24: Nova contratação de peso

Agosto 17, 2009

Sem títuloSegundo o E!Online, o actor David Anders, que participou na segunda e terceira temporada de Heroes, assinou um contrato para interpretar uma personagem recorrente na nova temporada de 24.

Um representante do actor, que interpretou o vilão Adam Monroe no drama da NBC, confirmou que David vai entrar numa ‘mão cheia de episódios’ na oitava e possível última temporada da série da FOX. Contudo, o porta-voz decidiu não revelar detalhes da sua participação nem da personagem que vai interpretar.

Anders é, assim, a mais recente contratação da série de culto. Outros actores convidados para esta temporada são Freddie Prinze Jr., os actores de Battlestar Galactica Katee Sackhoff e Callum Keith Rennie e T.J. Ramini, de Desperate Housewives.

Anders ficou conhecido por interpretar Julian Sark em Alias (ABC) e, como disse acima, nas últimas duas temporadas de Heroes (NBC).


Fox pondera cancelar '24'

Agosto 8, 2009

seriado_24horasO presidente de entretenimento da FOX Americana – Kevin Reilly – disse que a oitava temporada de ’24’ pode muito bem série a última da série.

Reilly disse ao New York Post: “É o nosso último ano de contrato com a série ’24’. Existem muitas coisas que precisam de ser acertadas, por isso não estamos seguros que a série vai continuar para além da oitava temporada. Isso irá ser uma decisão meramente empresarial“.

Primeiro que tudo, esse não é um programa propriamente barato para se fazer e além disso queremos terminar em grande. Não é uma série que queiramos sustentar.

O protagonista de ’24’, Kiefer Sutherland, também termina o seu contrato após a oitava temporada e caso seja renovada, aposto que a FOX teria que pagar mais de 550 mil dólares por episódio (o que ele ganha agora) a ele. Como o presidente disse, ‘é uma série cara e não a queremos sustentar‘.

Pelos vistos, esta deve ser mesmo a última temporada. Além de ‘Lost’, ’24’ é daquelas séries que revolucionaram a televisão nos anos 2000. Mas está mais que na hora de Jack Bauer ter algum descanso!


CC09: '24', um dos painéis que mais gostaria de ir!

Julho 25, 2009

Sem títuloNesta sexta-feira tivemos o painel daquela que foi eleita a série mais viciante da televisão: 24.

Ter o Kiefer Sutherland, Katee Sackhoff e Mary Lynn Rajskub numa mesma sala, mesmo à vossa frente, deve ser uma sensação espectacular! Além deles, mais esses dois esriveram presentes – Anil Kapoor e Freddie Prinze Jr. – e alguns produtores executivos.

Sutherland revelou que dois pontos marcantes da sétima temporada foram a morte de Bill e a introdução de uma versão feminina de Bauer (Renée) e acrescenta que sente imenso prazer em interpretar o Jack. Prinze (Cole) e Sackhoff (Dana) falaram também um pouco das suas personagens: são os dois noivos e enquanto que ele é um ex-fuzileiro, a ex-Starbuck é uma analista da CTU.

Por falar na CTU, foi confirmada a volta da mesma e segundo o Carlos Alexandre, que acompanhou o trailer da oitava temporada exibido no painel, essa nova CTU está moderníssima! No vídeo ainda vejos Jack preso num esconderijo, apresenta uma nova ameaça presidencial a um visitante que o vê ferido e Dana ajuda Chloe na parte informática.

Kiefer revelou que o seu pai não vai participar na série, pois na altura em que se colocou essa possibilidade, Donald Sutherland estreava Dirty Sexy Money na ABC. Por fim, Manny Coto divulgou como será o início da oitava temporada e diz que Jack estará feliz com a sua filha Kim e a neta Teri (que ganhou o mesmo nome da falecida esposa).

Este artigo foi feito baseado na cobertura do Carlos Alexandre na Comic-Con 2009.


24 – Sétima Temporada (2009)

Julho 20, 2009

766px-Season7Cast

Sem dúvidas essa 7ª temporada de 24 Horas se tornou no mínimo épica em minha opinião. Toda a expectativa criada durante quase 2 anos de espera, já que a ordem de exibição da temporada foi prejudicada pela greve dos roteiristas, e justamente pelo fato da série ter ficado tanto tempo fora do ar, os produtores estavam bastante receosos pela receptividade que ela teria aos olhos do público, mas todo o tempo de espera foi recompensado com uma das melhores, se não a melhor, temporada de todos os tempos de 24 Horas. Ainda vale ressaltar que o telefilme 24: Redemption foi muito importante para o começo da temporada porque abordou personagens importantes para o começo da trama, como foram o Coronel Dubaku (Hakeem Kae-Kazin) e o General Juma (Tony Todd), que acabaram organizando o maior feito terrorista da história da série até então, que foi a invasão das dependências da Casa Branca e tomar como refém a Presidente Allison Taylor (Cherryl Jones), provocando assim um impacto muito grande nos fãs porque até então, na história dos presidenciáveis de 24 Horas e todos os atos terroristas tomados contra eles, incluindo desde ataque biológicos até mesmo a queda do “Air Force 1”, invadir a Casa Branca foi com certeza o ato mais astuto e relevante que os produtores da série já fizeram até hoje.

Por falar em coisas chocantes, os produtores fizeram um ótimo trabalho em tornar esse o pior dia da vida de Jack Bauer (Kiefer Sutherland). Quando Jack se viu obrigado a voltar para os EUA ele estava disposto a pagar por todos os pecados cometidos durante o período em que trabalhou para a CTU, mas não foi bem isso que aconteceu quando a Agente Renee Walker (Annie Wersching) o chamou para ajudar com uma ameaça terrorista no qual o responsável era seu “falecido melhor amigo” Tony Almeida (Carlos Bernard). Acontece que Tony estava trabalhando, até então disfarçadamente, com Chloe (Mary Lynn Rajskub) e Bill (James Morrison) para evitar que os ataques terroristas organizados naquele dia fizessem mais vitimas e de certa forma conseguiu isso, só que por um preço muito alto para Jack. Nesse dia simplesmente ele descobriu que Tony estava vivo, assistiu a morte de seu amigo Bill durante a invasão à Casa Branca para evitar que Juma conseguisse finalizar seus planos, acabou sendo contaminado por um vírus que seria lançado sobre a população e já bastante debilitado fisicamente ainda teve um reencontro emocionante com Kim (Elisha Cuthbert), que até aquela altura não havia revelado que vivia com seu marido Stephen (Paul Wesley) e que agora Jack era avô da pequena Teri. Sem ter a chance de vê-lo aproveitar desses momentos em família novamente, Kim terminou a temporada bastante disposta a realizar o tratamento para que pudesse salvar a vida de Jack e terem mais uma chance juntos.

Falando em família reunida, infelizmente a família da Presidente Taylor não seguiu o mesmo rumo nessa temporada. Ocupando um cargo que requer bastante de si, ela viu sua família se despedaçar quando seu filho Roger (Eric Lively) morreu devido as investigações sobre os atos obscuros que estavam acontecendo durante a administração de sua mãe. O laudo alegou que Roger cometeu suicídio, mas Henry Taylor (Colm Feore) nunca acreditou nessa versão e sempre buscou a verdade sobre o que aconteceu. Foi por causa disso que ele acabou levando um tiro e preocupou bastante sua esposa e sua filha, a rancorosa e sorrateira Olívia Taylor (Sprague Grayden), que se afastou do convívio de sua família após a morte de Roger e de prejudicar a campanha de sua mãe ainda durante a corrida presidencial, conforme Ethan Kanin (Bob Gunton) revelou durante a temporada. O temperamento e as reais intenções de Olívia começaram a aparecer desde o primeiro reencontro entre ela e Ethan, que para evitar mais problemas para a presidente, e sua amiga pessoal, resolveu deixar o cargo de Chefe de Gabinete, assumido posteriormente por Olívia e que ao fazer isso ela acabou marcando uma série de acontecimentos trágicos para sua família. Bastante ressentida ao ver sua mãe sendo obrigada a perdoar os atos de Jonas Hodges (Jon Voight), o homem responsável pelas ações cometidas pelo grupo de mercenários da Starkwood e que estava disposto até mesmo a atacar seu próprio país para conseguir com que seus objetivos pessoais fossem alcançados. Olívia acabou sendo a responsável por ordenar a morte dele e tentar encobrir sua ligação com tudo isso, mas no final com a ajuda de Ethan e Aaron (Glenn Morshower), a Presidente Taylor não viu alternativa a não ser entregar sua filha para a justiça para assim responder por seus atos, deixando arrasado seu marido pela atitude que ela se viu obrigada a tomar.

Para terminar, falando em arrasado, vale o destaque que quando Tony reapareceu nessa temporada ele começou como terrorista, depois estava trabalhando para “os mocinhos”, e no final estava agindo “solo” com o objetivo de cumprir sua vingança ainda devido a morte de Michelle (Reyko Aylesworth). Para isso ele se infiltrou em uma organização terrorista com a intenção de algum dia encontrar Alan Wilson (Will Patton), o homem responsável por toda a conspiração que envolvia o governo americano nos últimos anos e que de certa forma também foi o responsável pela morte de Michelle e do Presidente Palmer (Dennis Haysbert). Jack se viu obrigado a não deixar Tony seguir em frente com sua vingança e assim prendeu seu amigo por tudo o que ele fez nesse dia, restando apenas Chloe como sendo a única amiga com quem ele sempre pode contar, mas pelo menos agora ele encontrou na pessoa de Renee uma pessoa com quem ele se assemelha muito com ele em vários sentidos. E para a 8ª temporada eu espero que os produtores mantenham o excelente nível apresentado na última temporada e fazendo com que essa seja mais uma temporada memorável para os fãs.


24 (7.24) 07am-08am

Junho 18, 2009

7x24i-300x169A segunda hora do episódio season finale 7.24 – 07am-08am, finalmente descobrimos o desfecho desse dia para ser esquecido da vida de Jack Bauer (Kiefer Sutherland) e da Presidente Taylor (Cherryl Jones) em 24 Horas. Falando primeiramente de Jack, após ele conseguir escapar do esconderijo, não conseguiu ir muito longe devido ao seu estado debilitado de saúde, e assim ele foi facilmente capturado por Tony (Carlos Bernard). Enquanto conversava com Jack, Tony finalmente revelou que tudo o que fez nesse dia foi motivada pelo sentimento de vingança, já que após muito tempo Tony descobriu que Alan Wilson (Will Patton), o homem por trás da organização responsável pelos ataques daquele dia, também havia conspirado os eventos da 5ª temporada, com a morte de David Palmer (Dennis Haysbert), Michelle Dessler (Reyko Aylesworth) e o envolvimento de Charles Logan (Gregory Itzin) nos atos daquele dia. Em busca de vingança Tony estava disposto a fazer de tudo para encontrar Wilson e matá-lo para vingar a morte de Michelle, que descobrimos somente agora que ela estava grávida na época, usando até mesmo seu amigo Jack para conseguir isso. Quando Wilson chegou ao local, Tony teria a primeira e única chance para concretizar sua vingança, mas a chegada de Renee (Annie Wersching) e seus homens do FBI atrapalharam os planos iniciais, fazendo até mesmo com que Tony matasse Cara (Amy Price-Francis) para ter o seu momento, mas a chegada de Renee e Jack acabou com as chances de Tony e ele e Wilson foram levados em custódia. Após Wilson chegar ao FBI para seu interrogatório, Renee está bastante propensa a fazer com que ele confesse todos os atos de sua organização, atos esses que levaram à morte de Larry (Jeffrey Nordling) e que para ela conseguir extrair essa confissão, estaria disposta a sacrificar sua carreira fazendo coisas que ela jamais pensou em fazer antes, graças ao seu convívio com Jack.

Finalmente acabou a ameaça, Tony e Wilson estavam presos, a população estava à salvo, e assim Jack poderia morrer em paz. Vale lembrar que ele e Renee tiveram uma conversa emocionante aonde vimos Jack se abrindo como nunca vimos antes, como o fato dele dizer que salvando vidas ele estaria salvando a ele mesmo e que não se arrependeu de nada do que fez até hoje. Pelo que entendi, Jack queria passar por todo o doloroso processo, que levaria a sua morte, sem nenhum remédio para amenizar sua dor e a única coisa que ele queria era “perdoar a si mesmo”, e em razão disso ele chamou Gohah (Ravi Kapoor) para conversar e aliviar sua alma. Achei legal essa atitude porque por muitas temporadas Jack perseguiu muçulmanos terroristas na série e em razão disso ele sempre foi desconfiado com essas pessoas, mas ao buscar uma redenção ele encontrou na figura de um “amigo muçulmano” ele encontrou tranqüilidade e uma palavra amiga para ter em seus últimos momentos. É claro que Kim (Elisha Cuthbert) não iria permitir que seu pai se entregasse daquela forma e para isso ela pediu que a Dr. Macer (Christina Chang) fizesse os arranjos para que eles realizassem o tratamento experimental que ela havia comentado antes, e agora fica a expectativa para descobrir o que aconteceu com eles durante esse período.

Agora falando dos atos de Olivia Taylor (Sprague Grayden), que foram descobertos por Ethan Kanin (Bob Gunton), isso acabou colocando a Presidente Taylor em uma situação complicadíssima. Olivia foi obrigada a contar a verdade para sua mãe sobre a morte de Jonas Hodges (Jon Voight) e seu envolvimento com ela, e dessa forma ela tomaria uma decisão sobre seu futuro. De um lado estava a “mãe Allison”, com sua família bastante abalada, primeiro com a revelação dos responsáveis pela morte de Roger, depois por terem sequestrado e tentado matar Henry Taylor (Colm Feore) e agora com essa descoberta de que Olivia teria ordenado a morte de Hodges. Em outra posição estava a “Presidente Taylor”, que jurou defender a constituição a todo custo, não importando quem seja ou o que fez, e mesmo com os pedidos de Henry para que ela não acabasse com sua família daquela forma, ela decidiu que a melhor e mais correta maneira de lidar com essa situação seria entregando Olivia para que Aaron Pierce (Glenn Morshower) a encaminhasse ao Departamento de Justiça para responder pelos seus atos. Essa atitude colocou a situação entre ela e Henry em perigo, e naquele momento em que tudo parecia estar perdido para ela, foi na figura de seu amigo Ethan que ela encontrou apoio para continuar. Meu destaque final vai para a cena legal de despedida entre Janis (Janeane Garofalo) e Chloe, essa dupla de analistas inteligentes e de temperamento forte que eu adoraria ver trabalhando novamente na próxima temporada, e também digo que esperava mais dessa season finale, pelo que pude acompanhar de toda a 7ª temporada, já que esse episódio final não teve a dose perfeita de “ação-emoção” que vimos anteriormente, principalmente na metade final da temporada, mas que na verdade teve apenas uns 10 ou 15 minutos de ação e o restante se concentrou na emoção de vermos Jack Bauer sucumbir à morte e aceitar seus pecados, mas conforme vimos Kim não irá deixar isso acontecer tão facilmente.

Nota: 9,3


24 (7.23) – 06am-07am

Junho 11, 2009

7x23mNa primeira hora da season finale da 7ª temporada de 24 Horas, o episódio 7.23 – 06am-07am mostrou o que Jack (Kiefer Sutherland) teve que enfrentar para poder libertar Tony (Carlos Bernard) da custódia do FBI. Usando Kim (Elisha Cuthbert) como vantagem para fazer com que Jack soltasse Tony, Cara (Amy Price-Francis) arquitetou todo o plano de fuga e também coordenava com o casal Sarah (Mary Page Kelly) e Frank (Don McManus) para cuidarem de Kim caso algo acontecesse errado no resgate. Jack agiu no momento ordenado e tomou o controle dos agentes do FBI, inclusive Renee (Annie Wersching), e libertou Tony, mas o plano de Tony ia muito além de apenas ser libertado. Com a destruição do cilindro, ele levou Jack para um esconderijo e tentar reconstituir o vírus através do patógeno com que ele havia sido infectado. Através de um experimento bastante doloroso para Jack, os médicos viram que reconstituir o vírus era possível, mas não sem utilizar todos os órgãos infectados, sendo assim Jack teria que morrer. Mesmo não estando bem se saúde, matar Jack Bauer é uma missão bem difícil de ser cumprida, e mesmo afetado pela dor, Jack consegue matar todos os médicos e escapar do local, sendo perseguido logo em seguida por Tony e Cara.

Falando em Tony e Cara, esse episódio também mostrou que Tony não quer ser apenas “um peão” no jogo de xadrez dessa tão comentada organização e por isso ele pediu para que Cara conversasse com Alan Wilson (Will Patton) para que ele ganhasse um papel mais importante na organização, isso porque foi Tony quem comandou a operação e teve a idéia de reconstruir o vírus através de Jack. Apesar do receio de Wilson, ele concordou em se encontrar com Tony para “conversar sobre o assunto”, mas isso foi antes de Jack escapar do esconderijo, agora resta saber o que Wilson fará quando chegar ao local e não encontrar Jack e nem o vírus. Kim foi muito importante nesse episódio porque após descobrir que estava sendo vigiada, ela se manteve tranqüila até o momento do tiroteio no saguão do aeroporto, onde Sarah foi morta e Frank tentou escapar, mas acabou morrendo também quando seu carro explodiu. Antes do carro explodir, Kim foi até o carro e recuperou o notebook que Frank usou para transmitir o vídeo e entregou para que Renee realizasse a busca ver se ajudaria na localização de Jack.

Outro destaque desse episódio foi que enquanto Olivia (Sprague Grayden) era interrogada pelo Departamento de Justiça sobre a morte de Jonas Hodges (Jon Voight), a aliança entre Ethan Kanin (Bob Gunton) e Aaron Pierce (Glenn Morshower), para descobrir se Olivia tinha envolvimento com o acontecido, fez com que Ethan pegasse um cartão de memória onde continha a gravação ligando diretamente Olivia no assassinato de Hodges. Ethan teve que passar por vários momentos difíceis para conseguir pegar o cartão, já que ele acabou sendo detido e revistado por ordem de Olivia, que obviamente sabia que se ele tivesse acesso as gravações, isso seria o fim de sua carreira e prejudicaria muito a administração da Presidente Taylor (Cherryl Jones). Infelizmente para ela, Ethan está de posse da gravação e ainda tem, como agravante da situação entre os dois, toda a história sobre o passado de brigas que levou Olivia a forçar a saída de Ethan. Ele está com tudo o que precisa para desmascarar Olivia, mesmo sabendo que isso irá prejudicar a imagem da Presidente Taylor. Será que ele teria coragem de tomar essa atitude que certamente refletiria na imagem da presidente, e sua amiga, Allison Taylor? Como Jack conseguirá escapar de Tony e Cara estando tão fraco daquele jeito? E será que o note book recuperado por Kim dará alguma pista para que Renee e o FBI encontrem o paradeiro de Jack e Tony? Essas respostas virão no próximo episódio, a season finale dessa excelente 7ª temporada.

Nota: 9,7


One Tree Hill, Ghost Whisperer e 24 avançam anos na história

Junho 9, 2009

untitled-1

Chega mais uma temporada e com ela decisões importantes para as nossas séries favoritas. Enquanto que umas matam personagens e outras mudam de local de filmagens, existem sempre aquelas que seguem o exemplo de Desperate Housewives (que não resultou nada bem) e avançam anos para o futuro. Começando por One Tree Hill, a série que já teve um avanço de quatro anos com a estreia da quinta temporada, saltando a parte da faculdade, vai voltar a ter um salto temporal. Contudo, desta vez é só de um ano e deve servir mais para explicar a introdução das três novas personagens importantes, assim como a saída de Chad Michael Murray e Hilarie Burton da série. Também é importante referir que Brian Austin Green, ao contrário do que foi dito aqui, já não vai participar na série, pois segundo dizem, ele não ficou contente com a reacção dos fãs quando souberam desta história.

Outra série a seguir a mesmas pisadas é Ghost Whisperer. Ao contrário de One Tree Hill, esta é a primeira vez que os argumentistas da série sobrenatural apostam nesse tipo de técnica, mas o salto vai ser muito maior. A decisão de avançar cinco anos após Melinda descobrir que está grávida parece ser a decisão mais apropriada para mostrar o filho dela e de Jim já em criança, e não em bebé. Será que a equipa de produção está a preparar uma espécie de história paranormal para o miúdo ou apenas será uma criança normal? Eu não vejo a série (a minha mãe adora), mas parece uma opção viável, não é? Já estão a ser feitos castings para achar o actor que dará vida ao filho do casal protagonista.

Por fim, temos a veterana dessa técnica: 24. A série protagonizada por Kiefer Sutherland deve avançar mais ou menos quatro anos para o futuro na sua oitava (e possível última) temporada. Enquanto que os saltos temporais de One Tree Hill e Ghost Whisperer foram confirmados pelo Ausiello, este de 24 é apenas especulação minha devido às fotos dos bastidores onde mostra a neta de Jack Bauer no seu colo, com mais ou menos quatro anos. Inicialmente eu pensei que o oitavo dia seria para explicar a sobrevivência de Jack depois de ter estado exposto à arma biológica. A sua recuperação deve ser explicada por palavras no decorrer do oitavo dia, que vai contar com a grande Katee Sackhoff (a Starbuck de Battlestar Galactica).


Fotos do oitavo dia de Jack Bauer. Yeah!

Junho 2, 2009

24set

ESTA NOTÍCIA CONTÉM SPOILERS!

Ainda há duas semanas terminou a sétima temporada de 24, mas já sairam fotos da próxima época que estreia a 17 de Janeiro de 2010 nos Estados Unidos. Muito pouco se sabe além das novas contratações que têm ocorrido nos últimos dias, mas já é confirmado que a história passar-se-á na cidade de Nova Iorque e que a CTU irá voltar, com director já definido. O final da época anterior mostrou Jack Bauer num estado muito crítico de sobrevivência, tendo a sua filha, Kim, como única salvação. Não se sabe se esse dia retratará a sua luta pela vida ou se vai passar algum tempo depois de uma possível recuperação.

Estou muito curioso para ver como as coisas vão correr, principalmente porque a Elisha Cuthbert vai estar por mais tempo (espero eu) do que na sétima temporada.Pelo menos as fotos dos bastidores que se seguem demonstram que ela já está em altura de filmagens para a série. Algumas semanas atrás a oitava época sofria alguns riscos visto que o protagonista, Kiefer Sutherland, havia agredido um homem e este fez queixa. Mas segundo as informações mais recentes sobre o caso, parece que está tudo a ser resolvido. Vamos lá então às fotos!


24: CTU ganha novo diretor

Maio 31, 2009

KIDNAPPEDMuitos nomes já se juntaram ao elenco da 8ª temporada de 24 Horas, mas as novidades estão longe de acabar. As contratações dos atores Chris Diamantopolous, Freddie Prinze Jr, Anil Kapoor e Jennifer Westfeldt deram uma noção de que essa próxima temporada, juntando com o elenco da temporada anterior, têm tudo para dar certo. Mas como novos personagens em 24 Horas nunca são demais, em breve a CTU estará recebendo um novo diretor.

Com a morte de Bill Buchanan (James Morrison) durante a 7ª temporada, os produtores buscavam um novo personagem com pulso firme para comandar o retorno da CTU na série e encontrou no ator Mykelti Williamson o nome perfeito para o papel. Williamson irá interpretar Brian Hastings, o diretor da unidade da CTU – Nova York.

Mykelti Williamson já fez algumas participações especiais nas séries Monk, Psych e CSI NY.

Notícia também publicada no CineSéries


24 (7.22) – 05am-06am

Maio 25, 2009

snapshot20090525152838Quando pensamos que uma ameaça termina em 24 Horas, é aí que uma nova surge para atrapalhar o dia de Jack Bauer (Kiefer Sutherland). No episódio 7.22 – 05am-06am conseguimos acompanhar o desfecho da situação que envolvia Jibraan (Omid Abtahi), seu irmão Hamid (Rafi Gravron) feito como refém, e a ameaça do cilindro, já que Tony (Carlos Bernard) finalmente deu a localização do alvo, que seria detonado dentro do metrô no centro de Washington. Graças à ação em conjunto de Jack e Renee (Annie Wersching) em campo eles conseguiram capturar Tony, mas o destaque dessa operação vai para Chloe (Mary Lynn-Rajskub) e Janis (Janeane Garofalo), que trabalharam juntas e demonstraram que o temperamento explosivo de ambas é muito legal de se ver em cena e não restam dúvidas de que elas merecem trabalhar juntas novamente na próxima temporada. Contando com a ajuda de Jack, Jibraan encontrou o cilindro dentro do metrô e chegou do lado de fora da estação no exato momento em que as equipes de apoio se aproximaram e assim, graças a Jack, o cilindro explodiu em segurança e acabou com os planos de Tony.

A situação de Jack chegava assim a um desfecho, já que ele havia prendido Tony, conseguiu uma reconciliação com sua filha Kim (Elisha Cuthbert), apesar de negar a ajuda dela para o tratamento, e deu um fim na ameaça da arma biológica. Kim já estava no aeroporto, conversando ao telefone com seu marido Stephen (Paul Wesley), quando percebeu que algo estava errado e sentou-se ao lado de Frank (Don McManus) e Sarah (Mary Page Keller), um casal aparentemente normal que na verdade trabalhava para o grupo de Tony. Quando pensava não ter mais nada para se preocupar, Jack recebe uma ligação de Cara (Amy Price-Francis) mostrando que o grupo dela estava vigiando Kim no aeroporto e ameaçava matá-la caso Tony não fosse libertado da custódia do FBI, sendo assim Jack precisa libertar Tony para evitar que sua filha morra.

Nesse episódio também tivemos a situação de Olívia (Sprague Grayder) se complicando ainda mais por dois motivos: o primeiro está ainda implicado na morte de Jonas Hodges (Jon Voight), na qual mesmo ela mudando de idéia na hora de transferir os fundos o “serviço foi feito” com o aval de Martin Collier (Leland Orser), já que ela pediu que ele cuidasse da situação de Hodges mesmo após tantas tentativas de fazê-la mudar de opinião sobre isso, sendo assim agora o Departamento de Justiça está suspeitando de 11 pessoas que sabiam que Hodges seria transferido naquele momento e fazendo dela suspeita também. O segundo motivo surgiu quando Aaron (Glenn Morshower), desconfiando do comportamento estranho de Olívia nas ultimas horas, liga para Ethan Kanin (Bob Gunton), que retorna nesse episódio, e pede para ele o ajudar a investigar alguns registros telefônicos e descobrir em que Olívia está metida antes que seja tarde demais para alertar a Presidente Taylor (Cherryl Jones). O desfecho desse episódio deixou uma sensação que já vimos muitas vezes em outras temporadas: Kim em perigo e Jack sendo ameaçado a fazer de tudo para salvá-la. Mas será que para isso Jack seria capaz de libertar Tony, o homem que “surgiu dos mortos” nessa temporada, fingiu ser seu amigo e depois o traiu? E o que acontecerá com Olívia Taylor quando as suspeitas da morte de Hodges caírem sobre ela? Os próximos dois episódios marcam a season finale da 7ª temporada, portanto muitas coisas ainda estão para acontecer nesses dois últimos episódios e irão marcar ainda mais essa temporada, na opinião de muitos, como a melhor de todos os tempos.

Nota: 9,5


24 (7.21) – 04am-05am

Maio 25, 2009

800px-jibraanfilmingNesse episódio 7.21 – 04am-05am vimos a situação em que Tony (Carlos Bernard), Cara (Amy Price-Francis) e seus homens colocaram Jibraan Al-Zarian (Omid Abtahi), que segundo o plano de Tony ele seria acusado pelo ataque programado para acontecer dentro das próximas horas e para que isso ganhasse mais veridicidade, Jibraan foi obrigado a ler uma declaração assumindo a autoria dos ataques e mentir para seu irmão Hamid (Rafi Gavron), ao dizer que era um terrorista, para salvar a vida dele. Graças ao trabalho de Chloe (Mary Lynn-Rajskub) e Janis (Janeane Garofalo) nos computadores da UCT, elas primeiramente descobriram que Jibraan poderia ser o suspeito principal e passou o contato de Muhtadi Gohar (Ravi Kapoor), um homem que cuidava da mesquita onde Jibraan costumava ir rezar e que poderia ajudar a localizar o endereço dele, mas após uma nova varredura no sistema Chloe descobriu que os dados que incriminavam Jibraan foram forjados. Jack (Kiefer Sutherland) e Renee (Annie Wersching) trabalharam juntos em campo nesse episódio na caça ao cilindro e Jack mostrou que está disposto a tudo para capturar Tony que nem seu estado de saúde delicado o impedirá de encontrá-lo. Inclusive nesse episódio Chloe acabou descobrindo, em um momento emocionante e aos prantos, que seu amigo Jack está morrendo.

Além da ameaça de Tony com o cilindro, outro ponto que podemos destacar foi a morte de Jonas Hodges (Jon Voight). Como vimos no episódio 7.20 – 03am-04am, Olívia (Sprague Grayden) estava revoltada com o acordo concedido pela Presidente Taylor (Cherryl Jones) para que Hodges se livrasse das acusações pela ajuda dada nas investigações e para “cuidar da situação” ela chamou Martin Collier (Leland Orser). Através de outro “contato”, Olivia teria que depositar uma quantia em dinheiro para que esse homem matasse Hodges, mas ao receber de Aaron (Glenn Morshower) a noticia que seu pai Henry Taylor (Colm Feore) estava na Casa Branca e queria vê-la. Lembrem-se que Henry Taylor voltou após um longo período longe devido a sua cirurgia para se recuperar do tiro levado a “12 horas atrás”, no episódio 7.08 – 03pm-04pm.

Olívia estava determinada a ordenar a morte de Hodges, mas mudou de idéia no último momento e cancelou a transferência do dinheiro, porém isso não evitou que o carro onde Hodges estava explodisse, deixando Olívia ainda mais nervosa após Tim Woods (Frank John Hughes) comunicar a Presidente Taylor sobre a morte de Hodges e que isso deve ter sido um trabalho interno, de alguém que conhecia os procedimentos feitos. Retornando a busca de Jack e Renee, eles conseguiram chegar a casa de Jibraan, onde o irmão dele era feito refém, e conseguiram resgatá-lo das mãos de Harbinson (Brian Kimmet), que acabou sendo ferido por Hamid durante a invasão do FBI. Harbinson é o único que pode dizer a Jack a localização de Tony e quais são os planos dele para o cilindro roubado da Starkwood. Outra dúvida que fica é como Olivia vai conseguir se livrar dessa situação em que se meteu, agora que Jonas Hodges está morto e todas as evidencias de uma investigação poderão cair sobre ela. Restam apenas mais 3 horas para a conclusão de mais um dia infernal na vida de Jack Bauer, portanto vamos aproveitar esse finalzinho de temporada.

Nota: 9,0


Lista: Séries famosas que terminarão em 2010!

Maio 24, 2009

jacksE nem sequer começou a próxima temporada e eu já estou a pensar nos finais que vão acontecer na mesma. 2010 será o ano de muitas das grandes séries da actualidade se despedirem, e não falo só de Lost, claro. Eu sou defensor que mais vale acabar uma série cedo e bem do que tarde e mal, por mais que goste da mesma, por isso é com grande agrado que vejo os argumentistas das mesmas a planearem, com muito tempo de antecedência, como irão terminar as mesmas. Existem séries que tal esforço não é exigido, como por exemplo as comédias de meia hora (temos este ano o exemplo de Everybody Hates Chris e Worst Week), mas há outras que isso é mesmo necessário. No final sempre podem comentar quais das seguintes séries é que sentirão mais falta, assim como quais são as que merecem ser canceladas.

lost

A série sobre os sobreviventes do voo 815 entra para a última temporada entre Janeiro e Fevereiro de 2010, terminando em Maio do mesmo ano. Lost é, como devem saber, a minha série favorita e é com grande pena minha que vou vê-la partir. Contudo, a recordação do hit que foi (e irá continuar a ser, acredito eu), assim como os DVDs das mesmas, não deixarão que eu me esqueça dela. Provavelmente este é, de todos os finais, o mais aguardado dos fãs de séries e tenho a certeza que será polémico (esperemos que no bom sentido). Estou bem curioso para saber como tudo vai terminar! E espero que façam o mesmo que fizeram com a última temporada de ‘Os Sopranos’, ou seja, muitos prémios de modo a valorizar a série.

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 15.69 milhões
  • Season 2 – 15.50 milhões
  • Season 3 – 15.05 milhões
  • Season 4 – 13.40 milhões
  • Season 5 – 10.94 milhões

24

Ainda nada é oficial, mas tudo indica que a oitava temporada seja a última da série. As audiências continuam boas, apesar de ter descido em relação às duas temporadas anteriores. Para uma série de acção, com grande custo de produção, ficar abaixo dos 10 milhões de telespectadores por episódio é arriscado, e nos episódios finais da sétima época, já se notava uma certa descida em relação ao início. O oitavo dia de Jack Bauer terá lugar em Nova Iorque e deverá retratar, acima de tudo, a sua luta pela sobrevivência e é provavel que a Kim o ajude, pois esta não está pronta para deixar partir o pai. Também existe a possibilidade deste (suposto) último dia se passar algum tempo depois do sétima e a recuperação de Jack ser explicada apenas por palavras. Eu prefiro ir pela primeira opção!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 8.60 milhões
  • Season 2 – 11.73 milhões
  • Season 3 – 10.30 milhões
  • Season 4 – 11.90 milhões
  • Season 5 – 13.78 milhões
  • Season 6 – 13.00 milhões
  • Season 7 – 11.07 milhões
  • Telefilme ‘Redemption’ – 12.12 milhões

supernatural

Questionada nos upfronts desde ano sobre a continuidade de Supernatural depois da quinta temporada, Dawn Ostroff (presidente do canal The CW) elogiou a equipa de Supernatural pelo aumento das audiências e a positiva quarta temporada, dizendo que a próxima época não é, necessariamente, a última (pelo menos, para já). Quem acompanha notícias da série sabe que o desejo de Eric Kripke é de terminar Supernatural após o final da quinta temporada, que vai ao ar em 2010. Ele é apologista da mesma ideia que eu referi acima, ou seja, prefere acabar a série mais cedo, mas no auge. Os próprios protagonistas já disseram que apoiam o criador nesta decisão, partilhando-a também. Também Jeffrey Dean Morgan disse que, como o próximo ano será provavelmente o último, poderá voltar a dar vida ao John Winchester.

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 4.52 milhões
  • Season 2 – 3.28 milhões
  • Season 3 – 2.92 milhões
  • Season 4 – 3.19 milhões

oth

Esta é outra série da CW que até vai bem nas audiências (é a terceira com maiores números, perdendo apenas para Supernatural e Smallville), mas que corre o risco de ser cancelada após a exibição da sétima temporada. Enquanto que nas anteriores séries eu tinha factos concretos para acreditar que as mesmas vão fechar as temporadas com um series finale e não season finale, no caso de One Tree Hill é pura especulação. A saída de Chad Michael Murray e Hilarie Burton, os dois protagonistas, certamente não vai ajudar a audiência e adivinha-se uma descida considerável. A longevidade da série (sete anos já é muito) também deverá condicionar a decisão em relação a uma oitava temporada. Pessoalmente, desejava que a série nem fosse renovada, pois o episódio 6×24 serviu muito bem como series finale. Infelizmente, a CW não voltou com a sua decisão atrás!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 3.50 milhões
  • Season 2 – 4.30 milhões
  • Season 3 – 2.80 milhões
  • Season 4 – 2.90 milhões
  • Season 5 – 3.30 milhões
  • Season 6 – 2.80 milhões

uglybetty

Esta comédia da ABC é uma das séries mais estimadas da emissora. Apesar de ser reconhecida nas principais cerimónias de prémios, como os Emmy Awards e os Golden Globes, a verdade é que Ugly Betty é muito criticada pelo fãs de séries. Confesso que vi as duas primeiras temporadas e ainda um bocado da terceira, mas a essência que a tornou famosa foi-se perdendo. O principal factor que põe a série em risco de cancelamento é o facto da ABC ter abdicado do seu lugar nas quintas e passar para o dia mais temido da semana: as famosas sextas-feiras. À semelhança de One Tree Hill, esta é apenas mais uma especulação, mas tendo em conta o novo horário e o facto da quarta temporada ter quase sido encomendada por ‘favor’, tenho quase a certeza que será a última. E está mais que na hora de terminar!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 11.30 milhões
  • Season 2 – 9.40 milhões
  • Season 3 – 7.90 milhões

dollhouse

A nova criação de Joss Whedon não teve um primeiro ano fácil. Aliás, Whedon não tem sorte nenhuma com a emissora, tendo em conta o historial de Firefly. Dollhouse teve o seu piloto regravado, e o décimo terceiro episódio nem chegou a ser exibido (felizmente vai para ao DVD da primeira temporada da série), mas apesar disso, a FOX teve a decente atitude de renovar a série para uma segunda temporada. Tendo a Eliza Dushku como protagonista, não consigo deixar de fazer uma conexão de Dollhouse e Tru Calling, que também foi renovada ‘à rasquinha’ para uma segunda e curta temporada, onde acabou por ser cancelada após oito episódio. Treze episódios estão garantidos, e para que isso fosse possível foi necessário cortes no orçamento. A segunda época continuará nas sextas-feiras e com um lead in nada bom, as audiências tendem a não subir. E algo me diz que não vai haver uma segunda oportunidade…

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 3.7 milhões

niptuck

Ora aí está uma série que merece mesmo acabar! Quem vê Nip Tuck sabe que a qualidade apresentada nas primeiras temporadas não foi mantida nas duas últimas, sendo a quinta o cúmulo da esquisitice. Ryan Murphy substituiu o bom drama pelo choque barato e isso só prejudicou esta série que foi, alguns anos atrás, considerada perfeita. A sexta temporada será a última e começa na em principios de 2010, mas na verdade a série só termina em 2011, pois a temporada será dividida em duas partes, tal como aconteceu o ano passado. Eu ainda não sei se vou continuar a ver a série, mas tendo em conta que é o último ano, acho que vou fazer um esforço. Estas informações sobre a sexta ser a última época foram divulgadas pelo FX, canal em que é transmitido o drama médico, portanto é oficial.

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 3.25 milhões
  • Season 2 – 3.80 milhões
  • Season 3 – 3.90 milhões
  • Season 4 – 3.90 milhões
  • Season 5 – 3.60 milhões

smallville

Por fim, a série do Clark Kent, que tem vindo a salvar a série do cancelamento ao longo dos anos. A qualidade caiu bastante, os actores são maus, as histórias previsíveis e gastas, a escrita é pobre em diálogos cativantes, mas mesmo assim a série continua a ser renovada! Mas porquê? Simples: as audiências são boas! Felizmente (para os verdadeiros fãs, é infelizmente), a CW tomou a iniciativa de colocar a série às sextas-feiras na próxima temporada. Tendo em conta que às sextas os jovens querem é sair e o público alvo é esse mesmo, é óbvio que a série não se vai aguentar tão bem como havia feito nos anos anteriores. Também é um facto que a audiência caiu bastante na segunda metade da temporada, mas apesar disso, continua a ser a série mais vista da emissora. Diria que a probabilidade da nono ano de Smallville ser o último é de 50%, visto que apesar destes pontos que indicam o cancelamento, a verdade é que já se fala numa décima temporada!

Audiências por temporada (média por episódio, em milhões de telespectadores):

  • Season 1 – 5.90 milhões
  • Season 2 – 6.30 milhões
  • Season 3 – 4.96 milhões
  • Season 4 – 4.40 milhões
  • Season 5 – 4.70 milhões
  • Season 6 – 4.10 milhões
  • Season 7 – 3.77 milhões
  • Season 8 – 3.74 milhões

Oitava temporada de '24' ganha mais duas contratações

Maio 23, 2009

24contrat

As gravações da 8ª temporada de 24 Horas estão previstas para começar em breve, mesmo com a ameaça que ronda o ator Kiefer Sutherland, mas enquanto não se iniciam as filmagens dessa temporada, que se passará na cidade de Nova York, o trabalho dos produtores na busca do elenco que participará da série segue com força total, já que após a contratação do ator Anil Kapoor, do filme “Quem quer ser milionário?”, mais um nome foi confirmado para participar dessa 8ª temporada.

De acordo com o site EW, o ator Chris Diamantopoulos foi contratado para interpretar o personagem Rob Weiss. Diamantopoulos será um ator regular na série e fará o papel do novo Chefe de Gabinete da Presidente Allison Taylor (Cherryl Jones). Ele irá substituir Ethan Kanin (Bob Gunton), que ocupou esse posto durante grande parte dessa 7ª temporada e voltou após os acontecimentos ocorridos com Olivia (Sprague Grayden) no último episódio da temporada.

O último trabalho de Chris Diamantopoulos na televisão foi na “finada” série The Started Wife, interpretando o amigo gay da personagem vivida pela atriz Debra Messing.


24 (7.20) – 03am-04am

Maio 21, 2009

7x20_jackhodges-300x1691O limite físico enfrentado por Jack (Kiefer Sutherland) nas últimas horas se tornaram cada vez mais evidentes, conforme vimos no episódio 7.20 – 03am-04am. Primeiro porque ele não consegue mais passar muito tempo sem usar os medicamentos dados pela Dr. Macer (Christina Chang) para mascarar os sintomas da exposição sofrida por ele e devido a isso seu comportamento, que já vinha sofrendo algumas mudanças e com a traição de Tony (Carlos Bernard) ficou ainda mais alterado, nesse episódio mostrou mais uma faceta quando ele deliberadamente gritou com Janis (Janeane Garofalo) quando ela questionava a reativação dos sistemas da UCT. Naquele momento Chloe (Mary Lynn-Rajskub), que já estava em seu hotel ao lado de Morris (Carlo Rota) e seu filho Prescott (Cap Gordon) e voltou nesse episódio para cuidar dos protocolos do sistema, percebeu que alguma coisa estava errada com Jack, já que ele falou duas vezes que quem havia dado a ordem foi o falecido Presidente Palmer quando na verdade foi a Presidente Taylor (Cherryl Jones).

Por falar na Presidente Taylor, nesse episódio ela enfrentou mais um dilema moral com Olívia (Sprague Grayden) quando o assunto em questão era o acordo prometido para que Jonas Hodges (Jon Voight) dissesse os nomes dos envolvidos na tão falada “conspiração maior”, já que tudo o que ele havia feito no comando da Starkwood naquele dia se tratava “de uma pequena engrenagem que fazia parte de uma grande máquina”, conforme o próprio havia dito. Juntamente com Tim Woods (Frank John Hughes), a Presidente Taylor achou melhor concordar com o acordo de proteção para Hodges e sua família, algo que Olívia não concordava principalmente por tudo o que fez naquele dia e também pela morte de seu irmão Roger, mas a situação em que a presidente estava a forçou a realizar esse acordo. Ao desabafar com Aaron (Glenn Morshower), Olívia sem querer diz que queria Hodges morto e com isso ela teve a idéia de ligar para Martin Collier (Leland Orser), um consultor político que poderia ajudá-la a “cuidar de um problema”, só aí já pode ver que com tamanha raiva que ela estava sentindo de Hodges, coisa boa não será.

Outro ponto que podemos destacar é que finalmente vimos que Hodges dizia a verdade sobre o grande grupo de pessoas que estava por trás desses ataques aos EUA. Conforme Jack havia dito, ele usou Chloe e Bill (James Morrison) como iscas para conseguir colocar as mãos nas armas biológicas e entregá-las a esse grupo. Após matar Galvez (Gabriel Casseus), Tony entrega o cilindro para Cara (Amy Price-Francis), que precisou mediar uma reunião com os demais membros dessa conspiração composta por 12 pessoas, incluindo Alan Wilson (Will Patton), que foi quem convenceu os outros membros mais receosos de que esse momento certo para atacar o país. A idéia do grupo era atacar o país em simultaneamente em várias cidades e plantar indícios que células terroristas muçulmanas levariam a culpa.

Com essa idéia em mente, Cara escolheu como possível responsável pelo ataque Jibraan Al-Zarian (Omid Abtahi), que se encaixava no perfil para ser o autor da liberação do vírus Príon. Após Tony e seus homens invadirem a casa de Jibraan e fazer seu irmão Hamid (Rafi Gavron) como refém, ele não deixou alternativa a não ser fazer com que Jibraan faça o que ele mandar. E foi dessa forma que terminou o episódio, com destaque especial para a cena em que novamente vemos a logo da UCT em 24 Horas, uma entrada perfeita para a reativação do órgão que retornará na 8ª temporada da série, e agora nos resta saber qual será o alvo determinado por Alan Wilson para planeja lançar o ataque e se Jack conseguirá impedir que isso aconteça antes que mais pessoas inocentes morram.

Nota: 9,2


24 (7.19) – 02am-03am

Maio 17, 2009

719Após o fatídico episódio 7.18 – 01am-02am, onde tivemos a traição de Tony (Carlos Bernard) e o retorno de Kim (Elisha Cuthbert) como alguns dos destaques principais, nesse episódio 7.19 – 02am-03am pudemos acompanhar o retorno de Jack (Kiefer Sutherland) aos trabalhos de campo, já que após Renee (Annie Wersching) descobrir que Larry (Jeffrey Nordling) estava morto, ele sentiu que ela poderia precisar de ajuda para passar por esse momento e também para não perder o foco na captura de Robert Galvez (Gabriel Casseus), que estava de posse de um dos cilindros. Renee sentiu bastante a morte de Larry, mas permaneceu firme durante as buscas por Galvez e conseguiu coordenar as equipes, contando com o apoio de Jack, que para não prejudicar em nada preferiu ficar no auxílio da equipe, e foi graças a isso que ele conseguiu identificar a armadilha montada por Galvez em um armazém abandonado e que evitou que mais vidas fossem perdidas durante a explosão.

A idéia do armazém foi de Tony, que conforme visto durante todo o episódio estava passando informações em tempo real para que Galvez pudesse escapar de lá com o cilindro, mas antes disso atirou nele mesmo e precisou convencer o FBI sobre o que aconteceu com Larry durante o tiroteio. Embora a história a princípio parecesse um pouco confusa, graças à excelente percepção de Jack que notou alguns detalhes, Tony conseguiu convencer o pessoal e continuou no local para ajudar Galvez, que usou o momento da explosão e de toda a movimentação para, com a ajuda de Tony, fugir com o cilindro. Além da história confusa do tiroteio outro detalhe fez com que Jack confrontasse Tony sobre o que ele estava fazendo. Durante seu depoimento ao Agente Mizelli (Rey Gallegos), ainda na sede do FBI, Jack disse que uma fonte de Tony, chamada Vincent Cardiff, havia passado as informações sobre os ataques antes de morrer, mas logo depois ele descobriu que Cardiff havia sido preso poucas horas atrás, fazendo com que assim Jack confrontasse Tony, mas aí novamente apareceram os problemas de saúde referentes à sua contaminação e Tony conseguiu escapar.

Jonas Hodges (Jon Voight) agora está preso por todos os atos cometidos durante a ameaça da Starkwood, mas antes que pudesse ser interrogado pelo FBI, fato esse que deixou Olivia (Sprague Grayden) bastante incomodada com a decisão tomada pela Presidente Taylor (Cherryl Jones) ele recebeu uma visita de Cara Bowden (Amy Price-Francis), que acabou assumindo a identidade da advogada de Hodges para poder ter um momento a sós e dar a ele uma alternativa para que a Starkwood não fosse implicada no processo que o governo iria mover contra a empresa. Hodges pode ser um sociopata, insano e assassino, mas quando se trata do legado da Starkwood ele sabe diferenciar isso, principalmente após uma rápida conversa com o militar que estava transportando ele para o FBI e que havia servido com alguns homens da Starkwood em uma missão, fato esse deixou Hodges ainda mais propenso a tomar uma pílula, que foi entregue por Cara na prisão, e que o faria ter um ataque cardíaco e assim ele foi encaminhado ao hospital.

Outro destaque vai para Kim, que novamente apareceu nesse episódio e que, diante da negativa de seu pai para ajudar no tratamento, ela acabou partindo rumo a sua casa novamente. Durante uma conversa com seu marido Stephen (Paul Wesley), ela disse que não há muito mais o que fazer e nem mesmo o clima era favorável para contar da novidade: Jack Bauer é vovô!! A pequena Teri, nome em homenagem a sua mãe morta durante a 1ª temporada, seria motivo de tremenda felicidade quando Jack descobrisse, mas ela achou melhor não revelar nesse momento e talvez esperar por uma nova oportunidade. Em resumo foram esses os principais pontos que posso destacar desse episódio, agora que definitivamente vimos que Tony é um traidor, resta saber o que ele planeja fazer com o cilindro, já que ainda não temos certeza se ele o quer para vender ou apenas para usar contra a população, mas para ter a resposta disso vamos aguardar pelo próximo episódio dessa eletrizante 7ª temporada de 24 Horas.

Nota: 9.4