Nurse Jackie (1.12) – Health Care and Cinema

Agosto 25, 2009

snapshot20090825183851E pronto, terminou a primeira temporada de Nurse Jackie. Este Season Finale, apesar de ter sido um episódio bom, poderia ter sido o melhor da temporada caso não fosse season finale, deixou absolutamente tudo em aberto para a próxima temporada (se houver), espero que sim, pois não há nenhuma conclusão neste episódio. Como era de se esperar pelo final do episódio passado este episódio iria incidir sobre Eddie e a sua reacção a ter descoberto a verdade sobre Jackie.

O episódio começa com Jackie a conversar com o marido, de manhã, no bar e depois a sair para ir trabalhar. Mal Jackie sai do bar para ir para o trabalho aparece Eddie no bar e deu-se então o aguardado encontro entre ele e o marido. Desde logo ficamos com medo que Eddie revele tudo, mas ele não refere nada, está lá no bar como um cliente normal, mas faz perguntas, o marido sem desconfiar de nada é extremamente simpático para o Eddie e até parece gostar deste. No entanto o Eddie mostra sempre uma cara de que a qualquer momento pode abrir a boca. Este encontro no bar é um dos principais acontecimentos do episódio.

No hospital o critico de cinema do episódio passado volta a aparecer, agora em coma. A chefe Akalitus pretende abrir um inquérito para averiguar o que se passou com o paciente, no entanto fica presa no elevador. A actriz que interpreta Akalitus mostrou muito valor nos minutos que teve de cena neste episódio, presa no elevador, sozinha, foram muitas as situações engraçadas que proporcionou. E esteve presa muito tempo no elevador porque nenhum dos enfermeiros mostrou pressa em chamar a manutenção.

A Jackie parece que está tudo a correr bem, as situações do costume e mais uma vez Dr.Coop a dar em cima de Jackie. Uma situação engraçada foi a conversa entre Mo-Mo e Coop enquanto tratavam de um paciente que tinha o intestino de fora, já agora, esse caso foi surreal, um homem estava a ver TV quando o intestino lhe salta pelo umbigo, no entanto não sentiu dores e estava no hospital como se nada lhe tivesse acontecido, Voltando a Coop e Mo-Mo, ambos falaram um com os outro dos seus interesses românticos, Dr. Coop até ajudou Mo-Mo a fazer ciúmes ao homem de quem gosta, que pelos vistos é heterossexual. Enquanto ajuda Mo-Mo, este percebe que é em Jackie que Coop está interessado.

Quem não está muito bem é O’Hara, a sua mãe está doente e ela cometeu pequenas ilegalidades para a trazer de Londres, para poder observá-la. Em conversa com Jackie, O’Hara garante que não vai chorar ao ver a mãe, a verdade é que quando a mãe, desacordada, chega ao hospital e O’Hara se vê sozinha com ela, fica realmente muito emocional e começa a chorar.

Aproximando-se o final do episódio o critico em coma finalmente acorda, quem está ao seu lado é Zoey. Em conversa com este Zoey percebe que ele não se lembra de muita coisa, como se tivesse o cérebro apagado. Não sabia quem era Kevin Costner, por exemplo.
Entretanto Eddie aparece nas urgências bêbado e começa a falar mal em frente de toda a gente, preocupada Jackie tenta leva-lo para algum sitio em privado. Eddie ao ouvido diz a Jackie que conheceu o Kevin e que ele é realmente um homem muito agradável. Depois de isto vai-se embora e Jackie quase em choque usa o Pill-O-Matix, vai para a casa de banho, onde se droga e acaba assim o episódio, com ela deitada na casa-de-banho.

Na minha descrição do episódio pus as principais linhas narrativas do episódio, todas elas têm uma coisa em comum, não têm desfecho, nenhuma das linhas narrativas tem conclusão. Não se sabe o que acontece ao critico de cinema, não se sabe como fica o paciente de intestino de fora, não se sabe como fica a O’Hara. Toda a linha narrativa entre Coop e Mo-Mo se revela inconsequente. Para além destas a principal acaba com um enorme cliffhanger, que será de Eddie? Que acontecerá com Jackie e o marido?
Se este episódio não fosse um Season Finale, seria um episódio muito bom. Como Season Finale deixa muito a desejar, não termina nenhuma linha narrativa, mostra-se um episódio demasiado inconsequente e sem propósito. Fiquei um bocado desanimado com o episódio porque como season finale deveria terminar ter consequência para toda a acção que se desenrolou ao longo do episódio. Muitas séries terminam temporadas com Cliffhangers , neste caso exageraram nas linhas abertas, muitas delas não despertam sequer a curiosidade para se continuar a ver. No entanto fico à espera da segunda temporada.

Nota: 8.0

SEASON FINALE


Nurse Jackie (1.11) – Pill-O-Matix

Agosto 24, 2009

snapshot20090824164244Ainda não foi neste 11º,e penúltimo episódio de temporada, que Nurse Jackie mostrou todo o seu potencial, no entanto começamos a aproximar-nos de acontecimentos que realmente podem fazer toda a diferença, e torna-se, devido ao final deste episódio, evidente que podemos esperar um Season Finale de revelações. Mas comecemos pelo inicio.

Começamos como sempre com Jackie e as suas filhas, neste caso o inicio com a família tem ligeiramente mais minutos em cena. Novamente Jackie tem uma aula de dança com a filha, se no episódio passado se percebeu que Jackie não gostava muito da aula e principalmente não gostava da presença de uma antiga colega e a sua filha na aula, neste episódio isso tornou-se evidente. Jackie começou-se a irritar com a filha da colega e com o feitio que tem era previsível que Jackie fosse explodir. Desistiu da aula de dança, o que deixou a filha bem triste. Antes de se passar para o hospital o marido e a filha mais nova de Jackie vão comprar um anel para substituir o anel partido.

Passamos para o hospital onde está a decorrer uma reunião por causa do computador que irá substituir Eddie na farmácia, engraçado que a máquina que era para ser o Pyxis não o é porque arranjaram uma mais barata, o Pill-O-Matix, é irónico, já que substituiram o Eddie também para contenção de custos. Dr.Cooper Após o beijo de Jackie fica interessado nesta, pelo que termina com a sua namorada, Melissa, para se poder concentrar em conquistar Jackie.

Cooper compra um vaso de flores para Jackie e um pacote de chicletes, que foi a recomendação de Zoey, depois de tentar devolver as prendas e de cooper as voltar a deixar para Jackie, esta guarda o pacote de chicletes, a recomendação de zoey, era, como se viu, correcta, e deita no caixote do lixo o vaso de flores.

Tempo para falar dos dois casos médicos. Acho que foram os dois casos médicos que eu mais gostei. Num deles temos um crítico de cinema famoso que caiu e se aleijou bastante, este é um crítico de cinema amargo, viu-se que criticou bastante alguns filmes mais comerciais de que Jackie gostou, caso de Hotel for Dogs, ela confrontou-o por isso, porque achou que ele chamou estúpidas às pessoas. As discussões sobre cinema foram realmente bem introduzidas e tiveram a sua piada. No outro caso, um paciente tem uma aranha alojada no ouvido, Mo-Mo é quem está encarregue do caso e tem fobia a aranhas, também foi bastante engraçado o caso. Mo-Mo em pânico quando vê que o paciente tem uma aranha no ouvido. Lá consegue combater a fobia e tratar do paciente. O primeiro paciente, o critico de cinema fica em coma devido ao erro na dose de medicamento administrado por Zoey, ela fica de rastos por isso e Jackie foi bastante agressiva a falar com ela sobre isso.

O final do episódio é onde está o acontecimento mais importante do episódio. Aparentemente está tudo normal. Jackie chega ao bar do marido, dá uma flor a cada filha, passa para trás do balcão e cumprimenta o marido. Aparentemente tudo normal, no entanto Eddie está na parte de fora do café, seguiu Jackie e vê toda esta situação familiar. Realmente deu alguma pena ver o Eddie a descobrir sobre Jackie.

Foi um episódio ao nível habitual, não foi nada de extraordinário, no entanto o tempo é bem passado e tudo se desenvolve bem. Se não fosse os momentos finais, este episódio seria mais do mesmo, no entanto o final abre boas perspectivas para a Season Finale.

Nota: 8.7


Nurse Jackie (1.10) – Ring Finger

Agosto 16, 2009

snapshot20090817000905Mais um episódio de Nurse Jackie mais certezas de que jackie ainda se vai meter em muitas enrascadas. O episódio começa, novamente, com uma situação familiar, desta vez Jackie teve numa aula de dança com a sua filha mais velha, mostrando que realmente pretende aproveitar melhor a sua relação com a filha. No entanto logo passámos para o hospital onde se vê a complicação de manter uma vida dupla. Logo no inicio, numa conversa com Mo-Mo descai-se dizendo que teve uma aula de dança mãe-filha, felizmente para Jackie, Mo-Mo entendeu que ela teve uma aula de dança com a mãe. Foi uma situação engraçada. O’hara aparece em cena como de costume, com a sua irreverencia, excelente a personagem, no inicio parecia um bocado irritante, mas agora já me conquistou. Jackie mantêm-se chateada com O’Hara e esta tenta pedir desculpa, apesar de não dar o braço a torcer percebe-se que Jackie não vai conseguir ficar chateada com O’hara por muito tempo. O’Hara antes de sair de cena avisa Jackie do anel de casamento que se esqueceu de tirar. E é este o ponto de partida de todo o episódio.

Jackie tenta de tudo para tirar o anel mas este não sai, um paciente chegou com paragem respiratória pelo que Jackie tem de ir responder à emergência com o anel. Como não mostrar o anel? Usar luvas, num hospital isso é óbvio que resulta sem levantar suspeitas. É este caso de emergência o único caso do episódio, um homem jovem aparece em paragem cardíaca e tentam de tudo para o ressuscitar, mas sem êxito, mais uma vez cabe a Jackie lidar com o corpo. O anel durante a emergência foi escondido, mas Jackie tem o encontro diário com Eddie pelo que tem de tirar o anel. Nada melhor de que o destruir com uma serra. Fica pendente a questão de como Jackie vai contar ao marido que ficou sem anel. Esta pergunta tem resposta mesmo no fim do episódio. Jackie arranja um martelo e parte o dedo, assim já tem desculpa para o anel ter sido destruído.

Neste episódio temos ainda cenas com o Dr.Cooper, no primeiro este ameaça Jackie pela situação do episódio passado em que Jackie declara morte cerebral num paciente para este se tornar doador de órgãos, fazendo de conta que foi Coop que declarou. Num outro momento com Coop este tem um dos deslizes dele e apalpa Jackie, desta vez ela não se importa e ainda lhe dá um beijo.

Mais um episódio de bom nível. A série aparentemente não tem nada de extraordinário, no entanto, consegue entreter bastante. Isso prende-se com o facto de a história dos episódios se desenvolver bem, de as situações serem bem escritas e de querer-mos sempre saber como Jackie se vai safar das situações. Neste episódio viu-se mais uma vez que Jackie poderá ter problemas sérios devido às situações de ilegalidade em que se mete e devido à sua vida dupla. De facto percebe-se o porquê de Jackie recorrer a drogas, meteu-se numa tal alhada com a sua vida dupla que a qualquer momento tudo se pode desfazer.

Nota: 8.5


Nurse Jackie (1.09) – Nosebleed

Agosto 6, 2009

snapshot20090806172009Este é o meu primeiro review no Portal. Substituo a Filipa nos reviews de Nurse Jackie enquanto ela vai de férias. Por ser o meu primeiro é possível que este fique um bocado extenso, peço desde já desculpa se isso acontecer. Concordo com a visão da Filipa e com as notas por ela atribuída aos episódios anteriores. No entanto cada um tem a sua própria visão pelo que vão existir diferenças na maneira como a Filipa abordava a série e a maneira que eu farei. Visto que não comentei nenhum dos episódios até agora vou-me alongar um bocado em considerações gerais sobre a série.

Nurse Jackie é uma série que ao longo de todos os episódios apresentou uma componente de comédia muito bem estruturada. Cada episódio tem 25 minutos, não se podendo esperar grandes desenvolvimentos a nível de casos médicos, no entanto creio que a comédia compensa essa ausência de emoção dos casos e acrescenta alguma originalidade, não é apenas mais do mesmo. A protagonista é uma personagem poderosa, interpretada por uma excelente actriz. O principal motivo de eu estar a gostar de assistir aos episódios é o facto de Jackie fugir aos estereótipos típicos das séries médicas actuais, primeiro é uma enfermeira, não uma médica, depois é uma personagem danificada, cheia de vícios e que esconde segredos de toda a gente. É uma personagem que faz lembrar Dexter Morgan, na maneira como camufla o que pensa e na maneira como esconde as coisas sobre ela. Casada, com um caso extra-conjugal e viciada em drogas não é de toda uma personagem normal, e neste caso resulta muito bem.

As restantes personagens da série estão em perfeita harmonia, o ambiente descomprimido da série é extremamente agradável, e apesar de episódios curtos é possível ligarmo-nos às personagens que têm situações muito cómicas e dando para perceber que cada um tem os seus próprios problemas que vão sendo mostrados ao longo dos episódios. A banda sonora da série é também algo de diferente e agradável encaixando perfeitamente até aqui.

Uma das coisas que me irrita na série é que os enfermeiros que aparecem são homossexuais, acho terrivelmente cliché e injusto para com essa classe de profissionais de saúde que assim seja, podiam perfeitamente arranjar arcos de história para enfermeiros heterossexuais.

Quanto ao episódio, começa com a situação familiar de Jackie, um ambiente agradável até que a filha mais velha de Jackie demonstra mais uma vez os seus problemas emocionais, percebe-se claramente que estes problemas devem-se à ausência da mãe que passa demasiado tempo no hospital, também é possível que a filha sinta que a mãe está de alguma maneira a trair a família, existe um sexto sentido e pode ser que a filha de Jackie sinta que a mãe erra. Os problemas da filha vão ser explorados ao longo de toda a temporada, sem dúvida.

Depois da situação familiar vai-se para o hospital onde Jackie à entrada do hospital se depara com o primeiro caso do episódio, um sem-abrigo que desmaiado. Zoey e Jackie tratam dele, verificando que os pés estão em estado lastimoso, isto serve para um dos momentos mais engraçados quando a Dr.O’Hara entra na sala para atender o sem abrigo e refere a agradável sensação do cheiro a gangrena pela manhã, um bom momento de humor negro (Espero não ter sido o único a achar piada à cena, pois isso faria de mim terrivelmente mau). O veredicto deste caso é que é necessário amputar os pés do sem-abrigo.

O outro caso do episódio é o de dois rapazes com piolhos, a mãe, irritante como tudo (existem, realmente, pessoas assim), não quer lavar a cabeça dos próprios filhos. Temos também mais imagens de Jackie a drogar-se. Um sub-plot do episódio é o da chefe de Jackie que quer adoptar o menino do episódio passado, demonstrando que é uma pessoa muito mais profunda que o que dava a entender até ali.

Temos pouco do Dr.Cooper, basicamente resume-se ao inicio da sua relação com a filha da paciente do episódio passado, tinha ficado óbvio o interesse da filha, Melissa. Num dos momentos do Dr.Cooper com Melissa é abordado mais uma vez como os enfermeiros passam ao lado muitas vezes e ficam em segundo plano em relação aos médicos, o tumor da mãe de Melissa foi descoberto por Jackie e não pelo médico, mas esta nem se lembrava de Jackie. No outro momento de Coop este é apanhado por Jackie em actividade sexual com Melissa, motivo pelo qual não atendeu os pacientes que devia, levando à fúria de Jackie.

Foi um episódio na linha dos anteriores, no entanto a comédia não foi tão constante, apesar de bons momentos. A vida dupla de Jackie não teve desenvolvimentos de maior e foi motivo de poucas cenas. De notar que parece que Jackie ficou chateada com a sua amiga O’hara por esta ter falado à irmã sobre Jackie, mas não se viu se ficou realmente chateada. Outra situação foi que o farmacêutico quer conhecer a filha de Jackie. A sua vida dupla vai dar pano para mangas ainda e não acho que vá acabar bem.

Nota: 8,0


Nurse Jackie (1.05-08) – Resumo

Agosto 5, 2009

Mil desculpas pelo atraso nos reviews, mas com o fim do estágio e o acumular do cansaço foi-me impossível escrever os reviews, assim sendo e para colocar os reviews em dia antes de partir rumo às merecidas férias resolvi fazer um review conjunto dos episódios em atraso.

Episódio 5 – Daffodil

nurse jackie 5O caso principal do quinto episódio de Nurse Jackie retrata a vida de uma paciente com lúpus e de sua filha que embora criança acarreta o pesado fardo de cuidar da mãe debilitada. A vida dupla de Jackie continua dividida entre o marido e o recente problema da filha e Edie. Mas neste episódio os encontros amorosos com Edie vão encontrar em Coop um obstáculo de peso, este torna-se num verdadeiro emplastro boicotando todas as tentativas do casal em estar junto. Mais uma vez Dr. Cooper brilhou quando tentou apresentar-se a Stephanie, a filha da paciente, foi hilariante a maneira como este a resolve tratar, e para terminar em beleza resolve atacar de novo com o seu tique nervoso. Jackie resolve ter mais um acto de bondade e resolve fazer um assalto consentido à farmácia para doar medicamentos a Stephanie com vista ao tratamento da mãe, no final do episódio vemos Stephanie a ligar para Jackie aparentemente a mãe tomou um medicamento e deixou de conseguir mover o braço. Outro assunto que ficou pendente foi o problema de Grace, parece que ainda vai dar muitas dores de cabeça a Jackie e ao marido. Outro momento cómico do episódio foi proporcionado pelo jantar entre a estagiária, Zoey e Ellie, a directora também acabou por protagonizar bons momentos. Um episódio em que teve alguns momentos cómicos, embora a história das personagens e da sua vida pouco ou nada evolui-se e os casos médicos fossem apresentados muito ao de leve, embora a série tenha só 30 e tal minutos podiam explorar melhor as suas potencialidades.

Nota: 8,3

Episódio 6 – Tiny Bubbles

nurse jackie 6Neste episódio Jackie encontra-se com uma amiga, uma antiga enfermeira demasiado debilitada e fraca para lutar pela vida, entregando-se à morte devido a um cancro dos pulmões. Mas nem mesmo assim perde a malícia que durante muitos anos infernizou os outros enfermeiros. E nada melhor para o episódio que Dr. Cooper entrar em acção, desta vez as suas mães resolvem fazer-lhe uma visita inesperada ao hospital devido a uma indisposição e dor de barriga. A infância de Coop parece não ter sido das mais fáceis. Mas o episódio acaba por ser centrado no caso da enfermeira Paula, com a ajuda dos restantes enfermeiros e a pedido de Paula, Jackie resolve cometer eutanásia. Num brinde final e depois de distribuir pelos enfermeiros os seus bens, resolvendo dar a chave do seu apartamento a Jackie, Paula ainda consegue ser benzida pelo padre antes de fechar os olhos pela última vez. Pensei que o caso da semana passada pode-se ter algum desenvolvimento neste episódio mas parece que em Nurse Jackie um caso começa num episódio e acaba nesse mesmo episódio. Um episódio com menos momentos hilariantes, que para mim são um dos aspectos positivos da série, se bem que Zoey, seja em que situação for traz sempre bons momentos. Neste episódio a vida pessoal de Jackie também foi deixada um pouco de lado.

Nota: 8,2

Episódio 7- Steak Knife

nurse jackie 7Parece que a solução para o problema de Grace passa pelo ingresso numa nova escola “Virgem Imaculada”. A relação de Jackie e Edie passa agora por momentos conturbados, depois de um aniversário esquecido e de um presente mal aceite por Jackie, Edie resolve descarregar tudo o que vem acumulando ao longo dos tempos, chegando mesmo a acusar Jackie de o usar para obter vicodin. No fim de contas quem acaba lucrando é Coop que acaba por ficar com a pulseira. Depois da discussão Jackie deparasse com um pedófilo, acabando por fazer justiça com as próprias mãos. Quanto à sempre divertida directora, foi engraçado vê-la passear pelos corredores do hospital reclamando a paternidade de uma criança que aparentemente foi abandonada no hospital. Ellie também passou por um mau dia, desde calçar sapatos diferentes, a deixar cirurgias a meio, até a doar os muffins a Coop. No final depois de esta ir dormir a casa de Jackie percebe-se que o seu problema está relacionado com o padrasto. O episódio clínico apresentado trata-se de um jovem que acabou por ser esfaqueado pelo ex-marido da sua companheira do primeiro encontro. Jackie resolve então agir como casamenteira e entregar o presente de Edie ao paciente. Um episódio que para mim acabou por ser um pouco mais fraco que os anteriores tanto pelos casos clínicos como pela histórias em que o elemento que mais gosto em Nurse Jackie foi um pouco esquecido, a comédia, poucos foram as gargalhadas que este episódio me conseguiu arrancar.

Nota: 8.0

Episódio 8- Pupil

nurse jackie 8A vida dupla de Jackie parece ficar curta demais e as coisas vem ao de cima, depois de uma discussão acesa com Coop, Jackie enquanto fala ao telemóvel acaba por confessar que tem uma filha. Coop que apesar de jurar que não irá revelar o segredo a ninguém, acaba por contar à pior pessoa possível Edie, que como seria de esperar acata a notícia com surpresa e decepção. No entanto depois de conversar com Jackie, Edie diz-lhe que aceita a situação e que não a irá pressionar, que espera ela estar pronta. Um episódio em que os casos clínicos passaram totalmente ao lado do desenrolar da acção. Este para mim foi o episódio mais fraco até agora o ponto alto do episódio foi mesmo a descoberta de parte da vida dupla de Jackie, daqui para a frente tudo promete ser mais complicado e a descoberta total da vida dupla fica mais perto de acontecer. O episódio termina com Jackie a fazer karaoke. Nurse Jackie continua a ser uma grande estreia no entanto a qualidade que se esperava que fosse aumentando ao longo do tempo, acabou apenas por se manter, e em alguns episódios a ser inferior à do piloto. Aguardamos pelos novos episódios. Durante o mês de Agosto como me vou ausentar os reviews de Nurse Jackie vão estar a cargo de outro elemento da equipa para não ficarem sem novidades de Jackie até ao final de Agosto.

Nota: 7,8


Nursie Jackie (1.03/1.04) – Chicken Soup / School Nurse

Julho 2, 2009

nurse 3Como me atrasei um pouco nos reviews de Nursie Jackie resolvi fazer o review dos episódios três e quatro em conjunto. O episódio tem início em ambiente familiar e com uma cena que já vem sendo habitual apesar de a série contar apenas com três episódios, trata-se de Jackie em busca das drogas, desta vez com pouca sorte uma vez que o seu último comprimido acaba por ir pia abaixo. Rapidamente Jackie tenta arranjar solução, mas acaba sendo interrompida pelo marido que revela não só a preocupação com a filha mas como o desejo de ir buscar Jackie ao hospital para almoçarem juntos, Jackie meio que apavorada acaba se desculpando, convencendo-o a remarcar a data. Para complicar ainda mais o dia de Jackie esta fica a saber que Eddie corre o sério risco de vir a ser substituído por um robô, Pyxis, ou seja cada medicamento que sair terá de ficar registado assim como a pessoa que o retirou, mais uma complicação para o vício de Jackie. Quem continua a proporcionar bons momentos cómicos é a estagiária, uma personagem cómica, em todas as aparições traz sempre consigo uma situação cómica, desta vez trata-se de um novo estetoscópio oferecido pela mãe que acaba sendo resgatado pela Dr. O’Hara.

Outra personagem caricata é o Dr. Coop, as cenas em conjunto deste com Jackie são sempre momentos bem passados, a sua maneira de encarar Jackie é cómica e esta personagem promete, pode ser que num futuro próximo tenha mais minutos por episódio. Relativamente aos casos clínicos temos três que nos são apresentados de forma rápida, um trata-se de um paciente à beira da morte que se recusa a receber mais tratamentos e em vez disso resolve comer canja de galinha. Outro trata-se de um paciente que sofreu “agressão” do seu próprio gato, por ultimo trata se de uma casal de jovem que inicialmente tudo apontada para uma primeira gravidez mas os resultados demonstram uma dependência de opioídes. Quando o mundo da droga fechava a porta a Jackie, alguém resolve abrir uma janela. Jackie descobre que a internet pode ser uma boa aliada do seu vício. Um episódio razoável de Jackie, apesar de eu ter achado um pouco mais fraco que os dois anteriores.

Ao contrário do episódio anterior este inicia-se em ambiente hospitalar onde cedo nos dão a conhecer o primeiro caso médico, um menino que acaba de ter um acidente num parque, apesar de ter lesões nos pulmões o seu estado é estável. Um assunto que já vem do episódio passado é desenvolvido neste. Depois de vermos no fim do episódio passado Jackie falando com a filha e esta demonstrando a preocupação com epidemias de gripe, Jackie e o marido são chamados à escola e são alertados de que a sua filha pode sofrer de distúrbios de ansiedade. Jackie não reage bem à intervenção escolar na vida da filha. Zoey sofre a primeira perda, enquando Dr. Coop festeja a vida, Zoey chora a morte.

A vida dupla de Jackie está cada vez mais a colidir e as constantes ofertas de boleias e visitas ao hospital tornam se um perigo para Jackie. O’Hara já encostou Jackie contra a parede com uma pergunta mas Jackie acaba por não responder à questão.Agora a vida dupla também tem direito a telemóveis duplos, mais vale ter um para cada caso não vá o marido ou o amante desconfiado resolver fazer uma vistoria ao telemóvel e descobrir todos os desfalques amorosos. Um episódio de qualidade comparável ao anterior, talvez com menos momentos cómicos que no passado, mas mesmo assim deu para entreter e passar um bom momento na companhia de Jackie e restante equipa, como não podia deixar de ser destaque para Zoey e Coop como os bobos da corte.

Nota ep.3: 8,3

Nota ep.4: 8,1


Nurse Jackie (1.02) – Sweet 'n All

Junho 23, 2009

nursie 2Depois de um episódio bastante bom para piloto, as expectativas eram que a série continuasse no bom caminho, quer mantendo a qualidade quer se possível melhorando-a. As séries da Showtime pecam sempre pelo curto tempo de cada episódio, se por um lado é fácil arranjar 30 minutos para ver a série, certos assuntos que podiam ser mais aprofundados acabam por ser retratados ao de leve. Falando do episódio em si, no fim do episódio da semana passada ficamos a saber que afinal Jackie é casada apesar de viver um caso amoroso com um colega de trabalho, este novo episódio começa no ambiente familiar, onde Jackie prepara o lanche das filhas e o seu vício compulsivo, as drogas, nada melhor que as levar disfarçadas num pacote de adoçante. Parece que a única que sabe do casamento de Jackie é a sua amiga médica, pois o famoso ritual de esconder a sua ligação matrimonial, ou seja, retirar a aliança é habitual, aparecendo inclusivé esse de ritual de retirar e colocar a aliança na apresentação da série o que digamos que não deixa de ser cómico.

Por falar na apresentação da série, gostei da maneira como a fizeram. Voltando agora a atenção para os casos clínicos, o primeiro caso clínico, trata-se de um rapaz que caiu do skate duma altura de 3 metros sem a protecção devida, contrariamente ao caso do episódio passado em que o Dr. Cooper foi acusado de ser o causador da morte do jovem, parece que de vilão passou a herói sendo capaz de descobrir um aneurisma quando mais ninguém acreditava. O rapaz está em estado estável mas com um longo caminho de recuperação pela frente. Dr. Cooper que depois de ser elogiado por Jackie resolve abraça-la deixando-a sem reacção, a relação meio conturbado destes dois promete bons momentos.

Quem também proporciona momentos engraçados é a estagiária, Zoey, depois de resolver trazer bolos para o hospital ainda presencia a chapada que Jackie levou, e como se isso não bastasse enquanto telefonava para a mãe a dizer que não aguentava ainda dá de caras com a orelha do secretário do embaixador, acaba sendo acusada pela chefe do hospital, mas rapidamente o assunto é esquecido por esta depois de provar um “adoçante” de Jackie. Outros dos casos clínicos do episódio envolve o agressor de Jackie, Louis, que resolve cortar-se, sendo algemado. Rapidamente Jackie ordena a sua libertação, e trata de lhe arranjar cama para passar a noite, aliviando assim o stress que este tem, causado este pelos problemas em tratar da mãe. No final do episódio ainda há tempo para um ataque cardíaco protagonizado por um taxista. A serie conseguiu manter a qualidade, tendo bons momentos cómicos.

Nota: 8,6