Olha, afinal '10 Things' não acabou…

Setembro 12, 2009

10T_synopsis_470x270-01’10 Things I Hate About You’ estreou em Julho deste ano com dez episódios iniciais. Toda a gente pensava que a primeira temporada iria ficar-se por aqui, mas o E!Online trouxe uma excelente para os fãs da comédia adolescente.

Ao que parece, a ABC Family encomendou mais dez episódios, totalizando assim uma primeira temporada de vinte. Seguindo os mesmos padrões de Greek, a primeira parte foi exibida durante o Verão e a segunda parte não chegará no próximo Verão, mas sim já no início de 2010, provavelmente em Janeiro.

Sobre as histórias que devem ser exploradas na segunda metade da primeira temporada, teremos mais disputas entre Bianca e a sua inimiga Chastity e também algo muito pouco esperado sobre Patrick Verona.

Não sei como a série se saiu nas audiências, mas na crítica conseguiu levar a melhor. Elogiada por vários críticos de renome americanos, a ABC Family deve estar muito contente com o produto que apostou. Eu confesso que não dava nada pela série, mas depois de ver o episódio piloto, que adorei, mudei a minha opinião por completo.

O 10 novos episódios de ’10 Things I Hate About You’ terão reviews semanais feitos pela Mariana.


10 Things I Hate About You (1.10) – Don't Leave Me This way

Setembro 10, 2009

snapshot20090910201122Estou realmente dividida para escrever este review, muitos irão contra o que irei dizer, outros me acharão contraditória perante tudo que já escrevi sobre a série, mas tentarei ser mais crítica possível, de uma forma diferente do que talvez tenha sido até agora. Conseguimos analisar uma nova série quando a mesma chega ao seu final de temporada. 10TIHAY mostrou-se um sucesso absoluto desde que estreou dia 07 de julho deste ano, porém alguma ressalvas devem ser feitas antes de falar propriamente sobre o episódio. Seu curto tempo de duração até então pareceu nunca atrapalhar o ritmo agradável e dinâmico que a história exigia, até por que fluia de forma coerente. Entendo que tudo tem que acontecer mais rapidamente, porém apontei diversas falhas neste, nas quais não tinha apontado em meus reviews anteriores, fato disso talvez por que”Don’t Leave Me This Way”  foi, na minha opinião o pior da série e efetivamente senti-me abandona, assim como o título do episódio. Visualizei a dificuldade que deve ter sido amarrar todas tramas desta fase e prepará-la para a próxima, porém para mim praticamente tudo soa sem autenticidade neste episódio.

As irmãs Strafford tem que lidar com alguns acontecimentos relacionados a “Big Party“. Little Sis e o beijo com o “Empty Head Joey” e Big Sis com a ligação constragedoramente alcoolizada que fez ao Mr.Intensite. Tomada por sua consciência pesada e como irá enfrentar a “Cold Hard Bitch”,  a Little Wannabe Popular ironicamente alcança um lugar no “Hall of Fame” , entrando finalmente para o grupo das cheerleaders, porém nem tudo é festa, pois o Padua High School sofrerá uma verdadeira reviravolta no seu sistema de normas, anulando qualquer liberdade existente entre os alunos, inclusive suas roupas.  Neste momento surgiu em minha mente a chama da “Revolutionary Big Cactus“, mostrando certo intusiasmo com os protestos e manifestações para abolir o uniforme e lutar pelos direitos civis. Foi interessante ver o total desinteresse da diretora, porém é ela que dá a grande dica a Kat, estimulando-a a procurar ajuda da pessoa mais indicada para influenciar o superintendente: sua filha Chaticiti vulgo Cold Hard Bitch, que aliás acabou recentemente seu relacionamento com o Empty Head Joey. Considerando o histórico entre as duas, foi bom vê-las interagindo de forma benéfica, assim unindo forças contra a imposição. Kat não é uma líder nata, assim a Bitch consegue a atenção de todos os alunos, puxando um coro animado “Uniforms SUCKS” e claro muito “persuassiva” chantagea seu pai e este anula o uso dos uniformes.

Considero também que apesar de fofo o casal, não consigo ter opinião formada sobre Joey e Bianca, a exemplo do momento em que ele a tira da multidão, girando-a no ar, cuja situação rende o beijo que é visto pelo “Poor Poor Nice Guy” e também pela “Cold Hard Bitch“, está que não consegue ter a mesma visão “tela de cinema” que o Cameron. O humilhado Cameron talvez tenha sido a grande surpresa nesta cena, pois consegue depois se impor mesmo que com dificuldade e deixar claro que não pode estar por perto dela se pretende superá-la de vez. Tudo flui superficialmente, ainda mais quando Chaticiti confronta a Little Wannabe no banheiro, deixando claro que tem uma visão péssima, não reconhecendo a garota que estava com seu ex. Sinceramente, qualquer um somaria 2+2, porém não era interessante no momento revelar tal acontecimento, respeito plenamente isso. Mas creio que minha grande revolta seja a inconstância de Kat, que se mostrou vulnerável e totalmente influenciável, sinceramente não consegui acreditar nela se rebelando amarrada na árvore junto com a Mandela, a gota d’água foi o momento em que seu pai chegou e fez todo o discurso de pai, cumprindo obviamente seu papel mais uma vez, porém foi a atitude instável dela logo em seguida que me deixou confusa, mostrando falta de expressividade perante uma personagem tão autêntica . Tudo parecia se perder naquele momento, quando ela resolve contentar-se com o pouco que tem. Para concertar e voltar a ser a boa e velha Big Cactus, essa resolve seguir o rebelde Mr. Verona, encarando uma provável expulsão, mas mesmo assim não me convence tal atitude.

Agora explicarei o por que não gostei do episódio, admito que posso estar exigindo demais ou ter criado muita expectativa sobre, mas sem dúvida iria mentir se desse uma nota mega alta a este. Não consigo mirar o alvo e culpar propriamente alguém, acho que a história em si trabalha de forma favorável comaquilo que tem a oferecer, porém não senti aquela chama que sempre sentia ao assisitir. Primeiro: as atuações não convencem, Segundo: cada cena é atropelada pela outra sem dar tempo de se recuperar, Terceiro: ficou evidente que o curto espaço de 20 minutos impossibilita uma melhor construção dos acontecimentos, Quarto: Não senti química entre os personagens, mesmo aqueles que estavam totalmente próximos (Kat e Patrick na moto ao final) e mesmo Joey e Bianca não resistindo um ao outro com todos aqueles beijos “calorosos”, Quinto: Os marcantes diálogos e algumas das sacadas características não conseguiram surtir muito efeito. Claro que não pode-se nivelar tudo e desconsiderar o que a série fez até então, pois todos que lêem meus reviews sabem que  adoro a forma com que 10TIHAY se desenvolve, porém com esse season finale fiquei um pouco preocupada com a dinâmica e continuidade para a segunda temporada, mas coloco na minha cabeça que só encontrarei respostas com o retorno do mid-season ano que veem.  Acredito que mesmo por mais que gostamos e elogiamos sempre alguma coisa, temos o dever de apontar as falhas e erros decorrentes.

65


10 Things I Hate About You (1.09) – You Gotta Fight For Your Right To Party

Setembro 3, 2009

snapshot20090902015422

Liberdade e Responsabilidade. Dois temas fortemente discutidos em mais um excelente episódio. Sempre de forma inusitada, a série acaba nos surpreendendo, porém o grande destaque vai novamente para as atuações, que variaram do dramático, cômico e esbarram nas limitações de cada um. Creio que o sonho de todo filho adolescente é ter a casa somente para si, sendo assim com as irmãs Strafford não poderia ser diferente, afinal com um pai super-protetor e rigído daqueles, todo filho merece um pouco de liberdade. Assim, vemos o Dad sair de casa rumo a uma Conferência.

Little Wannabe Popular aposta alto na busca do estrelado, convocando suas amigas para uma “noite de karaokê”. Hilário quando a Big Cactus prevê quem entrará pela porta logo em seguida (sim , eram os caras do time de futebol). Tentando cumprir o papel de Big Sis,  ela tenta impor normas de conduta dentro de casa, a exemplo do sistema de coleta de lixo e as faixas de pulso com frases recriminativas.  Todos parecem estar se divertindo, porém o álcool começa a fazer efeito na garotada. Essa festa foi recheada de momentos inusitados, como a briga do Empty Head Joey e a Chaticiti Ice Cold Bitch. Quando este vê sua namorada se atirando em cima dos caras mais velhos, podemos perceber que existe algo que pulsa dentro dele, fazendo- o “vomitar” quase tudo que não aprova nela.  Só está a crescer o número de estrelinhas pro Nice Guy, que desesperadamente tenta conquistar o perdão de Bianca, porém acaba se embreagando na até então inofensiva melancia. Todos dizem que dependendo do teor álcoolico de seu corpo, podemos manifestar sentimentos e tomar atitudes que normalmente não tomariamos, puramente por falta de coragem. Sendo assim, o momento “And I….Will alwayssss love youuuuu” acontece.  Bianca responde o que já era esperado: um Big  Blaster Super Duper NO. A única coisa que não concordei muito  foi colocar essa declaração e logo em seguida, o singelo e tímido beijo entre o Mr. Empty Head e a Little Wannabe.

Continuando as desventuras amorosas do Not Soooo Sweet Couple, vemos que Mr. Intensite tenta concertar a situação deixada no último episódio, porém sem muito sucesso acaba sendo acusado de comunista chinês pela Big Cactus. Novamente esse casal surpreende com seus diálogos bem estruturados, evidenciado numa pontual frase de Patrick a Kat: ”  Perfect world, all perfect by your perfect-self”. Assim vemos que Kat tem seus “issues” para lidar porém seu orgulho a cega. Nitidamente alterada, tenta focar sua energia em algo que possa controlar, ou seja, o boicote a festa. Num liga e desliga da energia, acaba tendo outro momento da verdade, desta vez com sua Little Sis, que diz You act like you’re perfect. Cansada de ouvir a palavra “P”, nossa Little Miss “Perfect” resolve soltar os espinhos e estravasar, digamos que até demais. Eis que surge um momento ilustre, nitidamente colocado para referenciar o filme de 1999: Kat perfomática de calcinha e camiseta masculina, totalmente embreagada entertendo os convidados. A cena seguinte entre Ms. “P “e Mr. Nice foi bem graciosa, quando ele pergunta o que fazer para que Bianca o perdoe e a Big Sis diz pra ele comprar algo que brilhe. Little Sis além de lidar com o descontrole da festa, começa a se preocupar com o estado de sua irmã e num ato desesperado bola um plano junto Mr. Empty Head, inventando algo sobre doenças contagiosas para espantar todos da festa. Vítima de sua própria cilada, a pequena tem que assumir pela primeira vez a responsabilidade pelos seus atos e ao fazer isso mostra que apesar da pouca idade, consegue organizar tudo novamente, ambientando sua casa como ela originalmente.

Agora nem preciso dizer que a melhor cena ficou para o final, quando o pai chega em casa com um dvd de um filme bem legal para eles assisstirem chamado “House Party“. Sem dúvida o castigo vai ser bem elaborado, pois liberdade demais acaba tendo um preço, que as vezes é muito caro para se pagar.

Nota: 9,4


10 Things I Hate About You (1.08) – Dance Little Sister

Agosto 28, 2009

snapshot20090826012750Esse mid-season me marcou com duas séries em particular, totalmente distintas: True Blood, com seu ritmo alucinante e dinâmico que nos deixa sedento de sangue a cada episódio e 10TIHAY, com sua leveza e sutilidade que sempre arranca imensos sorrisos daqueles que a assistem. O oitavo episódio da série não desaponta, pelo contrário, consegue mostrar mais uma vez que a série pode vir a ser a grande zebra do verão americano, pela qual torço dia a dia para garantir mais uma temporada. Tudo gira em torna da festa do colégio, que foi abordada de forma diferente do original, que marcava a aposta existente entre Josh e Patrick. Como não poderia mudar, a regra do papai “Bianca só sai num encontro, se Kat também sair” continuou presente. Toda a história do amigo do Josh ser tímido e blah blah para convidá-la foi bem mal contada, porém a Little Wannabe Popular não parecia ver as “verdadeiras intensões” do rapaz, afinal de contas aquele seria seu primeiro encontro.

As irmãs Stafford, a cada episódio destacam-se com suas tramas individuais, porém quando elas se encontram, tudo flui grandiosamente. Não conseguindo convencê-la, Bianca intima Patrick a levar sua irmã a festa, para que assim ela possa ir.  Mr. Intensite aceita o desafio, porém nos deixa a dúvida: Será que veriamos a transformação da  Big Cactus numa Sunshine Beautiful Flower?.  Mesmo não conseguindo controlar a situação, é notável o sorriso de satisfação ao saber que Patrick irá acompanhá-la. Um dos pontos pra essa personagem, é que ela consegue mostrar uma fortaleza vulnerável e o faz de forma natural, sem muitos clichês em suas variações.  Enquanto isso, o Nice Guy continua vivendo a tortura de ser o melhor amigo e confidente de seu grande amor. Confesso mais uma vez que amei o Cameron nesse episódio, todos os conselhos, a preocupação e todo o carinho que ele demonstra pela Little, sem contar no hilário diálogo entre os dois, logo após Bianca ter levado um “bolo” do seu encontro,  Cameron define suas habilidades de dança como algo digno do Hot Tamale Train (jargão muito utilizado por Mary Murphy, jurada do So You Think You Can Dance para classificar uma dupla de destaque no programa, que merece a primeira classe do trem). Tive que pausar para rir, quando Dad Stafford começa a medir o vestido de sua pequena, checando se está apropriado ou não.

Destaque para os preparativos das garotas, afinal como já esperavamos a Big vestiu literalmente a primeira roupa que avistou pela frente, fato que deixou a Little extremamente indignada, obrigando a transformar a Gata Borralheira numa verdadeira Cinderela, álias conseguimos ver pela primeira vez uma diferente faceta da personagem, nitidamente atraente. Deu pra sentir a satisfação de uma irmã mais nova, decidida a tornar seu irmã mais velha, irresistível. A tentativa de criar a clássica cena dos filmes de bailes, quando a garota desce as escadas e o rapaz a está esperando foi bem sacada, mas neste caso, Dad não deixou a magia fluir, pois estava mostrando a Patrick detalhes do útero e outras coisas relacionadas aos “perigos do corpo feminino”. Mesmo com todo o destaque estonteante de Kat, o episódio é essencialmente de Bianca, que lida com a frustação de ter sido dispensada em seu primeiro encontro. Porém nem todos saem triste desta história, pois Cameron consegue bancar o herói e salvar a donzela da solidão, levando-a na festa. Outro ponto para o Nice Guy, que mesmo jogando sujo ao roubar o celular do encontrol dela e mesmo quebrando o código de confiança que Bianca tinha, ele mostra que realmente não mede esforços para conquistá-la, uma pena que o “timming” dele é péssimo, ficando claro que dessa vez não podemos culpar o “brilhante” melhor amigo dele, Mike. Outro ponto chave tem sido o relacionamento entre Kat e Patrick. Os criadores conseguiram mesclar a tensão deixada após o primeiro beijo junto com momentos de pura descontração, como aquele em que eles começam a dublar os casais brigando na pista de dança ou a frustante tentativa de dançarem juntos. Pena que ele meteu-se numa confusão que nem era dele, deixando-a sozinha na festa.

A cena final pode ser considerada uma das mais bonitas da série, mostrando de forma marcante e singela, Bianca indo ao quarto de Kat para dividir um silencioso momento, que definitivamente não precisou de numa fala, pois ele por si só exemplificou o quanto elas precisam uma da outra e quão bem elas funcionam como irmãs, apesar das diferenças.

Nota: 9,7


10 Things I Hate About You (1.07) – Light My Fire

Agosto 20, 2009

snapshot20090820201231Atitudes previsíveis são facéis de decifrar, pois afinal elas são bem transparentes.  Atitudes inesperadas por sua vez, funcionam como um mix de empolgação e frustação, que por fim cumprem ou não as expectativas.  10TIHAY mostrou solidez e certa maturidade, neste que na minha opinião foi o melhor episódio até agora. Fazia certo tempo que não acompanha séries do mid-season, porém resolvi me arriscar com essa e estou bastante contente, creio que todos que acompanham a série ficam mais leves e descompromissados após assistir a nova aposta da ABC Family, pois ela se apresenta de forma prazerosa.

Tudo gira em torno do caótico incêndio ocorrido no bairro, obrigando a “população” a se alojar no Padua High School, pelo menos enquanto os bombeiros  minimizem os danos. Porém a cena que abre o episódio é sem dúvida mais marcante e inesperada, com uma performática Kat cantando em seu quarto para um público exclusivamente composto pelo imprevisível “Mr. Intensite”, que obviamente deu o maior susto nela quando aparece do nada em sua janela. As tradicionais frases de referência, desta vez a True Blood, quando Patrick diz que é um vampiro e ela tem que convidá-lo para entrar. A “Little Miss Wannabe” invade o quarto com o cabelo todo enrolado e com prazer tenta constranger sua Big Sis .

Toda a baboseira com a “Chaticity” eu vou dispensar, porém algo novamente inesperado acontece. Bianca faz o que talvez ninguém nunca tenha feito, enfrenta bravamente a cheerleader  irritante como um “You’re such a B-I-T-C-H”, revelando o quanto ela é “difícil de lidar” e o quanto os outros a odeiam.  Soma-se mais uma estrela para ela no meu mural, pois tava demorando pra isso acontecer. Novamente “Mr. Nice Guy” apronta das suas, sendo que desta vez pensa ter sido ele o provocador do incêndio. Muito cômico quando ele pedi conselhos pro Patrick e ele diz que se confessar provavelmente passará de 5 a 10 anos na cadeia, mas o bom disso tudo é que com esse rosto bonitinho dele, ele conseguirá um bom maridão.  “Dad Strafford” interagi com a amiga de uma mulher grávida, foi bom vê-lo mais solto (vulgo bêbado) e conversando com outra mulher, fator difícil após a morte de sua esposa.

Tchan tchan tchan e os grandes acontecimentos do episódio voltam-se para o casal que aos olhos comuns pode ser previsível, mas não é e digo o por que. Mesmo de forma muito estranha, não podiamos esperar uma declaração, poisa convenhamos que não é muito a cara do “Mr.Intensite” fazê-la e muito menos da “Ms. Spine Cactus” em recebê-la. Depois de muito enrolar, Kat resolve seguir Patrick até o telhado e o confronta sobre o que ele tanto queria falar com ela. Claro que a tagarela acaba se calando quando ele a beija e assim o tão esperado encontro dos dois acontece. Quando falei em expectativas e frustações, essa cena mostra o quão delicado esse possível relacionamento pode ser, pois nitidamente as motivações de ambos parecem diferentes, mas nada mais natural, pois Patrick assume a personalidade do cara pretencioso e galanteador, que curte o momento e Kat por sua vez assume a personalidade da garota decidida e cheia de princípios morais, que mesmo gostando do beijo como qualquer outra garota gostaria, não se contenta com o cargo de ser “mais uma pra somar” na vida dele. Quando Patrick finaliza com o  ” Why you make everything soooo difficult?” e ela rebate com o “Because i’m not easy”, fica claro mais uma vez as desventuras em série que eles enfrentarão daqui pra frente.

Nota: 9,6


10 Things I Hate About You (1.06) – You Can't Always Get What You Want

Agosto 15, 2009

snapshot20090813223628“You don’t get California at all”. Realmente “Dad Strafford” ou não se encaixa realmente no novo estilo de vida ou suas filhas realmente levam suas atitudes e desejos muito ao extremo. Com esse sexto episódio, comprova-se efetivamente que nem sempre é palpável e fácil impor nossas vontades e ideologias. Kate parece não se contentar em tirar um A+, não quando todos na sala também tiraram a mesma nota. Como era de se esperar, ela questiona sua professora e seus critérios de avaliação, pois ao ver dela nem todos ali mereciam tal nota, ainda mais considerando que existiam redações sobre “desfrutar o gosto salgado do surf” ou “a arte de soletrar” . Gostei de ver quando a professora diz que  Até os astronautas conseguem ver que você é uma feminista”. Resta a dúvida, Kat saberá mostrar algo que realmente descontrua sua imagem tão marcante e previsível.

“Little Wannabe Popular” continua sua incansável saga para conquistar uma espaço na badalada vida da “Chaticity”, porém amizades como essa podem sair mais caras do que o previsto. Bianca só não ganha do Mike (acho que esse é o nome do amigo do “Nice Guy”) no quesito “idéias brilhantes”,  pois ela resolve fazer uma campanha de arrecadação online, após ter o “PAI-trocínio” negado. Ela e sua amiga Dawn criam um “reality show” online no qual elas expõem detalhes “picantes” de suas vidas. Mesmo com toda a futilidade e obsessão, a pequena Strafford consegue ser adorável e até cômica em algumas situações, como no momento que ela descobre que desperta 100% de interesse da audiência quando Dawn começa a coçar suas costas. Claro que o primeiro “beijo” da série não poderia ser mais inusitado, pois numa tentativa de ganhar mais dinheiro as garotas resolvem se beijar, alias esse momento rendeu uma grande cena posterior, na qual o papito sem avisar no quarto e flagra as duas meninas em ação. Depois ele arrancando a porta como punição foi muito engraçado e ao mesmo tempo humilhante para Bianca. Ela acaba virando alvo de piadas e insinuações dos garotos da escola, o que obriga o “Nice Guy” a entrar em “ação”. Naquele momento ele recuperou pontos comigo, pois mesmo enfrentando o garotão da escola, ele volta a ser o bom e velho covarde Cameron, que acaba sendo protegido por sua amada. Ri muito quando ela bate com o fichário na cabeça dele fala que o moleque deveria escolher alguém que fosse do tamanho dele pra brigar.

Pode parecer repetitivo, mas voltamos a ter ótemos momentos das garotas com o papai. Anteriormente com a Bianca e sua arrecadação para as compras, mas sem dúvida é com Kat o grande diálogo deste episódio. Retomando a rebelião, erroneamente a “Big Spine Cactus” vai tão fundo em suas reclamaçõe, que acaba fazendo a professora reavaliar as redações, porém o que acontece é que a única que recebe nota diferente é ela.  Mandela acaba sendo ofendida quando Kat usa de forma negativa o tema de sua redação e acaba confrontando que nem tudo envolve o “Mundo Excêntrico de Kat”, deixando claro que o excesso de sinceridade e determinação podem magoar os outros. Sobre o diálogo entre pai e filha, pela primeira vez Kat avalia suas atitudes e seu jeito tão impositivo de ser, colocando finalmente em questão se é ou não é uma pessoa egocêntrica. Cumprindo seu papel de pai, ele responde de forma simples e direta, dizendo que as vezes seria bom se preocupar com outras coisas, como comer, dormir e importar-se mais com os sentimentos dos outros. Novamente acho que ela aprende a dura lição, refazendo sua redação com um novo tema ” O dia que meu pai me acompanhou na compra do meu primeiro absorvente”. Mostrar e admitir que errar é natural, porém mais importante que isso  é  que ela consegue se redimir com sua amiga, dizendo o quanto se emocionou e se identificou com sua redação.

Não tivemos muito do  “Mr. Intensite” neste episódio, mas pra quem já viu o preview do próximo, podemos reparar que ele tomará algumas “ações”. Uma das coisas que gostei sobre a série foi que eles afastaram algumas características das personagens do filme, a exemplo do Joey, que era nitidamente um cafageste babaca que tinha um histórico com a Kat e queria algo com sua irmã mais nova. As irmãs por sua vez possuem a essência do original, porém acrescentam um pitada especial que combina com o desenrolar da trama, creio que muito disso graças ao talento  das atrizes. O próprio Patrick tem algo único, porém ele sem dúvida é a personagem mais difícil de desassociar, pois Heath Ledger(Coração de Cavaleiro, Batman: Cavaleiro das Trevas) fez muitas jovens/adolescentes suspirarem, inclusive a que vos fala.

Nota: 9,2


10 Things I Hate About You (1.05) – Don't Give Up

Agosto 6, 2009

snapshot20090806194147Mesmo quando tudo e todos conspiram contra aquilo que deseja ou pretende fazer, nunca, nunca desista. Pode soar clichê, mas este quinto episódio aborda este assunto, de forma sútil e ao mesmo tempo impactante. Kat resolve deixar a hipocrisia de lado e resolve por em prática sua “filosofia  ambientalmente correta” e assim entra no projeto garagem para transformar seu carro poluentemente incorreto num carro movido a biodiesel, porém ela terá que quebrar o taboo de que ” garotas não podem fazer aquilo que os garotos fazem”. Bianca continua predestinada a conseguir o reconhecimento e sua tão sonhada vaga como cheerleader, porém tudo parece dificultar a vida da “Little Wannabe Popular” quando “Chaticiti” oferece a vaga em troca dela ajudar  Joey, vulgo “Empty Head” a passar no projeto de química, caso não o faça, ficara fora dos jogos da escola. Realmente ela faz isso parecer o último dia na terra, o caótico fim do mundo.

Cameron é a pessoa que perfeitamente simboliza o “Nunca Desista”, pois mais insistente que ele não existe e mais influenciável também. Gostei da nova vibe que deram para a personagem de Kat, mas Cameron desaponta demais e novamente mostra total falta de personalidade, aceitando novamente os conselhos “furada” de seu melhor amigo. Novamente é dele um bizarra porém hilária cena em que ele aparece molhado e sem camisa na porta da casa da Bianca. Confesso que a famosa ” Oops derramei um copo de suco no seu corpo malhado” tinha que acontecer, transformando o momento de Cameron ainda pior do que o imaginável. Bianca pela primeira admitou me conquistou em um episódio de 10 TIHAY, mostrando sua determinação além do sútil poder de manipulação, quanto a isto não precisa muito esforço para convencer o “Empty Head Joey”. A cena em que ele se inspira nela e cria o seu “Dream Book” é muito engraçada, pois mesmo estando interessada no seu desejo, Bianca consegue manter em Joey as duas coisas: ser um dedicado jogador para melhorar sua “promissora” carreira de modelo.

“Big Adventures on Garage” não está funcionando muito bem para Kat, que enfrenta as insinuantes provocações dos garotos e por um “azar” do destino descobre que “Mr. Intensite” também está no projeto. Orgulhosa e destemida, a “Big Cactus” tenta provar que não é qualquer garota e que não irá chorar quando sua unha quebrar. Tipicamente os garotos começam as apostas sobre ela desistir, mas claro que ela nunca serviria esse prato a eles.  É muito engraçado quando mesmo tentando passar um ar de superior com suas asperas respostas, Kat notoriamente “baba” quando Patrick tem que tirar sua camisa suja de gracha. Afinal que mulher não acha sexy um homem sujo na garagem? Brincadeira!. Agora finalizando, novamente 10 TIHAY mostra a sólida e bonita relação pai e filha, que vai muito além do vínculo de sangue e se transforma numa relação de cumplicidade e companheirismo. Achei lindo quando “Dad Starfford” aparece na garagem e a ajuda a desvendar os mistérios do manual de instruções. Aprenda que existe uma linha que separa a loucura de querer algo e a perseverança de concretizar esse tal feito.

Nota: 9,0