True Blood (2.12) – Beyond Here Lies Nothin'

Setembro 17, 2009

tb212True Blood tem uma forma de construir as suas temporadas. Ao longos dos primeiros onze episódio, a história desenrola-se bem até chegarmos ao derradeiro final. É na décima segunda hora que vemos o desfecho daquilo que foi construído anteriormente, mas ao contrário da maioria das séries, essa última hora está dividida em duas partes, ao estilo de Heroes: o fim de um capítulo e o início de outro. Não percebo, sinceramente, o porquê de tanta gente ter odiado essa fórmula apresentada, ainda para mais quando aconteceu o mesmo na primeira temporada, mas são opiniões e eu estou aqui para explicar o meu ponto de vista.

A primeira parte foi a melhor das duas, com o desfecho de toda a história da ménade. As oferendas estavam todas dadas, as damas preparadas e a noiva desesperada à espera do seu marido. Gostei bastante do facto da série ter entrado nesse ramo mitológico, algo que poucas séries fazem mas quando apostam nisso, quase sempre resulta em histórias interessantes (alguém dúvida que grande parte da mitologia de Lost será explicada em função da egípcia?). Adorei a atitude do Sam em ter-se sacrificado pela população de Bon Temps e, principalmente, por ter sido ele a matar a Maryann, visto que ele foi quem mais sofreu nas mãos dela. Quando apareceu aquele boi (ou sei lá como aquilo se chama) pensei “não, não podem ter mesmo invocado o Deus, ainda mais nessa forma”, mas quando vi que era o Sam fiquei de boca aberta. Tal como a rainha disse, assim que a ménade acreditar que o Deus veio, ela fica vulnerável, e foi isso que aconteceu. O Bill também teve um papel importante em tudo isso, visto que ele foi quem salvou o Sam, apesar de não se darem bem durante toda a série. Para quem tinha dúvida se o Andy tinha algum poder sobrenatural por nunca ter ficado enfeitiçado pela Maryann, ficou a saber da verdade neste episódio quando ele e o Jason acabam por terem os ‘bug’s eyes’.

A segunda parte foca-se nas consequências de tudo o que aconteceu. Como é óbvio, ninguém se lembra de nada e todas as hipóteses são possíveis. Mais uma vez digo o quanto eu gosto de ver essa população de Bon Temps a teorizar e falar do que não sabe, é sempre muito divertido. Já agora, repararam que a primeira mulher que aparece no bar e fala com o Sam é a escritora dos livros que deu origem à série, Charlaine Harris? Ela pode ter muito jeito para escrever e muita imaginação para criar essas personagens e história, mas uma simples fala deu para perceber que a representação não é o seu forte. Enquanto uns voltam ao normal, outros estão pior que nunca. Estou a falar, como já devem ter percebido, do Eggs. A sua história é muito idêntica à da Tara, ou seja, foi encontrado pela Maryann e serviu para fazer o trabalho sujo da mesma. Quando ele descobre que matou três pessoas, não se perdoa a si mesmo e tentar ir para a cadeia, mas é então que acontece o que eu menos gostei no episódio: a morte dele nas mãos do Jason. Soou tudo tão irreal, sei lá, detestei! Espero ao menos que isso tenha repercussões importantes no futuro.

Por fim, temos um pedido de casamento. Bill, apaixonado, pede Sookie em casamento que tem uma reacção normal de quem é pedido em casamento por um vampiro. Tal como ela aponta, é difícil quando ela começar a envelhecer e ele continuar com a mesma idade, por isso é uma grande decisão que precisa de ser tomada. Enquanto uns estão à beira do casamento, outros como o Hoyt e a Jessica continuam às turras. Essa segunda parte da temporada serviu, como disse no início, para introduzir a terceira temporada que chega em Junho de 2010. Quem raptou Bill e o que é a Sookie são duas perguntas que devem ser respondidas, assim como o parentesco de Sam. Ansiosos? Eu estou!

93

Anúncios

Algumas deixas sobre a terceira temporada de True Blood!

Setembro 15, 2009

57979637Após o final da temporada, o criador e responsável pela adaptação televisiva de True Blood, Alan Ball decidiu que a os espectadores mereciam ter algumas informações para gerirem até a temporada voltar. Numa entrevista dada ao Ausiello, ficamos a conhecer o que podemos esperar da terceira temporada.

O criador da série revela vários segredos sobre a próxima temporada, como os temas que irão ser tratados, assim como o destino de alguns relacionamentos, como o de Lafayete, Sookie-Eric e Tara-Jason. Para além disso, faz uma análise à Season Finale e a maneira de escrever o episódio e a Maryann. E mais algumas surpresas, que deixam a água na boca.

Claro que assim a entrevista tem spoilers, entre os quais que a série deve voltar na mesma altura que começou este ano (isto claro não é spoiler).

Aqui fica a entrevista, com uns comentários meus a itálico:

Ausiello (Au.): Algumas pessoas surpreenderam-se pelo encerramento da história da Maryann aos 30 minutos.

Alan Ball (Al.): Ao olhar para a série, eu vejo cada episódio como um capítulo de um livro. Isto deve-se, penso eu, ao modo de assistir a séries, que em vez de as ver semanalmente assisto-as em DVD. Mas a temporada passada acabou assim.

Au. : E porque o súbito desaparecimento do Eric na Season Finale?

Al. : Existe uma razão, mas ao dizer estaria a ser demasiado generoso.

Au. : Mas terá importância na próxima temporada?

Al. : A isso posso dizer que sim. (e eu, espectador de True Blood, não podia pedir mais…Quero mais Eric.)

Au. : E já que estamos a falar do Eric. Surpreendeu que a relação amorosa Sookie /Eric tenha tantos fãs?

Al. : Sim. Mas não me tento envolver nestas ondas, pois não quero que influencie a série. Mas falando pessoalmente, eu gosto, o Eric é “quente”. Mas para além disso, vemos um Eric perigoso e que eu não sei se amará alguém para além de si próprio. (aqui eu acrescento o seu criador.)

Au. : Agora falando da Sookie. Por que que ela não é influenciável pelo poder da Maryann, mas o Jason era? Terão pais diferentes?

Al. : Os pais são os mesmos. Mas saberemos o que é a Sookie é na próxima temporada. É que há genes dominantes e recessivos. Talvez o Jason seja fundamentalmente humano, mas tenha um traço não humano. Mas ele é parecido a um ser humano perfeito, pois tem todo aquele carisma, é todo atlético, se calhar teve uma ajuda nesse sentido [risos]. Mas ele é maioritariamente humano. A Sookie é diferente. Ela tem uma predisposição genética que a leva noutra direcção. Quem leu os livros sabe do que estou a falar. Quem não sabe, tem de ver, que isto irá ser explicado.

Au. : E porque aquele obsessão da rainha pelo Yahtzee?

Al. : Quando se tem 400 anos o que se irá fazer? Mas não é nada especial, foi algo que nos lembramos.

Au. : A caracterização da Evan Rachel Wood como rainha tem sido muito dividida. A quem diga que ela não é assustadora o suficiente.

Al. : Ela será. Não queríamos introduzi-la assim porque, mais a frente, quando voltar a aparecer, não queríamos que os espectadores puxassem um bocado a frente. Mas é interessante ver os fãs a falarem disso. Só assim é que dá para ver que estão a gostar da série, partilhando as suas opiniões, e que estão envolvidos por ela. Como estou a pensar que a série seja comprida, não podemos introduzir assim uma personagem ao primeiro episódio que ela se mostra. Mas fará sentido.

Au. : Será que a veremos a próxima temporada como regular?

Al. : Ela não será regular, mas aparecerá. Cada estado tem um vampiro real (no sentido de rei/rainha, claro). Ser-vos-á apresentado o rei de Mississippi (que, de novo segundo o Ausiello, será interpretado por Denis O’Hare, que já participou em B&S, por exemplo), e haverá algo interessante entre ele e a rainha Sophie-Anne.

Au. : Apesar de adorar a encarnação de Maryann pela Michelle Forbes, dá-me a sensação de a história se ter prolongando um pouco. Porquê que demorou tanto o seu final (recordem-se que Maryann viveu durante 2 mil anos)?

Al. : Isso faz parte da conversa da rainha. A Maryann e os seus similares estão sempre a improvisar, para tentar que um Deus venha. Mas são tão fervorosos, que continuam de sacrifício em sacrifício. A Maryann pensou, quando matou Mrs. Jeanette, que estava no caminho certo. Ela pensava certa que o caminho certo era este. Mas ela nunca o acaba. Apesar disso, a sua crença é fervorosa. E foi isto que a matou.

Au. : E ainda veremos o seu regresso?

Al. : Não. Ela morreu, foi destruída e nunca mais votará. Que é uma pena, pois era fantástico trabalhar com a Michelle (pois deve…grande papel da actriz, que me conquistou), mas tivemos de matá-la.

Au. : Agora mudando de assunto: qual será a proximidade com o livro da terceira temporada?

Al. : O terceiro livro, tal como todos, será o ponto de partida, mas nós nunca os seguiremos cegamente. Isso poderá ver-se em situações que, apesar de serem reveladas nos livros posteriormente, apareceram na série mais cedo.

Au. : Introduzirá o lobisomem Alcide?

Al. : Sim.

Au. : E já há actor para a personagem?

Al. : Não. Mas posso revelar que conheceremos os pais biológicos do Sam, um temível vampiro Franklin Mott, para além de conhecermos Debbie Pelt, e a população de Hotshot um pouco antes do previsto.

Au. : E veremos a “Fellowship of the Sun”?

Al. : Sim. Apesar da humilhação do Steve, a sociedade ainda existe. E talvez esteja (Steve) mais furioso que nunca.

Au. : E o facto de o Jason ter matado o Eggs (já não era sem tempo) será um propósito para o retorno da relação entre o Jason-Tara?true-blood-poster

Al. : Claro, pois o Jason consumido pela culpa. E este sentimento vai despertar outro, o de compensação. Mas penso que a Tara já matou a sua obsessão pelo Jason, mas pela situação que ela está a passar, talvez esteja mais vulnerável aos encantos do mais velho dos Stackhouse.

Au. : E a Tara conseguirá, alguma vez, ter um relacionamento feliz?

Al. : Os relacionamentos felizes são “boring” (desculpem lá não traduzir, mas acho que este boring é a melhor tradução que há). Queremos tê-los na nossa vida, não em TV.

Au. : E algum plano para o Lafayete ter um namorado?

Al. : Sim.

Au. : E alguma coisa prevista para os próximos tempos?

Al. : Isso não posso confirmar. O que posso dizer é que o Lafayete terá mais tempo de antena. Ele foi construindo uma série de paredes a sua volta. Mas, no próximo ano, o veremos vulnerável, e não só devido ao medo ao Eric.

Au. : Algum arrependimento por ter morto o Godric? Ele foi muito bem recebido pelas pessoas.

Al. : Nenhum, pois a sua história foi realmente poderosa. Foi a minha favorita do segundo livro. Mas poderemos sempre vê-lo, em flashbacks. A relação entre Godric e o Eric é muito forte e longa, e podemos sempre ir atrás para espreitar momentos desta.

Au. : E o relacionamento entre o Hoyt e a Jessica está terminado?

Al. : O amor está ainda presente entre eles. Mas eles têm problemas, como foi visível na Season Finale.

Au. : Mas percebe que eles são fantásticos juntos, não?

Al. : Claro que percebo!

Au. : E quando poderemos voltar a ver True Blood?

Al. : Nós esperáramos ter um episódio pronto antes do natal, mas se a série volta mais cedo é decisão da HBO. Mais tarde é que não vai ser.

Au. : Falta alguma coisa que ainda não perguntei?

Al. : Eu estou surpreendido por não ter mencionado o Bill.

Au. : Quem raptou o Bill?

Al. : A mãe do Hoyt. (parece-me que o Alan parece que está aqui a ser irónico. Não iria acabar com o cliffhanger desta maneira. Parece que temos mesmo de esperar até ao próximo ano para saber.)

Uma excelente entrevista, que vem deixar água e sangue na boca. Agora é esperar pela próxima temporada.


Michelle Forbes insulta premiações!

Setembro 12, 2009

tbs2maryannpromoMichelle Forbes, de True Blood, demonstrou recentemente o seu descontentamento pela série ter sido ignorada nas nomeações dos Emmy Awards.

A actriz, que interpreta Maryann Forrester no drama vampírico da HBO, disse que não existe honra nas premiações de televisão, acrescentando, polemicamente: “Desculpem lá, mas que se f*da as premiações. O verdadeiro prémio está na audiência. É para a audiência que é escrita uma série, não para, como todo o respeito, os críticos e as premiações.

A actriz de 44 anos revelou que, na sua opinião, a Maryann não é uma vilã. O final da segunda temporada vai ao ar no dia 13 de Setembro por parte da HBO.


Alguém quer ver a promo perfeita de True Blood?

Setembro 11, 2009

3768048298_06d7281faa13 de Setembro. Às horas que escrevo este post faltam 2 dias 11 horas 55 minutos e 26 segundos para a Season Finale. Estão desesperados como eu, que conto até os segundos, para ver o final da série vampírica? Se estão, é caso para verem este excelente promo que a HBO decidiu libertar. Se não, dêem só uma espreitadela. Com música dos Depeche Mode, a grande banda britânica, que nós traz Corrupt, o promo dá para matar um pouco as saudades (duas semanas sem sangue é muito), para além de se ver uma montagem de excelente qualidade. E só faltam 2 dias 11 horas 51 minutos e 22 segundos.


Duelo de Séries: Buffy ou True Blood?

Setembro 3, 2009

Untitled-1Existem séries que simplesmente não se livram de uma certa comparação devido aos temas que exploram. ‘Buffy, the Vampire Slayer’ e ‘True Blood’ abordam o tema do vampirismo de formas completamente diferentes, mas ambas respeitam ao máximo o mito do vampiro, com (quase) todas aquelas regras como a permissão para entrar em casa e proibição de estar exposto ao sol.

Buffy, the Vampire Slayer‘ foi criada em 1997 por Joss Whedon e é protagonizada por Sarah Michelle Gellar. Buffy Summers é uma jovem que acaba de se mudar para Sunnydale, local onde submerge a Boca do Inferno, e que terá que lutar contra os vampiros e as forças do mal. Composta por sete temporadas e 144 episódios, ‘Buffy, the Vampire Slayer’ tem um universo fantástico, cheio de humor e drama, de excelentes personagens e um elenco competente.

Por outro lado, ‘True Blood‘ é muito mais recente, tendo estreado apenas o ano passado. Alan Ball, o mesmo criador de ‘Six Feet Under’, adaptou os livros de Charlaine Harris para a televisão e está a fazer um trabalho excelente. Anna Paquin, vencedora de um Óscar ainda em criança, interpreta Sookie, uma empregada de mesa telepata que se apaixona por um vampiro chamado Bill. Cheia de piadas inteligentes por parte de personagens como o Jason e de grandes momentos de verdadeiro sangue, ‘True Blood’ torna-se indispensável para os fãs deste género.

Eu estou na metade da última temporada de Buffy e a acompanhar a exibição americana de True Blood, logo consigo ter a minha opinião sobre este duelo. True Blood consegue criar um universo vampírico com mais pormenores (como a virgindade da Jessica) e muito mais obscuro que o de Buffy, mas ambas as séries conseguem explorar muito bem este tema muitas vezes estragados em outras produções como ‘Twilight’ e, provavelmente, em ‘The Vampire Diaries’.

E vocês, qual é a vossa série sobre vampiros favorita? Votem na sondagem!

[poll id=”71″]


True Blood (2.11) – Frenzy

Setembro 2, 2009

snapshot20090902163533

That was really quite desperate of you: tricking her into drinking your blood, so that she’d become attracted to you.
Unlike you, who fed her your own blood the very night you met…
How do you know that?
So you’re not denying it?
I was saving her life.
Isn’t that convenient…

Episódios de transição, conhecidos por serem aqueles em que os fãs menos toleram mas que são muito importantes para uma determinada história. Como estive de férias tive a oportunidade de primeiro ler os comentários e só depois ver o episódio, visto que não podia fazer o download no local onde estava. Quase tudo o que eu lia não iria a favor da série, em que os principais adjectivos para este ‘Frenzy’ eram ‘aborrecido’, ‘desnecessário’ e ‘monótono’. Não sei se foi por ir com poucas expectativas ver o episódio, mas a verdade é que gostei bastante do mesmo. Claro que é inferior aos últimos três, mas mesmo assim consegue ser bem melhor que quase todos os episódios da primeira temporada.

O cliffhanger da semana passada foi resolvido logo nos primeiros dez segundos. Como era óbvio, a Rainha não estava morta e aquele sangue era de uma outra rapariga que estava a ser sugada perto da virinha (lembram-se da piada do Bill na primeira temporada quando ele diz que a virinha tem uma boa fonte de sangue?). Evan Rachel Wood chega, assim, a True Blood num arco de dois episódio interpretando Sophie-Anne, a mais poderosa vampira que conhecemos até hoje na série. O seu trabalho até agora foi fenomenal, eu sempre pensei que essa Rainha fosse alguém muito dura e antipática, mas acabou por se revelar o contrário, com o tom de humor contagiante. Gostei bastante de conhecer o quarto de dia dela, com piscina e banhos de sol incluídos. Desculpem lá fãs de ‘Buffy’ (onde eu estou incluído), mas em termos técnicos, a ‘vampiragem’ de True Blood é muito melhor!

O Jason e o Andy são uma das melhores duplas dos últimos tempos na televisão. Eles fizeram deste episódio algo cómico e mostra que tanto um como o outro não têm medo de enfrentar a deusa Maryann. Adorei as conversas que eles tinham no carro, principalmente quando o Andy comparou a sua vida com a do Jason. Eu confesso que não gostava muito do irmão da Sookie na primeira temporada, mas toda a situação da Irmandade do Sol conseguiu fazê-lo crescer como pessoa, e ainda bem. Quando o Andy levou aquele tiro, pensei logo que ele tinha morrido, pois já ficou provado que True Blood não é para brincadeiras. Apesar disso, fiquei aliviado por ele ter sobrevivido, pois sempre dá para continuar com um personagem cómico na série. Também se for para ele morrer, ao menos que tenha um papel importante na derrota da Maryann, por tudo o que ele passou ao ser desacreditado.

Entre dedos cortados e tripas acarinhadas, Tara descobre que foi ela que invocou a Maryann. Ainda bem que houve uma explicação plausível para toda essa obsessão da Maryann pela Tara, assim como a dela por Sam: o seu sacrifício tem de ser em seres sobrenaturais. Alguém duvida que a Sookie, com os seus poderes de telepatia, vai ser uma delas? Enquanto a protagonista volta a meter-se em problemas, descobrimos que o Eric tem a capacidade de voar. Adorei toda aquela cena do bar, com os diálogos suecas e ousados à mistura.

Agora é necessário esperar duas longas semanas para ver o final da temporada. O vídeo promocional já foi lançado aqui e acho que é quase desnecessário dizer o quão ansioso estou para que chegue o dia 13 de Setembro. Os dois lados da guerra estão traçados prestes a colidir sobre um misterioso ovo. Será que ao contrário do que a Rainha pensa, o Deus vai vir mesmo dar as suas graças? Tudo isso e muito mais é reservado para os cinquenta minutos finais de True Blood deste ano. Ah, nem vou comentar a reacção do Hoyt. Blah!

Nota: 9,0


True Blood: Vídeo promocional legendado do episódio 2.12

Setembro 1, 2009

Sem título

True Blood termina a sua segunda e excelente temporada daqui a duas semanas (dia 13 de Setembro) com a exibição do episódio doze, intitulado ‘Beyond Here Lies Nothin’. Abaixo podem ver o excelente vídeo promocional que nos faz ficar ansioso que o dia 13 chegue. Como estou na ilha de férias, ainda não consegui ver o episódio de domingo passado, mas amanhã devo ver e fazer o review.