buscando ser o homem que sua filha e esposa merecem. Achei linda a cena dele com Kevin, quando admite que o irmão sempre viu quem ele realmente era, sendo assim nunca passou a mão na cabeça dele, mas de forma humilde Kevin confessa que deseja estar presente quando ele conseguir realmente se encontrar.

Deixei esse fato para o final, por causa da importância e a intensidade da revelação. Eis que resurge das cinzas um personagem muito importante e que a tempos estava muito desfocado na história. Saul sempre foi o braço direito de William, talvez nunca tenha entendido como ele parecia ser mais fiel ao cunhado do que a própria irmã. É visível que o Saul amoroso e presente de agora é bem diferente do Saul frio e calculista de anos atrás. Num desabafo muito sincero com Holly, após devolver o pacote de indenização de Ryan, ele confessa que fez o garoto recusar a oferta e que deseja efetivamente voltar a Ojai para acompanhar Ryan e dar aquilo que ele realmente merece. A culpa e o sentimento de que tem que concertar de alguma forma os erros cometidos no passado, erros que repercutiram na morte da mãe de Ryan, pois um dia antes do acidente William tinha enviado Saul para pagar em $$ o afastamento da amante. Alguém ainda vai tirar da cartola alguma outra cafagestagem desse traidor?! Fico realmente com medo em ouvir Holly dizer que Saul deve uma a ela, definitivamente me assusta saber o que ela pedirá em troca. Uma coisa sabemos de certo: Ela não quer ele de volta! rs. E por fim espero que o “Kumbaya My Lord, Kuuuuumbaya” resolva tantos conflitos e novos problemas que eles enfrentarão na próxima temporada.

Nota: 10


Lista: Personagens que cresceram a olhos vistos

Maio 24, 2009

p0

As séries são recheadas de personagens que nos fazem rir, chorar, irritar e aprender. São centenas e centenas de actores que dão vida às mais diferentes pessoas, mas nem todas as personagens têm a proeza de crescer ao longo do tempo. Esta lista explora mesmo isso: estão representados, de seguida, as dez personagens que cresceram a olhos vistos. Como podem observar, a quinta temporada de Grey’s Anatomy contribuiu muito para isso, assim como a terceira de Friday Night Lights. E a principal conclusão que podemos tirar deste top 10 é que os personagens crescem em todo o género de séries, desde dramas, comédias ou séries teen.

p1

1 – Sawyer (Lost) – de refilão passa para um homem responsável, capaz de gerir o futuro dos Oceanic 6 e dos que ficaram na ilha. Assumiu o papel de líder nesta quinta temporada, mas também o papel de “marido” dedicado. Um Sawyer que depois de ter a atitude altruísta de se jogar ao mar, cresce muito como pessoa e passa a demonstrar um Sawyer mais humano, a armadura de homem forte e despreocupado com os demais finalmente cai e revele uma pessoa melhor. É por isso mesmo que ele fica no primeiro lugar desta lista!

2 – Meredith (Grey’s Anatomy) – uma personagem muito conturbada, muito por culpa dos constantes altos e baixos que sofreu ao longo das diferentes temporadas. Das indecisões e constantes dúvidas por que passava, parece finalmente firme nas suas decisões e opções e deixou as reservas de lado em relação ao comprometimento, aceitando finalmente uma vida a dois à muito pretendida por Derek. Resolve lutar também por aquilo que acredita mesmo indo contra a opinião de terceiros, apreendeu a defender os seus valores e a deixar os receios para trás.

3 – Karev (Grey’s Anatomy) – quem diria que algum dia o Karev da primeira temporada iria virar um dia um marido capaz de um discurso de emocionar até os corações mais duros, um marido que está lá nas piores fases e embora por vezes se encontre perdido, rapidamente acha o caminho. Conseguindo dar um apoio necessário a quem precisa, a quinta temporada de Grey’s Anatomy fortaleceu a personagem. Karev surpreendeu tudo e todos este ano, passando de playboy convencido a marido dedicado.

p2

4 – Brooke (One Tree Hill) – a menina da primeira temporada não tem nada a ver com a Brooke das duas últimas temporadas. Brooke cresceu, de menina irresponsável, inconsequente embora com um coração de manteiga, tornou-se uma mulher de negócios, uma mãe responsável, uma amiga pronta para o que der e vier. A sua relação com a Sam só veio fortalecer ainda mais esta personagem.

5 – Tim Riggins (Friday Night Lights) – um personagem que sempre demonstrou ter um bom coração embora muito trapalhão pelo caminho. Consegue na terceira temporada de Friday Night Lights finalmente entrar nos eixos e decidir lutar pelo seu futuro ao lado de Lyla e consegue inclusive a entrada na faculdade. Ninguém diria que o apaixonado por cerveja e futebol americano algum dia conseguiria realmente empenhar-se por uma entrada no ensino superior.

6 – Sara Tancredi (Prison Break) – de médica inocente que acaba por se apaixonar por um prisioneiro, Sara vê a sua vida complicada por esse romance. Passa de menina tímida disposta a ver sempre o lado bom das pessoas e a não haver maldade em ninguém, incapaz de ferir uma mosca a uma mulher destemida, mais perspicaz e capaz de matar para salvar as pessoas amadas.

7- Izzie (Grey’s Anatomy) – surpreendeu na maneira como reagiu à doença de que padece. Com coragem de leoa, Izzie deu uma lição a todos no início da sua doença em que ninguém sabia como reagir. Nunca se deixou abater, a partir do momento que decidiu lutar pela vida contra todos os prognósticos menos positivos. Uma história que permitiu desenvolver muito a força da personagem que sempre pareceu frágil e fácil de quebrar, neste fim de temporada conhece-se uma Izzie forte com capacidades de luta.

p3

8 – Justin (Brothers and Sisters) – com um passado conturbado, manchado pelas drogas e a guerra no Iraque, Justin parece ter encontrado o seu porto seguro ao lado de Rebeca. Depois de vaguear por um caminho sem destino. Justin cresceu e achou a sua direcção, tornando-se mais responsável, e consciente dos seus actos. A guerra traz traumas mas com esforço conseguiu erguer-se.

9 – Jason Street (Friday Night Lights) – de estrela de futebol americano, torna-se um pai extremo disposto a enfrentar as dificuldades que a vida lhe colocou pela frente. Acaba numa cadeira de rodas mas nunca desiste embora sofra vários percalços no caminho. No final está com a mulher e o filho, e tem um bom emprego. Um adeus à série em grande de uma personagem que deu muito a Friday Night Lights.

10 – Morgan (Chuck) – trapalhão como ele não há outro, fugindo das responsabilidade, mas neste final de temporada resolve assumir as consequências dos seus actos, assumir o seu amor por Anna e partir rumo à realização do sonho que tem mas que nunca teve coragem de lutar por ele. Chegou a altura de Morgan brilhar, nem que seja por breves momentos, como a saída em glória que fez da Buy More.

E PARA SI, QUAIS AS PERSONAGENS QUE CRESCERAM AO LONGO DOS TEMPOS?

Lista elaborada pela Filipa Silva e formatação por Marco Braga.

Brothers & Sisters (3.23) – Let's Call The Whole Thing Off

Maio 19, 2009

snapshot20090511005827 “Let’s Call the Whole Thing Off” foi uma das canções mais famosas da história, interpretada por ninguém menos que Fred Astaire e Ginger Rogers, no musical “Shall We Dance”, em 1937. Creio que a apresentação de Sarah e Holly, durante a festa da Ojai não foi nada digna de um clássico musical, mas apresentou o seu “brilho”. Sarah enfrenta a dura realidade ao descobrir que seu ex-marido vai se casar novamente com sua primeira esposa, o que deixa-a totalmente irritada e frustada com sua ausente vida amorosa. Com as festividades na Ojai, Holly convence Sarah a fazer um dueto com ela, o que acaba saindo pior do que esperado, pois Sarah descobre o real motivo de Ryan estar na Ojai e associa toda a história como mais um plano diabólico dela contra os Walkers. A cena delas discutindo com o microfone ligado foi hilária, assim como a cara dos convidados e os Walkers tentando disfaçar. Interessante que mesmo depois de toda a discussão, Sarah consegue refletir sobre o que Holly falou e questiona se realmente seu problema é o fato de estar solitária.

Estava com saudades dos flashbacks em B&S, neste podemos ver um pouco da  Kitty quando jovem, descobrimos como era seu relacionamento com William e também algumas revelações importantes que seriam desenterradas. Robert volta ao trabalho recepcionado por uma bela festa surpresa organizada por Kitty, que a sua forma tenta melhorar a situação crítica em que eles se encontram. Logo depois, procura Alec e diz que realmente não pode fazer isto, pois é uma mulher casada com um filho e etc(talvez só agora ela parece lembrar de seu status). Por outro lado, acho sempre impressionante e sincero o envolvimento de Kevin tanto com Robert quanto com Kitty e sua situação desconfortável entre os dois. A transparência de Robert ao contar sobre o “affair” de Kitty e a mesma transparência por parte de Kevin ao revelar que se possível irá ajudá-los, mas quando necessário, terá que escolher um lado. Achei brilhante a sutileza da comparação que Kevin faz entre Kitty e seu pai, talvez seja isto que a faça cair na real e tentar não repetir a série de erros cometidos por William durante sua vida.

O novo coadjuvante deu o que falar neste episódio. Ryan desde que apareceu na série, trouxe uma diversas incertezas e somente com o tempo revelou sua verdadeira natureza, ou seja, um filho que descobriu depois de quase vinte anos que seu pai na verdade é outro, sua mãe poderia ter se matado por causa de seu amante e ele é relacionado com uma excêntrica familia. Confesso que ser Ryan Lafferty não deve ser muito fácil, mas não retiro minhas opiniões anteriores sobre o quão chato e irrelevante ele se torna. Paralelo vemos o retorno do casal vinte, B and J, que após receber a notícia da aprovação na faculdade de Justin, acabando fazendo o famoso “make up/congratulations sex”. Como o “timing” das pessoas realmente é péssimo, antes Becca já havia prometido ir com Ryan na festa, o que o faz imaginar coisas, até que então a beija. Toda aquela novela volta em cena, quando Justin o confronta, desencadeando atitudes em diversos membros da família. Kitty que esteve muito reflexiva durante o episódio, recorda de uma informação muito valiosa para Ryan e numa sincera conversa com ele revela que este com seu pai no dia em que ele iria encontrar com a mãe dele, ou seja, o fatídico dia em que ela morreu.

Algumas perguntas que ficam para o season finale:

– William provocou realmente a morte da Sra. Lafferty?
– Casamento de Justin e Becca?
– Norah viajando para o Mexico atrás de Tommy.
– Tommy voltará?
– Qual será o destino de Ryan Lafferty?
– Robert e Kitty: Enfrentar ou fugir do fantasma da traição?

Nota: 9,4


Brothers & Sisters (3.22) – Julia

Maio 9, 2009

snapshot20090507224642 Confesso que fiquei preocupada quando li o título deste epísódio. Julia sempre foi uma personagem apagada e sem muita significância, nada mais natural pelo fato de  ser uma agregada da família, pois todos devem saber que não deve ser nada fácil ocuparar este cargo com os Walkers. Ela ganhou mais evidência devido ao escândalo de Tommy. Gostei de diversos momentos dela durante o episódio, ficando bem claro que não deve ser fácil segurar a bomba que Tommy deixou. Agora só quero ver a explicação racional para seu desaparecimento e se há algo que o justifique, pois soa bem contraditório para alguém que obrigou o irmão a assinar um termo de confidencialidade sobre a paternidade de Elizabeth, alegando que  seria um pai exemplar e que ela nunca precisaria saber a verdade.

Esse episódio também evidenciou a proporção do envolvimento de Kitty com “Alec Park Man” e todas as consequências desastrosas que repercutirão cada vez mais sobre seu casamento. Sabiamente Sarah define a irmã como alguém que quando decepcionada, busca sempre por algo novo e nunca tenta resolver o que acontece. Alec decidi comprar uma casa nova e convida Kitty para ir com ele. Ela mente mais uma vez e acaba indo conhecer a casa. Nitidamente quando entra no local, Calista conseguiu expressar tão perfeitamente a sensação de excitação por algo novo, em criar um novo cenário, totalmente alheio a sua vida. Distraída com a presença de Alec no carro, acaba sofrendo um acidente, que poderia ter sido pior mas que deixa os dois somente com arranhões no braço. Robert tenta agradá-la cuidando de seus ferimentos e claro que novamente ela menti descaradamente que estava sozinha no carro. Achei fantástico quando ele decidi levar Evan para o parque. A cena inicia com o filho de Alec vindo comprimentar o bebê e depois correndo para os braços do pai, que o ergue em câmera lenta, mostrando então o machucado igual ao de Kitty no acidente, eis que tudo faz sentido na mente de Robert, novamente a expressividade é demonstrada de forma genial. Desta vez Robert diz que Kitty que precisa resolver seus próprios conflitos, pois ele tentou mudar desde então e  não há mais justificativas que ainda dêem razãoa Kitty, ainda mais depois do beijo com Alec no final, que celou de uma vez por toda a palhaçada toda.

O outro arco é Julia, que consegue finalmente ter um episódio focado em sua vida, personalidade e até seu lado profissional. Norah descobre que ela hipotecou a casa para tentar resolver o estrago que Tommy largou em suas mãos. Kevin assumi as responsabilidades, mesmo que brigando com Scotty para ajudar a cunhada, porém ela precisaria arranjar um emprego para fazer o acordo. Entendo a preocupação de Norah, mas até a própria Julia diz que ela precisa seguir sua própria luz, tornar-se independente e recomeçar, sendo assim consegue um emprego numa escola em Seatlle, deixando um misto de tristeza e alegria em todos. Com um emocionado jantar de despedida, Julia expressa o quanto cresceu e aprendeu com todos ali presentes e que agora cuidaria de sua vida. A despedida com Kevin foi linda e vemos que ele tem um lado paternal muito forte. E outro ponto forte é a cena em que Norah arruma as coisas de Tommy para acolhê-lo quando ele voltar, já que ele não terá mais casa para viver.  MÃE só muda de endereço mesmo.

Quero finalizar comentando de um personagem específico: Ryan Lafferty. WTH is that boy?!. Primeiro ele resolve não se envolver com os Walkers, depois Holly consegue convecê-lo a trabalhar na empresa, comprando com um lugar no conselho e também com ações sob a Ojai. Descaradamente ele confessa para Becca que irá se vingar de Sarah quando começar a participar das reuniões. Agora resta saber, o que o caso de sua mãe com William Walker fez com a cabeça deste garoto? Sei que William pode ser responsável pela morte de sua mãe, mas até então não vi  ele procurar por respostas concretas sobre o caso e assim simplesmente acusa todos pelos erros de William e também de sua mãe, tentando se transformar no novo vilão da novela das oito? Essa criatura é a única coisa que me irrita profundamente na série. Espero que dêem um sumiço nele em breve.

Nota:  9,3


Brothers & Sisters (3.21) – S3X

Maio 7, 2009

snapshot20090420172240 Por mais previsível que pareça ser o “S3X”, relacionado a proposta sugestiva feita, consegui desfrutar do começo ao fim mais um excelente episódio de B&S. Norah continua sufocando Julia a respeito de Tommy, principalmente quando descobri que ele ligou avisando que iria voltar para casa, fato que não se concretiza ao final do episódio. Excessivamente preocupada com o bem estar do filho, Norah esqueçe que Julia deve lidar com a situação e que precisa de espaço para resolver tudo. Sempre me divirto com as tentativas frustadas dela mostrar-se “desencanada”, sendo dessa vez escolhida a jardinagem como válvula de escape. O retorno de Roger pode trazer novos ares para ela, ainda mais que este está disposto a tê-la como única mulher em sua vida. Já Kitty e Robert parecem afundar cada vez mais o casamento. Ela se coloca cada vez mais distante e relutante com as aproximações frustadas de Robert. Achei um pouco desesperador  ir ao médico pedir autorização por escrito para fazer “Sex”, é triste saber que ele tem que recorrer a tais recursos e também o fato de Kitty sempre fugir para o parque a procura de Alec, que sem dúvida parece ser muito mais fácil de manter um diálogo do que com seu próprio marido, não precisamos nem adivinhar o rumo que isto tomará daqui pra frente.

Sarah e Kevin proporcionam ótimos momentos individualmente, porém quando estão juntos conseguem trazer uma expressividade cômica fantástica. O momento em que estão fazendo compras e Kevin avista o “HOT CHAD” é hilário, o desespero em se esconder e as piadinhas sujas de Sarah para infernizar o irmão. Ainda mais quando ele veem ao encontro dos dois e beija Kevin publicamente, afinal era o mínimo que ele poderia fazer ao invés de esconder e não aceitar que era gay na época em que namoraram. Situações inusitadas, pois a vinda de Chad traz uma proposta um tanto indiscreta, que também envolve Scotty. Quando os três saem pra jantar, Chad propõe o threesome. A cara do Scotty para o Kevin e vice-versa juntamente com o dilema da curiosidade em aceitar ou não são divertidissimas. Sarah retorna definitivamente a Ojai e se depara com a “Land of Hot Mens”, ainda mais ela uma mulher solteira e que algum tempo não passa um “tempo” com um cara, ficou totalmente nas nuvens, principalmente com Cal, no qual vive momentos quentes no estoque da fábrica.

B&S consegue sempre esse efeito, em momentos que temos vontade de chorar e ajudá-los e em momentos nos quais gargalhamos de suas trapalhadas e situações ridículas, a exemplo de Sarah invadindo o apartamento num momento bem íntimo entre Kevin e Scotty e acaba desabafando naturalmente que fez “Hot Sex” na fábrica, pois afinal ela tinha que conversar com alguém e Kevin sempre foi classificado como o mais promiscuo dos Walkers, então ele é o escolhido. Claro que ele acaba comentando da proposta de Chad, deixando Scotty totalmente ofendido e chateado. Incrível que Sarah se diverti com a história mas depois percebe que foi incoveniente e ajudou a provocar uma situação desnecessária. Apesar da curiosidade inusitada da proposta, vemos que Kevin e Scotty realmente gostam do jeito que as coisas estão entre eles: monogamente tranquilos e apaixonados.

Nota: 9,6


ABC renova doze programas!

Abril 23, 2009

abc-logoO canal norte-americano ABC adiantou-se e já anunciou quais as séries que foram renovadas para mais uma temporada. Apesar de ainda não se saber quais os destinos das novas séries, como In The Motherhood, Castle, Cupid, The Unusuals e Better off Ted, as antigas já receberam confirmação se são ou não renovadas. De lembrar que Pushing Daisies, Eli Stone e Dirty Sexy Money foram canceladas ainda em Dezembro de 2008 e que não voltaram para uma terceira temporada.

“America’s Funniest Home Videos”, “The Bachelor”, “Brothers & Sisters”, “Dancing with the Stars”, “Desperate Housewives”, “Extreme Makeover: Home Edition”, “Grey’s Anatomy”, “Lost”, “Private Practice”, “Supernanny”, “Ugly Betty” e “Wife Swap” foram as séries renovadas pela emissora, ou seja, assim à primeira vista, quem acabou por ser cancelada foi ‘Samatha Who?’. O cancelamento de ‘Scrubs’ já era decidido desde há muito tempo.

“Grey’s Anatomy” e “Desperate Housewives” estão entre os 10 programas mais vistos da temporada até agora, mantendo-se nos dois primeiros lugares nos programas com guião escrito. Resta agora esperar por meados de Maio para conhecer a grelha completa da programação não só da ABC, com dos restantes canais de televisão aberta: CBS, NBC, FOX e The CW.