Dollhouse (2.01) – Vows

Setembro 26, 2009

snapshot20090926155955Este episódio acontece uns meses após os acontecimentos do episódio 1.12…e muito antes dos acontecimentos 1.13. Confesso que esperava mais deste episódio, é um episódio escrito e realizado por Joss Whedon, por isso é de se esperar sempre o melhor, acontece que este não teve o nível do final da temporada passada. Voltamos ao caso da semana, nesta semana parecia que estava mesmo a ver uma série policial, mas houve alguns desenvolvimentos para a trama principal e notaram-se algumas pontes a serem formadas entre este episódio e os acontecimentos do episódio 1.13, portanto podemos esperar que a qualidade de Dollhouse, há-de aparecer. Tenho pena que Joss Whedon esteja demasiado preso ao caso semanal e não possa fazer a série de forma mais consistente em termos de trama principal, mas esta terá desenvolvimentos para breve, este episódio, apesar de um furos abaixo do que esperava, mostra que a história está viva.

Como referi, este episódio acontece uns meses após os acontecimentos do episódio 1.12. Echo apesar de ter sido sujeita ao tratamento cedo mostra que continua a receber flashes das suas outras “vidas”. Aliás esse é um dos acontecimentos que marca o episódio, novamente e após ser impressa com uma personalidade Echo parte em missão desta vez a missão tem por base a captura de um criminoso Britânico, rico, este caso é um antigo caso do Agente Paul Ballard e Echo surge aqui a tentar ajudá-lo para ele poder fechar o caso. Paul Ballard é assim o cliente da Dollhouse neste episódio. Durante a fase crítica da captura do britânico a mente de Echo volta a falhar, ficando ela cheia de lembranças de outras impressões. Paul Ballard acaba por conseguir resolver o caso, mas não gostei da maneira como foi resolvido. As impressões são tão instáveis que através de pancadas na cabeça da para ir alterando as lembranças de Echo? Achei precipitada a maneira como terminaram com a captura.

Paralelamente, e mais interessante para a história principal, temos a vida na Dollhouse. Depois de descobrir que é apenas uma doll Dra.Saunders vê-se perdida e sem saber que fazer, esta foi a parte mais interessante do episódio. Dra. Sauders começa a tratar mal Topher por ele ser responsável pelas impressões, se era sabido que Saunders não gostava do Topher isso tornou-se evidente. Ao mesmo tempo Boyd tenta-se aproximar de Saunders, este é uma das pontes que se começa a formar para o episódio 13 da primeira temporada. O momento mais interessante vai para a conversa que a doutora tem com o Topher. Nessa conversa muito é revelado, os pensamentos dela, o porquê da relação entre eles ser como é. Surge aqui um dilema para a doutora que, na minha opinião chega a ser filosófico: Ela sabe que foi criada, que não é real, que a sua personalidade não é mais que o resultado de uma mistura de computador, no entanto ela tem sentimentos, percepções, fica cheia de dúvidas sobre o que fazer a seguir porque vive sabendo o que é e por outro lado, como ela disse, tem medo de morrer, apesar de não ser real. Para mim a essência de Dollhouse reside nestas questões morais, reside no jogo de sentidos e moral que existe no facto de se falar de pessoas programadas. Dollhouse não é um policial, nem um drama semanal, reside ai o erro para mim, de tentarem semana a semana agradar aos fãs de policiais.

Outras coisas aconteceram. Viktor recebe tratamento aos cortes que tem na cara, tendo resultados muito bons, ficando sem cicatrizes, mais uma ponte com o episódio 13, . O final do episódio também nos revela algo importante.

Em conversa com Echo, desprogramada, esta admite a Ballard que sente todas as personalidades que viveu em si, em cada momento sente-as e ás vezes sente-as todas ao mesmo tempo, e que está empenhada em descobrir-se a ela própria, descobrir Caroline. Depois desta conversa Ballard aceita ser o guarda-costas de Echo enquanto tenta trazer à luz da civilização o que se passa na organização secreta.

Pode-se dizer que as boas características de Dollhouse estão intactas, notam-se ao longo de todo o episódio. No entanto estou cansado da estratégia de caso semanal, da tentativa de conseguir ganhar público com uma coisa que dollhouse não é. Espero ansiosamente pelos episódios verdadeiramente bons que sei que Dollhouse e Joss Whedon podem conseguir.

76


Dollhouse – Um olhar sobre a série

Setembro 6, 2009

dollhouse

Falar de Dollhouse e da sua primeira temporada é um processo bastante complicado para mim, isto porque possui demasiadas nuances que é preciso focar, correndo, eu, o risco ou de deixar coisas importantes por se dizer, ou então estender-me em demasia e acabar por produzir uma opinião que se torna demasiado subjectiva e desinteressante. Mas Dollhouse precisa de ser comentada, e é preciso eu estender-me a falar dela, por isso aviso desde já que não me vou conter, mas manter-me-ei afastado de spoilers o mais possível.

Dollhouse era provavelmente uma das séries mais esperadas dos últimos anos. O nome do seu criador, Joss Whedon, sozinho, conseguia levar muita gente a roer as unhas de ansiedade. Joss Whedon era o criador de Buffy: The Vampire Slayer, uma das maiores séries de culto de sempre, e de Firefly, uma das séries Sci-Fi mais amadas da televisão. Firefly foi um fracasso de audiências na FOX. Esta recusou-se a transmitir o piloto de duas horas, trocou a ordem de exibição dos episódios e nem transmitiu o último episódio, sendo a série cancelada após 12 episódios exibidos. No entanto o DVD de Firefly vendeu muito bem, a série recebeu fortes elogios e tornou-se numa das melhores peças de Ficção Cientifica que apareceram na TV. Joss Whedon mantinha assim um nome de respeito e uma legião ansiosa pelo seu próximo projecto.

Podem adivinhar que quando Dollhouse foi apresentada o Hype, o interesse à volta da produção foi enorme. E era o regresso de Whedon à estação que o tinha maltratado, a FOX, o que admirou muita gente. Neste caso de Dollhouse não entrego a culpa toda à FOX, Joss Whedon é um ser humano, e como tal sujeita-se a falhas como qualquer outro, e neste caso Whedon falhou. Uma série não é um filme, para um filme aguentar o hype é mais fácil, porque são duas horas, as pessoas se sentirem curiosidade assistem ao filme, não têm de acompanhar de semana a semana, o dinheiro do filme fica assim ganho. Uma série para aguentar o hype é muito mais complicado, porque depois de dois ou três episódios que desiludem, as pessoas desistem da série.

eliza-dushku-dollhouse-2Whedon é um génio, mostrou já que consegue fazer um brilharete e mudar de género de projecto para projecto sem perder a sua qualidade enquanto argumentista. No entanto é a prova viva que algumas más decisões podem realmente arruinar um estatuto, podem arruinar um projecto, arruinar uma série. A estas más decisões acrescentem uma FOX que é neste momento um dos canais que pior promove as suas séries e que pior tratamento lhes dá.

Com Dollhouse Whedon errou. Os seus fãs estavam habituados a personagens marcantes, diálogos apurados, histórias intensas e um desenvolvimento de personagens muito bom. Em Dollhouse os primeiro 6 ou 7 episódios são fracos, a premissa está lá, o talento está lá e o potencial também, no entanto as fortes características de Whedon não puderam ser mostradas, isto porque no final de cada episódio se voltava ao inicio, o episódio até podia ter emoção, interesse, mas no final era como se todas as acções não tivessem consequências porque a cadeira mágica estava lá (Quem viu a série, sabe o que quero dizer). Era difícil nos unirmos às personagens, o mistério que tentaram pôr desde do início, de semana a semana perdia um bocado do interesse.

Não admirou por isso que as criticas começassem a surgir. Uns atiraram-se a Whedon, perderam a fé nele, diziam que perdera as características que faziam as suas séries únicas. Como se diz, quanto mais alto se está maior é a queda. E neste caso muitos era os que tinham as expectativas no topo e depois bateram de cara no chão. Na minha opinião dou os meus parabéns a Whedon pela capacidade que tem em mudar de género de série para série. No entanto compreendia o que os antigos fãs sentiam, a série, como referi, parecia ter tudo que era necessário, os valores de produção, o ambiente, etc, no entanto faltavam os traços de Whedon e isso era inegável. Daí apareceram as críticas ao elenco, a Eliza Dushku, a Tahmoh Penikett. A comparação de personagens com personagens de Buffy e Firefly surgiram também, dizendo-se que estas eram como imitações mal feitas.

Outros criticaram a FOX, dizendo que esta tinha voltado a fazer o mesmo que em firefly, dizendo que novamente lhe tinham estragado o episódio piloto e que davam à sexta-feira a série e não apostavam nela. Isto é verdade, mas só até certo ponto. Já vi o piloto não transmitido e não creio que a FOX tenha feito tão mal assim em não o transmitir. As cenas cruciais desse episódio aparecem em episódios mais à frente, e esse piloto não estava coerente, Joss Whedon, talvez para não fazer o mesmo que em firefly, despejou a informação toda em 45 minutos, e foi novamente cortado pela FOX. Se esse episódio tivesse vindo ao ar a primeira temporada teria sido substancialmente diferente pelo que não vou avaliar esse piloto. A série tornou-se o que é porque o primeiro episódio exibido foi o Ghost.

Como referi os primeiros 6 ou 7 episódios desiludem, creio que desilude toda a gente, é inegável. Novamente Whedon nesses episódios tentou contrariar o que levou a FOX a cancelar Firefly, e pôs episódios desconexos, em que se passava imediatamente para a acção da semana e não era dada atenção ao enredo geral, não era dado interesse às personagens. Por esta altura do sétimo episódio muita gente tinha tido já vontade de desistir, as audiências eram miseráveis, o cancelamento parecia inevitável, e parecia pouco provável que a fé em Whedon trouxesse melhorias significativas. Mas a verdade é que a série realmente melhora muito, a partir do nono episódio temos a série a começar em força, até ali tinha sido muito tempo perdido, mas a fé era recompensada e finalmente se começava a ver uma série à Joss Whedon. Podem apontar para o melhoramento da série com a entrada em cena do actor Alan Tudyk, sem dúvida uma das maiores mais-valias da série e um velho conhecido de firefly.

dollhouse-cast-promo-picOs últimos episódios têm realmente um ritmo alucinante, cheios de acção, com muitas revelações e finalmente a ver-se os acontecimentos resultarem em consequências. Começamos a ver um desenvolvimento de personagens, estas deixam de nos parecer tão planas e cliché e começam a valer por aquilo que são. Os episódios 9,10,11,12 apresentam já uma série de alto gabarito e algo que devia ser visto por muita gente.

No entanto a FOX não mostra o episódio 13, pelo menos não logo de seguida, pelo que, apesar da melhoria eram poucos os que esperavam muito mais da série do que aqueles episódios. Até que surge o episódio 13, este pode parecer um bocado desconexo dos restantes episódios, mas é uma obra de arte, e no fundo dá um rumo completamente novo à série. É daqueles episódios pelo qual vale a pena os episódios menos bons, em 49 minutos a série catapultou-se para um outro nível, e a curiosidade por uma segunda temporada atingiu o máximo que seria possível. Tudo muda nesse episódio, e, agora que começávamos a encarar as personagens num plano mais próximas a nós, todas nos surgem em situação de perigo. A gravidade do que estamos a ver pode quase ser sentida como real. Após os episódios 9,10,11 e 12 aquela situação que estamos a ver faz sentido. É um episódio sem limites, um puro exercício de prazer, em que no fim queremos mesmo ver o que irá acontecer. Perderam o medo das temáticas de ficção científica, apostaram nelas em força no fim e finalmente a série era o que deveria ter sido desde do início, uma série de Ficção Científica, não uma série de caso da semana.

Joss Whedon e a sua equipa são realmente muito bons, apesar de terem errado, conseguiram dar a volta por cima e apresentam-nos, no final, algo que realmente vale a pena de se ver. Aqueles que mantiveram a sua fé intacta, aqueles que disseram que as primeiras temporadas de Whedon são sempre mais fracas, mas depois consegue ser muito bom, viram que tinham razão. Os que tinham desistido da série precisam de dar uma nova oportunidade, acabar a temporada, ver realmente a boa televisão que Dollhouse conseguiu, no fim, ser.

Nada apaga o inicio fraco, mas o esforço da equipa de Dollhouse em tentar sair por cima e fazer da série algo de diferente e não apenas mais uma que vem e vai é de louvar e aplaudir.

Podem contar com os reviews da segunda temporada feitos por mim, e podem contar com um espírito critico que se desiludiu como outra pessoa qualquer com os primeiros episódios e não tem medo de dizer que a série não foi nada boa no início.


Summer Glau confirmada para Dollhouse

Agosto 27, 2009

Sem títuloSummer Glau ganhou mesmo um lugar no elenco de Dollhouse, a mais recente série do Joss Whedon.

A actriz, que trabalhou anteriormente com o Whedon em Firefly e Angel, vai interpretar Bennett, uma empregada da Dollhouse que partilha um segredo do passado com a Echo.

O criador da série, Joss Whedon, disse há alguns meses que estava interessado em trazer Summer Glau para a segunda temporada da série.

“Eu mencionei isso a ela antes de Terminator: The Sarah Connor Chronicles ser cancelada. Eu fui ter com ela e disse mais ou menos isso: ‘tu sabes, nós devemos trazer-te para a casa das bonecas’, mas primeiro que tudo, tínhamos de trabalhar numa personagem para ela.”

Para quem teve de sofrer cortes de orçamento, Dollhouse está a apostar muito em participações especiais, principalmente de actores de Battlestar Galactica e das antigas séries do Whedon. Os fãs agradecem!

A segunda temporada de Dollhouse estreia a 25 de Setembro na FOX americana.


Actores falam da segunda temporada de Dollhouse

Agosto 26, 2009

dollhouse1Fran Kranz revelou que a segunda temporada de Dollhouse será ‘sexualmente obscura’.

Ao falar com o E!Online, Kranz e os seus colegas de elenco falaram com os fãs sobre o que acham que vai acontecer brevemente na série da FOX.

Enver Gjokaj, que interpreta o Victor, promete um começo energético para a temporada, dizendo: “Eles não esperam. Vão começam mesmo com o pé direito em várias histórias alucinantes. Tim Minear tem coisas excelentes para serem mostradas e os episódios de Jed Whedon e Maurissa Tancharoen são mesmo algo de outro mundo.

Gjokaj também sugeriu que vai haver mais encontrou românticos entre Victor e Sierra. “Sierra e Victor estão definitivamente ainda envolvidos. Eles vão explorar esta relação amis um pouco, tanto como ‘bonecas’, como o passado de ambos.“, disse o actor.

Eliza Dushku, a protagonista de Dollhouse, revelou que outras relações vão ser exploradas como a da boneca Echo e do agente Paul Ballard: “A Echo ainda não sabe tudo o que se está a passar, mas assim que ela começa a ficar mais consciente, Echo irá reconhecer a sua constante, alto, moreno, o homem que apareceu na Dollhouse“.

Tahmoh Penikett (Ballard) acrescentou: “Eles têm uma ligação. Não é uma atracção física, mas eu espero que seja algo bem explorado nesta temporada. Vocês ainda não sabem muito sobre isso… Existe um passado, uma história, um entendimento entre eles que é muito diferente. Eu acho que os telespectadores vão realmente gostar e ficarem bem curiosos sobre o que vai acontecer nos primeiros episódios.

A primeira temporada de Dollhouse teve os seus episódios fracos e foi criticada por alguns fãs, mas é importante reflectir que a primeira época de ‘Buffy, the Vampire Slayer’ também não foi grandes coisas mas que a segunda já foi excelente. Esperemos que aconteça o mesmo com Dollhouse, e pelas informações que têm surgido e dos recentes actores contratados, tem tudo para dar certo. Afinal de contas, toda a gente quer descobrir como é que a série chegará aos eventos do episódio treze.

A segunda temporada de Dollhouse estreia no dia 25 de Setembro na FOX e terá reviews semanais aqui no Portal de Séries pelo Tiago Duarte, também responsável por ‘NCIS: LA’ e ‘Legend of the Seeker’.


Joss Whedon revela detalhes da segunda temporada de Dollhouse

Junho 13, 2009

joss_lJoss Whedon contou ao Entertainment Weekly alguns pontos que rondam a segunda temporada da sua nova criação após a cancelada Firefly: Dollhouse. O produtor revelou que a missão da Echo em encontrar Caroline vai ser um dos grandes pontos a explorar:

Echo não quer só encontrar Caroline, mas também saber o que está por detrás disso tudo. Ela não tem todas as competências, mas sim este estranho super poder de se tornar uma pessoa diferente várias vezes. Por isso, ela pode começar a usar essa capacidade mais especificamente de modo a descobrir quem a Caroline era, o que aconteceu com ela e o porquê desse lugar existir“.

Alpha, interpretado por Alan Tudyk, que acabou de entrar para a nova série de ficção científica “V” da ABC, vai ser usado nesta segunda temporada de uma forma mais comedida, mas não precisam de se preocupar, pois segundo Joss, “ele vai ser sempre parte da equação”.

Aproveitando o facto dos rumores da entrada de Summer Glau (a ex-Cameron de Terminator: The Sarah Connor Chronicles) para o elenco da série estarem a fervilhar, o criador respondeu que a principal preocupação deles [argumentistas] não é ‘arranjar’ um papel para Glau, mas sim escrever a temporada. Apesar de ser fã do trabalho da Summer, Whedon mostra-se um pouco reticente com o assunto, dizendo até que não se pode dizer logo que ele deve arranjar um papel para a actriz, acrescentando que os rumores que dizem que ela será uma grande parte da série são exagerados.

E vocês, acham que a Summer Glau seria uma grande ajuda para levantar Dollhouse da má audiência?


Lista: Séries famosas que terminarão em 2010!

Maio 24, 2009

jacksE nem sequer começou a próxima temporada e eu já estou a pensar nos finais que vão acontecer na mesma. 2010 será o ano de muitas das grandes séries da actualidade se despedirem, e não falo só de Lost, claro. Eu sou defensor que mais vale acabar uma série cedo e bem do que tarde e mal, por mais que goste da mesma, por isso é com grande agrado que vejo os argumentistas das mesmas a planearem, com muito tempo de antecedência, como irão terminar as mesmas. Existem séries que tal esforço não é exigido, como por exemplo as comédias de meia hora (temos este ano o exemplo de Everybody Hates Chris e Worst Week), mas há outras que isso é mesmo necessário. No final sempre podem comentar quais das seguintes séries é que sentirão mais falta, assim como quais são as que merecem ser canceladas.

lost

A série sobre os sobreviventes do voo 815 entra para a última temporada entre Janeiro e Fevereiro de 2010, terminando em Maio do mesmo ano. Lost é, como devem saber, a minha série favorita e é com grande pena minha que vou vê-la partir. Contudo, a recordação do hit que foi (e irá continuar a ser, acredito eu), assim como os DVDs das mesmas, não deixarão que eu me esqueça dela. Provavelmente este é, de todos os finais, o mais aguardado dos fãs de séries e tenho a certeza que será polémico (esperemos que no bom sentido). Estou bem curioso para saber como tudo vai terminar! E espero que façam o mesmo que fizeram com a última temporada de ‘Os Sopranos’, ou seja, muitos prémios de modo a valorizar a série.

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 15.69 milhões
  • Season 2 – 15.50 milhões
  • Season 3 – 15.05 milhões
  • Season 4 – 13.40 milhões
  • Season 5 – 10.94 milhões

24

Ainda nada é oficial, mas tudo indica que a oitava temporada seja a última da série. As audiências continuam boas, apesar de ter descido em relação às duas temporadas anteriores. Para uma série de acção, com grande custo de produção, ficar abaixo dos 10 milhões de telespectadores por episódio é arriscado, e nos episódios finais da sétima época, já se notava uma certa descida em relação ao início. O oitavo dia de Jack Bauer terá lugar em Nova Iorque e deverá retratar, acima de tudo, a sua luta pela sobrevivência e é provavel que a Kim o ajude, pois esta não está pronta para deixar partir o pai. Também existe a possibilidade deste (suposto) último dia se passar algum tempo depois do sétima e a recuperação de Jack ser explicada apenas por palavras. Eu prefiro ir pela primeira opção!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 8.60 milhões
  • Season 2 – 11.73 milhões
  • Season 3 – 10.30 milhões
  • Season 4 – 11.90 milhões
  • Season 5 – 13.78 milhões
  • Season 6 – 13.00 milhões
  • Season 7 – 11.07 milhões
  • Telefilme ‘Redemption’ – 12.12 milhões

supernatural

Questionada nos upfronts desde ano sobre a continuidade de Supernatural depois da quinta temporada, Dawn Ostroff (presidente do canal The CW) elogiou a equipa de Supernatural pelo aumento das audiências e a positiva quarta temporada, dizendo que a próxima época não é, necessariamente, a última (pelo menos, para já). Quem acompanha notícias da série sabe que o desejo de Eric Kripke é de terminar Supernatural após o final da quinta temporada, que vai ao ar em 2010. Ele é apologista da mesma ideia que eu referi acima, ou seja, prefere acabar a série mais cedo, mas no auge. Os próprios protagonistas já disseram que apoiam o criador nesta decisão, partilhando-a também. Também Jeffrey Dean Morgan disse que, como o próximo ano será provavelmente o último, poderá voltar a dar vida ao John Winchester.

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 4.52 milhões
  • Season 2 – 3.28 milhões
  • Season 3 – 2.92 milhões
  • Season 4 – 3.19 milhões

oth

Esta é outra série da CW que até vai bem nas audiências (é a terceira com maiores números, perdendo apenas para Supernatural e Smallville), mas que corre o risco de ser cancelada após a exibição da sétima temporada. Enquanto que nas anteriores séries eu tinha factos concretos para acreditar que as mesmas vão fechar as temporadas com um series finale e não season finale, no caso de One Tree Hill é pura especulação. A saída de Chad Michael Murray e Hilarie Burton, os dois protagonistas, certamente não vai ajudar a audiência e adivinha-se uma descida considerável. A longevidade da série (sete anos já é muito) também deverá condicionar a decisão em relação a uma oitava temporada. Pessoalmente, desejava que a série nem fosse renovada, pois o episódio 6×24 serviu muito bem como series finale. Infelizmente, a CW não voltou com a sua decisão atrás!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 3.50 milhões
  • Season 2 – 4.30 milhões
  • Season 3 – 2.80 milhões
  • Season 4 – 2.90 milhões
  • Season 5 – 3.30 milhões
  • Season 6 – 2.80 milhões

uglybetty

Esta comédia da ABC é uma das séries mais estimadas da emissora. Apesar de ser reconhecida nas principais cerimónias de prémios, como os Emmy Awards e os Golden Globes, a verdade é que Ugly Betty é muito criticada pelo fãs de séries. Confesso que vi as duas primeiras temporadas e ainda um bocado da terceira, mas a essência que a tornou famosa foi-se perdendo. O principal factor que põe a série em risco de cancelamento é o facto da ABC ter abdicado do seu lugar nas quintas e passar para o dia mais temido da semana: as famosas sextas-feiras. À semelhança de One Tree Hill, esta é apenas mais uma especulação, mas tendo em conta o novo horário e o facto da quarta temporada ter quase sido encomendada por ‘favor’, tenho quase a certeza que será a última. E está mais que na hora de terminar!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 11.30 milhões
  • Season 2 – 9.40 milhões
  • Season 3 – 7.90 milhões

dollhouse

A nova criação de Joss Whedon não teve um primeiro ano fácil. Aliás, Whedon não tem sorte nenhuma com a emissora, tendo em conta o historial de Firefly. Dollhouse teve o seu piloto regravado, e o décimo terceiro episódio nem chegou a ser exibido (felizmente vai para ao DVD da primeira temporada da série), mas apesar disso, a FOX teve a decente atitude de renovar a série para uma segunda temporada. Tendo a Eliza Dushku como protagonista, não consigo deixar de fazer uma conexão de Dollhouse e Tru Calling, que também foi renovada ‘à rasquinha’ para uma segunda e curta temporada, onde acabou por ser cancelada após oito episódio. Treze episódios estão garantidos, e para que isso fosse possível foi necessário cortes no orçamento. A segunda época continuará nas sextas-feiras e com um lead in nada bom, as audiências tendem a não subir. E algo me diz que não vai haver uma segunda oportunidade…

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 3.7 milhões

niptuck

Ora aí está uma série que merece mesmo acabar! Quem vê Nip Tuck sabe que a qualidade apresentada nas primeiras temporadas não foi mantida nas duas últimas, sendo a quinta o cúmulo da esquisitice. Ryan Murphy substituiu o bom drama pelo choque barato e isso só prejudicou esta série que foi, alguns anos atrás, considerada perfeita. A sexta temporada será a última e começa na em principios de 2010, mas na verdade a série só termina em 2011, pois a temporada será dividida em duas partes, tal como aconteceu o ano passado. Eu ainda não sei se vou continuar a ver a série, mas tendo em conta que é o último ano, acho que vou fazer um esforço. Estas informações sobre a sexta ser a última época foram divulgadas pelo FX, canal em que é transmitido o drama médico, portanto é oficial.

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 3.25 milhões
  • Season 2 – 3.80 milhões
  • Season 3 – 3.90 milhões
  • Season 4 – 3.90 milhões
  • Season 5 – 3.60 milhões

smallville

Por fim, a série do Clark Kent, que tem vindo a salvar a série do cancelamento ao longo dos anos. A qualidade caiu bastante, os actores são maus, as histórias previsíveis e gastas, a escrita é pobre em diálogos cativantes, mas mesmo assim a série continua a ser renovada! Mas porquê? Simples: as audiências são boas! Felizmente (para os verdadeiros fãs, é infelizmente), a CW tomou a iniciativa de colocar a série às sextas-feiras na próxima temporada. Tendo em conta que às sextas os jovens querem é sair e o público alvo é esse mesmo, é óbvio que a série não se vai aguentar tão bem como havia feito nos anos anteriores. Também é um facto que a audiência caiu bastante na segunda metade da temporada, mas apesar disso, continua a ser a série mais vista da emissora. Diria que a probabilidade da nono ano de Smallville ser o último é de 50%, visto que apesar destes pontos que indicam o cancelamento, a verdade é que já se fala numa décima temporada!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 5.90 milhões
  • Season 2 – 6.30 milhões
  • Season 3 – 4.96 milhões
  • Season 4 – 4.40 milhões
  • Season 5 – 4.70 milhões
  • Season 6 – 4.10 milhões
  • Season 7 – 3.77 milhões
  • Season 8 – 3.74 milhões

Última Hora: Dollhouse é renovada!

Maio 16, 2009

dollhouse_echo-sc56pt_0049Ao contrário do que se esperava, a nova criação do Joss Whedon é renovada para uma segunda temporada de treze episódios. A primeira temporada da série não teve uma audiência muito boa, mas os dados de gravação foram muito bons e provavelmente ajudaram a FOX a decidir isso. Contudo, apesar dessa informação já ser certa, o anúncio oficial só vai sair na próxima segunda-feira, onde também vai ser decidido o destino de Terminator: The Sarah Connor Chronicles.

O décimo terceiro episódio da primeira temporada, que não foi exibido, vai ser editado juntamente com o DVD da primeira temporada, e trará uma nova prespectiva de Dollhouse. Confesso que ainda não vi a série, mas tendo em conta que estou completamente viciado em Buffy e já entrei no universo de Whedon, tenho a certeza que é algo de qualidade e merece ser renovada. Agora só falta decidir Chuck!