The Closer (5.11/12) – Maternal Instincts / Waivers of Extradition

Agosto 28, 2009

511The Closer (5.11) – Maternal Instincts

Assim como o próprio título indica, o episódio focou-se numa Brenda maternal, com instintos maternais, e talvez por isso, The Closer mostrou que não é só um policial, com um pouco de drama ou um pouco de comédia; é tudo ao mesmo tempo e ainda, é romance, histórias familiares e histórias pessoais. Este episódio foi, sem dúvida, o melhor desta temporada. Brenda levava a sua sobrinha, Charlie, para a escola e quando lá chegam, após terem discutido mais uma vez e Charlie estar a ser severamente castigada, encontram imensos alunos a correrem e é-lhes dito que um tiroteio está a decorrer. Brenda encontra um aluno morto e outro, ferido, escondido debaixo de um carro.

Brenda fica intimamente conectada com este jovem e acompanha-o até ao hospital, deixando depois a sua sobrinha a fazer-lhe companhia. Entretanto, o jovem e Charlie ficam próximos e Brenda, que como sempre usa técnicas pouco ortodoxas, grava a conversa deles e percebe que ele era a vítima do tiroteio pois tinha engravidado a sua ex-namorada, cujo pai estava revoltado com ele. Essa conversa proporcionou, também, grandes momentos cómicos, principalmente quando Charlie fala das suas experiências com droga e sexo no quarto dos seus pais, deixando Brenda envergonhada em frente a toda a sua equipa.

O jovem, ferido, começa a piorar e Brenda faz-se passar por sua mãe, para que ele possa descansar em paz. Assim, o jovem morre após admitir que o seu ex-sogro tinha motivos para se vingar dele. Numa visita a casa do dito homem, os detectives descobrem que o atirador tinha sido o filho do homem, ou seja, o irmão da rapariga que estava grávida, pois ela tinha dito que havia sido violada. A cena final, em que Brenda conta a Charlie que a sua ajuda foi fundamental e que o jovem ferido tinha morrido foi muito tocante e bonita, um grande momento e, talvez, mais um que separou as duas, que segundo Fritz, são mesmo da mesma família.

Nota: 9,5

512The Closer (5.12) – Waivers of Extradition

Cá está o Season Finale, ou Summer Finale, e devo dizer que assim como neste episódio, e nos anteriores, The Closer tem optado por inovar e mostrar casos sempre diferentes, até bizarros, e interessantes. O caso deste episódio começa quando uma rapariga é esfaqueada até à morte, por um homem disfarçado de ninja e que era canhoto. A princípio, o marido da falecida torna-se suspeito por ser, também, canhoto. Mas à medida que as investigações prosseguem, Brenda conclui que este crime está ligado a outros 15 crimes que ocorreram entre Texas e Califórnia. Assim sendo, Brenda recebe o detective Landry, equivalente a ela no Texas e que tem trabalhado nos outros casos, para a ajudar.

No decorrer das investigações, os detectives conseguem finalmente descobrir o serial killer e Sanchez proporciona uma cena de grande emoção, ao agarrar-se ao camião do assassino e, depois, lutar contra ele, até que consegue parar o camião e recebe reforços. Como o assassino cometeu crimes no Texas e em Califórnia, Brenda e Landry querem ambos ficar com o assassino na sua jurisdição, só que após a confissão do serial killer, Brenda, enojada, recua e entrega-o para Landry para ser julgado no Texas, para que seja submetido à pena de morte, o que nunca pensei que ela fosse capaz, mas felizmente foi.

Quanto à vida pessoal de Brenda, esta recebeu a visita do seu pai, que foi buscar Charlie, e a teve a difícil escolha de mandar Charlie embora, ou continuar com ela em casa. A decisão foi, então, tomada no final do episódio, quando Brenda, após o seu pai ter decidido que não interferiria na decisão e Fritz ter aconselhado que ela fosse embora, conversa com Charlie e faz-lhe ver que ela já teve a sua segunda oportunidade e como tal, devia de dar uma nova oportunidade aos seus pais. E até mesmo, uma nova oportunidade a Brenda.

Nota: 8,9


The Closer (5.10) – Smells Like Murder

Agosto 28, 2009

510A alternância, cada vez mais visível, entre episódios mais engraçados e episódios dramáticos, faz desta temporada, uma das melhores, ou a melhor, tendo em conta, ainda para mais, que é a 5ª, e a detective Daniels já não faz parte. Este episódio é, portanto, um episódio que acarreta uma grande carga humorística, com alguns momentos mais fortes, principalmente os da vida familiar de Brenda. A história inicial do episódio, do estudo para o exame de promoção a detectives, foi pouco aproveitada e um pouco sem propósito, até porque só dizia respeito ao sargento Gabriel, contudo, acredito que nos próximos episódios volte a ser abordada.

O caso, ainda mais peculiar e bizarro que o habitual, centrou-se em Courtney, que foi enviado, numa caixa, para a esquadra de Brenda e acabou por deixar um rasto de “cheiro a morte”, principalmente no seu escritório. O que também se diferenciou, foi que, ao contrário do normal, onde não há fortes suspeitos, neste caso haviam 3. A ex-namorada, que havia sido enganada, traída e roubada; o senhorio, que havia sido burlado; e um ex-melhor amigo, que também havia sido extorquido. Como seria de esperar, a sobrinha de Brenda, Charlie, começa a dar dores de cabeça a Fritz, quando prepara bolos de chocolate que incluíam erva, e que foram ingeridos por Brenda, deixando-a completamente alterada. Apesar disso, foi assim que Brenda conseguiu desvendar o caso, o que não foi muito credível. Para comprovar a sua teoria, Brenda envia uma caixa, vazia, a todos os suspeitos e aquele que decidisse não abri-la, seria seguido e considerado culpado. E, vá-se lá saber como, Brenda estava certa.

Um deles, o ex-melhor amigo, foge para o deserto com a caixa, para a esconder e como havia um GPS dentro, Brenda e a sua equipa seguem-no e conseguem a confissão. O amigo havia morto Courtney, pois este tinha ganho 15 milhões de dólares na lotaria, com o seu dinheiro e para encobrir, sempre que viajava, mandava uma carta, à mãe do falecido. Na conversa com a dita mãe, Brenda tem consciência que não pode abandonar a sobrinha e resolver os problemas, escondendo-os debaixo do tapete, assim, impede que Fritz mande Charlie de volta para casa e mostra que está mais do que pronta para o papel de mãe.

Nota: 9,1


The Closer (5.08/09) – Elysian Fields / Identity Theft

Agosto 27, 2009

508The Closer (5.08) – Elysian Fields

Se há algo em que esta série se sobressai em relação às outras, e mostra o seu valor, é que nunca nada fica esquecido. Tudo tem uma lógica, uma continuação e, de certa forma, um termo. O caso de Stroh continua a tirar o sono a Brenda, sendo que o episódio começa com ela a ter pesadelos em relação a ele. O caso do episódio é sobre a morte de Howard Greeson, um ex-acusado de 2 homicídios e ocultação dos cadáveres, o que leva Brenda a concluir que este foi um crime de vingança.

O inspector que havia investigado os antigos casos envolvendo Greeson, detective Olin, é chamado para ajudar com informações e para investigar a morte do assassino. Entretanto, os corpos das mulheres mortas por Greeson são encontrados e Brenda volta a levar uma bronca do marido, por se descuidar da família. Olin faz mais do que devia, ao chamar as famílias das antigas vítimas de Greeson, o que provoca uma discussão com Brenda. Brenda entrevista a actual namorada de Greeson e conta, também, com a ajuda do jornalista Ricardo Ramos. Assim, no final do episódio, Brenda consegue a confissão de Olin, que havia torturado e morto Greeson para descobrir os corpos, pois tinha cancro e só iria viver mais 3 a 6 meses e acaba por telefonar à sua mãe.

Mais um episódio dramático e interessante, mantendo vivos os assuntos pendentes da série.

Nota: 8.4

509The Closer (5.09) – Identity Theft

Mas que bonito episódio! E diferente!

Ao contrário dos episódios habituais, este começa com um julgamento dum caso antigo. Quando Russell Clark é acusado de ter morto o Dr. Milano, em tribunal, diz ter estrangulado o médico com as suas próprias mãos, por este prometer tratamentos impossíveis a doentes psicológicos e crónicos, como ao seu filho, James Clark, que sofria de esquizofrenia.

Só que Brenda, através das fotografias, consegue perceber que Russell não devia ter sido o assassino, pois a vítima havia sido morta por um objecto não identificado, que não era de certeza as mãos. Brenda recebe, também, a visita da sua mãe e da sua sobrinha, Charnele aka Charlie, que tem-se mostrado muito rebelde e que com este caso acaba por tomar consciência do seu comportamento. Com a ajuda involuntária da sua sobrinha, Brenda consegue uma confissão do esquizofrénico James, que diz ter morto o médico estrangulando-o com uma meia, o que também não teria sido possível. Assim, no final, Brenda monta um esquema para a mulher do falecido doutor, também ela pseudo-doutora, e consegue a confissão do crime. Pois, uma vez que, Russell havia convencido o doutor Milano a parar com o negócio, a sua esposa não concordava porque não queria perder dinheiro.

Ver o lado mais pessoal da Brenda é sempre bom e começo a sentir saudades da falecida Kitty.

Nota: 8.7


The Closer (5.06/07) – Tapped Out / Strike Three

Agosto 26, 2009

506The Closer (5.06) – Tapped Out

Este episódio focou-se basicamente em apenas um caso, não dando relevo à vida pessoal de Brenda, o que acaba por ser bom, pois há que variar. Tudo começa quando Flynn e Provenza, acompanhados por Pope, que queria ser “apenas um dos deles”, decidem investigar um assassinato que ocorreu num parque de estacionamento, perto do café onde se encontravam. Os investigadores entregam tudo a um suposto Detective Tracy, que acaba por se revelar doente mental e que acreditava piamente que era um detective.

O assassinado, Mark aka Intriga, era um garanhão e gravava um programa de televisão. Quem começou por ser uma suspeita foi Marie Morgan aka A Nossa Senhora dos Gritos, pois era assistente da produção do programa de tv e havia dormido com a vítima. No final, Brenda consegue a confissão da produtora chefe do programa, que havia morto Mark pois o programa iria ser um fracasso e ele não queria mudar de postura. Foi um episódio extremamente cómico, com boas situações de humor.

Nota: 9,0


507The Closer (5.07) – Strike Three

Depois de um episódio leve, engraçado e cheio de humor, temos um episódio forte, dramático e sério. Um helicóptero reporta a morte de dois polícias e um jovem. Uma vez que o jovem foi morto pela polícia, quem vem investigar, junto com Brenda, é a capitã Raydor. Como é óbvio, as discussões e divergências entre estas duas foram o grosso do episódio, proporcionando bons momentos de representação e fazendo questionar alguns valores e procedimentos da polícia.

Através das investigações e entrevista feita a um tatuador, os detectives conseguem descobrir que haviam sido dois membros dum gang com ideologia nazis que haviam morto os polícias. Os suspeitos recusaram-se a prestar declarações e Brenda surge com um óptimo plano, virando um contra o outro e gravando as confissões deles quando eles não suspeitavam. O episódio termina com a ida dos detectives ao funeral dos falecidos polícias.

Nota: 8,7


The Closer (5.04/05) – Walking Back the Cat / Half Load

Julho 22, 2009

504The Closer (5.04) – Walking Back the Cat

O episódio começa com Brenda, de avental, a preparar o jantar, enquanto Fritz chega a casa com as cinzas da pobre Kitty, que foi abatida no episódio anterior. Durante a refeição, Fritz pede a Brenda um pequeno favor, mesmo que vá contra as regras que eles estabeleceram de manter a vida familiar em paralelo com a vida profissional. Brenda aceita ajudar o seu marido e começa a investigar, sem saber o porquê do interesse do FBI, Austin Blair. Enquanto Brenda não decide o que fazer com as cinzas de Kitty, carrega-as consigo, na sua mala, usando-as até para convencer Pope a permitir que faça a investigação. Provenza apresenta a sua namorada, Lauren, à equipa. Austin é finalmente encontrado, mas morto, na morgue. Ao informarem o seu padrasto, este mostra-se desinteressado pois o seu enteado havia morrido com uma overdose e ele cansara-se do vício de Austin. Entretanto, conhecem o namorado de Austin, que vive em casa do falecido e que havia, há um mês atrás, apresentado o desaparecido dele.

Na casa de Austin são encontradas drogas e dinheiro, assim como um cartão com o nome de Fritz. É então que é revelado que Austin havia sido um informante do FBI, tendo morrido na noite em que estava infiltrado. Com o decorrer das investigações e a entrevista feita ao chefe, e traficante, de Austin, Brenda conclui que alguém teria levado Austin para um beco, morto, de carro. Mas onde estaria o carro? Em casa do padrasto, tendo sido ele que o havia morto, por adulteração das drogas. Brenda resolve o caso e o FBI prende o ex-patrão de Austin. Tudo fica bem, quando acaba bem e por isso, Brenda resolve dar o dinheiro de Austin ao seu namorado, para que seja feliz e vá para a faculdade, agora que estava ilibado de qualquer suspeita.

Nota: 8,4


505The Closer (5.05) – Half Load

Brenda continua triste pela morte do seu gato, perdão, gata. E enquanto vai, com Fritz, doar as coisas da falecida para outros gatos, é chamada pelo Sargento Gabriel para resolver um homicídio que ocorreu na área da igreja do Padre Jack. Entre percalços como falta de cartuchos, falta de testemunhas e falta de cooperação da comunidade e aparentes causas, Brenda é “obrigada” a convocar uma reunião com a comunidade. Os ânimos esquentam e o debate não corre bem, até que Brenda é informada sobre um tiroteio que decorreu numa bomba de gasolina, a 2 quarteirões da igreja do Padre Jack. Há, também, a intervenção emocionada da mãe do assassinado, que comove Brenda.

Fritz propõe a Brenda que tenham um filho, mas esta abole a ideia, lembrando-se do testemunho da mãe do rapaz encontrado morto. Conforme investigam o tiroteio e entrevistam o rapaz que presenciou o acontecido, assim como, mais tarde, os envolvidos no mesmo (2 membros dum gangue que queriam roubar o carro dum homem), Brenda consegue a comprovação que a bala que havia causado a morte do rapaz, era resultado dos tiros disparados para o ar, a 2 quarteirões, num tiroteio. No fim, a polícia e a comunidade unem-se para pintarem as paredes, trabalho que era realizado pelo falecido, mostrando assim, como disse o Padre Jack, que aquela morte apesar de não ter sentido, teve uma boa consequência. Brenda e a sua equipa juntam-se para ajudar na tarefa realizada por todos.

Nota: 8


The Closer (5.02/03) – Blood Money/ Red Tape

Julho 18, 2009

A partir de agora, os reviews do The Closer serão feitos por mim, como tal, lanço hoje os reviews dos episódios 2 e 3, pretendendo amanhã fazer os dos episódios 4 e 5.

The Closer (5.02) – Blood Money
502Depois dum começo de temporada morno, temos um início de episódio, no mínimo, inovador. Pope e restante equipa, observam a gravação da chegada ao aeroporto do Sr. Summers, que estava a ser investigado pelo FBI, por fraude e desfalque, e que desapareceu, sem deixar rasto, após ter sido acompanhado por um motorista, Mario Gomes, que o aguardava. Brenda e a sua equipa recebem a ajuda extra da Detective Mikki Mendoza, para resolverem este caso, que ainda não sabiam definir ao certo. Quem estava muito alegre e bem-disposto, e até com uma gravata nova, era o Tenete Provenza, e as cenas dele foram cómicas. As investigações começam a ser feitas e Brenda conclui que Gomes estava no país ilegalmente. Entretanto, tem de lidar com os problemas de saúde da sua gata, Kitty, o que a obrigou a carrega-la a tempo inteiro.

Após encontrarem o carro de Gomes, cheio de sangue, Tao deduz que o sangue foi lá colocado e sendo, por isso, uma encenação. Entretanto um regaste é feito e a família do Sr. Summers quer usar o dinheiro das contas congeladas pelo FBI, para tal. O dinheiro é roubado, mal a conta torna-se disponível e através do dinheiro levantado, e outras evidências, Brenda consegue concluir que era o dinheiro que Gomes deveria ter ganho, há 2 anos atrás, caso não tivesse sido roubado por Summers. Depois, os detectives descobrem que Gomes não era ilegal no país, chamando-se na verdade Vargas, e que a sua esposa havia falecido no momento em que ficaram na pobreza. A detective Mikki encena um acidente contra Vargas, conseguindo assim prende-lo. No fim, encontram o Sr. Summers morto numa das casas em que ele havia usado para dar o golpe.

Nota: 8


The Closer (5.03) – Red Tape

503O Sargento Gabriel encontra-se, num bar, com o Comandante Taylor para saber se Irene o perdoa, por tê-la “obrigado” a ser promovida (o que não foi nada do meu agrado, pois perdeu-se uma grande detective) mas esta mostrou-se forte e não aceitou o pedido de desculpas. É então que se ouvem tiros, na rua. Lá fora, Gabriel vê um homem morto no chão e um rapaz a fugir, após o ordenar que parasse e quase ter levado com 2 tiros, dispara, imobilizando, assim, o rapaz. Taylor manda-o para o hospital com o suposto criminoso, para que não seja avaliado pelo DII. Mais uma nova personagem é-nos apresentada, Capitã Rehder, encarregue de fazer a investigação sobre o comportamento do Sargento Gabriel. Entretanto, assistimos a vários confrontos entre Rehder e Brenda, o que foi maravilhoso de se ver.

As dificuldades existentes são ultrapassadas pelo esforço da equipa de Brenda e no fim, Brenda, consegue uma confissão do jovem baleado, que conta ter morto, com o seu primo, o homem da rua, por este ser muçulmano. Quem também foi uma grande ajuda para Brenda foi o repórter Ricardo Ramos. Ainda a mencionar o estado de Kitty, a gata de Brenda, que piora a cada momento. O Sargento Gabriel é ilibado de qualquer dúvida quanto ao seu comportamento e no final, uma cena triste, onde Brenda ganha coragem e chama a veterinária de Kitty, para acabar com o seu sofrimento.

Nota: 8,3


The Closer (5.01) – Products of Discovery

Junho 13, 2009

dddd3742344895c419430e8562bc2c54A quinta temporada de The Closer começou e embora Brenda seja agora casada, continua obcecada e determinada a fazer o seu trabalho, não havendo, portanto grandes mudanças na personagem. O caso desta semana foi um quádruplo homicídio numa casa, morrendo a mãe, a avó e os dois filhos, só sobrevivendo o pai, que não estava em casa na altura. O impacto emocional foi intenso quando os detectives chegaram à cena do crime, encontrando os quatros corpos cobertos. O Flynn ficou tão chocado que acusou logo o pai pelo homicídio.

A partir desse momento, o pai tornou-se o suspeito número 1. Brenda tentou fazê-lo confessar, num quarto de hotel cheio de escutas, e conseguiu-o, infelizmente, a confissão não foi a que ela estava à espera. O pai confessou ter traído a mulher. Devido, a um engano de Provenza, que tentando chegar à cena de crime, foi para a casa errada, Brenda percebe que o assassino não pretendia assassinar a família mas sim o individuo (Hector) da casa errada. Descobrem que Hector era uma testemunha de um caso de tráfico de droga, contra Tavio Baran, protegida pelo FBI.

Descobriram, devido a um vídeo de Baran e a namorada grávida e uma “epifania” de Brenda, que este mandou a namorada assassinar Hector. Os detectives prendem a namorada quando esta vai visitar Baran, à prisão. Brenda troca de lugar com Baran e dá uma espécie de reprimenda à namorada. O pior deste episódio foi as coincidências demasiado rebuscadas, como a forma que descobriram que o assassino não queria matar aquela família mas sim Hector.

Nota positiva para o actor que faz de pai e marido da família assassinada (Lombardo Boyar). Episódio muito morno para a premiere de uma temporada, veremos se vai melhorar daqui para a frente.

Nota: 7,9