Heroes (4.01/02) – Orientation / Jump, Push, Fall

Setembro 22, 2009

Heroes principal47 minutos e 32 segundos. Foi o tempo que a alma de Heroes demorou a voltar. Foi o tempo que vivemos sem o Sylar. Foi o tempo que Heroes sobreviveu sem o seu vilão. Sendo assim, irei dividir o review em duas partes: antes dos 47 minutos e 32 segundos e depois dos 47 minutos e 32 segundos.

Antes dos 47 minutos e 32 segundos

Primeiro é de louvar não ouvir a voz de Sendhil Ramamurthy. Desta vez foi Robert Knepper a abrir o episódio, com uma narrativa sobre redenção. E pouco mais o resto do episódio (ou seja, Orientation) trouxe. Redenção para cá, redenção para lá, redenção para o Mark Parkman, para o Peter Petrelli, para a Claire Bennet e para o Hiro Nakamura (pouco, mas esta também está lá). Ambos tentaram tornar-se útil a sociedade. Mas antes um pormenor. Acho que um dos problemas de Heroes é o excesso de personagens espalhadas por espaço, e por vezes tempo, diferentes. Apesar de ainda termos bastantes personagens, já se viu que houve uma tentativa de encurtar o elenco (nem que seja por níveis financeiros). A narrativa ganha outro ritmo, ganha outro interesse. Esperemos que continuem com esta escolha, e ainda consigam reduzir mais os espaços por onde as personagens estão espalhadas.

Continuando com a redenção. Cada personagem regressa ao seu “destino” humano, os seus objectivos. Parkman regressa a detective, Peter a paramédico, Claire a universidade e Hiro, sem nenhum destino (já não me lembro se fazia alguma coisa quando lhe deu na cabeça fechar os olhos com muita força) em especial, decide entregar o seu poder ao povo japonês. Vendo os caminhos, é interessante ver que tanto Hiro como Peter não conseguiram deitar fora os seus poderes, e que Parkman e Claire tentam mantê-los longe da sua vida.

Heroes1A primeira parte do episódio teve pouco ritmo (foi escrita Tim Kring, ou seja, pedia-se mais) e serviu principalmente para introduzir o novo volume. A família de Samuel Sullivan parece que será o principal tema do próximo volume. A apresentação da família deu para perceber pouco do que será este novo problema, mas deu para perceber que tem um “viajante do tempo” na equipa, mas já muito usado. De resto, parece que a família é um conjunto de heróis nómadas, no qual conta um velocista, tal como a Elle, com o nome de Edgar. De resto, não consegui disfarçar os poderes de Robert Knepper e a sua companheira, Lydia, na descoberta de novos membros para a família. Talvez num futuro próximo.

Para acabar a caracterização da primeira parte mais parada, falta falar ainda dos novos poderes do Nathan. O Sylar está a vir ao cima, pois, tal como disse no começo do review, a série não aguenta sem o seu vilão imortal. Angela já adivinha o futuro, e vê que o perigo regressará (I’m back…lembram-se do último episódio da segunda temporada, principio do terceiro volume??).

Agora vamos a primeira parte mais mexida. Ou seja, últimos minutos. Claire encontra a sua colega morta. Eu pensei que sairia daqui mais uma daquelas histórias intermináveis de Heroes, que ira ser paralela a narrativa principal. Parece que não, mas isso só foi na segunda parte, por isso continuemos a falar da primeira. Continuando: Morte do Danko. Tracy Strauss volta a carga, agora imortal, ou assim parece. Após a quase morte de HRG, decide atacar Danko. Mas, quando tudo parecia resolvido, o velocista ataca. E perde-se um grande actor. Heroes em vez de riscar pequenos actores, ataca grandes. Claro que Danko já não tinha utilidade, e assim ganhou alguma, mas para cada um destes actores que deitam fora, deitavam fora 2/3 dos outros. Alguns já foram, outros parecem que estão no caminho. Sim. Hiro Nakamura parece que está a morrer, ou seja, Heroes torna-se uma série melhor. O pior é que não sabemos quando morrerá, se é antes do final da série (com as audiências que teve, Heroes pode começar a pensar no final…).

Após os 47 minutos e 32 segundos

A audiência caiu. Porque? Só por uma razão. O lead-in da segunda parte foi a primeira. Agora já não escrita por Tim Kring, a série teve um ritmo superior, consegui interessar mais, em parte porque Sylar voltou.

Começamos com o regresso de Hiro ao passado, não sei por alma de quem. Vamos ter outra vez um Hiro que salta de tempo em tempo? Mas prontos, vamos continuar. E vamos entrar num paradigma. O regresso de Hiro ao passado para o corrigir significou que a sua redenção não foi cumprida. Utilizou os poderes para fazer aquilo que jurou não fazer. Mas o paradigma não é esse. É este: se o Hiro alterou o passado, então mudou a sua história de vida, logo não sabe que tinha alterado o passado. E começam aqui os erros de Heroes. Heroes tem-se safado bem de voltar ao passado e muda-lo. A única vez que passou lá algum tempo, Hiro Nakamura ainda não vivia. Logo não tem influencia. Agora, e a par das outras vezes, o Hiro altera o seu passado, e consequentemente o seu futuro. Ou seja, Heroes estava a tentar safar-se deste buraco, mas voltou a cair. Um erro que podia ser corrigido. Mas, passando o erro, este serviu para mostrar que qualquer retorno ao passado não é possível. Todos os heróis não conseguem esquecer o que passaram. E assim começa não a redenção, mas de novo o uso e abuso dos poderes.

Heroes4Foi isso que aconteceu com Claire. Com a morte da sua companheira de quarto, Claire decide investigar com a sua nova companheira a morte. E começaram aqui os erros. Claire não consegue aguentar, e toca a atirar-se da janela a baixo. Foi suicídio, ou seja, parece que história não vai dar a lado nenhum, mas o mistério criado nela foi um bocado exagerado. Mas os propósitos são conseguidos. A nova companhia de Claire, Gretchen, descobre os poderes de Bennet, ou seja, a redenção foi o propósito para dar um título ao volume, nada mais.

Pois também foi isso que aconteceu com Matt Parkman. Mas com Parkman a situação é mais complexa. É que Matt começa a alucinar com Sylar, a pedir o seu corpo de volta. O vilão ficou preso na cabeça do detective, e agora começa a atacar. Aqui se vê que Heroes não consegue viver sem Sylar. Precisaram de o trazer logo na segunda metade, mas como não podiam estragar o corpo de Nathan (pois o Adrian Pasdar deve ter contracto até ao final da temporada, e seria um gasto de dinheiro) arranjam outra maneira de fazer regressar Zachary Quinto. Eu agradeço profundamente, pois ver um actor deste representar é sempre um gosto. Mas o que sairá daqui será a forma de Sylar regressar ao seu corpo. Começa a preparar o caminho para o regresso do vilão.

Mas o que falta saber é se o Sylar regressará mais rapidamente de outra maneira. Nathan começa a experimentar os poderes do seu “companheiro de corpo” e parece que o regresso também poderá ser feito desta maneira. Vamos lá ver o que sai daqui, pois nada de bom para os heróis será e nada de mal para nós sairá.

E agora voltemos a narrativa principal. Primeiro, vemos Samuel a “ajudar” Hiro Nakamura na sua tarefa, que resulta no namoro entre Ando e a irmã de Nakamura. Mas se para Nakamura isto significou “yata”, para Samuel significou muito mais. Significou a reconstrução de um exército, de uma nova companhia, uma nova equipa. Nakamura foi o primeiro de quatro. Claire, Sylar e Peter. Deste todos, só Sylar não está disponível. E é aí que entra Parkman. Vai ser a ligação entre Samuel e Sylar, a dupla S.

O que falta deste episódio é unicamente uma coisa: HRG a aliar-se com Tracy, numa aliança que parece que combaterá o perigo que Samuel é. A bússola foi a primeira missão (excelente luta, por sinal…algo positivo do episódio). Poderão ter a ajuda de Peter, que parece que vai ser a ligação mais permanente entre os dois lados. Agora ficam as questões: que foi aquela bússola, de quem foi aquele funeral, e qual será o plano de Samuel. Algo para ver nos próximos episódios.

Heroes teve um começo algo esperado. A série não cresceu muito, mas este episódio deu para ver que o volume poderá ser bom. Mas este episódio não o foi. Mas também as apresentações não costumam ser famosas, mas sim o continuar da relação.

63


Vídeo promocional e poster de Heroes: Alguém quer?!

Setembro 4, 2009

Existe alguém ainda interessado em ver um vídeo promocional da quarta temporada de Heroes? Se sim, hoje é o vosso dia de sorte, pois senti-me bem disposto e como não tenho publicado nada da série, lá tive coragem de escrever um artigo sobre a série do Tim Kring. Intitulado, propositadamente ou não, ‘Redenção’, o quinto volume tenta que os protagonistas voltem a viver uma vida normal. Com participações especiais que certamente irá compensar o fraco elenco principal da série e uma história que poderá ser até minimamente boa, será que vão conseguiu recuperar a audiência que foi perdida na última temporada. A quarta temporada estreia no dia 21 de Setembro com um episódio de duas horas de duração. A série terá reviews semanais feitos pelo Aguerra. Abaixo, além do vídeo promocional, também podem ver um poster que por sinal ficou excelente! Ao menos nisso é boa…

heroes_season_4


Heroes recruta novo detective

Agosto 12, 2009

Sem títuloErnie Hudson entrou para o elenco da nova temporada de Heroes.

De acordo com o site The Hollywood Reporter, Hudson – que apareceu anteriormente em Desperate Housewives (Donas de Casa Desesperadas), Private Practice (Clínica Privada) e Oz – foi a mais recente contratação no meio de tantas outras para esta quarta época de Heroes.

Ele será uma personagem recorrente e vai interpretar o Capitão Lubbock, um detective que tem como missão capturar uma das outras personagens da série. Ainda não se sabe quem é essa personagem que não vai ter descanso neste quinto volume da temporada, intitulado ‘Redemption’.

Heroes regressa no dia 21 de Setembro com um estreia de duas horas de duração (dois episódios), à semelhança do que aconteceu na temporada passada.


Heroes: Claire com romance lésbico?

Julho 2, 2009

claire_bennet_heroesO Ausiello mais uma vez lançou uma carrada de spoilers sobre as séries mais famosas da actualidade e Heroes foi uma delas. Quando perguntado se é verdade que a Claire vai ter um romance com a Annie, nova personagem interpretada por Rachel Melvin, ele respondeu:

É mais ou menos verdade. Não tenho a certeza se será uma relação muito séria, mas eu posso confirmar que elas se irão juntar numa pequena experiência lésbica. Pelo menos é esse o plano.

Entretanto, Ausiello ainda falou sobre um outro assunto envolvendo a actriz que dá vida à Claire:

Hayden Panettiere insiste que os rumores de que ela tentou acabar com o seu contrato com a série no final da terceira temporada foram muito exagerados, ou seja, tudo mentira. Ela disse que adora o seu trabalho, onde está e que a série da NBC tem sido uma grande parte da sua vida. “Eu tenho feito isso por quatro anos e às vezes ficamos mais desassossegados. Eu adoro o que faço e o meu trabalho. Adoro o elenco, eles são a minha família. Eu não presto atenção a rumores como esses. É por isso que são chamados rumores: porque realmente o são.“, adicionou Panettiere.


Heroes – Quarto Volume (2009)

Junho 25, 2009

heroes-downloads-desktop-group-1024x768-04

Após Genesis, Generations, Villains, Heroes teve o seu quarto volume, intitulado Fugitives. Um volume que, como todos os outros, prometeu muito. A máquina de Markting da NBC consegue transformar um sapo num príncipe quanto é para promover a série, mas a série continua um sapo, pois ninguém faz magia.

E, vendo a metamorfose de Heroes desde o inicio, ele começou a ser um príncipe. Mas algo afectou a série, e ela decresceu de qualidade, chegando a parecer-se um sapo nesta temporada. Mas, pensando bem, Heroes não é um sapo, mas os erros que foram cometidos nesta temporada fizeram que essa ideia viesse a minha cabeça e fica-se retida nela. A premissa podia ser excelentemente explorada, mas os erros lembram-me um daqueles jogos de peças. Ao empurrar-se a primeira, tudo as outras começam a cair, uma a outra, e o estrago fica cada vez maior. Como recuperá-lo? Começando o jogo de novo, a partir do zero. Só assim é possível corrigir os erros.

E Tim Kring teve essa afirmação, que a série iria partir do zero. Não partiu, não. Continuou a cair nos mesmos erros, já aqui enunciados. Vendo bem, o que o criador de Heroes queria dizer era que falta uma base nova. A primeira temporada teve uma base, e o resto das temporadas foram construídas a partir daí. O pior é que a base que sustentava a primeira temporada era pequena, e a segunda já andou na corda bamba. A partir daí foi o descalabro. O que resta aos argumentistas é dedicarem alguns episódios desta próxima temporada a fecharem histórias, e passarem só parte da narrativa para uma nova base, construindo a partir aí.

Depois de dar a minha opinião do que se deve seguir no futuro, vamos lá dissecar este quarto volume. Fugitives teve uma entrada fantástica, a de colocar todos os heróis a serem perseguidos. A série trazia de novo um tema interessante, que foi de novo muito mal explorado. O tema foi mudado drasticamente, e a meio do volume o tema principal passou a ser encontrar formas de reunir, de novo, Sylar para o grupo, para atormentar estes, de que a sua fuga. Perdeu-se o rumo, o seu tema foi esquecido, e para isso muito contribuíram a saída de Elle Bishop, que era das personagens mais consistentes da série, a sobrevivência de Hiro, que continua a procura do herói dentro de si que lhe permita salvar de novo o mundo, a introdução de novas personagens, que conseguem ocupar um episódio sem nexo para a narrativa, como é o caso de 1961, a procura de Sylar pelo seu pai, que não deu em nada. Para além disso, a figura de Danko teve uma mudança extrema de personalidade. O actor é excelente, mas a personagem não consegui encontrar um rumo fixo.

Assim, a fuga do tema principal deixou a equipa a nora, culminando num final muito controverso. A fuga deu lugar ao encontro de novo de Sylar e companhia, e a série parece cair de novo no erro. Tem de novo a temporada condicionada, e ainda por cima o mais carismático personagem está preso. A vida parece negra, mas também poderá sair daqui uma solução. Heroes, com Sylar desaparecido, poderá fechar as várias histórias que acompanham a série, reduzir o número de pontas soltas, e depois libertar a fera, para, de novo, atormentar o mundo. Assim, e uma história que está automaticamente fechada é de Nathan. Quando Sylar regressar, é hora de Nathan ir embora. Outra que se pode fechar é a de Suresh. O doutor já pouca falta faz a série. De modo científico isto já não vai lá, por isso não se perde nada com a saída do doutor. Claro que outra era da de Hiro e Ando, mas é esquecer. Heroes terá ainda o asiático, pois assim ganha bastante gente nos países asiáticos, e a NBC não dispensa isso. Angela Petrelli é outra personagem que só está a dar perdas a NBC. A mãe de Peter já deu tudo o que tinha a dar, e, como ela não tem o poder de Claire, podia morrer de velhice. O resto era dar umas pinceladas rápidas. Por a irmã de Angela a morrer num tornado por si criado, e o resto das personagens ainda não fechadas também irem por aí. Depois tínhamos o retorno de Sylar, numa nova perspectiva, e poderíamos aproveitar de novo Heroes.

É esperar que as promessas de Tim Kring sejam concretizadas. Do que dá para perceber, já temos algo que poderá ser uma premonição, a saída de Bryan Fuller da série não advêm nada de bom. Esperemos que me engane, e que a série revitalize.

2e


Bryan Fuller sai de Heroes

Junho 22, 2009

Sem títuloSegundo o site inglês Digital Spy, Bryan Fuller saiu de Heroes onde fazia parte da equipa de argumentistas. O escritor de trinta e nove anos foi uma peça importante para a montagem da elogiada primeira temporada da série, mas acabou por abandonar esse projecto para se dedicar à sua nova criação de 2007: Pushing Daisies.

Mas quando Pushing Daisies foi cancelada no final do ano passado pela ABC, Fuller voltou a Heroes para ajudar a revitalizar o programa de Tim Kring, e notou-se melhorias no episódio que ele escreveu (Cold Snap, Volume quatro). Além disso, o escritor ainda ajudou nas ideias para o quinto volume que estreia no segundo semestre de 2009.

Segundo algumas fontes, Fuller decidiu abandonar Heroes na semana passada para se concentrar em novos projectos para a NBC. Ele já tinha expressado o seu interesse em criar uma nova série da saga Star Trek, mas não se sabe se vai ser esse a sua nova criação.


Lista: Cinco razões que fazem de Heroes uma má série!

Junho 20, 2009

h1

Com uma fanbase espalhada por todo o mundo, que se infiltra em qualquer sociedade, em qualquer família (falo com conhecimento de causa), Heroes é uma das séries mais controversas da actualidade. Os fãs, cegados com a primeira temporada, ainda não recuperaram a visão e continuam a elevar a série. O que é verdade é que ela perdeu a qualidade que demonstrou na primeira época, devido aos vários erros que aconteceram durante as temporadas posteriores. A série poderia ter sido uma daquelas que ficam na memória por anos a fio, devido à sua inteligência, a intriga, entre outras coisas, mas não ficará, pois teve uma queda abrupta. E, se isto não basta-se, nunca se sabe se a criação de Tim Kring atingiu o fundo do poço ou ainda há mais para descer. Os principais erros que até agora foram cometidos estão aqui, pois o que ainda está para vir está no segredo dos deuses.

h2

É impressionante a forma como as viagens temporais em Heroes conseguem ser ridículas. Na primeira temporada conseguiram inicar esse tema muito bem, com a chegada de um Hiro do futuro para ajudar o Peter. Contudo, no volume Villains isso já não correu tão bem e apenas conseguiram cair mais na minha consideração. De uma forma simples, o que os produtores fazem é como dar um rebuçado a uma criança e tirá-lo antes dela poder comê-lo. Não tem nada pior que desfrutar de um episódio (como o caso do 3.04), tendo este uma grande de adrenalina e reviravoltas, e perceber que o futuro lá mostrado só serviu para preencher quarenta minutos da série. Ainda estou à espera de um Sylar casado ou de um Hiro em guerra com o Ando, mas acho que isso nunca acontecerá. Por fim, não podia deixar de mencionar as constantes mudanças de personalidade da Claire, Nathan, Peter, entre outras personagens, mudanças essas que se interligam com esse tal futuro nunca alcançado.

h3

Vamos lá fazer uma contagem. Quantas personagens é que já morreram em Heroes? Então vamos lá começar. Noah Bennet. Ah, pois é… esse voltou. O Nathan Petrelli, o senador já morreu, mas está vivo: é o que se chama reencarnação. O corpo é o de Sylar, segundo parece; outro que não conta. Vamos passar para as personagens de Ali Larter. Parece que Tim Kring tem uma paixão pela loira, mas não gosta de a ver sempre de igual, por isso mata-a várias vezes, mas ela ressurge sempre, como outra pessoa. Já são três personalidades encarnadas, e de caminho já consegui apanhar Tara no número de pessoas num só corpo, é o que se chama múltipla personalidade! Depois temos Daphne, o que dizer da amante de Parkman? Dispararam sobre ela, todas as pessoas viram que ela levou com algumas balas no corpo, mas era uma ilusão de óptica?! Ela fugiu de quase todas à velocidade da luz, mas foi apanhada por uma. O seu regresso foi curto, mas ainda teve tempo para regressar. E falta falar de Sylar: a personagem de Zachary Quinto já teve a morte à porta uma data de vezes. Uma delas sobreviveu por ter mudado o seu cérebro, e agora está vivo, mas ao mesmo tempo morto. Mas parece que não está morto, mas sim adormecido, para certo dia ser beijado pela Claire e acordar.

h4

Após contar o número das personagens “não-mortas”, vamos fazer uma contagem de personagens existentes em Heroes. São 91 actores que participaram, no mínimo, em 3 episódios, 41 actores em, pelo menos, 7 episódios. Entre eles estão Jack Coleman como Noah Bennet, Hayden Panettiere como Claire Bennet, Greg Grunberg como Matt Parkman, Adair Tishler como Molly Walker, a menina GPS, Thomas Dekker como Zach, o amigo inseparável de Claire (?), Richard Roundtree como Charles Deveaux ou até o Detective Bryan Fuller, interpretado por Barry Shabaka Henley (isto não e brincadeira). É uma lista comprida, do qual já se riscaram vários nomes. O poder mais castigado é o de desenhar o futuro. Já foram para as alminhas nomes como Isaac Mendez e Usutu, o pintor do deserto. Depois temos a excelente Veronic… ups… Elle Bishop, interpretada pela genial Kristen Bell. Esta é que podia ser ressuscitada, mas pronto. Ainda restam aquelas personagens que não morreram, mas também não estão no elenco. As histórias que ficam por contar são muito, contudo, vamos lá criar mais umas quantas. Que tal inventar uma tia para Peter, que utilizamos quando quisermos neve no Verão, mais uns quantos vilões, para o Sylar poder ter um bocado de comida fresca. E, se ainda tivermos tempo, colocamos mais algumas para apimentar as coisas. Vamos dar trabalho a actores, vamos encher a audiência com novas personagens! E numa contagem (bem) por alto, o número de personagens “principais” que resistem são 11. Um pouco a mais, não acham?

h5

O elenco de Heroes começa a ficar famoso. Depois de ter feito parte da lista dos piores elencos das séries, chega a vez de voltar a figurar negativamente também nessa. Coloquei a foto do Milo Ventimiglia porque na minha opinião ele não tem qualquer valor para ser considerado o protagonista de Heroes. Aliás, quase todo o elenco da série deixa a desejar, como por exemplo a Hayden Panettiere (Claire), com a sua forma de ser sempre preocupada e o Greg Grunberg com a sua maneira irritante de ouvir os pensamentos das pessoas. Outros actores e actrizes como a Ali Larter e o Zachary Quinto são extremamente prejudicados pelo mau guião (roteiro para os brasileiros) que o Tim Kring e a sua equipa lhes oferecem, pois tenho plena consciência que tanto um como o outro são bons actores. Para piorar a situação, essa mesma equipa tem a proeza de matar os melhores intérpretes que a série teve, tais como a Kristen Bell (Elle) e a Brea Grant (Daphne). Nem mesmo a participação de Zeljko Ivanek foi suficientemente forte para melhorar o meu ponto de vista acerca desse assunto.

h6

Falar de Heroes sem falar dos erros de continuidade, é como ir a Roma e não ver o Papa. Os erros de continuidade são uma constante na série dos heróis, e não há nada que mude. São personagens que escrevem BD’s durante a sua estadia no mundo dos mortos, são as famosas ressurreições, já aqui faladas, e que fecham vários buracos, são personagens que têm amnésia passageira (Dr.Suresh Sénior, que não se lembra da estadia em Coyote Sands). Poderíamos aqui continuar o resto do dia, mas acho que já perceberam aonde quero chegar. Heroes, se for bem explorado, seria uma mina de erros de continuidade. O que chateia é ver depois aquelas promessas pomposas que a fase má de Heroes vai passar, que tudo não passou de um equívoco, que tudo voltará a estaca zero. Os argumentistas não se lembram do que já fizeram, e por isso toca a escrever uma coisa totalmente contrária. É como fazer um quadro, e logo depois pintar por cima uma coisa totalmente diferente. É difícil dar uma continuidade à história dos heróis? Não me parece, mas talvez os argumentistas de Heroes tenham sido afectados por um certo vírus que leve a amnésia passageira. Vamos lá ver se arranjam a cura.

Esta lista foi uma ideia do Aguerra, que também colaborou activamente para a elaboração da mesma.


Comic-Con 2009: saiba os detalhes!

Junho 15, 2009

Comic Con LogoPrimeiro que tudo vou explicar o que é a Comic Con de San Diego para todos aqueles que ainda não sabem. Este é um evento que foi criado por fãs para fãs de séries, filmes, jogos e banda desenhada. No caso das séries, dezenas delas vão todos os anos aos seus famosos painéis onde produtores, criadores e actores falam e respondem aos fãs. Um dos painéis mais conhecidos e mais produtivos são os de Lost, onde novos jogos são criados (como o da Dharma que acabou por ser um fracasso) e informações fresquinhas são dadas.

Além disso, existe ainda a possibilidade da exibição de episódios inteiros, como foi o caso de Heroes o ano passado (que transmitiu os dois primeiros capítulos de Villains) e de ‘V’ deste ano (que vai mostrar o piloto a todos os fãs que forem ao painél). Não tem como negar que a série dos heróis da NBC era uma das mais procuradas pelos fãs de séries nas Comic-Con anteriores, mas a verdade é que este ano não haverá painél de Heroes! Será que o Tim Kring e os actores estão assim com tanto medo de enfrentar os mais críticos depois das asneiradas que fizeram ao longos dos dois volumes passados?

A seguir podem confirmar o calendário das séries que já estão confirmadas para a Comic-Con deste ano, segundo o Revista TV Séries:

23 de Julho

(hora não definida) Psych
(hora não definida) The Middleman (a confirmar)
17h00-18h00 – Dexter

24 de Julho

(hora não definida) Flash Forward
(hora não definida) Dollhouse (exibição do 13.º episódio. da 1.ª temporada)
(hora não definida) Caprica
(hora não definida) Eureka
(hora não definida) Stargate Universe
13h00- 14h00 – The Big Bang Theory
14h15 – 15h15 – Past Life

25 de Julho

(hora não definida) Lost
10h00- 11h00 – Chuck
10h15 – 11h15 – Eastwick
14h45 – 15h45 – V (exibição do piloto)
16h00 – 17h00 – Fringe
16h45 – 17h45 – Human Target
18h00 – 19h00 – Vampire Diaries

26 de Julho

10h30 – 11h30 – Smallville
11h45- 12h45 – Supernatural
(hora não definida) Ghost Whisperer
(hora não definida) True Blood
(hora não definida) The Prisoner
(hora não definida) Legend of the Seeker

Ainda por confirmar estão os painéis de 24, Glee e Bones (todas da FOX), assim como arranjar uma hora para o painel de Battlestar Galactica: The Plan (SyFy).


Heroes (3.25) – An Invisible Thread

Abril 28, 2009

snapshot20090428190142

Numa temporada (tanto o volume 3, como o 4) em que a inteligência do Tim Kring é posta à prova, o mínimo que podiam fazer era uma season finale digna da fama que Heroes já teve há dois anos atrás. Mas não é que os sacanas que pertencem à equipa de argumento (esse por acaso até foi escrito pelo Kring) voltam a fazer das suas e criar uma das piores season finales que eu já vi em toda a minha vida? Pois é, ‘An Invisible Thread’ tem daquelas decisões ridículas que só quem escreve Heroes pode ter, decisões essas que vão ser faladas nesse review.

Quer dizer, prometeram mortes e tivemos… por cinco minutos! Eu vi o episódio ao vivo e por isso quando vi o Sylar a matar o Nathan disse no twitter ‘finalmente algo de jeito em heroes (no episódio 3.25)’, mas não é que os tais sacanas vieram como toda a história da ressurreição? Heroes deve ser a única série onde existe mais ressurreições do que mortes propriamente ditas. Ha… tem os Cylons de Battlestar Galactica, mas isso é uma série de ficção científica em que se sabe o que está a ser escrito, e não uma forma barata de ganhar dinheiro.

Apesar de gostar do plano do Peter para capturar Sylar e de ele ter sido ‘morto’, é óbvio que o serial killer vai voltar no volume 5. Aliás, isso já começou a acontecer na segunda cena do volume, quando um suposto Nathan (nem vou comentar mais essa decisão do Nathan ficar no corpo do Sylar… que coisa mais estúpida!) percebe que existe um erro no relógio da sala em que ele está. E ao menos se fossem matar o Sylar, que seja de vez, pois ele nem iria fazer tanta falta à série, assim como Nathan. Porque é que não foram os dois? Ha sim… o Nathan se foi, mas agora está no corpo do Sylar, que se transformou em Nathan após o exorcismo do Matt, mas continua a ser o Sylar, ou seja, ninguém morreu, todos estão vivos, só que um é o Nathan quando está com a família e o outro é o Sylar quando está pertos de relógios, e blá blá blá, e já temos história para ‘Redenção’, o quinto volume! Seriously?!

Já agora, ainda estou para perceber como é que nesta season finale a luta do Peter e Nathan com o Sylar não foi mostrada! Bryan Fuller, dá aí uns conselhos ou só estás na equipa para receber um salário? Mas custava alguma coisa ver uns raios de electricidade no ar, um voo ou outros, uns socos, cortes, entre outras coisas relacionadas com uma luta? Não… o Kring apenas quis criar um suspense e de certeza absoluta que no volume 5 teremos um flashback da Claire a recordar o que ela viu pela greta da porta (vaiam esperando sentados para não se cansarem).

Por fim, não podia deixar de falar em mais dois aspectos. Para onde foi todo aquele suspense sobre o passado do Danko? Será que ele voltará na quarta temporada? Espero que não, pois o actor merece série melhor para demonstrar o seu talento. Porque raios não o deixaram preso, sozinho, sem ter aquela conversa com o HRG, e acabava tudo em bem (mesmo não sabendo nada do passado dele). Mas prontos, vamos esperar para ver se ele aparece em ‘Redenção’ e ver o que acontece. Talvez seja um dos convidados especiais para a nova Companhia que está a ser criada pela Angela e o Noah (outra vez?).

O outro assunto, e o último a ser falado (os fãs da série que conseguiram ler até aqui devem estar a dizer ‘porra, finalmente!’), é a volta da Tracy. Além de não matarem nenhum personagem, ainda voltam com mais um. Mas isso até é bom para o elenco, pois não vive naquele sobressalto que se vive em Lost, em que a morte espreita o mais improvável personagem, quando menos se espera, pois sabem que o Kring é totalmente contra a despedimentos, mesmo com a crise que se atravessa. A sua volta acontece já no volume 5 e deixa a entender que ela é agora uma assassina a se vingar dos antigos trabalhadores do Prédio 26. Que história interessante, não é? Mas claro que tudo fica menos mal quando sabemos que a Ali Larter é a actriz que interpreta a Tracy.

Nota: 6,9

SEASON FINALE


Heroes (3.24) – I Am Sylar

Abril 21, 2009

snapshot20090421232655E cá estou eu de volta aos reviews de Heroes, para felicidade de alguns e tristeza de outros. Eu sei que sou muito crítico com a série, mas se não fosse, não teria a escrever aquilo que eu pensava sobre o episódio. Antes de começar a comentar este morno ‘I Am Sylar’, quero deixar a minha impressão sobre os dois episódios passados que tiveram review por parte do Aguerra, a quem deixo o meu obrigado. Eu adorei o episódio 3.22, principalmente porque foi bem direccionado e eu fiquei com uma expectativa para ver o próximo como não ficava à muito tempo.

Infelizmente, essa expectativa tornou-se numa desilusão tremenda com aquele ‘1961’. Será que os argumentistas de Heroes são novos e nunca viram a primeira temporada da série? Será que eles não pensam no que escrevem? Digam-me lá para que foi preciso desenterrar aqueles corpos de modo a reconhecer a irmã da patriarca Petrelli? Terá ela uma habilidade especial que lhe permite reconhecer o esqueleto de uma pessoa? Simplesmente ridículo! Outro erro de continuação tem a ver com o Chandra Suresh, que na primeira temporada dizia ele estar a procura de pessoas com habilidades especiais com a sua pesquisa (tinha um livro e tudo), sendo o Sylar o seu paciente zero, ou seja, o primeiro que conhecer, e em 1961 ficámos a saber que ele já tinha trabalhado com pessoas com poderes. Essa gente não pensa no que escreve ou quê?!

Quanto a esse ‘I Am Sylar’, tal como o título diz, ele foi dedicado ao serial killer. Sylar é talvez das personagens que mais respeito perdeu pela minha parte nessa terceira temporada e o que me faz gostar um pouco dele é a grande interpretação do Zachary Quinto. O Sylar da segunda temporada, mesmo sem poderes, conseguiu ser pior do que este da terceira, muito pior. O rumo da personagem foi perdido e acho que a redenção que se fala do quarto volume tem a ver com ele. Não gostei muito desse episódio, nem da storyline mãe-filho e muito menos do final que se está a tornar muito repetitivo. Quando alguém morrer mesmo em Heroes, é que será de admirar.

Outra personagem que não me agrada nada nesse momento é o Matt. Primeiro há mais um erro de continuação envolvendo a personagem: na primeira temporada, ele lê o pensamento da mulher a dizer que está grávida e nessa terceira não sabia sequer que ia ter um filho. Algo simplesmente intragável é o súbito interesse pela ex-mulher, Janice, quando acaba por perder à pouco tempo a Daphne, chegando quase a ir ao Prédio 26 acabar com aquilo tudo. Gostei da interacção Hiro-Ando nesse episódio, é interessante como eles nunca deixaram de ser amigos. Gostei do facto de se ter descoberto uma nova particularidade sobre as paragens no tempo.

A um episódio do final desta terceira e sofrível temporada, o balanço que se faz é mais que negativo. Só espero que no próximo episódio, que vai ao ar na segunda que vem, seja criado algum tipo de cliffhanger que me faça tentar ver, pelo menos, a estreia da quarta temporada. Está na altura de terminar com Heroes, e tudo o que peço é que a audiência da quarta temporada seja má ao ponto de cancelarem a série, mas que seja uma quarta temporada de Redenção mesmo, com o mínimo de qualidade que se pode exigir depois de três anos a acompanhar a série.

Nota: 7,4


Sinopses e vídeos promocionais das season finales de Chuck e Heroes

Abril 21, 2009

chuck_222d

É já na próxima semana, segunda-feira, 27 de Abril, que vai ao ar os últimos episódios de Heroes e de Chuck, ambas da NBC. Quanto à série dos super heróis, sabe-se que esta tem uma quarta temporada garantida e que chamar-se-à ‘Redenção’, mas em relação a Chuck tudo ainda é icógnito. A série do mesmo criador de Gossip Girl e The OC tem uma audiência abaixo da média, mas é muito querida pelos fãs que tem em todo o mundo, assim como a crítica tem sido generosa. Abaixo podem ver os vídeos e fotos promocionais dos respectivos episódios, assim como as suas sinopses. E depois não deixem de votar na sondagem que se encontra no final do post.

CHUCK – EPISÓDIO 2.22 – CHUCK VERSUS THE RING

CHUCK PRECISA DE SALVAR O CASAMENTO E A VIDA DE SUA IRMÃ – Quando o dia do casamento entre Ellie (Sarah Lancaster) e Awesome (Ryan McPartlin) finalmente chega, Chuck (Zachary Levi) precisa de salvar a vida e o grande dia de sua irmã antes que Ted Roark (Chevy Chase) e a FULCRUM arruínem tudo. Enquanto isso, com o Intersect fora da sua cabeça, Chuck depara-se com sua mais perigosa missão até hoje: descobrir o que fazer com o resto de sua vida.

HEROES – EPISÓDIO 3.25 – AN INVISIBLE THREAD

Nathan (Adrian Pasdar) fica face a face com Sylar (Zachary Quinto) para impedir que ele encontre o presidente (participação especial de Michael Dorn). Sylar tem os seus próprios planos para o seu parceiro. Enquanto isso, Hiro (Masi Oka) descobre que existem consequências de recuperar a sua habilidade. Matt (Greg Grunberg) é obrigado a ir a extremos para proteger o futuro com sua família.

E agora, a sondagem:

[poll id=”11″]


Heroes (3.23) – 1961

Abril 16, 2009

heroes-1Pelo título já sabíamos onde íamos parar: Coyote Sands, 1961. Para uma série que tem os melhores episódios no futuro, um episódio que se passa no passado poderia ser mau presságio. E a previsão cumpriu-se.

Coyote Sands (a partir de agora passo a tratar por C.S.) até agora tinha sido uma única coisa: escavações. As escavações continuam, os ossos vão se acumulando, e a explicação tarda. Primeira dúvida: eu pergunto a todos os leitores se a sua mãe/avó manda-se escavar, e ficasse sem explicação durante várias horas, continuaria a escavar. Parece que Peter é que tem alguma cabeça (e logo ele…) e vai perguntar, depois de muitas horas, a sua mãe. E a partir deste momento regressamos ao passado. Primeiro tenho de dizer que gosto muito de preto em branco. Continuando. Angela lá retorna ao passado, e temos a entrada de ela e a sua irmã numa coisa, que a primeira vista, me lembrou a Dharma Initiative.

Desde as casinhas, a recepção, e um estrangeiro (a “imitações” de outras séries foi uma coisa habitual neste episódio). Com Angela chega Alice a um centro que é um local de isolamento de heróis, numa operação governamental (os ficheiros sobre esta ficaram aonde?). Quem aparece por lá é Charles Deveaux, Linderman, Bob Bishop, os criadores da companhia, ainda muito jovens. O que levou Angela para lá são os seus famosos sonhos, e isto leva-a a ver que a culpa do que aconteceria em C.S. cairia sobre Dr. Chandra Suresh. Quem parece começar a ver que também possui poderes é Alice. Comandar o tempo (metrologia) era uma coisa que eu adorava fazer.

Alice ainda não consegue controlar o seu poder, dependendo do seu humor. Ao tentar libertar os moradores, Angela e o seu grupo foge para tentar encontrar ajuda, ficando Alice sozinha em casa. Suresh vai, nesse momento, buscar Alice, e esta, ao ver-se pressionada, faz com que uma tempestade ocorra, o que leva a desgraça. Agora tenho de referir umas coisas. Como é que Suresh sénior não notou a falta de Angela e do seu grupo (principalmente da primeira, quando foi buscar a sua irmã) e colocou uma caça ao homem? E como Suresh fugiu? Onde estavam os pais de Angela e Alice?

Angela e o seu grupo comprometem-se a que a tragédia nunca mais acontece, e assim criam uma companhia para proteger os heróis. E assim o passado fica explicado. Regressando ao presente. Angela teve um sonho onde vê a sua irmã viva. Isto faz com que regresse ao sítio donde ocorreu a desgraça para procurar o esqueleto dela (ela consegue fazer uma impressão dentária e reconhecer a sua irmã automaticamente, não é?). Mas a prova de que a irmã está viva chega quando uma tempestade nasce do nada. HRG é apanhado do meio e o super-homem Suresh é quem o vai buscar (timing perfeito). Suresh chega também a C.S. a procura de respostas, mas este sobre o trabalho que o seu pai fazia naquele lugar.

Angela é que não consegue ficar parada, e sai cá para fora a procura da sua irmã. É apanhada por ela e desaparece misteriosamente, e fica sem se saber o paradeiro dela (A Claire é lenta a correr. Deve ser do cansaço que ela não pode ter devido ao seu poder de estar a cavar). A caça a mulher começa e consegue-se chegar ao paradeiro. Angela a pedir desculpas a sua irmã por causa de a ter deixado sozinha, ela percebe a verdade e coloca de novo uma tempestade a rolar e foge. Então para que serviu esta procura? Vejo algumas respostas: conhecer-se o passado para prevenir o presente (a Angela andou a ver BSG), a constituição de uma nova Companhia, o conhecer de Alice. Ah! E para o Peter, Nathan, HRG e Claire ficarem em forma física.

Agora o pior do episódio do episódio aconteceu no final. O Sylar tem um novo poder ou Heroes está muito mal (inclino-me mais para a segunda). Ele pode ter o poder da invisibilidade ou a forma como nos foi apresentado shape shifter é muito incorrecta ou Heroes continua com os famosos erros de continuidade. Inclino-me para a terceira. Como é que o Sylar consegue tocar no Nathan? (de uma forma muito irónica, pode-se ter transformado num passarinho, ir tocar no Nathan e recuperar a sua forma original de humano)

Mais um episódio com muitos erros, contradições e coisas mais. Resumindo: um desprezo enorme para aqueles que gostam de uma série coerente e não de tiros sem razão aparente. Faltam 2 episódios para o final (assim até podia ser de série), mas nada se muda, quer em termos de narrativa (parece que Hiro desacelerou o tempo) quer em termos de erros. Espera-se que estes episódios sejam um oásis num longo deserto que está metido Heroes.

Nota: 7,3


Heroes (3.22) – Turn and Face the Strange

Abril 10, 2009

heroesUm episódio a menos para o final. Resultado: ficamos quase na mesma. Heroes continua com episódios com pouco desenvolvimento, com pouca coisa para contar, e com as mesmas características. Apetece dizer: mais do mesmo. Primeiro começamos com Noah a duvidar que Sylar esteja verdadeiramente morto. O HRG não acredita que Danko tenha capturado o seu principal inimigo e começa à procura da verdade. Primeira consideração sobre o novo poder de Sylar. Tornando-se shape shifter, a série perde consistência.

Qual quer pessoa pode ser Sylar e os produtores têm sempre a desculpa de “Era o Sylar, por isso nenhum, ou seja, nem a verdadeira pessoa nem o Sylar, estão mortos”. Até agora os produtores ainda entraram em mutas contradições (nem entrarão se forem pelo último caso, mas fica sempre mal usar essa escapatória), mas já há algumas coisas que ficam por explicar: como é que o Sylar chegou a tocar na mulher do HRG?
Continuando com HRG versus Sylar. O homem dos óculos apanha um contratempo quando o “corpo falso” de Sylar vai para cremar. O segredo parecia estar bem guardado, mas Noah consegue ainda apanhar o corpo e provar que aquele não era o Sylar.

De resto o verdadeiro Sylar anda a atormentá-lo, fazendo-se passar pela mulher, que está na cidade à procura da sua filha Claire. Sylar aproveita-se, e fazendo-se passar por ela, entrega os papéis de divórcio. Noah apercebe-se o que faz com que vá ao hotel da sua mulher à procura do shape shifter. Por azar, apanha a sua mulher, e não sabendo que é mesmo ela, fá-la passar por maus momentos. Claro que o casamento desabava aí mesmo, ficando o Sylar com a sua missão cumprida. Mas a procura por Sylar continua, e aqui temos o melhor momento do episódio. HRG faz-se passar por Sylar e faz com que Danko conte a aliança entre ambos.

Claro que a vingança ainda não está completa, e noutro bom momento, Noah dispara contra Sylar, a fazer-se passar por um operativo da organização governamental. De resto, neste momento, Noah poderia ter mesmo morto o operativo, mostrando a obsessão que Danko tinha por encontrar os “especiais”. Depois temos a fuga de Noah, a sobrevivência de Sylar e a continuação de aliança. Do último episódio também veio a continuação da junção da família Petrelli. Angela já contactou Nathan (não sei como, mas prontos…pode ter sido por sonhos). Para além dos 4, já falados, contacta HRG para ir ter consigo ao local combinado, Coyote Sands.

Ao fugir, não resta hipótese a Noah que fugir para junto da família Petrelli. E o que tem de especial este local. Primeiro é um local que não deve ser nada simpático. HRG refere que lhe aconselharam a não perguntar mais nada sobre ele. E para perceber mais sobre este lugar, para além de ser um cemitério, temos Surech a descobrir (só agora?) umas caixas que falavam da investigação levada a cabo pelo pai sobre um projecto da década de 60, Operação Icarus. Esta operação consistia numa pesquisa médica. Fica a dúvida de que o que aconteceu, ficando no ar a frase enigmática “Foi aqui que tudo começou”.

Depois temos Matt a procura de vingança. Após morrer Daphne, Matt culpa Danko. E começa a procura de vingança. Primeiro encontra a sua escapadela, uma vida alternativa, uma mulher com quem ele se transforma noutro homem (então não é só o Sylar que gostava de ser shape shifter). Mas para se vingar, Matt leva a rapariga a casa de Danko e ameaça-a matar. Claro que o coração e a compaixão não deixa Matt atirar, mas Danko atira sobre ele. E quem chega nesse momento? Hiro para salvar Matt. Umas coisas a dizer sobre este ponto. Primeiro, este momento já foi tão visto, que já não é surpresa. Segundo, como é que Hiro sabia a casa onde Matt estava? Fica a minha pergunta. De resto, Matt ganha uma razão para viver, o seu filho, e a dupla Hiro/Ando volta a fazer das suas.

Foi um episódio com muitas coisas vistas, outras coisas já previstas e pouco de imprevisto. E só faltam 3 episódios para o final de temporada.

Nota: 8,2


Saibam quando acabam as temporadas de suas séries favoritas

Abril 10, 2009

destaquecalendario

Com as séries dessa temporada chegando ao seus finais e tantos hiatus inesperados frustrando nossas expecativas de ver um episódio inédito de nossas séries favoritas a cada semana, o Portal de Séries (em conjunto com o CineSéries) resolveu organizar as datas dos episódios finais das principais séries no ar na tv americana. Confiram na lista abaixo, quantos episódios faltam para as séries terminarem suas temporadas e saibam quando eles serão exibidos:

24 – Episódios restantes: 7

7.18 – Day 7: 1:00 AM – 2:00 AM – 13/04/09

7.19 – Day 7: 2:00 AM – 3:00 AM – 20/04/09

7.20 – Day 7: 3:00 AM – 4:00 AM – 27/04/09

7.21 – Day 7: 4:00 AM – 5:00 AM – 04/05/09

7.22 – Day 7: 5:00 AM – 6:00 AM – 11/05/09

7.23 – Day 7: 6:00 AM – 7:00 AM – 18/05/09 (finale parte 1)

7.24 – Day 7: 7:00 AM – 8:00 AM – 18/05/09 (finale parte 2)


30 Rock – Episódios restantes: ?

3.18 – Jackie Jormp-Jomp – 16/04/09

3.19 – The Ones – sem data definida

(não se sabe até quando vai a temporada)


90210 – Episódios restantes: 6

1.19 – Okaeri, Donna! – 14/04/09

1.20 – Between a Sihn and a Hard Place – 21/04/09

1.21 – Soul Sweetin’ Clams – 28/04/09

1.22 – The Party’s Over – 05/05/09

1.23 – Forgiveness of the Dead – 12/05/09

1.24 – The Last Shot of Light – 19/05/09 (finale)


Bones – Episódios restantes: 6

4.20 – The Cinderella in the Cardboard – 15/04/09

4.21 – Mayhem on a Cross – 16/04/09

4.22 – Sem nome definido – sem data definida

4.23 – Sem nome definido – sem data definida

4.24 – Sem nome definido – sem data definida

4.25 – The Critic in the Cabernet – 07/05/09 (finale)*


Brothers & Sisters – Episódios restantes: 4

3.21 – S3X – Sem data definida

3.22 – Julia – 26/04/09

3.23 – Let’s Call the Whole Thing Off – 03/05/09

3.24 – Mexico – 10/05/09 (finale)


Chuck – Episódios restantes: 3

2.20 – Chuck vs. the First Kill – 13/04/09

2.21 – Chuck vs. the Colonel – 20/04/09

2.22 – Chuck vs. the Ring – 27/04/09 (finale)


Cold Case – Episódios restantes: 4

6.20 – Stealing Home – 12/04/09

6.21 – November 22nd – 26/04/09

6.22 – The Long Blue Line – 03/05/09

6.23 – Into the Blue – 10/05/09 (finale)


Criminal Minds – Episódios restantes: 3

4.21 – A Shade of Gray – 22/04/09

4.22 – The Big Wheel – 29/04/09

4.23 – Roadkill – 06/05/09 (finale)


CSI – Episódios restantes: 5

9.20 – A Space Oddity – 16/04/09

9.21 – If I Had a Hammer – 23/04/09

9.22 – The Gone Dead Train – 30/04/09

9.23 – Hog Heaven – 07/05/09

9.24 – All In – sem data definida (finale)


CSI: NY – Episódios restantes: 5

5.21 – The Past, Present and Murder – 22/04/09

5.22 – Yahrzeit – 29/04/09

5.23 – Greater Good – 06/05/09

5.24 – Grounds for Deception – 13/05/09

5.25 – Pay Up – 20/05/09 (finale)


CSI: Miami – Episódios restantes: ?

7.21 – Chip/Tuck – 13/04/09

7.22 – Dead on Arrival – 27/04/09

7.23 – Sem nome definido – sem data definida

7.24 – Dissolved – sem data definida

7.25 – Seeing Red – sem data definida


Desperate Housewives – Episódios restantes: 6

5.19 – Look into their Eyes and you see What they Know – 19/04/09

5.20 – Rose’s Turn – 26/04/09

5.21 – Bargaining – 03/05/09

5.22 – Marry me a Little – 10/05/09

5.23 – Sem nome definido – 17/05/09 (finale parte 1)

5.24 – Sem nome definido – 17/05/09 (finale parte 2)


Dirty Sexy Money – Episódios restantes: 4

2.10 – The Facts – 18/07/09

2.11 – Sem nome definido – 25/07/09

2.12 – Sem nome definido – 01/08/09

2.13 – Sem nome definido – 08/08/09 (series finale)


Eli Stone – Episódios restantes: 4

2.10 – Sonoma – 20/06/09

2.11 – Mortal Kombat – 27/06/09

2.12 – Tailspin – 04/07/09

2.13 – Flight Path – 11/07/09 (series finale)


Fringe – Episódios restantes: 5

1.16 – Unleashed – 14/04/09

1.17 – Bad Dreams – 21/04/09

1.18 – Midnight – 27/04/09

1.19 – The Road Not Taken – 05/05/09

1.20 – There’s More Than One of Everything – 12/05/09 (finale)


Ghost Whisperer – Episódios restantes: 5

4.19 – Thrilled to Death – 10/04/09

4.20 – Stage Fright – 24/04/09

4.21 – Cursed – 01/05/09

4.22 – Endless Love – 08/05/09

4.23 – Book of Changes – 15/05/09 (finale)


Gossip Girl – Episódios restantes: 5

2.21 – Seder Anything – 20/04/09

2.22 – Loose Ends – 27/04/09

2.23 – Lovechild – 04/05/09

2.24 – Eyes Wide Open – 11/05/09

2.25 – The Curious Case of Bart Bass – 18/05/09 (finale)


Greek – Episódios restantes: ?

2.13 – Engendered Species – 13/04/09

2.14 – Big Littles & Jumbo Shrimp – 20/04/09

2.15 – Evasive Actions – 27/04/09


Grey’s Anatomy – Episódios restantes: 5

5.20 – Sweet Surrender – 23/04/09

5.21 – No Good at Saying Sorry – 30/04/09

5.22 – Beautiful Day – 07/05/09

5.23 – Here’s to Future Days (1) – 14/05/09 (finale parte 1)

5.24 – Here’s to Future Days (2) – 14/05/09 (finale parte 2)


Heroes – Episódios restantes: 3

3.23 – 1961 – 13/04/09

3.24 – I am Sylar – 20/04/09

3.25 – An Invisible Thread – 27/04/09 (finale)


House – Episódios restantes: 4

5.21 – Saviors – 13/04/09

5.22 – A House Divided – 27/04/09

5.23 – Under My Skin – 04 de maio

5.24 – Both Sides Now – 11 de maio (finale)


How I Met Your Mother – Episódios restantes: ?

4.20 – Mosbius Designs – 13/04/09

4.21 – Right Place Right Time – Sem data definida

4.22 – Sem nome definido – Sem data definida

4.23 – As Fast as She Can – Sem data definida


Lie to Me – Episódios restantes: 4

1.10 – Undercover – 22/04/09

1.11 – Better Half – 29/04/09

1.12 – Blinded – 06/05/09

1.13 – Sem nome definido – 13/05/09 (finale)


Lost – Episódios restantes: 5

5.13 – Some Like it Hoth – 15/04/09

5.14 – The Variable – 29/04/09

5.15 – Follow the Leader – 06/05/09

5.16 – The Incident (1) – 13/05/09 (finale parte 1)

5.17 – The Incident (2) – 13/05/09 (finale parte 2)


My Name Is Earl – Episódios restantes: 5

4.23 – Bullies – 16/04/09

4.24 – Gospel – 23/04/09

4.25 – Inside Prove, Part 1 – 30/04/09

4.26 – Inside Prove, Part 2 – 07/05/09

4.27 – Dodge’s Dad – 14/05/09 (finale)


NCIS – Episódios restantes: 2

6.22 – Legend (1) – 28/04/09

6.23 – Legend (2) – 05/05/09 (finale)


One Tree Hill – Episódios restantes: 6

6.19 – Letting Go – 13/04/09

6.20 – I Would For You – 20/04/09

6.21 – A Kiss to Build a Dream On – 27/04/09

6.22 – Show Me How to Live – 04/05/09

6.23 – Always and Almost Forever – 11/05/09

6.24 – Remember Me as a Time of Day – 18/05/09 (finale)


Prison Break – Episódios restantes: 6

4.17 – The Mother Lode – 17/04/09

4.18 – Vs. – 24/04/09

4.19 – Son of a Bitch – 01/05/09

4.20 – Dominoes – 08/05/09

4.21 – Rate of Exchange – 15/05/09 (finale parte 1)

4.22 – Killing Your Number – 15/05/09 (finale parte 2)

4.23 – The Old Ball and Chain – Será lançado em DVD*

4.24 – Free – Será lançado em DVD*


Private Practice – Episódios restantes: 2

2.21 – What You Do for Love – 26/04/09

2.22 – Yours, Mine and Ours – 30/04 (finale)


Pushing Daisies – Episódios restantes: 3

2.11 – Window Dressed to Kill – 30 de maio

2.12 – Water and Power – 6 de junho

2.13 – Kerplunk – 13 de junho (series finale)


Reaper – Episódios restantes: 7

2.07 – The Good Soil – 14/04/09

2.08 – The Home Stretch – 21/04/09

2.09 – No Reaper Left Behind – 28/04/09

2.10 – My Brother’s Reaper – 05/05/09

2.11 – To Sprong, With Love – 12/05/09

2.12 – Business Casualty – 19/05/09

2.13 – The Devil & Sam Oliver – 26/05/09 (finale)


Samantha Who? – Episódios restantes: ?

2.12 – The Amazin Racist – 09/04/09

2.13 – The Debt – 16/04/09

2.14 – The First Date – 23/04/09

2.15 – The Sister – Sem data definida

2.16 – The Rock Star – Sem data definida

2.17 – The Dream Job – Sem data definida

2.18 – Todd’s Job – Sem data definida


Scrubs – Episódios restantes: 5

8.15 – My Soul on Fire, Part 2 – 15/04/09

8.16 – My Cuz – 22/04/09

8.17 – My Chief Concern – 29/04/09

8.18 – My Finale, Part 1 – 06/05/09 (series finale parte 1)

8.19 – My Finale, Part 2 – 06/05/09 (series finale parte 2)


Smallville – Episódios restantes: 4

8.19 – Stiletto – 23/04/09

8.20 – Beast – 30/04/09

8.21 – Injustice – 07/05/09

8.22 – Doomsday – 14/05/09 (finale)


Supernatural – Episódios restantes: 4

4.19 – Jump the Shark – 23/04/09

4.20 – The Rapture – 30/04/09

4.21 – When the Levee Breaks – 07/05/09

4.22 – Lucifer Rising – 14/05/09 (finale)


Terminator: The Sarah Connor Chronicles – Episódios restantes: 1

2.22 – Born to Run – 10/04/09 (finale)


The Big Bang Theory – Episódios restantes: 3

2.20 – The Hofstadter Isotope – 13/04/09

2.21 – Sem nome definido – Sem data definida

2.22 – Sem nome definido – Sem data definida


The Mentalist – Episódios restantes: ?

1.20 – Red Sauce – Sem data definida

1.21 – Red John’s Footsteps – Sem data definida


The New Adventures of Old Cristine – Episódios restantes: 3

4.20 – He Ain’t Heavy – 29/04/09

4.21 – The Old Maid of Honor – 06/05/09

4.22 – Love: A Cautionary Tale – 13/05/09 (finale)


The Office – Episódios restantes: 5

5.22 – Heavy Competition – 16/04/09

5.23 – Broke – 23/04/09

5.24 – Casual Friday – 30/04/09

5.25 – Cafe Disco – 07/05/09

5.26 – Company Picnic – 14/05/09 (finale)


The Simpsons – Episódios restantes: 6

20.17 – The Good, the Sad and the Drygly – 19/04/09

20.18 – Father Knows Worst – 26/04/09

20.19 – Waverly Hills 9-0-2-1-D’oh – 03/05/09

20.20 – Four Great Women and a Manicure – 10/05/09

20.21 – Coming Homerica – 17/05/09

20.22 – Homer the Whopper – Sem data definida (finale)


Ugly Betty – 5

3.20 – Rabbit Test -07/05/09

3.21 – Sem nome definido – 14/05/09

3.22 – Sem nome definido – 21/05/09

3.23 – Sem nome definido – 28/05/09 (finale parte 1)

3.24 – Sem nome definido -28/05/09 (finale parte 2)

*Informações sujeitas a confirmação de suas respectivas emissoras.

Infelizmente não foram encontradas informações sobre todas as séries, mas se vocês tiverem alguma informação que ajude a completar essa lista, basta postar abaixo nos comentários. Fontes: IMDB, Tv.com, TV Guide e SpoilerTv.


Heroes (3.21) – Into Asylum

Abril 3, 2009

heroes-321Com o Marco de férias (merecidas, diga-se), fico encarregado de fazer os reviews de Heroes até ele voltar. Primeiro tenho de fazer um parêntesis, para referir o que eu acho da série. Heroes nunca foi das minhas séries preferidas. Comecei a vê-la quando estava a fazer zapping, e fiquei pregado a primeira temporada. A segunda temporada já a achei (muito) inferior a primeira, e depois, no terceiro volume, tive para desistir da série. Não desisti, mas acho que a série bate sempre na mesma tecla. E depois tem (variadíssimos) erros de continuidade, o que me deixa ainda mais de pé atrás.

Este episódio foi daqueles que não mexem com nada da série, serve para preencher espaço, com poucas novidades. A família Petrelli é o principal destaque durante o episódio, e os mecanismos internos desta. Tivemos Angela, Peter, Nathan e Claire a preencher a maior parte do episódio. Na primeira dupla, temos Angela a tentar-se redimir-se de todos os erros que cometeu e que fizeram com que a família fica-se destruída. E não havia melhor lugar para esta confissão que uma igreja. Peter também tem as suas razões para ir a igreja. As promessas que fez não tiveram retorno, e isso deixa-o chateado. Foi um diálogo para ocupar espaço do episódio, pois não deve dar em nada.

Nathan e Claire é que viajaram para o México. O que se tira deste retiro não é mais nada menos que o amadurecimento da relação entre pai e filha e que o Nathan já não está aí para as curvas. Outra coisa sem retorno. Mas, claro, que os argumentistas tiveram uma razão para colocar a família Petrelli a ser retratada. Os sonhos de Angela voltam, e estes dizem para ela ir buscar o resto da família e encontrar com a sua irmã. Uma reunião familiar da qual é melhor não ter expectativas. Pode ser que venha a ser importante ou não.

O interessante do episódio foi a terceira linha narrativa. Sylar junta esforços com Danko, e desta dupla prometem vir coisas extraordinárias. Primeiro pelas capacidades de Sylar, depois dos objectivos de ambos. Tanto um como outro querem um mundo sem pessoas com poderes, e o primeiro objectivo é um shape shifter. Apanhado, Sylar começa a sua missão, tornar-se a única pessoa com poderes a face da Terra. E aqui entra a ligação. Sylar apanharia o shape shifter sozinho, mas utiliza Danko para chegar a famosa lista. Ficam os dois a ganhar. E já ficaram com mais espaço de manobra após HRG pensar que o vilão de Heroes está morto.

Agora fica a pergunta no ar. Resistirá está aliança muito mais tempo? Eu penso que não, pois Danko tentará acabar com Sylar. Claro que é uma coisa a ver-se nos próximos episódios.

Nota: 8,4